La Palma, Canárias

A Isla Bonita das Canárias


O Bananal do Vale
Meandros de estrada através de um dos bananais de El Valle.
Casa do Cacto
Casa e cacto, um conjunto garrido de El Tablado.
Queda d’Água Los Tiloes
Visitante da Reserva Especial Los Tilos admira o salto da cascata homónima.
O Grande Dragoeiro
Grande dragoeiro faz sombra a alguns lares de El Tablado.
Crista de El Tablado
El Tablado ocupa parte de uma rara "plataforma" plana na costa norte abrupta de Las Palmas
Estrada para um bananal
Estrada vertiginosa abaixo de El Tablado
El Faro, o Farol
O Farol de Fuencaliente acima da costa vulcânica do sul de La Palma.
Lava Florida
Flores resplandecem no cimo rochoso de Roque de Los Muchachos.
Muchachos Espaciais
Cúpulas de Observatório Espacial no cimo de La Palma de Roque de los Muchachos.
playa-de-bujaren-la-palma-canarias
Baño (Fuen) Caliente
Banhista saboreia o derradeiro sol da tarde na praia contígua ao Farol de Fuencaliente.
Nogales
Visitante da Reserva Especial Los Tilos admira o salto da cascata homónima.
Salinas e o Farol
As salinas e, à distância, o farol de Fuencaliente, no extremo sul de La Palma.
El Valle de Aridane
Casario de El Valle, a maior povoação de La Palma, maior até que a capital Santa Cruz de la Palma.
Vulcão San Juan
Pinheiros despontam do solo vulcânico em redor do Vulcan San Juan.
Playa Nogales (lá em baixo)
Banhistas caminham sobre a areia negra da Playa Nogales.
Lar doce Lar de El Tablado
Telhado, terraço e chaminé de El Tablado.
Ladeira de San António
Transeunte cruza uma rua íngreme, pitoresca e deserta de San António.
Túnel para Los Tilos
Vulto percorre a levada que conduz à cascata de Los Tilos
Em 1986, Madonna Louise Ciccone lançou um êxito que popularizou a atracção exercida por uma isla imaginária. Ambergris Caye, no Belize, colheu proveitos. Do lado de cá do Atlântico, há muito que os palmeros assim veem a sua real e deslumbrante Canária.

Jonas Pérez aprecia a velocidade.

Não diríamos tanto como a sua ilha natal mas, dá-lhe especial prazer serpentear pelas curvas de La Palma com os pneus em suplício.

Depressa percebemos que o fazia com a experiência de anos de cima abaixo na ilha, a determinada altura, à frente da sua própria empresa de turismo, cargo que o ligou a nós e à nossa visita.

Como resposta ao repto de por onde a queríamos começar a explorar, disparamos para o seu norte, com o parque nacional de Los Tilos como destino.

O Reduto Laurisilval Prodigioso de Los Tilos

Los Tilos é especial por concentrar uma das áreas de floresta Laurisilva mais antigas e melhor preservadas do arquipélago canário e de toda a Macaronésia.

Verdejante, húmido, de vegetação sortida, musgoso e, à sua maneira, místico, Los Tilos é sulcado por inúmeros trilhos que atraem caminhantes de todas as partes.

Em dias estivais e quentes, um deles, acessível e bem mais curto, revela-se um caso à parte.

Tunel de Los Tilos, La Palma, Canárias

Vulto percorre a levada que conduz

Como o encontrámos, não o classificaríamos bem como um convencional trilho.

Nas imediações de um rio de nome Barranco del Água, uma levada canalizada acompanha um túnel escavado na encosta.

Deixamo-lo para a entrada de uma garganta apertada, sinuosa e pejada de fetos.

Ali mesmo, uma queda d’água generosa, abastecia o Barranco del Água e deliciava uma pequena multidão de visitantes.

Cascada Los Tilos, La Palma, Canárias

Visitante da Reserva Especial Los Tilos admira o salto da cascata homónima.

Eram uns tantos turistas, fotógrafos de ocasião e uma minoria balnear de adolescentes deliciados com a frescura e excentricidade do duche vespertino. Sobrava-nos vontade para a eles nos juntarmos.

Se dependesse de Jonas, isso nunca aconteceria: “um lugar especial assim, devia estar fechado a estas invasões. Agora são estes três, mas às vezes são cinco vezes mais, percebem?”

Claro que percebíamos.

Jonas era da ilha. E, em certa maneira, a ilha era de Jonas. Não tínhamos grande coisa acrescentar. Deixámos que nos guiasse a uma equivalente marinha da Cascata de Los Tilos.

Revertemos para sul. Deixamos a estrada principal para uma sua derivada repleta de esses íngremes algo assustadores.

Uma derradeira ladeira deixa-nos de frente para um promontório ressequido, pejado de cactos amarelos, na época certa, prendados com figos-da-Índia, higopicos ou tunos como, dependendo das ilhas, lhes chamam os Canários.

Nogales: uma Praia Crua e Deslumbrante de Areia Negra

Uma vedação de madeira protegia quem ali se aventurava a espreitar o abismo a norte, de uma longa e fatídica queda.

Não obstante, a vista da Playa Nogales abaixo, de um esplendor marinho e vulcânico incomum, convidava-nos a prolongar a contemplação e a renovar os cliques das máquinas fotográficas vezes sem conta.

Playa Nogales, La Palma, Canárias

Figos-da-India no cimo da falésia da Playa Nogales.

O seu areal negro, com mais de 500 metros de comprimento e, dependendo da maré, até 25 de largura, encaixa no fundo de falésias que, nos meses mais chuvosos se tornam verdejantes e contrastam com o azulão-petróleo do oceano Atlântico.

Num cenário extremo como tal, pouco surpreende que o leito sofra mudanças bruscas de profundidade suscetíveis a correntes.

Os banhos têm, assim, que se fazer com cuidados redobrados.

Fosse como fosse, os poucos banhistas privilegiados que vislumbrávamos nas profundezas, todos a salvo, jogavam raquetes, brincavam com um cão, dormitavam mesmo antes do limiar da rebentação.

Vagas na playa Nogales, La Palma, Canárias

Banhistas caminham sobre a areia negra da Playa Nogales.

De San Andrés ao Regresso à Capital Santa Cruz

Entre Los Tilos e Nogales, vimos boa parte do relevo de La Palma colonizado por bananais de encosta, já de considerável dimensão. Por aquela altura, mal sabíamos que, à escala de La Palma, se tratavam de meras amostras.

Esta secção inicial do périplo ocupou-nos até em cima da hora de almoço.

Jonas Pérez alicia-nos a concordarmos com a ida a um restaurante seu familiar do pueblo de San Andrés, homónimo, dotado de uma esplanada à sombra de grandes palmeiras e abençoado pela Parróquia de San Andrés Apóstol.

Lá nos sentamos e saboreamos peixe grelhado, com papas arrugadas e, claro está, uma boa dose de gofio, uma papa amarelada feita de uma mistura de grãos e cereais que, se diz que já era consumida pelos indígenas das Canárias guanches, muito antes da chegada dos europeus.

Jonas incita-nos a prová-la com um orgulho genuíno de nativo de há menos tempo. Para seu contentamento, adoramos o petisco. Abusamos de o degustar até percebermos o seu peso e complexidade digestiva.

E, não tarda, a consequente dificuldade em explorarmos a colorida e pitoresca povoação à beira-mar plantada de San Andrés.

Por essa tarde, ficamos por nossa conta a deambular pela capital Santa Cruz de La Palma.

Roque Los Muchachos Enevoado e o Encanto de El Tablado

Na manhã seguinte, bem cedo, saímos uma vez em modo de rali, com o fim de etapa no tecto da ilha de Roque de los Muchachos (2426m), o segundo pico mais elevado das Canárias

Roque de los Muchachos tornou-se um ponto de observação privilegiado do Espaço, razão de ser dos vários Observatórios Espaciais e das enormes antenas que víamos apontadas para os céus.

Observatório Espacial, Roque Los Muchachos, La Palma

Cúpulas de Observatório Espacial no cimo de La Palma de Roque de los Muchachos.

E, no entanto, à hora a que completamos a ascensão do monte, em vez de pairarem abaixo, envolviam-no nuvens de altitude que nos frustravam uma contemplação condigna da cratera e dos panoramas em redor.

De acordo, demoramos menos do que contávamos.

Jonas aproveita a sequência da estrada.

Flores em Roque de Los Muchachos

Flores resplandecem no cimo rochoso de Roque de Los Muchachos.

Conduz-nos a uma das suas zonas preferidas de La Palma, a costa norte, retirada no tempo, isolada pelos recortes caprichosos de montanhas e vales e por um certo apego a um modo ancestral de vida.

Uma região cruzada por trilhos vertiginosos em que Jonas e a esposa Sarai acumularam grande experiência a guiar forasteiros.

Estrada, Costa Norte, La Palma.

Estrada vertiginosa abaixo de El Tablado

O acelera e gentil cicerone mostra-nos, em particular, a aldeia de El Tablado, assim chamada pela estrutura tradicional de madeira dos telhados, a culminarem casas mais antigas e humildes impostas às encostas.

El Tablado, La Palma,

Telhado, terraço e chaminé de El Tablado.

Boa parte das recentes, coloridas, com cimos rasos, chaminés algo mouriscas.

O Atlântico a norte e a companhia vegetal de uns tantos dragoeiros, muito mais anciãos que qualquer morador.

De El Tablado, serpenteamos até Santo Domingo.

A povoação revelou uma estrutura e visual de vila, com a sua praça, igreja e edifício senhoriais.

Encontramo-la quase deserta.

Malgrado as vias bem menos extremas que as de acesso a El Tablado, o evento do dia era o azar de um condutor que tinha invadido e destruído um estabelecimento comercial.

Ao volante do seu carro, há que dizê-lo.

Pela Costa Oeste de La Palma Abaixo

Por nova ladeira ziguezagueante, chegamos à vista dos Roques de Santo Domingo e de Las Tabaidas.

Mesmo se mais escondida, também avistamos a Praia de Bujarén, da mesma laia vulcânica e de retiro no sopé das falésias, da de Nogales.

Apostado em perfazer a circum-condução da ilha, Jonas força um trecho adicional, agora pelo cimo da sua costa oeste, extenso que bastasse para nos convencer da dimensão de La Palma que os mapas não deixam compreender.

Voltamos a sobressaltar-nos com o dramatismo canário da Isla Bonita das Canárias quando atingimos o cimo de El Valle de Aridane.

Fértil como poucos na ilha, El Valle acolhe uma imensa produção agrícola, ao ponto de acolher uma das zonas de bananal mais importantes das Canárias.

El Valle de Aridane, La Palma, Canárias

Casario de El Valle, a maior povoação de La Palma, maior até que a capital Santa Cruz de la Palma.

À medida que descemos para o seu âmago, os meandros da estrada LP-1, dos Barrancos Tenisca e do de Las Angustias enfiam-nos numa floresta de bananeiras muradas, explica-nos Jonas que assim eram protegidas do vento e melhor amaduradas.

Bananal de El Valle, La Palma, Canárias

Meandros de estrada através de um dos bananais de El Valle.

Tantos quilómetros de curvas, altos e baixos, tanto desvendar de novos panoramas, já justificavam nova experiência gastronómica.

Higopicos ou Tunos à Mesa e o Fundo Vulcânico de La Palma

À mesa do gastrobar El Duende del Fuego, de Los Llanos encantamo-nos com o Chef Pedro Castillo a descascar um figo-da-Índia à mão despida. E com os seu risoto e sorvete de higopico, entre outras delícias.

Os tunos continuaram a abundar.

De El Valle para baixo, rumo à finisterra meridional pontiaguda de La Palma, em que o farol de Fuencaliente avisa da iminência da ilha à navegação.

Farol de Fuencaliente, La Palma, Canárias

O Farol de Fuencaliente acima da costa vulcânica do sul de La Palma.

Uma vez mais, por estes lados, vemo-nos num domínio de terra e lava escura, salpicado de vulcões assombrosos:  o San António e o San Juan.

São ambos derradeiras crateras de uma longa crista vulcânica de que faz também parte o controverso Cumbre Vieja, que re-entrou em erupção a 19 de Setembro de 2021.

Motivo de uma teoria apocalíptica e viral de que um seu colapso sobre o Atlântico provocaria um gigantesco maremoto que destruiria parte do litoral das Américas e até alguns litorais europeus.

Vulcão San Juan, La Palma, Canárias

Pinheiros despontam do solo vulcânico em redor do Vulcan San Juan.

Menos intimidante, o vulcão San Juan é sobranceiro ao farol, às salinas contrastantes de Fuencaliente.

E à praia de grandes seixos em que, não obstante a crueza geológica dos cenários, vemos banhistas desfrutarem do derradeiro sol da tarde e do mar cálido, para suplício de um duo de pescadores, saturados da sua faina.

Playa de Fuencaliente, La Palma, Canárias

Banhista saboreia o derradeiro sol da tarde na praia contígua ao Farol de Fuencaliente.

A noite não tardou a anunciar-se.

Com quase dez horas de voltas pela Isla Bonita, chegara a hora de recolhermos a Santa Cruz, a capital palmera. 

A sua segunda maior povoação.

Fuerteventura, Ilhas Canárias, Espanha

A (a) Ventura Atlântica de Fuerteventura

Os romanos conheciam as Canárias como as ilhas afortunadas. Fuerteventura, preserva vários dos atributos de então. As suas praias perfeitas para o windsurf e o kite-surf ou só para banhos justificam sucessivas “invasões” dos povos do norte ávidos de sol. No interior vulcânico e rugoso resiste o bastião das culturas indígenas e coloniais da ilha. Começamos a desvendá-la pelo seu longilíneo sul.
El Hierro, Canárias

A Orla Vulcânica das Canárias e do Velho Mundo

Até Colombo ter chegado às Américas, El Hierro era vista como o limiar do mundo conhecido e, durante algum tempo, o Meridiano que o delimitava. Meio milénio depois, a derradeira ilha ocidental das Canárias fervilha de um vulcanismo exuberante.
La Graciosa, Ilhas Canárias

A Mais Graciosa das Ilhas Canárias

Até 2018, a menor das Canárias habitadas não contava para o arquipélago. Desembarcados em La Graciosa, desvendamos o encanto insular da agora oitava ilha.
PN Timanfaya, Lanzarote, Canárias

PN Timanfaya e as Montanhas de Fogo de Lanzarote

Entre 1730 e 1736, do nada, dezenas de vulcões de Lanzarote entraram em sucessivas erupções. A quantidade massiva de lava que libertaram soterrou várias povoações e forçou quase metade dos habitantes a emigrar. O legado deste cataclismo é o cenário marciano actual do exuberante PN Timanfaya.
Tenerife, Canárias

O Vulcão que Assombra o Atlântico

Com 3718m, El Teide é o tecto das Canárias e de Espanha. Não só. Se medido a partir do fundo do oceano (7500 m), só duas montanhas são mais pronunciadas. Os nativos guanches consideravam-no a morada de Guayota, o seu diabo. Quem viaja a Tenerife, sabe que o velho Teide está em todo o lado.
Chã das Caldeiras, Ilha do Fogo Cabo Verde

Um Clã "Francês" à Mercê do Fogo

Em 1870, um conde nascido em Grenoble a caminho de um exílio brasileiro, fez escala em Cabo Verde onde as beldades nativas o prenderam à ilha do Fogo. Dois dos seus filhos instalaram-se em plena cratera do vulcão e lá continuaram a criar descendência. Nem a destruição causada pelas recentes erupções demove os prolíficos Montrond do “condado” que fundaram na Chã das Caldeiras.    
Ilha do Fogo, Cabo Verde

À Volta do Fogo

Ditaram o tempo e as leis da geomorfologia que a ilha-vulcão do Fogo se arredondasse como nenhuma outra em Cabo Verde. À descoberta deste arquipélago exuberante da Macaronésia, circundamo-la contra os ponteiros do relógio. Deslumbramo-nos no mesmo sentido.
Ilha do Pico, Açores

Ilha do Pico: o Vulcão dos Açores com o Atlântico aos Pés

Por um mero capricho vulcânico, o mais jovem retalho açoriano projecta-se no apogeu de rocha e lava do território português. A ilha do Pico abriga a sua montanha mais elevada e aguçada. Mas não só. É um testemunho da resiliência e do engenho dos açorianos que domaram esta deslumbrante ilha e o oceano em redor.
Corvo, Açores

O Abrigo Atlântico Inverosímil da Ilha do Corvo

17 km2 de vulcão afundado numa caldeira verdejante. Uma povoação solitária assente numa fajã. Quatrocentas e trinta almas aconchegadas pela pequenez da sua terra e pelo vislumbre da vizinha Flores. Bem-vindo à mais destemida das ilhas açorianas.
Leão, elefantes, PN Hwange, Zimbabwe
Safari
PN Hwange, Zimbabwé

O Legado do Saudoso Leão Cecil

No dia 1 de Julho de 2015, Walter Palmer, um dentista e caçador de trofeus do Minnesota matou Cecil, o leão mais famoso do Zimbabué. O abate gerou uma onda viral de indignação. Como constatamos no PN Hwange, quase dois anos volvidos, os descendentes de Cecil prosperam.
Thorong La, Circuito Annapurna, Nepal, foto para a posteridade
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna 13º: High Camp - Thorong La - Muktinath, Nepal

No Auge do Circuito dos Annapurnas

Aos 5416m de altitude, o desfiladeiro de Thorong La é o grande desafio e o principal causador de ansiedade do itinerário. Depois de, em Outubro de 2014, ter vitimado 29 montanhistas, cruzá-lo em segurança gera um alívio digno de dupla celebração.
Jardin Escultórico, Edward James, Xilitla, Huasteca Potosina, San Luis Potosi, México, Cobra dos Pecados
Arquitectura & Design
Xilitla, San Luís Potosi, México

O Delírio Mexicano de Edward James

Na floresta tropical de Xilitla, a mente inquieta do poeta Edward James fez geminar um jardim-lar excêntrico. Hoje, Xilitla é louvada como um Éden do surreal.
lagoas e fumarolas, vulcoes, PN tongariro, nova zelandia
Aventura
Tongariro, Nova Zelândia

Os Vulcões de Todas as Discórdias

No final do século XIX, um chefe indígena cedeu os vulcões do PN Tongariro à coroa britânica. Hoje, parte significativa do povo maori reclama aos colonos europeus as suas montanhas de fogo.
Celebração newar, Bhaktapur, Nepal
Cerimónias e Festividades
Bhaktapur, Nepal

As Máscaras Nepalesas da Vida

O povo indígena Newar do Vale de Katmandu atribui grande importância à religiosidade hindu e budista que os une uns aos outros e à Terra. De acordo, abençoa os seus ritos de passagem com danças newar de homens mascarados de divindades. Mesmo se há muito repetidas do nascimento à reencarnação, estas danças ancestrais não iludem a modernidade e começam a ver um fim.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Cidades
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
jovem vendedora, nacao, pao, uzbequistao
Comida
Vale de Fergana, Usbequistão

Uzbequistão, a Nação a Que Não Falta o Pão

Poucos países empregam os cereais como o Usbequistão. Nesta república da Ásia Central, o pão tem um papel vital e social. Os Uzbeques produzem-no e consomem-no com devoção e em abundância.
Mini-snorkeling
Cultura
Ilhas Phi Phi, Tailândia

De regresso à Praia de Danny Boyle

Passaram 15 anos desde a estreia do clássico mochileiro baseado no romance de Alex Garland. O filme popularizou os lugares em que foi rodado. Pouco depois, alguns desapareceram temporária mas literalmente do mapa mas, hoje, a sua fama controversa permanece intacta.
Espectador, Melbourne Cricket Ground-Rules footbal, Melbourne, Australia
Desporto
Melbourne, Austrália

O Futebol em que os Australianos Ditam as Regras

Apesar de praticado desde 1841, o Futebol Australiano só conquistou parte da grande ilha. A internacionalização nunca passou do papel, travada pela concorrência do râguebi e do futebol clássico.
Enseada, Big Sur, Califórnia, Estados Unidos
Em Viagem
Big Sur, E.U.A.

A Costa de Todos os Refúgios

Ao longo de 150km, o litoral californiano submete-se a uma vastidão de montanha, oceano e nevoeiro. Neste cenário épico, centenas de almas atormentadas seguem os passos de Jack Kerouac e Henri Miller.
Espectáculo Impressions Lijiang, Yangshuo, China, Entusiasmo Vermelho
Étnico
Lijiang e Yangshuo, China

Uma China Impressionante

Um dos mais conceituados realizadores asiáticos, Zhang Yimou dedicou-se às grandes produções ao ar livre e foi o co-autor das cerimónias mediáticas dos J.O. de Pequim. Mas Yimou também é responsável por “Impressions”, uma série de encenações não menos polémicas com palco em lugares emblemáticos.
portfólio, Got2Globe, fotografia de Viagem, imagens, melhores fotografias, fotos de viagem, mundo, Terra
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Porfólio Got2Globe

O Melhor do Mundo – Portfólio Got2Globe

A inevitável pesca
História

Florianópolis, Brasil

O Legado Açoriano do Atlântico Sul

Durante o século XVIII, milhares de ilhéus portugueses perseguiram vidas melhores nos confins meridionais do Brasil. Nas povoações que fundaram, abundam os vestígios de afinidade com as origens.

Windward Side, Saba, Caraíbas Holandesas, Holanda
Ilhas
Saba, Holanda

A Misteriosa Rainha Holandesa de Saba

Com meros 13km2, Saba passa despercebida até aos mais viajados. Aos poucos, acima e abaixo das suas incontáveis encostas, desvendamos esta Pequena Antilha luxuriante, confim tropical, tecto montanhoso e vulcânico da mais rasa nação europeia.
Barcos sobre o gelo, ilha de Hailuoto, Finlândia
Inverno Branco
Hailuoto, Finlândia

Um Refúgio no Golfo de Bótnia

Durante o Inverno, a ilha de Hailuoto está ligada à restante Finlândia pela maior estrada de gelo do país. A maior parte dos seus 986 habitantes estima, acima de tudo, o distanciamento que a ilha lhes concede.
Almada Negreiros, Roça Saudade, São Tomé
Literatura
Saudade, São Tomé, São Tomé e Príncipe

Almada Negreiros: da Saudade à Eternidade

Almada Negreiros nasceu, em Abril de 1893, numa roça do interior de São Tomé. À descoberta das suas origens, estimamos que a exuberância luxuriante em que começou a crescer lhe tenha oxigenado a profícua criatividade.
Cilaos, ilha da Reunião, Casario Piton des Neiges
Natureza
Cilaos, Reunião

Refúgio sob o tecto do Índico

Cilaos surge numa das velhas caldeiras verdejantes da ilha de Reunião. Foi inicialmente habitada por escravos foragidos que acreditavam ficar a salvo naquele fim do mundo. Uma vez tornada acessível, nem a localização remota da cratera impediu o abrigo de uma vila hoje peculiar e adulada.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Jovens percorrem a rua principal de Chame, Nepal
Parques Naturais
Circuito Annapurna: 1º - Pokhara a Chame, Nepal

Por Fim, a Caminho

Depois de vários dias de preparação em Pokhara, partimos em direcção aos Himalaias. O percurso pedestre só o começamos em Chame, a 2670 metros de altitude, com os picos nevados da cordilheira Annapurna já à vista. Até lá, completamos um doloroso mas necessário preâmbulo rodoviário pela sua base subtropical.
Ponte u bein, Amarapura, Myanmar
Património Mundial UNESCO
Ponte u-BeinMyanmar

O Crepúsculo da Ponte da Vida

Com 1.2 km, a ponte de madeira mais antiga e mais longa do mundo permite aos birmaneses de Amarapura viver o lago Taungthaman. Mas 160 anos após a sua construção, U Bein está no seu crepúsculo.
Vista do topo do Monte Vaea e do tumulo, vila vailima, Robert Louis Stevenson, Upolu, Samoa
Personagens
Upolu, Samoa

A Ilha do Tesouro de Stevenson

Aos 30 anos, o escritor escocês começou a procurar um lugar que o salvasse do seu corpo amaldiçoado. Em Upolu e nos samoanos, encontrou um refúgio acolhedor a que entregou a sua vida de alma e coração.
Barcos fundo de vidro, Kabira Bay, Ishigaki
Praias
Ishigaki, Japão

Inusitados Trópicos Nipónicos

Ishigaki é uma das últimas ilhas da alpondra que se estende entre Honshu e Taiwan. Ishigakijima abriga algumas das mais incríveis praias e paisagens litorais destas partes do oceano Pacífico. Os cada vez mais japoneses que as visitam desfrutam-nas de uma forma pouco ou nada balnear.
Mosteiro de Tawang, Arunachal Pradesh, Índia
Religião
Tawang, Índia

O Vale Místico da Profunda Discórdia

No limiar norte da província indiana de Arunachal Pradesh, Tawang abriga cenários dramáticos de montanha, aldeias de etnia Mompa e mosteiros budistas majestosos. Mesmo se desde 1962 os rivais chineses não o trespassam, Pequim olha para este domínio como parte do seu Tibete. De acordo, há muito que a religiosidade e o espiritualismo ali comungam com um forte militarismo.
Train Fianarantsoa a Manakara, TGV Malgaxe, locomotiva
Sobre Carris
Fianarantsoa-Manakara, Madagáscar

A Bordo do TGV Malgaxe

Partimos de Fianarantsoa às 7a.m. Só às 3 da madrugada seguinte completámos os 170km para Manakara. Os nativos chamam a este comboio quase secular Train Grandes Vibrations. Durante a longa viagem, sentimos, bem fortes, as do coração de Madagáscar.
Autocarro garrido em Apia, Samoa Ocidental
Sociedade
Samoa  

Em Busca do Tempo Perdido

Durante 121 anos, foi a última nação na Terra a mudar de dia. Mas, Samoa percebeu que as suas finanças ficavam para trás e, no fim de 2012, decidiu voltar para oeste da LID - Linha Internacional de Data.
O projeccionista
Vida Quotidiana
Sainte-Luce, Martinica

Um Projeccionista Saudoso

De 1954 a 1983, Gérard Pierre projectou muitos dos filmes famosos que chegavam à Martinica. 30 anos após o fecho da sala em que trabalhava, ainda custava a este nativo nostálgico mudar de bobine.
Ponte de Ross, Tasmânia, Austrália
Vida Selvagem
À Descoberta de Tassie, Parte 3, Tasmânia, Austrália

Tasmânia de Alto a Baixo

Há muito a vítima predilecta das anedotas australianas, a Tasmânia nunca perdeu o orgulho no jeito aussie mais rude ser. Tassie mantém-se envolta em mistério e misticismo numa espécie de traseiras dos antípodas. Neste artigo, narramos o percurso peculiar de Hobart, a capital instalada no sul improvável da ilha até à costa norte, a virada ao continente australiano.
Pleno Dog Mushing
Voos Panorâmicos
Seward, Alasca

O Dog Mushing Estival do Alasca

Estão quase 30º e os glaciares degelam. No Alasca, os empresários têm pouco tempo para enriquecer. Até ao fim de Agosto, o dog mushing não pode parar.
PT EN ES FR DE IT