Tóquio, Japão

Um Santuário Casamenteiro


Fila xinto
Cortejo xintoísta de um casamento tradicional realizado no templo Meiji de Tóquio.
Arte Casamenteira Espontanea
Convidada de um casamento tradicional no templo Meiji grava um vídeo.
Passos bem medidos
Costureira acompanha noivos em plena preparação para um casamento tradicional no templo Meiji.
Pura Precisão
Fotógrafo mede a luz na face de uma noiva de quimono, durante um casamento tradicional.
Os Mais Chegados
Foto com noivos e família num casamento xintoísta no templo Meiji, Tóquio.
Duo das Fotos
Fotógrafos profissionais de casamento em plena acção, no templo Meiji, em Tóquio.
Derradeiros acertos
Costureiros acertam um quimono de casamento para uma sessão fotográfica prévia à cerimónia tradicional no templo Meiji.
Trio da Frente
Fotógrafos profissionais de casamento em plena acção, no templo Meiji, em Tóquio.
Mãos para Tudo
Várias mãos de costureira ajustam o quimono de uma noiva prestes a casar-se no templo xintoísta da Meiji, em Tóquio.
Elegância Nipónica
Fotografia de grupo produzida até ao mais ínfimo pormenor.
Acertos de última hora
Costureira retoca quimono tradicional de casamento, no templo Meiji de Tóquio.
Uma Manobra delicada
Noiva vestida de quimono é encaixada num carro, após a cerimónia nupcial do Templo Meiji.
Cortejo de Casamento Tradicional
Sacerdotes lideram um cortejo xintoísta de um casamento tradicional realizado no templo Meiji de Tóquio.
Meinhas e malinhas
A elegância e o luxo da cintura para baixo, num cortejo xintoísta de um cortejo tradicional no Templo Meiji.
Uma Longa Viagem
Noiva senta-se com dificuldade junto ao noivo, no banco de trás de uma limusine.
O templo Meiji de Tóquio foi erguido para honrar os espíritos deificados de um dos casais mais influentes da história do Japão. Com o passar do tempo, especializou-se em celebrar bodas tradicionais.

O parque Yoyogi surge como uma verdadeira floresta no centro da vastidão só aparentemente caótica de betão pré-fabricado e néon em que se tornou Tóquio.

São mais de 700.000m2 preenchidos com 120.000 árvores de 365 espécies distintas doadas por japoneses de todas as partes aquando da construção do templo Menji Jingu, de 1915 a 1926.

O imperador homónimo tinha completado a mais produtiva reforma político-cultural de que havia registo, incluindo a passagem da corte de Quioto para Edo (a Tóquio de então).

Após a morte do líder, o parlamento japonês (Dieta) aprovou a celebração da sua vida e obra, na forma de um santuário de cipreste e cobre no coração do jardim em que o Imperador e a Imperatriz Shöken costumavam passear.

Por essa altura, as vistas e as companhias pouco tinham que ver com as de hoje.

Quem interrompe a viagem circular na linha Yamanote e sai pela primeira vez na estação de Harajuku, surpreende-se com o óbvio predomínio juvenil explicado pela confluência próxima dos bairros mais sofisticados e requintados da capital, Shibuya, Omotesando e o próprio Harajuku.

A Aproximação Majestosa e Frondosa ao Templo Meiji

Também percebe que os adeptos do cosplay bem como outros adolescentes à margem da sociedade rígida da capital, têm, naquele lugar, uma espécie de ponto de encontro privilegiado.

Logo ao lado, mas ao abrigo da vegetação, há um tori gigantesco. Deste portal xintoísta do templo Meiji para diante, tem início uma avenida ampla de gravilha que liga a Tóquio maquinal da actualidade à urbe clássica que a precedeu até à grande destruição ditada pelo encerrar da 2ª Guerra Mundial.

Percorremo-la lado a lado com um destes clãs alternativos que destoam dos restantes transeuntes devido aos visuais excêntricos.

Templo Meiji: o Reduto Xintoísta dos Casamentos Tradicionais

Chegamos ao que parecem as traseiras de uma ala do templo Meiji. Ali, ainda sobre gravilha, encontramos uma espécie de flanco fotográfico de um casamento tradicional.

Acertos costureiros, casamento-templo Meiji, Tóquio, Japão

Costureiros acertam um quimono de casamento para uma sessão fotográfica prévia à cerimónia tradicional no templo Meiji.

Três costureiras acertam diferentes abas do vestido branco da noiva.  Em seguida, calçam-lhe os sapatos diminutos de estilo secular.

Composta a secção baixa do traje, dedicam-se, então, ao toucado wataboshi que protege o topete da peruca que uma outra profissional retoca com mestria.

Por vezes é usado o tsunokakushi, um modelo desenhado para esconder o topete e conter os sinais de egoísmo e egocentrismo da noiva. Simboliza, assim, a sua resolução em tornar-se numa esposa gentil e obediente.

Costureira e Noivos, Casamento tradicional, templo Meiji, Tóquio, Japão

Costureira acompanha noivos em plena preparação para um casamento tradicional no templo Meiji.

As fotografias dos noivos e dos seus familiares podem ser feitas antes ou depois da cerimónia. Em qualquer dos casos, são vistas como uma expressão do futuro do casal e a sessão que as produz é considerada a etapa central do casamento. De acordo, o convencional fotógrafo de casamentos a que estamos habituados, não faz, ali sentido.

Fotografia de Casamento à Moda Japonesa

O processo dura muito mais que o cerimonial xintoísta que se segue.  É levado a cabo em série o que significa que os mesmos trabalhadores tratam de noivos atrás de noivos.

A equipa responsável pelas imagens é composta de vários elementos trajados com tanta ou mais elegância que os convidados. Tem ao seu dispor um equipamento – em grande parte de médio-formato – milionário que opera de forma quase científica.

Um dos responsáveis usa um fotómetro e a própria mão recém-liberta dos punhos brancos imaculados para obter a medição criteriosa da luz na face da noiva.

Fotógrafo mede a luz em noiva, casamento tradicional, templo Meiji, Tóquio, Japão

Fotógrafo mede a luz na face de uma noiva de quimono, durante um casamento tradicional.

Logo após, esta é sentada e recomposta numa cadeira ao lado do noivo. Então, membros do pequeno batalhão engravatado, seguram num reflector, levantam um flash que dispara por simpatia, ao mesmo tempo que a valiosíssima câmara principal.

Dezenas de familiares e convidados aproveitam o esforço por detrás dos profissionais, com as suas pequenas câmaras e telefones.

Convidada de casamento templo Meiji, Tóquio, Japão

Convidada de um casamento tradicional no templo Meiji grava um vídeo.

Como se não bastasse, há ainda um colega fotógrafo independente que se move e capta imagens à margem do enquadramento trabalhado até à exaustão, se necessário com recurso a pá e vassoura, para remover da recordação toda e qualquer mácula.

Tal como acontece entre os costureiros e maquilhadoras, o  perfeccionismo é imperioso. Que Deus proteja aqueles servidores do templo – as equipas são residentes – da desonra de falharem na tarefa de projectarem a vida de qualquer casal compatriota ou de desiludirem as famílias que investiram mundos e fundos na excelência da cerimónia.

Os Casamentos Milionários do Templo Meiji

No Japão, um casamento para 50 a 100 convidados pode custar de 20 a 80 mil euros, dos quais, no caso de incluírem cerimónia xintoísta, uma verba entre os 700 e os 1000 euros vão para o santuário anfitrião.

Em 2011, a média despendida por casamento foi de quase 26.500 euros (à cotação actual do iene), 411 por convidado. Por sua vez, o retorno médio total obtido dos convidados cifrou-se em 17.300 euros. É esperado apenas dinheiro e, alguns noivos determinam, inclusive, uma quantia fixa que ajude a cobrir os custos sempre elevados.

Costureiras acertam quimono, casamento tradicional, templo Meiji, Tóquio, Japão

Várias mãos de costureira ajustam o quimono de uma noiva prestes a casar-se no templo xintoísta da Meiji, em Tóquio.

O aluguer do fato do noivo fica-se pelos 500 euros. Já o dos 5 quimonos e vestidos usados pela noiva pode facilmente ultrapassar os 8 mil euros.

Assim que termina a sessão com os protagonistas, têm lugar as fotografias de grupo. Primeiro, com os familiares directos em redor dos noivos, estes ainda e sempre sobre um tapete cinzento espesso e redondo.

Fotografia de grupo, casamento tradicional-templo Meiji, Tóquio, Japão

Fotografia de grupo produzida até ao mais ínfimo pormenor.

Depois, dispostos em destaque, mas na companhia dos convidados mais íntimos, em cadeiras organizadas por vários níveis e de forma quase piramidal. Apesar de restrita, a comitiva é numerosa. Um assistente do fotografo usa uma miniatura de pandeireta para conseguir a atenção de todos.

Fotógrafos casamento, templo Meiji, Tóquio, Japão

Fotógrafos profissionais de casamento em plena acção, no templo Meiji, em Tóquio.

Só este grupo assiste à cerimónia religiosa. Por norma, dezenas de outros convidados comparecem apenas na festa que se segue.

Já no templo, os convidados dos noivos começam por ser conduzidos a salas distintas e instruídos sobre a sua participação.

Os Ritos e Rituais Xintoístas que Abençoam as Bodas

Depois aguardam a entrada do cortejo que um sacerdote xintoísta conduz através do pátio exterior, seguido por duas mikos (jovens religiosas) e pelos noivos que um outro auxiliar protege dos elementos com um chapéu de sol vermelho.

Noivos em cortejo, casamento tradicional, templo Meiji, Tóquio, Japão

Noivos seguidos de familiares e convidados durante um casamento tradicional no templo Meiji.

Após a entrada desta procissão, todos os presentes se inclinam de forma reverente face ao altar. O padre entoa um pequeno discurso e brande um haraigushi (um ramo de uma árvore sagrada com tiras de tecido ou papel atadas). Por fim, canta uma evocação a diversos deuses e declara os noivos casados.

Chega a fase espirituosa da cerimónia. Uma das mikos traz saquê aos nubentes e serve-o em pequenos copos. O noivo bebe primeiro em três golos, a noiva faz o mesmo. A bebida é ainda servida aos pais de ambos e partilhada entre todos. A última das consagrações surge sob o grito partilhado de “omedeto gozimasu” (parabéns).

Então, o noivo lê os votos maritais, a miko lê a data do casamento e o nome dos noivos. Já como marido e mulher, estes levam a cabo uma oferta de tamagushi (pequenos ramos da tal árvore sagrada) aos espíritos da Natureza. Todos os presentes se curvam duas vezes, batem as palmas e voltam a curvar-se.

Anéis, roupas, malas e outros adereços de Luxo: casamentos Religiosos muito Faustosos

Cada vez mais casais trocam anéis. Até há algum tempo, só uma pequena percentagem de nipónicos o fazia. Até que, na década de 60, a poderosa diamantífera De Beers lançou uma ofensiva de marketing no país e seduziu as mulheres nipónicas com imagens televisivas e de imprensa que promoviam os diamantes como símbolo da sexualidade e da ostentação Ocidental.

Cortejo casamento tradicional, templo Meiji, Tóquio, Japão

Sacerdotes lideram um cortejo xintoísta de um casamento tradicional realizado no templo Meiji de Tóquio.

A cerimónia a que assistimos termina e o mesmo cortejo que entrou no templo, faz o caminho inverso.

Reparamos que todas as mulheres seguram as suas malinhas e bolsas condizentes com as vestes, invariavelmente, das mais conceituadas marcas ocidentais.

Pernas de convidadas, casamento tradicional, templo Meiji, Tóquio, Japão

A elegância e o luxo da cintura para baixo, num cortejo xintoísta de um cortejo tradicional no Templo Meiji.

O cortejo encerra-se na extremidade do templo e o parque de estacionamento não está longe. Os convidados acedem aos seus carros, o noivo, para a limusine que aguarda os recém-casados.

Mas a noiva não se consegue mexer debaixo de tanto tecido, muito menos assumir uma posição que não seja a vertical, ou entrar num carro.

Noiva é encaixada em carro-casamento tradicional, templo Meiji, Tóquio, Japão

Noiva vestida de quimóno é encaixada num carro, após a cerimónia nupcial do Templo Meiji.

O esposo, a partir de dentro, e uma familiar, do exterior, ajudam a sentá-la no seu lugar, um exercício que obriga inclusive à abertura do tejadilho.

Conseguido o aflitivo encaixe, o motorista transporta o casal para a festa a ter lugar numa qualquer sala de hotel da cidade.

Noiva entra para carro, casamento tradicional, templo Meiji, Tóquio, Japão

Noiva senta-se com dificuldade junto ao noivo, no banco de trás de uma limusine.

Na ala fotográfica do santuário, as equipas designadas tratam de mais um casal. Um outro é conduzido à entrada do templo por novo séquito xintoísta.

Estamos num dia favorável do calendário nipónico supersticioso rokuyo. Os casórios do templo Meiji parecem não ter fim.

Tóquio, Japão

À Moda de Tóquio

No ultra-populoso e hiper-codificado Japão, há sempre espaço para mais sofisticação e criatividade. Sejam nacionais ou importados, é na capital que começam por desfilar os novos visuais nipónicos.
Tóquio, Japão

Fotografia Tipo-Passe à Japonesa

No fim da década de 80, duas multinacionais nipónicas já viam as fotocabines convencionais como peças de museu. Transformaram-nas em máquinas revolucionárias e o Japão rendeu-se ao fenómeno Purikura.
Las Vegas, E.U.A.

Capital Mundial dos Casamentos vs Cidade do Pecado

A ganância do jogo, a luxúria da prostituição e a ostentação generalizada fazem parte de Las Vegas. Como as capelas que não têm olhos nem ouvidos e promovem matrimónios excêntricos, rápidos e baratos.
Jaffa, Israel

Onde Assenta a Telavive Sempre em Festa

Telavive é famosa pela noite mais intensa do Médio Oriente. Mas, se os seus jovens se divertem até à exaustão nas discotecas à beira Mediterrâneo, é cada vez mais na vizinha Old Jaffa que dão o nó.
Tóquio, Japão

A Noite Sem Fim da Capital do Sol Nascente

Dizer que Tóquio não dorme é eufemismo. Numa das maiores e mais sofisticadas urbes à face da Terra, o crepúsculo marca apenas o renovar do quotidiano frenético. E são milhões as suas almas que, ou não encontram lugar ao sol, ou fazem mais sentido nos turnos “escuros” e obscuros que se seguem.
Japão

O Império das Máquinas de Bebidas

São mais de 5 milhões as caixas luminosas ultra-tecnológicas espalhadas pelo país e muitas mais latas e garrafas exuberantes de bebidas apelativas. Há muito que os japoneses deixaram de lhes resistir.
Tóquio, Japão

Pachinko: o Vídeo - Vício Que Deprime o Japão

Começou como um brinquedo mas a apetência nipónica pelo lucro depressa transformou o pachinko numa obsessão nacional. Hoje, são 30 milhões os japoneses rendidos a estas máquinas de jogo alienantes.
Tóquio, Japão

Ronronares Descartáveis

Tóquio é a maior das metrópoles mas, nos seus apartamentos exíguos, não há lugar para mascotes. Empresários nipónicos detectaram a lacuna e lançaram "gatis" em que os afectos felinos se pagam à hora.
Tóquio, Japão

O Mercado de Peixe que Perdeu a Frescura

Num ano, cada japonês come mais que o seu peso em peixe e marisco. Desde 1935, que uma parte considerável era processada e vendida no maior mercado piscícola do mundo. Tsukiji foi encerrado em Outubro de 2018, e substituído pelo de Toyosu.
Tóquio, Japão

O Imperador sem Império

Após a capitulação na 2ª Guerra Mundial, o Japão submeteu-se a uma constituição que encerrou um dos mais longos impérios da História. O imperador japonês é, hoje, o único monarca a reinar sem império.
Quioto, Japão

Um Japão Milenar Quase Perdido

Quioto esteve na lista de alvos das bombas atómicas dos E.U.A. e foi mais que um capricho do destino que a preservou. Salva por um Secretário de Guerra norte-americano apaixonado pela sua riqueza histórico-cultural e sumptuosidade oriental, a cidade foi substituída à última da hora por Nagasaki no sacrifício atroz do segundo cataclismo nuclear.
Tóquio, Japão

Os Hipno-Passageiros de Tóquio

O Japão é servido por milhões de executivos massacrados com ritmos de trabalho infernais e escassas férias. Cada minuto de tréguas a caminho do emprego ou de casa lhes serve para o seu inemuri, dormitar em público.
Elafonisi, Creta, Grécia
Praia
Chania a Elafonisi, Creta, Grécia

Ida à Praia à Moda de Creta

À descoberta do ocidente cretense, deixamos Chania, percorremos a garganta de Topolia e desfiladeiros menos marcados. Alguns quilómetros depois, chegamos a um recanto mediterrânico de aguarela e de sonho, o da ilha de Elafonisi e sua lagoa.
Cena de rua, Guadalupe, Caribe, Efeito Borboleta, Antilhas Francesas
Parques nacionais
Guadalupe, Antilhas Francesas

Guadalupe: Um Caribe Delicioso, em Contra-Efeito Borboleta

Guadalupe tem a forma de uma mariposa. Basta uma volta por esta Antilha para perceber porque a população se rege pelo mote Pas Ni Problem e levanta o mínimo de ondas, apesar das muitas contrariedades.
Templo Nigatsu, Nara, Japão
Kikuno
Nara, Japão

Budismo vs Modernismo: a Face Dupla de Nara

No século VIII d.C. Nara foi a capital nipónica. Durante 74 anos desse período, os imperadores ergueram templos e santuários em honra do Budismo, a religião recém-chegada do outro lado do Mar do Japão. Hoje, só esses mesmos monumentos, a espiritualidade secular e os parques repletos de veados protegem a cidade do inexorável cerco da urbanidade.
Escadaria Palácio Itamaraty, Brasilia, Utopia, Brasil
Arquitectura & Design
Brasília, Brasil

Brasília: da Utopia à Capital e Arena Política do Brasil

Desde os tempos do Marquês de Pombal que se falava da transferência da capital para o interior. Hoje, a cidade quimera continua a parecer surreal mas dita as regras do desenvolvimento brasileiro.
Barcos sobre o gelo, ilha de Hailuoto, Finlândia
Aventura
Hailuoto, Finlândia

Um Refúgio no Golfo de Bótnia

Durante o Inverno, a ilha de Hailuoto está ligada à restante Finlândia pela maior estrada de gelo do país. A maior parte dos seus 986 habitantes estima, acima de tudo, o distanciamento que a ilha lhes concede.
Hinduismo Balinês, Lombok, Indonésia, templo Batu Bolong, vulcão Agung em fundo
Cerimónias e Festividades
Lombok, Indonésia

Lombok: Hinduísmo Balinês Numa Ilha do Islão

A fundação da Indonésia assentou na crença num Deus único. Este princípio ambíguo sempre gerou polémica entre nacionalistas e islamistas mas, em Lombok, os balineses levam a liberdade de culto a peito
Teatro de Manaus, Brasil
Cidades
Manaus, Brasil

Os Saltos e Sobressaltos da ex-Capital Mundial da Borracha

De 1879 a 1912, só a bacia do rio Amazonas gerava o latex de que, de um momento para o outro, o mundo precisou e, do nada, Manaus tornou-se uma das cidades mais avançadas à face da Terra. Mas um explorador inglês levou a árvore para o sudeste asiático e arruinou a produção pioneira. Manaus voltou a provar a sua elasticidade. É a maior cidade da Amazónia e a sétima do Brasil.
Cacau, Chocolate, Sao Tome Principe, roça Água Izé
Comida
São Tomé e Príncipe

Roças de Cacau, Corallo e a Fábrica de Chocolate

No início do séc. XX, São Tomé e Príncipe geravam mais cacau que qualquer outro território. Graças à dedicação de alguns empreendedores, a produção subsiste e as duas ilhas sabem ao melhor chocolate.
Casal Gótico
Cultura

Matarraña a Alcanar, Espanha

Uma Espanha Medieval

De viagem por terras de Aragão e Valência, damos com torres e ameias destacadas de casarios que preenchem as encostas. Km após km, estas visões vão-se provando tão anacrónicas como fascinantes.

Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Desporto
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
Avião em aterragem, Maho beach, Sint Maarten
Em Viagem
Maho Beach, Sint Maarten

A Praia Caribenha Movida a Jacto

À primeira vista, o Princess Juliana International Airport parece ser apenas mais um nas vastas Caraíbas. Sucessivas aterragens a rasar a praia Maho que antecede a sua pista, as descolagens a jacto que distorcem as faces dos banhistas e os projectam para o mar, fazem dele um caso à parte.
Salto para a frente, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu
Étnico
Pentecostes, Vanuatu

Naghol de Pentecostes: Bungee Jumping para Homens a Sério

Em 1995, o povo de Pentecostes ameaçou processar as empresas de desportos radicais por lhes terem roubado o ritual Naghol. Em termos de audácia, a imitação elástica fica muito aquém do original.
arco-íris no Grand Canyon, um exemplo de luz fotográfica prodigiosa
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
Buraco Azul, ilha de Gozo, Malta
História
Gozo, Malta

Dias Mediterrânicos de Puro Gozo

A ilha de Gozo tem um terço do tamanho de Malta mas apenas trinta dos trezentos mil habitantes da pequena nação. Em duo com o recreio balnear de Comino, abriga uma versão mais terra-a-terra e serena da sempre peculiar vida maltesa.
Castelo de Shuri em Naha, Okinawa o Império do Sol, Japão
Ilhas
Okinawa, Japão

O Pequeno Império do Sol

Reerguida da devastação causada pela 2ª Guerra Mundial, Okinawa recuperou a herança da sua civilização secular ryukyu. Hoje, este arquipélago a sul de Kyushu abriga um Japão à margem, prendado por um oceano Pacífico turquesa e bafejado por um peculiar tropicalismo nipónico.
lago ala juumajarvi, parque nacional oulanka, finlandia
Inverno Branco
Kuusamo ao PN Oulanka, Finlândia

Sob o Encanto Gélido do Árctico

Estamos a 66º Norte e às portas da Lapónia. Por estes lados, a paisagem branca é de todos e de ninguém como as árvores cobertas de neve, o frio atroz e a noite sem fim.
Sombra vs Luz
Literatura

Quioto, Japão

O Templo que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.

Dia escuro
Natureza

Lago Cocibolca, Nicarágua

Mar, Doce Mar

Os indígenas nicaraos tratavam o maior lago da América Central por Cocibolca. Na ilha vulcânica de Ometepe, percebemos porque o termo que os espanhóis converteram para Mar Dulce fazia todo o sentido.

Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
bandeira argentina no lago-glaciar perito moreno-argentina
Parques Naturais
Perito Moreno, Argentina

O Glaciar Que Resiste

O aquecimento é supostamente global mas não chega a todo o lado. Na Patagónia, alguns rios de gelo resistem.De tempos a tempos, o avanço do Perito Moreno provoca derrocadas que fazem parar a Argentina
As Cores da Ilha Elefante
Património Mundial UNESCO

Assuão, Egipto

Onde O Nilo Acolhe a África Negra

1200km para montante do seu delta, o Nilo deixa de ser navegável. A última das grandes cidades egípcias marca a fusão entre o território árabe e o núbio. Desde que nasce no lago Vitória, o rio dá vida a inúmeros povos africanos de tez escura.

Em quimono de elevador, Osaka, Japão
Personagens
Osaka, Japão

Na Companhia de Mayu

A noite japonesa é um negócio bilionário e multifacetado. Em Osaka, acolhe-nos uma anfitriã de couchsurfing enigmática, algures entre a gueixa e a acompanhante de luxo.
Tambores e tatoos
Praias

Taiti, Polinésia Francesa

Taiti Para lá do Clichê

As vizinhas Bora Bora e Maupiti têm cenários superiores mas o Taiti é há muito conotado com paraíso e há mais vida na maior e mais populosa ilha da Polinésia Francesa, o seu milenar coração cultural.

auto flagelacao, paixao de cristo, filipinas
Religião
Marinduque, Filipinas

A Paixão Filipina de Cristo

Nenhuma nação em redor é católica mas muitos filipinos não se deixam intimidar. Na Semana Santa, entregam-se à crença herdada dos colonos espanhóis.A auto-flagelação torna-se uma prova sangrenta de fé
Composição Flam Railway abaixo de uma queda d'água, Noruega
Sobre carris
Nesbyen a Flam, Noruega

Flam Railway: Noruega Sublime da Primeira à Última Estação

Por estrada e a bordo do Flam Railway, num dos itinerários ferroviários mais íngremes do mundo, chegamos a Flam e à entrada do Sognefjord, o maior, mais profundo e reverenciado dos fiordes da Escandinávia. Do ponto de partida à derradeira estação, confirma-se monumental esta Noruega que desvendamos.
Mahu, Terceiro Sexo da Polinesia, Papeete, Taiti
Sociedade
Papeete, Polinésia Francesa

O Terceiro Sexo do Taiti

Herdeiros da cultura ancestral da Polinésia, os mahu preservam um papel incomum na sociedade. Perdidos algures entre os dois géneros, estes homens-mulher continuam a lutar pelo sentido das suas vidas.
manada, febre aftosa, carne fraca, colonia pellegrini, argentina
Vida Quotidiana
Colónia Pellegrini, Argentina

Quando a Carne é Fraca

É conhecido o sabor inconfundível da carne argentina. Mas esta riqueza é mais vulnerável do que se imagina. A ameaça da febre aftosa, em particular, mantém as autoridades e os produtores sobre brasas.
Vai-e-vem fluvial
Vida Selvagem
Iriomote, Japão

Iriomote, uma Pequena Amazónia do Japão Tropical

Florestas tropicais e manguezais impenetráveis preenchem Iriomote sob um clima de panela de pressão. Aqui, os visitantes estrangeiros são tão raros como o yamaneko, um lince endémico esquivo.
Napali Coast e Waimea Canyon, Kauai, Rugas do Havai
Voos Panorâmicos
NaPali Coast, Havai

As Rugas Deslumbrantes do Havai

Kauai é a ilha mais verde e chuvosa do arquipélago havaiano. Também é a mais antiga. Enquanto exploramos a sua Napalo Coast por terra, mar e ar, espantamo-nos ao vermos como a passagem dos milénios só a favoreceu.