Seward, Alasca

O Dog Mushing Estival do Alasca


Entregues ao gelo
Acampamento de Dog Mushing no sopé do glaciar de Godwin, Seward.
Stars & Stripes
Bandeira dos EUA flutua no acampamento de Dog Mushing de Godwin.
Ãnsia canina
Cães de dog mushing uivam ansiosos por poderem correr.
Clientes frescos
Helicóptero prestes a aterrar no acampamento de Godwin, com clientes
Em espera
Equipa de cães alinhada para mais uma volta em redor ao acampamento.
Icefield Expedition
Um pormenor de uma das tendas do acampamento de Dog Mushing de Godwin.
Uivo de Husky
Cão uiva desejoso de poder partir em mais uma viagem.
Selecção Vocacional
Tratadores emparelham cães no acampamento de dog mushing de Godwin.
Dog Mushing estival
Cães rebocam um trenó pela neve das montanhas de Godwin.
Zigue e Zague
Dog mushing em ziguezague, junto ao acampamento de Godwin, Seward.
A Caminho
Tratador é rebocada por uma equipa de cães recém-formada.
Sinal de Trânsito
Um sinal decorativo do acampamento de dog mushing de Godwin.
Canil ao ar livre
Matilha de cães do acampamento de Dog Mushing de Godwin, nas imediações de Seward-
Afecto de Tratador
Greg Stoddard acaricia um dos cães que está incumbido de tratar.
Uma Curva Apertada
Tratador conduz uma equipa de cães puxadores que acabou de formar.
Estão quase 30º e os glaciares degelam. No Alasca, os empresários têm pouco tempo para enriquecer. Até ao fim de Agosto, o dog mushing não pode parar.

A julgar apenas pelo som, podíamos ser levados a pensar que Juneau estava em guerra. Hidroaviões descolam uns atrás dos outros deslizando ao longo do Canal de Gastineau.

E dezenas de helicópteros sobrevoam-no e às redondezas em missões relâmpago. Na origem, os causadores desta agitação são os gigantescos cruzeiros que atracam todos os dias nas docas da cidade, deixando-a à sombra, à medida que o Sol vai descendo por detrás.

A Estranheza Alasquense da Capital Juneau

Desembarcam de cada um dos navios verdadeiros exércitos de visitantes que se entregam às primeiras lojas de recordações que encontram. Mas, como quase todas as povoações do estado, Juneau é ínfima. Apanha desprevenido o típico yankee do Lower 48, habituado aos espaços sem fim e às metrópoles imponentes.

Inspirados pela mais pura ignorância, aqueles ofendem vezes sem conta os locais, perguntando-lhes, em plena baixa da capital alasquense, “onde fica afinal Juneau?” ou o caminho para lá chegar.

Quando elucidados, fartam-se do seu urbanismo minimal num par de horas e procuram compensar a desilusão com conquistas inesquecíveis na última fronteira dos E.U.A. São eles os clientes preferidos das empresas de voos panorâmicos. Turistas com a mania das grandezas e carteiras a condizer ou mera disposição para gastar.

Helicóptero, Godwin, Seward, Alasca

Helicóptero prestes a aterrar no acampamento de Godwin, com clientes

Voos Panorâmicos. Uma das Minas Estivais do Alasca

Num dia solarengo, os seus escritórios e hangares não têm descanso. Fazem-se reservas e mais reservas, pesagens atrás de pesagens e dão-se briefings após briefings desde as primeiras horas da manhã até ao pôr-do-sol tardio.

Os pilotos dos helicópteros, esses, repetem as mesmas rotas, locuções e piadas até à exaustão, satisfeitos pelo enriquecimento acelerado mas, ainda assim, ansiosos pelo fim da temporada. Não tanto como os seus sacrificados parceiros da montanha.

Até há algum tempo, os voos panorâmicos limitavam-se a desvendar os melhores cenários do Alasca. Mas a criatividade do marketing norte-americano não conhece limites. A partir do meio da década de oitenta, as empresas de voos panorâmicos banalizaram as aterragens em glaciares e nos campos de gelo que os alimentam.

A Relação Lucrativa entre os Voos Panorâmicos e o Dog Mushing

E, pouco depois, associaram-se aos principais criadores de cães e mushers do Grande Norte e enriqueceram as suas aventuras com baptismos “a despachar” de Dog Mushing, nesses mesmos lugares extremos.

Com o passar dos anos, este tornou-se num dos pacotes que mais lucros gera ou não custasse cada tour de hora e meia para cima de 500 dólares.

Mas se a vida dos investidores no negócio se limita à gestão e recolha dos lucros, alguns dos participantes mais abaixo na hierarquia, sofrem a bom sofrer para garantir os seus dividendos.

Acampamento dog mushing, Godwin, Seward, Alasca

Acampamento de Dog Mushing no sopé do glaciar de Godwin, Seward.

Descolamos dos arredores de Juneau, para uma segunda experiência da “modalidade”. À medida que o helicóptero sobe, deixamos a planície aluvial da península de Mendenhall e ascendemos às alturas da Thunder Mountain.

Contra o vento, o piloto vence uma derradeira vertente e desvenda-nos o lago Mendenhall e um vale amplo pintado de azul pelo glaciar homónimo.

Ao Encontro do Acampamento de Dog Mushing de Godwin

Prosseguimos, então, ao longo dos 19 km do rio de gelo até à vastidão branca elevada onde nasce. Aí, vislumbramos um enorme arraial branco semi-camuflado sobre a neve, em que ladram centenas de cães excitados pela aparição súbita da aeronave.

Matilha de cães, acampamento Godwin, Seward, Alasca

Matilha de cães do acampamento de Dog Mushing de Godwin, nas imediações de Seward-

Somos recebidos por Ted Williams, o responsável pelo campo que nos conduz aos seus malamutes e huskies preferidos enquanto fala sobre a vida romântica mas árdua da equipa.

Ted descreve os longos períodos de retiro na montanha. Ele e os restantes membros costumam descer a Juneau apenas uma vez por semana.

Pormenor de tenda, acampamento dog mushing, Godwin, Seward, Alasca

Um pormenor de uma das tendas do acampamento de Dog Mushing de Godwin.

E, entre esses dias, suportam um pouco de tudo, animados apenas pelo dinheiro que fazem e pelo convívio com os colegas e com os cães que treinam e tratam.

Tratadores e cães, acampamento dog mushing, Godwin, Seward, Alasca

Tratadores emparelham cães no acampamento de dog mushing de Godwin.

As visitas dos clientes – que surgem frequentemente de calças de ganga e t-shirt – são tão constantes como efémeras e, quando as tempestades se instalam, os helicópteros deixam de aparecer e o isolamento pode durar semanas.

A Dura Subsistência de Muitos Mushers Aficcionados

A maior parte destes mushers são apaixonados pela modalidade e competem com os seus melhores cães nas principais provas, incluindo as mundialmente famosas Iditarod Trail e Yukon Quest.

Dog mushing, acampamento dog mushing, Godwin, Seward, Alasca

Dog mushing em ziguezague, junto ao acampamento de Godwin, Seward.

Alguns dias antes de chegarmos a Juneau, conhecemos Greg Stoddard sobre o campo de gelo de Godwin, situado na proximidade de Seward, nas terras altas da Península Kenai.

Tratador de Dog mushing, Godwin, Seward, Alasca

Greg Stoddard acaricia um dos cães que está incumbido de tratar.

Apesar dos latires e uivos ensurdecedores, Greg explica-nos o funcionamento do acampamento mas depressa atalha caminho para esclarecimentos e estórias do verdadeiro mushing. 

Confessa, sem cerimónias, que a associação às empresas de voos panorâmicos e os meses passados na montanha lhes permitem dedicar-se, depois, a tempo inteiro aos treinos e à competição evitando antigos constrangimentos financeiros, os mesmos que muitos dos colegas mushers continuam a sofrer.

Decorridos alguns minutos, volta a interromper a conversa para atender a nova leva de turistas que acaba de sair do helicóptero.

Cães de dog mushing-acampamento dog mushing, Godwin, Seward, Alasca

Cães de dog mushing uivam ansiosos por poderem correr.

Leva a cabo mais um curto périplo pelo acampamento, agrupa uma equipa de cães ansiosos e, transmitidas aos passageiros as instruções básicas de condução dos trenós, um colega faz a equipa canina deslizar sobre um trilho fechado já bem escavado na neve, incentivada por dois líderes Siberian Huskies conflituosos.

Aproveitando uma curta pausa do passeio, uma “passageira” cinquentona de vestido esvoaçante às flores e chapéu de palha pede para mudar do trenó para o posto de musher e, em três tempos, confunde totalmente os cães com os seus comandos incoerentes. Até ao fim do percurso a dignidade do mushing pouco melhora.

Dog mushing em Godwin, Seward, Alasca

Tratador conduz uma equipa de cães puxadores que acabou de formar.

Nenhum dos povos esquimós do Grande Norte Árctico alguma vez pensou que a sua forma de locomoção milenar pudesse ser tão infamemente profanada mas, enquanto os cruzeiros atracarem no Alasca e os turistas do sul desembarcarem dispostos a gastar, este estranho Dog Mushing de Verão terá que continuar.

PN Oulanka, Finlândia

Um Lobo Pouco Solitário

Jukka “Era-Susi” Nordman criou uma das maiores matilhas de cães de trenó do mundo. Tornou-se numa das personagens mais emblemáticas da Finlândia mas continua fiel ao seu cognome: Wilderness Wolf.
Ketchikan, Alasca

Aqui Começa o Alasca

A realidade passa despercebida a boa parte do mundo, mas existem dois Alascas. Em termos urbanos, o estado é inaugurado no sul do seu oculto cabo de frigideira, uma faixa de terra separada dos restantes E.U.A. pelo litoral oeste do Canadá. Ketchikan, é a mais meridional das cidades alasquenses, a sua Capital da Chuva e a Capital Mundial do Salmão.
Anchorage a Homer, E.U.A.

Viagem ao Fim da Estrada Alasquense

Se Anchorage se tornou a grande cidade do 49º estado dos E.U.A., Homer, a 350km, é a sua mais famosa estrada sem saída. Os veteranos destas paragens consideram esta estranha língua de terra solo sagrado. Também veneram o facto de, dali, não poderem continuar para lado nenhum.
Monte Denali, Alasca

O Tecto Sagrado da América do Norte

Os indígenas Athabascan chamaram-no Denali, ou o Grande e reverenciam a sua altivez. Esta montanha deslumbrante suscitou a cobiça dos montanhistas e uma longa sucessão de ascensões recordistas.
Lagoa de Jok​ülsárlón, Islândia

O Canto e o Gelo

Criada pela água do oceano Árctico e pelo degelo do maior glaciar da Europa, Jokülsárlón forma um domínio frígido e imponente. Os islandeses reverenciam-na e prestam-lhe surpreendentes homenagens.
Glaciares

Planeta Azul-Gelado

Formam-se nas grandes latitudes e/ou altitudes. No Alasca ou na Nova Zelândia, na Argentina ou no Chile, os rios de gelo são sempre visões impressionantes de uma Terra tão frígida quanto inóspita.
Sitka, Alasca

Sitka: Viagem por um Alasca que Já foi Russo

Em 1867, o czar Alexandre II teve que vender o Alasca russo aos Estados Unidos. Na pequena cidade de Sitka, encontramos o legado russo mas também os nativos Tlingit que os combateram.
Prince William Sound, Alasca

Viagem por um Alasca Glacial

Encaixado contra as montanhas Chugach, Prince William Sound abriga alguns dos cenários descomunais do Alasca. Nem sismos poderosos nem uma maré negra devastadora afectaram o seu esplendor natural.
Juneau, Alasca

A Pequena Capital do Grande Alasca

De Junho a Agosto, Juneau desaparece por detrás dos navios de cruzeiro que atracam na sua doca-marginal. Ainda assim, é nesta pequena capital que se decidem os destinos do 49º estado norte-americano.
Talkeetna, Alasca

A Vida à Moda do Alasca de Talkeetna

Em tempos um mero entreposto mineiro, Talkeetna rejuvenesceu, em 1950, para servir os alpinistas do Monte McKinley. A povoação é, de longe, a mais alternativa e cativante entre Anchorage e Fairbanks.
Husavik a Myvatn, Islândia

Neve sem Fim na Ilha do Fogo

Quando, a meio de Maio, a Islândia já conta com o aconchego do sol mas o frio mas o frio e a neve perduram, os habitantes cedem a uma fascinante ansiedade estival.
PN Katmai, Alasca

Nos Passos do Grizzly Man

Timothy Treadwell conviveu Verões a fio com os ursos de Katmai. Em viagem pelo Alasca, seguimos alguns dos seus trilhos mas, ao contrário do protector tresloucado da espécie, nunca fomos longe demais.
Bandeiras de oração em Ghyaru, Nepal
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 4º – Upper Pisang a Ngawal, Nepal

Do Pesadelo ao Deslumbre

Sem que estivéssemos avisados, confrontamo-nos com uma subida que nos leva ao desespero. Puxamos ao máximo pelas forças e alcançamos Ghyaru onde nos sentimos mais próximos que nunca dos Annapurnas. O resto do caminho para Ngawal soube como uma espécie de extensão da recompensa.
Arquitectura & Design
Cemitérios

A Última Morada

Dos sepulcros grandiosos de Novodevichy, em Moscovo, às ossadas maias encaixotadas de Pomuch, na província mexicana de Campeche, cada povo ostenta a sua forma de vida. Até na morte.
Totems, aldeia de Botko, Malekula,Vanuatu
Aventura
Malekula, Vanuatu

Canibalismo de Carne e Osso

Até ao início do século XX, os comedores de homens ainda se banqueteavam no arquipélago de Vanuatu. Na aldeia de Botko descobrimos porque os colonizadores europeus tanto receavam a ilha de Malekula.
auto flagelacao, paixao de cristo, filipinas
Cerimónias e Festividades
Marinduque, Filipinas

A Paixão Filipina de Cristo

Nenhuma nação em redor é católica mas muitos filipinos não se deixam intimidar. Na Semana Santa, entregam-se à crença herdada dos colonos espanhóis.A auto-flagelação torna-se uma prova sangrenta de fé
Victoria, capital, ilhas Seychelles, Mahé, Vida da Capital
Cidades
Victoria, Mahé, Seychelles

De “Estabelecimento” Francófono à Capital Crioula das Seychelles

Os franceses povoaram o seu “L’Établissement” com colonos europeus, africanos e indianos. Dois séculos depois, os rivais britânicos tomaram-lhes o arquipélago e rebaptizaram a cidade em honra da sua rainha Victoria. Quando a visitamos, a capital das Seychelles mantém-se tão multiétnica como diminuta.
Cacau, Chocolate, Sao Tome Principe, roça Água Izé
Comida
São Tomé e Príncipe

Roças de Cacau, Corallo e a Fábrica de Chocolate

No início do séc. XX, São Tomé e Príncipe geravam mais cacau que qualquer outro território. Graças à dedicação de alguns empreendedores, a produção subsiste e as duas ilhas sabem ao melhor chocolate.
Espectáculo Impressions Lijiang, Yangshuo, China, Entusiasmo Vermelho
Cultura
Lijiang e Yangshuo, China

Uma China Impressionante

Um dos mais conceituados realizadores asiáticos, Zhang Yimou dedicou-se às grandes produções ao ar livre e foi o co-autor das cerimónias mediáticas dos J.O. de Pequim. Mas Yimou também é responsável por “Impressions”, uma série de encenações não menos polémicas com palco em lugares emblemáticos.
Natação, Austrália Ocidental, Estilo Aussie, Sol nascente nos olhos
Desporto
Busselton, Austrália

2000 metros em Estilo Aussie

Em 1853, Busselton foi dotada de um dos pontões então mais longos do Mundo. Quando a estrutura decaiu, os moradores decidiram dar a volta ao problema. Desde 1996 que o fazem, todos os anos. A nadar.
Vista do John Ford Point, Monument Valley, Nacao Navajo, Estados Unidos
Em Viagem
Monument Valley, E.U.A.

Índios ou cowboys?

Realizadores de Westerns emblemáticos como John Ford imortalizaram aquele que é o maior território indígena dos Estados Unidos. Hoje, na Nação Navajo, os navajo também vivem na pele dos velhos inimigos.
Train Fianarantsoa a Manakara, TGV Malgaxe, locomotiva
Étnico
Fianarantsoa-Manakara, Madagáscar

A Bordo do TGV Malgaxe

Partimos de Fianarantsoa às 7a.m. Só às 3 da madrugada seguinte completámos os 170km para Manakara. Os nativos chamam a este comboio quase secular Train Grandes Vibrations. Durante a longa viagem, sentimos, bem fortes, as do coração de Madagáscar.
arco-íris no Grand Canyon, um exemplo de luz fotográfica prodigiosa
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
Cebu, Mactan, Filipinas, O atoleiro de Magalhães
História
Mactan, Cebu, Filipinas

O Atoleiro de Magalhães

Tinham decorrido quase 19 meses de navegação pioneira e atribulada em redor do mundo quando o explorador português cometeu o erro da sua vida. Nas Filipinas, o carrasco Datu Lapu Lapu preserva honras de herói. Em Mactan, uma sua estátua bronzeada com visual de super-herói tribal sobrepõe-se ao mangal da tragédia.
Windward Side, Saba, Caraíbas Holandesas, Holanda
Ilhas
Saba, Holanda

A Misteriosa Rainha Holandesa de Saba

Com meros 13km2, Saba passa despercebida até aos mais viajados. Aos poucos, acima e abaixo das suas incontáveis encostas, desvendamos esta Pequena Antilha luxuriante, confim tropical, tecto montanhoso e vulcânico da mais rasa nação europeia.
costa, fiorde, Seydisfjordur, Islandia
Inverno Branco
Seydisfjordur, Islândia

Da Arte da Pesca à Pesca da Arte

Quando armadores de Reiquejavique compraram a frota pesqueira de Seydisfjordur, a povoação teve que se adaptar. Hoje, captura discípulos da arte de Dieter Roth e outras almas boémias e criativas.
Vista do topo do Monte Vaea e do tumulo, vila vailima, Robert Louis Stevenson, Upolu, Samoa
Literatura
Upolu, Samoa

A Ilha do Tesouro de Stevenson

Aos 30 anos, o escritor escocês começou a procurar um lugar que o salvasse do seu corpo amaldiçoado. Em Upolu e nos samoanos, encontrou um refúgio acolhedor a que entregou a sua vida de alma e coração.
Preikestolen, Rocha do Púlpito, trono arriscado
Natureza
Preikestolen - Rocha do Púlpito, Noruega

Peregrinação ao Púlpito de Rocha da Noruega

Não faltam cenários grandiosos à Noruega dos fiordes sem fim. Em pleno fiorde de Lyse, o cimo destacado, alisado e quase quadrado de uma falésia com mais de 600 metros forma um inesperado púlpito rochoso. Subir às suas alturas, espreitar os precipícios e apreciar os panoramas em redor tem muito de revelação.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Vista de La Graciosa de Lanzarote, Canárias, Espanha
Parques Naturais
La Graciosa, Ilhas Canárias

A Mais Graciosa das Ilhas Canárias

Até 2018, a menor das Canárias habitadas não contava para o arquipélago. Desembarcados em La Graciosa, desvendamos o encanto insular da agora oitava ilha.
Submarino Vesikko, Suomenlinna, Helsínquia, Finlândia
Património Mundial UNESCO
Helsínquia, Finlândia

A Fortaleza em Tempos Sueca da Finlândia

Destacada num pequeno arquipélago à entrada de Helsínquia, Suomenlinna foi erguida por desígnios político-militares do reino sueco. Durante mais de um século, a Rússia deteve-a. Desde 1917, que o povo suómi a venera como o bastião histórico da sua espinhosa independência.
Em quimono de elevador, Osaka, Japão
Personagens
Osaka, Japão

Na Companhia de Mayu

A noite japonesa é um negócio bilionário e multifacetado. Em Osaka, acolhe-nos uma anfitriã de couchsurfing enigmática, algures entre a gueixa e a acompanhante de luxo.
ilha Martinica, Antilhas Francesas, Caraíbas Monumento Cap 110
Praias
Martinica, Antilhas Francesas

Caraíbas de Baguete debaixo do Braço

Circulamos pela Martinica tão livremente como o Euro e as bandeiras tricolores esvoaçam supremas. Mas este pedaço de França é vulcânico e luxuriante. Surge no coração insular das Américas e tem um delicioso sabor a África.
cavaleiros do divino, fe no divino espirito santo, Pirenopolis, Brasil
Religião
Pirenópolis, Brasil

Cavalgada de Fé

Introduzida, em 1819, por padres portugueses, a Festa do Divino Espírito Santo de Pirenópolis agrega uma complexa rede de celebrações religiosas e pagãs. Dura mais de 20 dias, passados, em grande parte, sobre a sela.
Executivos dormem assento metro, sono, dormir, metro, comboio, Toquio, Japao
Sobre carris
Tóquio, Japão

Os Hipno-Passageiros de Tóquio

O Japão é servido por milhões de executivos massacrados com ritmos de trabalho infernais e escassas férias. Cada minuto de tréguas a caminho do emprego ou de casa lhes serve para o seu inemuri, dormitar em público.
Tombola, bingo de rua-Campeche, Mexico
Sociedade
Campeche, México

Há 200 Anos a Brincar com a Sorte

No fim do século XVIII, os campechanos renderam-se a um jogo introduzido para esfriar a febre das cartas a dinheiro. Hoje, jogada quase só por abuelitas, a loteria local pouco passa de uma diversão.
Cruzamento movimentado de Tóquio, Japão
Vida Quotidiana
Tóquio, Japão

A Noite Sem Fim da Capital do Sol Nascente

Dizer que Tóquio não dorme é eufemismo. Numa das maiores e mais sofisticadas urbes à face da Terra, o crepúsculo marca apenas o renovar do quotidiano frenético. E são milhões as suas almas que, ou não encontram lugar ao sol, ou fazem mais sentido nos turnos “escuros” e obscuros que se seguem.
Reserva Masai Mara, Viagem Terra Masai, Quénia, Convívio masai
Vida Selvagem
Masai Mara, Quénia

Reserva Masai Mara: De Viagem pela Terra Masai

A savana de Mara tornou-se famosa pelo confronto entre os milhões de herbívoros e os seus predadores. Mas, numa comunhão temerária com a vida selvagem, são os humanos Masai que ali mais se destacam.
Passageiros, voos panorâmico-Alpes do sul, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Aoraki Monte Cook, Nova Zelândia

A Conquista Aeronáutica dos Alpes do Sul

Em 1955, o piloto Harry Wigley criou um sistema de descolagem e aterragem sobre asfalto ou neve. Desde então, a sua empresa revela, a partir do ar, alguns dos cenários mais grandiosos da Oceania.
EN FR PT ES