Pentecostes, Vanuatu

Naghol de Pentecostes: Bungee Jumping para Homens a Sério


Esticadores naturais
Jovens testam a resistência de lianas que suportam a torre de saltos.
Air Vanuatu
Habitantes acompanham um avião da Air Vanuatu.
De Partida
Mulher e criança seguem a trajectória de um avião da Air Vanuatu, na pista de Lanorore.
Em Paz
Jovem repousa sobre a parte detrás da base da torre de saltos
Jovens espectadoras
Crianças observam a coreografia levada a cabo pelos adultos na base da torre de saltos de Pentecostes.
A caminho de Lanorore
Nativos aproximam-se de Lanorore pelo litoral com a ilha vizinha de Ambae em fundo.
Naghol-pentecostes-bungee-jumping-homens-de-olho-no-salto
Raparigas acompanham a acção dos saltadores no cimo da torre.
Irmãos-Toranja
Crianças dirigem-se para o lugar da cerimónia de Pentecostes pela praia e a comerem enormes toranjas.
Naghol-pentecostes-bungee-jumping-homens-nativa
Mulher da aldeia de Lonorore cobre os seios algo envergonhada entre os valores tribais e os ocidentais
Saltador dopado
Saltador de Naghol com os olhos vermelhos devido ao consumo de drogas naturais que facilitam o salto Naghol.
Nanbawan netwok
Outdoor promove a empresa de comunicaçoes móveis Digicel.
Piolho ??
Irmã mais velha cata uma menina no intervalo de dois saltos.
Pleno salto
Saltador prepara os braços para se proteger de um eventual impacto no solo.
Puro salto
Mais um jovem em pleno ar, nesta ocasião, após saltar de uma plataforma intermédia da torre.
Teste de solidez
Homem de Pentecostes examina a solidez da torre de saltos.
Saltador entre pares
Um dos saltadores convive com outros jovens de Pentecostes, pouco antes do seu salto
Mulheres preocupadas
Mulheres observam o momento de mais um salto Naghol, preocupada com a sorte dos seus jovens
Namba garrida
Cápsula vegetal que distingue dois tipos tribais de Vanuatu, os Big Nambas e os Small Nambas, consoante o tamanho da cápsula.
Cimo da torre
Um dos saltadores no topo da torre de saltos de Lanorore.
Saltador cool
Saltador posa junto à base da torre com óculos escuros emprestados por um espectador forasteiro da cerimónia.
Em 1995, o povo de Pentecostes ameaçou processar as empresas de desportos radicais por lhes terem roubado o ritual Naghol. Em termos de audácia, a imitação elástica fica muito aquém do original.

A aproximação do Harbin Y-12 à pista desvenda o monte Vulmat coberto de selva densa encharcada por dois dias de chuva intensa.

E uma beira-mar exígua feita de areia negra e calhaus que a vegetação invade, quase a alcançar a água azul do oceano Pacífico.

Quando o avião se imobiliza, uma pequena multidão de ni-vanuatu (os habitantes de Vanuatu) curiosos deixa a sombra das árvores e aproxima-se para saudar os novos visitantes.

Avião Air Vanuatu, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Habitantes acompanham um avião da Air Vanuatu.

Os Momentos Tranquilos que Antecedem o Naghol de Pentecostes

Convidam-nos a registarmo-nos com os anciãos de Lonorore. Cumprida a formalidade, ficamos livres para explorar o litoral exótico que esconde a povoação.

Aos poucos, chegam mais grupos de nativos por um trilho apertado ou ao longo do areal. Também eles se aglomeram em redor dos barracões que servem o aeroporto.

A caminho de Lanorore, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Nativos aproximam-se de Lanorore pelo litoral com a ilha vizinha de Ambae em fundo.

Falta apenas uma hora para o início do ritual. O recinto continua interdito. Frequentam-no apenas os jovens saltadores e os homens que tratam dos derradeiros preparativos.

Estamos no fim de Maio. A época do Naghol ainda vai a meio. Em tempos, o evento tinha lugar uma vez por ano.

À medida que mais viajantes descobriam Pentecostes, a cerimónia revelou-se uma fonte de lucro incontornável para as aldeias que a praticavam.

As Origens e a Tradição Secular do Naghol de Pentecostes

Repete-se, agora, oito vezes, de Abril a Junho. Já a sua origem, se verdadeira, não podia ser mais única.

Conta-se na ilha que uma nativa se queixava da persistência dos avanços sexuais do marido, de seu nome Tamalie. Sem o conseguir sensibilizar, fartou-se e fugiu para a floresta. Tamalie perseguiu-a.

Nativa envergonhada, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Mulher da aldeia de Lonorore cobre os seios algo envergonhada entre os valores tribais e os ocidentais

Obrigou-a a trepar a uma figueira-da-índia. Encurralada, ao ver o marido subir, a mulher atou lianas aos tornozelos e lançou-se. Ficou a balouçar junto ao solo, incólume, antes de se soltar.

Sentindo-se desafiado mas sem reparar nas lianas, Tamalie saltou atrás dela e perdeu a vida.

Daí em diante, os homens de Pentecostes decidiram praticar o salto com lianas para que não mais fossem enganados pelas parceiras. Daí em diante, a prática tornou-se kastom (tradição).

Em pleno ar, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Mais um jovem em pleno ar, nesta ocasião, após saltar de uma plataforma intermédia da torre.

À margem da lenda, o Naghol é levado a cabo como ritual de passagem dos rapazes das aldeias. Os nativos acreditam que, quando realizado com sucesso, contribui para boas colheitas de mandioca.

Jovens de Pentecostes, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Um dos saltadores convive com outros jovens de Pentecostes, pouco antes do seu salto

E para afastar os males próprios da época das chuvas, incluindo a malária que prevalece no arquipélago de Vanuatu, como noutras partes luxuriantes da Melanésia.

O Intensificar Tropical do Naghol de Pentecostes

Quando é dada a permissão para avançarem, os forasteiros depressa se esquecem dos mosquitos que os incomodam e preocupam. Juntam-se ao grupo de espectadores nativos e avançam pela floresta, nos passos de um anfitrião apressado.

A determinada altura, o trilho estreito entra numa clareira ampla. Dela se destacam uma encosta lamacenta e, no seu topo, uma enorme torre de troncos.

Enquanto a assistência se distribui pelo sopé e pelos lados da encosta, alguns homens amolecem o solo na projecção da base da torre.

Outros, revêem e retocam a sua estrutura caótica.

Ancião testa a torre, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Homem de Pentecostes examina a solidez da torre de saltos.

Ao mesmo tempo, um grupo de apoiantes tribais – crianças à frente, seguidas de mulheres e, depois pelos homens – dançam, cantam e assobiam, para cá e para lá, em modo de incentivo dos saltadores.

Grupo de apoio, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Nativos levam a cabo movimentos repetitivos para encorajar o próximo saltador.

Estes, são mantidos nas imediações da torre durante dois dias, sem contacto com raparigas para garantir a requerida abstinência sexual.

É também habitual que se untem de óleo de coco e que usem presas de javali como amuletos, além das nambas, cápsulas vegetais com que envolvem o pénis.

Saltador, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Saltador posa junto à base da torre com óculos escuros emprestados por um espectador forasteiro da cerimónia.

Como pudemos notar mais tarde, alguns, inspiram-se com recurso a substâncias naturais (leia-se drogas).

Quanto mais longo é o salto para que se preparam, maior é a inspiração.

Os Saltos da Torre Naghol. Coragem (ou Loucura) de Baixo para Cima

O ritual começa com mergulhos a partir das plataformas inferiores da torre. Evolui para o topo, consoante a idade dos participantes. Os anciãos das aldeias escolhem as lianas. Têm que as  cortar pouco antes da cerimónia, de acordo com o peso de cada saltador e a altura de que vai saltar.

Apesar da precisão exigida, os responsáveis continuam a dispensar qualquer instrumento moderno. Feita a selecção, desfiam-se as pontas das lianas que são presas aos tornozelos dos participantes.

Se forem mal atadas ou demasiado longas, o saltador infeliz despenha-se no solo. Caso fiquem curtas, o saltador pode colidir com a base da torre, de onde se projectam vários troncos.

Jovem em base da torre, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Jovem repousa sobre a parte detrás da base da torre de saltos

O Naghol de Pentecostes que Terminou em Desgraça

Para não comprometer a elasticidade das lianas, o Naghol foi sempre realizado na época seca. Mas, em 1974, a administração colonial quis impressionar a soberana Rainha Isabel II – que visitava as então chamadas Novas Hébridas.

Contra a vontade dos indígenas, a visita da rainha forçou que a cerimónia se realizasse durante as chuvas. Foi uma vez sem exemplo. As lianas usadas por um dos saltadores quebraram-se.

Em pleno salto, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Saltador prepara os braços para se proteger de um eventual impacto no solo.

Causaram a única tragédia directamente provocada pelos mergulhos do Naghol.

De regresso à clareira, os saltadores intermédios cumpriram já o seu papel e a cerimónia decorre sem acidentes. O grupo de “apoiantes” volta a dançar e a cantar, então, com intensidade redobrada.

O Salto Tresloucado do Topo Vertiginoso da torre Naghol

O momento da verdade, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Saltador eleva os braços ao céu, segundos antes de se lançar do topo da torre do Naghol.

Um último adolescente trepa até ao cimo da torre onde se posiciona sobre uma plataforma ínfima. Já no auge, junta-se aos cânticos por um minuto e acena a olhar para o céu.

Sem mais contemplações, impulsiona-se para diante, cobre a cabeça e o pescoço com os braços e sobrevoa a selva de Pentecostes, antes de mergulhar na direcção ao solo.

As lianas quebram a queda, como a torre que se dobra ligeiramente e suaviza o esticão. Como é esperado, as mãos do saltador tocam ligeiramente na terra.

Além de alguma dor nas pernas, depois de examinado por outros aldeãos, comprova-se que está em condições de celebrar.

Salto para a frente, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Saltador projecta os braços para conseguir afastar-se dos troncos cortantes da torre.

Uma vez terminada a cerimónia, a assistência recebe autorização para se aproximar da torre. Em três tempos, envolve e glorifica o novo adulto. Mas a reacção do saltador é contida.

Os seus olhos vermelhos explicam uma certa “ausência” que compensa com sorrisos sem fim.

Saltador dopado, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu

Saltador com os olhos vermelhos devido ao consumo de drogas naturais que facilitam o  Naghol.

Já a compensação monetária exigida pela ilha de Pentecostes às empresas de bungee-jumping do mundo por estas terem copiado o Naghol ainda não foi paga.

Se um destes dias Pentecostes ganhar este caso, todos os seus nativos terão razões extra para sorrir.

Lijiang, China

Uma Cidade Cinzenta mas Pouco

Visto ao longe, o seu casario vasto é lúgubre mas as calçadas e canais seculares de Lijiang revelam-se mais folclóricos que nunca. Em tempos, esta cidade resplandeceu como a capital grandiosa do povo Naxi. Hoje, tomam-na de assalto enchentes de visitantes chineses que disputam o quase parque temático em que se tornou.
Wala, Vanuatu

Cruzeiro à Vista, a Feira Assenta Arraiais

Em grande parte de Vanuatu, os dias de “bons selvagens” da população ficaram para trás. Em tempos incompreendido e negligenciado, o dinheiro ganhou valor. E quando os grandes navios com turistas chegam ao largo de Malekuka, os nativos concentram-se em Wala e em facturar.
Efate, Vanuatu

A Ilha que Sobreviveu a "Survivor"

Grande parte de Vanuatu vive num abençoado estado pós-selvagem. Talvez por isso, reality shows em que competem aspirantes a Robinson Crusoes instalaram-se uns atrás dos outros na sua ilha mais acessível e notória. Já algo atordoada pelo fenómeno do turismo convencional, Efate também teve que lhes resistir.
Pentecostes, Vanuatu

Naghol: O Bungee Jumping sem Modernices

Em Pentecostes, no fim da adolescência, os jovens lançam-se de uma torre apenas com lianas atadas aos tornozelos. Cordas elásticas e arneses são pieguices impróprias de uma iniciação à idade adulta.
Honiara e Gizo, Ilhas Salomão

O Templo Profanado das Ilhas Salomão

Um navegador espanhol baptizou-as, ansioso por riquezas como as do rei bíblico. Assoladas pela 2ª Guerra Mundial, por conflitos e catástrofes naturais, as Ilhas Salomão estão longe da prosperidade.
Competições

Homem, uma Espécie Sempre à Prova

Está-nos nos genes. Pelo prazer de participar, por títulos, honra ou dinheiro, as competições dão sentido ao Mundo. Umas são mais excêntricas que outras.
Tanna, Vanuatu

Daqui se Fez Vanuatu ao Ocidente

O programa de TV “Meet the Natives” levou representantes tribais de Tanna a conhecer a Grã-Bretanha e os E.U.A. De visita à sua ilha, percebemos porque nada os entusiasmou mais que o regresso a casa.
Espiritu Santo, Vanuatu

Divina Melanésia

Pedro Fernandes de Queirós pensava ter descoberto a Terra Australis. A colónia que propôs nunca se chegou a concretizar. Hoje, Espiritu Santo, a maior ilha de Vanuatu, é uma espécie de Éden.
Malekula, Vanuatu

Canibalismo de Carne e Osso

Até ao início do século XX, os comedores de homens ainda se banqueteavam no arquipélago de Vanuatu. Na aldeia de Botko descobrimos porque os colonizadores europeus tanto receavam a ilha de Malekula.
Rinoceronte, PN Kaziranga, Assam, Índia
Safari
PN Kaziranga, Índia

O Baluarte dos Monocerontes Indianos

Situado no estado de Assam, a sul do grande rio Bramaputra, o PN Kaziranga ocupa uma vasta área de pântano aluvial. Lá se concentram dois terços dos rhinocerus unicornis do mundo, entre em redor de 100 tigres, 1200 elefantes e muitos outros animais. Pressionado pela proximidade humana e pela inevitável caça furtiva, este parque precioso só não se tem conseguido proteger das cheias hiperbólicas das monções e de algumas polémicas.
Monte Lamjung Kailas Himal, Nepal, mal de altitude, montanha prevenir tratar, viagem
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 2º - Chame a Upper PisangNepal

(I)Eminentes Annapurnas

Despertamos em Chame, ainda abaixo dos 3000m. Lá  avistamos, pela primeira vez, os picos nevados e mais elevados dos Himalaias. De lá partimos para nova caminhada do Circuito Annapurna pelos sopés e encostas da grande cordilheira. Rumo a Upper Pisang.
Visitantes nas ruínas de Talisay, ilha de Negros, Filipinas
Arquitectura & Design
Talisay City, Filipinas

Monumento a um Amor Luso-Filipino

No final do século XIX, Mariano Lacson, um fazendeiro filipino e Maria Braga, uma portuguesa de Macau, apaixonaram-se e casaram. Durante a gravidez do que seria o seu 11º filho, Maria sucumbiu a uma queda. Destroçado, Mariano ergueu uma mansão em sua honra. Em plena 2ª Guerra Mundial, a mansão foi incendiada mas as ruínas elegantes que resistiram eternizam a sua trágica relação.
Alturas Tibetanas, mal de altitude, montanha prevenir tratar, viagem
Aventura

Mal de Altitude: não é mau. É péssimo!

Em viagem, acontece vermo-nos confrontados com a falta de tempo para explorar um lugar tão imperdível como elevado. Ditam a medicina e as experiências prévias com o Mal de Altitude que não devemos arriscar subir à pressa.
Cena natalícia, Shillong, Meghalaya, Índia
Cerimónias e Festividades
Shillong, India

Selfiestão de Natal num Baluarte Cristão da Índia

Chega Dezembro. Com uma população em larga medida cristã, o estado de Meghalaya sincroniza a sua Natividade com a do Ocidente e destoa do sobrelotado subcontinente hindu e muçulmano. Shillong, a capital, resplandece de fé, felicidade, jingle bells e iluminações garridas. Para deslumbre dos veraneantes indianos de outras partes e credos.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Cidades
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Comida
Mercados

Uma Economia de Mercado

A lei da oferta e da procura dita a sua proliferação. Genéricos ou específicos, cobertos ou a céu aberto, estes espaços dedicados à compra, à venda e à troca são expressões de vida e saúde financeira.
Parada e Pompa
Cultura
São Petersburgo, Rússia

A Rússia Vai Contra a Maré. Siga a Marinha

A Rússia dedica o último Domingo de Julho às suas forças navais. Nesse dia, uma multidão visita grandes embarcações ancoradas no rio Neva enquanto marinheiros afogados em álcool se apoderam da cidade.
Corrida de Renas , Kings Cup, Inari, Finlândia
Desporto
Inari, Finlândia

A Corrida Mais Louca do Topo do Mundo

Há séculos que os lapões da Finlândia competem a reboque das suas renas. Na final da Kings Cup - Porokuninkuusajot - , confrontam-se a grande velocidade, bem acima do Círculo Polar Ártico e muito abaixo de zero.
Motociclista no desfiladeiro de Sela, Arunachal Pradesh, Índia
Em Viagem
Guwahati a Sela Pass, Índia

Viagem Mundana ao Desfiladeiro Sagrado de Sela

Durante 25 horas, percorremos a NH13, uma das mais elevadas e perigosas estradas indianas. Viajamos da bacia do rio Bramaputra aos Himalaias disputados da província de Arunachal Pradesh. Neste artigo, descrevemos-lhe o trecho até aos 4170 m de altitude do Sela Pass que nos apontou à cidade budista-tibetana de Tawang.
Encontro das águas, Manaus, Amazonas, Brasil
Étnico
Manaus, Brasil

Ao Encontro do Encontro das Águas

O fenómeno não é único mas, em Manaus, reveste-se de uma beleza e solenidade especial. A determinada altura, os rios Negro e Solimões convergem num mesmo leito do Amazonas mas, em vez de logo se misturarem, ambos os caudais prosseguem lado a lado. Enquanto exploramos estas partes da Amazónia, testemunhamos o insólito confronto do Encontro das Águas.
portfólio, Got2Globe, fotografia de Viagem, imagens, melhores fotografias, fotos de viagem, mundo, Terra
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Got2Globe

Melhor do Mundo – Portfólio Got2Globe

Lençóis da Bahia, Diamantes Eternos, Brasil
História
Lençois da Bahia, Brasil

Lençois da Bahia: nem os Diamantes São Eternos

No século XIX, Lençóis tornou-se na maior fornecedora mundial de diamantes. Mas o comércio das gemas não durou o que se esperava. Hoje, a arquitectura colonial que herdou é o seu bem mais precioso.
Ilhas
São Nicolau, Cabo Verde

Fotografia dess Nha Terra São Nicolau

A voz da saudosa Cesária Verde cristalizou o sentimento dos cabo-verdianos que se viram forçados a deixar a sua ilha. Quem visita São Nicolau ou, vá lá que seja, admira imagens que a bem ilustrem, percebe porque os seus lhe chamam, para sempre e com orgulho, nha terra.
lago ala juumajarvi, parque nacional oulanka, finlandia
Inverno Branco
Kuusamo ao PN Oulanka, Finlândia

Sob o Encanto Gélido do Árctico

Estamos a 66º Norte e às portas da Lapónia. Por estes lados, a paisagem branca é de todos e de ninguém como as árvores cobertas de neve, o frio atroz e a noite sem fim.
Baie d'Oro, Île des Pins, Nova Caledonia
Literatura
Île-des-Pins, Nova Caledónia

A Ilha que se Encostou ao Paraíso

Em 1964, Katsura Morimura deliciou o Japão com um romance-turquesa passado em Ouvéa. Mas a vizinha Île-des-Pins apoderou-se do título "A Ilha mais próxima do Paraíso" e extasia os seus visitantes.
Ilha do Pico, Montanha Vulcão Açores, aos Pés do Atlântico
Natureza
Ilha do Pico, Açores

Ilha do Pico: o Vulcão dos Açores com o Atlântico aos Pés

Por um mero capricho vulcânico, o mais jovem retalho açoriano projecta-se no apogeu de rocha e lava do território português. A ilha do Pico abriga a sua montanha mais elevada e aguçada. Mas não só. É um testemunho da resiliência e do engenho dos açorianos que domaram esta deslumbrante ilha e o oceano em redor.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Ilha do Principe, São Tomé e Principe
Parques Naturais
Príncipe, São Tomé e Príncipe

Viagem ao Retiro Nobre da Ilha do Príncipe

A 150 km de solidão para norte da matriarca São Tomé, a ilha do Príncipe eleva-se do Atlântico profundo num cenário abrupto e vulcânico de montanha coberta de selva. Há muito encerrada na sua natureza tropical arrebatadora e num passado luso-colonial contido mas comovente, esta pequena ilha africana ainda abriga mais estórias para contar que visitantes para as escutar.
Ilha de Miyajima, Xintoismo e Budismo, Japão, Portal para uma ilha sagrada
Património Mundial UNESCO
Miyajima, Japão

Xintoísmo e Budismo ao Sabor das Marés

Quem visita o tori de Itsukushima admira um dos três cenários mais reverenciados do Japão. Na ilha de Miyajima, a religiosidade nipónica confunde-se com a Natureza e renova-se com o fluir do Mar interior de Seto.
Personagens
Sósias, actores e figurantes

Estrelas do Faz de Conta

Protagonizam eventos ou são empresários de rua. Encarnam personagens incontornáveis, representam classes sociais ou épocas. Mesmo a milhas de Hollywood, sem eles, o Mundo seria mais aborrecido.
Fila Vietnamita
Praias

Nha Trang-Doc Let, Vietname

O Sal da Terra Vietnamita

Em busca de litorais atraentes na velha Indochina, desiludimo-nos com a rudeza balnear de Nha Trang. E é no labor feminino e exótico das salinas de Hon Khoi que encontramos um Vietname mais a gosto.

Cortejo Ortodoxo
Religião
Suzdal, Rússia

Séculos de Devoção a um Monge Devoto

Eutímio foi um asceta russo do século XIV que se entregou a Deus de corpo e alma. A sua fé inspirou a religiosidade de Suzdal. Os crentes da cidade veneram-no como ao santo em que se tornou.
Train Fianarantsoa a Manakara, TGV Malgaxe, locomotiva
Sobre Carris
Fianarantsoa-Manakara, Madagáscar

A Bordo do TGV Malgaxe

Partimos de Fianarantsoa às 7a.m. Só às 3 da madrugada seguinte completámos os 170km para Manakara. Os nativos chamam a este comboio quase secular Train Grandes Vibrations. Durante a longa viagem, sentimos, bem fortes, as do coração de Madagáscar.
Walter Peak, Queenstown, Nova Zelandia
Sociedade
Nova Zelândia  

Quando Contar Ovelhas Tira o Sono

Há 20 anos, a Nova Zelândia tinha 18 ovinos por cada habitante. Por questões políticas e económicas, a média baixou para metade. Nos antípodas, muitos criadores estão preocupados com o seu futuro.
Cruzamento movimentado de Tóquio, Japão
Vida Quotidiana
Tóquio, Japão

A Noite Sem Fim da Capital do Sol Nascente

Dizer que Tóquio não dorme é eufemismo. Numa das maiores e mais sofisticadas urbes à face da Terra, o crepúsculo marca apenas o renovar do quotidiano frenético. E são milhões as suas almas que, ou não encontram lugar ao sol, ou fazem mais sentido nos turnos “escuros” e obscuros que se seguem.
savuti, botswana, leões comedores de elefantes
Vida Selvagem
Savuti, Botswana

Os Leões Comedores de Elefantes de Savuti

Um retalho do deserto do Kalahari seca ou é irrigado consoante caprichos tectónicos da região. No Savuti, os leões habituaram-se a depender deles próprios e predam os maiores animais da savana.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
EN FR PT ES