Esteros del Iberá, Argentina

O Pantanal das Pampas


Patrulha réptil
Jacaré mantém-se atento aos movimentos de capivaras e outras possíveis presas nas imediações.
Cardeal do Banhado
Uma das muitas aves garridas que habitam a lagoa de Iberá.
Capivara ou carpincho
Capivaras semi-mergulhadas na água repleta de vegetação anfíbia da lagoa de Iberá.
Iberá de Y Berá (águas brilhantes)
Sinalização oficial de identificação da Laguna Iberá, uma das maiores reservas de água doce da América do Sul.
Tom de Verão
Fim de dia amarelado encerra mais uma tarde estival escaldante da região da Laguna Iberá.
Por conta própria
Casal zarpa da Pousada Laguna de canoa para um passeio pelas imediações.
Chauna Torquata
Um trio de tachãs, também chamados no Brasil de inhuma-pocas, chajás, anhumas-do-pantanal, tarrã (Rio Grande do Sul) e tachãs-do-sul.
Sombras gémeas
Palmeiras formam silhuetas emblemáticas da paisagem sub-tropical da Laguna Iberá.
Camponeses das Pampas
Gaúchos trabalham na fazenda produtora de gado Swiss Agro.
Um canal natural
O braço da lagoa que conduz ao ancoradouro da Pousada Laguna, nas imediações de Colónia Pellegrini.
Ocaso em Iberá
Sol põe-se por detrás de um dos muitos palmares que preenchem ilhas no meio da Laguna Iberá.
Uma comunidade de mergulhões
Corvos-marinhos partilham a água cálida da vasta lagoa de Iberá.
Macacos-bugio, ou uivadores
Guia fotograda um bando de macacos-bugio, conhecidos pelo seu uivo.
Pouso-Perfeito
Corvos-marinhos secam-se ao sol sobre ramos projectados da lago de Iberá.
No mapa mundo, para sul do famoso pantanal brasileiro, surge uma região alagada pouco conhecida mas quase tão vasta e rica em biodiversidade. A expressão guarani Y berá define-a como “águas brilhantes”. O adjectivo ajusta-se a mais que à sua forte luminância.

Amanheceu o Domingo na capital da derradeira província do nordeste argentino, Posadas.

O dia não foi propriamente de descanso. Ainda não eram oito da manhã quando saímos da cidade conduzidos por Sancho, um jovem motorista falador e amante de música pop latina.

Meia hora depois da partida, percebemos, em parte, porque nos tinha apanhado numa pick-up com visual rural, envelhecida e empoeirada.

O asfalto terminou. Passámos para uma uma recta de terra vermelha batida, perdida na imensidão plana da alta pampa, que nos pareceu ter mais de 100 km de extensão e que só os sucessivos altos, baixos e buracos e a charla contínua tornaram menos monótona.

Estávamos em pleno Verão do hemisfério sul.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, por do sol

Fim de dia amarelado encerra mais uma tarde estival escaldante da região da Laguna Iberá.

Esta região entalada entre o extremo meridional do Brasil e o misterioso Paraguai, aquecia a olhos vistos. “Acham que está quente agora?” alertou-nos o rapaz do volante quase indignado. “Isto não é nada. Por estes lados, em Dezembro e Janeiro, a temperatura galga os 50º”.

Quando chegámos a Colónia Pellegrini, pouco depois do meio-dia, tínhamos já cruzado das terras de Missiones para as menos verdejantes de Corrientes.

O calor continuava a aumentar. De tal maneira que percebíamos a forte irradiação elevar-se no ar e a letargia a que aquele forno votava os poucos moradores porque íamos passando.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, Iberá de Y Berá (águas brilhantes)

Sinalização oficial de identificação da Laguna Iberá, uma das maiores reservas de água doce da América do Sul.

Check in em Colónia Pellegrini e à Beira dos Esteros del Iberá

Não era esse o caso da porteña Doña Elsa, proprietária da Posada de La Laguna que oscilou entre um acolhimento curioso mas efusivo e o desdobramento exigido pelas várias tarefas do seu estabelecimento plantado à beira da lagoa de Iberá.

Cumpridas as apresentações e explicações da praxe, instalámo-nos num quarto quase em cima da água doce. Um sino que soou da vivenda principal cumpriu o esperado sinal comunal para o almoço.

Tínhamos planeado trabalhar nos computadores após a refeição mas a intensidade estival daquelas paragens cobrou o seu preço.

Obrigou-nos a uma longa sesta de recuperação.

Por volta das cinco e quarenta da tarde, o braseiro já se havia atenuado. Uma empregada de metro e meio e face sardenta que nos fazia lembrar uma das personagens excêntricas de “Gato Preto, Gato Branco” bateu à porta.

Anunciou num hispânico suave:

“O senhor Máximo está à vossa espera para saírem para a lagoa. Mas, antes, passem pela vivenda. Têm lá um lanchinho.”

Entusiasmados pela incursão pioneira ao domínio lacustre que nos atraíra de tão longe, despachamos os chás e as fatias de bolo e fizemo-nos ao pontão de onde era suposto zarparmos.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, canoa de saída

Casal zarpa da Pousada Laguna de canoa para um passeio pelas imediações.

Primeira Incursão no Pantanal dos Esteros

Máximo já se encontrava de volta do motor.

Ao contrário do que esperávamos, tinha companhia. Um outro casal de hóspedes ainda mais ansioso havia dispensado o lanche mas não a dianteira da embarcação. Eram Fred e Lena. Ele austríaco, guia de viagens de grupo e fotógrafo de natureza, ela russa, modelo.

Quando nos instalámos, não tardámos a perceber a quantidade inflacionada de equipamento fotográfico que, em conjunto, levávamos a bordo.

O rechonchudo Máximo aproveitou a deixa para quebrar o gelo dos primeiros momentos: “com o que para aí trazem não vos vou sequer perguntar sobre expectativas. Imagino que se não virmos o melhor de tudo, me atiram aos jacarés.”

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, Jacaré

Jacaré mantém-se atento aos movimentos de capivaras e outras possíveis presas nas imediações.

Depressa se confirmou que não seria necessário. A vastidão de pântanos, lamaçais, lagoas, lagos estagnados e leitos fluviais porque navegávamos estende-se por 20.000 km2, 13.000 dos quais (14% da área da província de Corrientes) fazem parte da Reserva Natural de Iberá.

Esteros del Iberá, o Grande Pantanal da Argentina

Trata-se da maior área protegida da Argentina e um dos reservatórios de água doce mais importantes da América do Sul.

Ora, toda esta água flanqueada pelas terras, por comparação, elevadas nas margens dos rios Paraná (a oeste) e Uruguai (a leste) é vida.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, Corvos-Marinhos

Corvos-marinhos secam-se ao sol sobre ramos projectados da lago de Iberá.

Muita vida.

À medida que nos internámos na grande Iberá, os cenários salpicados de plantas e ervas aquáticas – nalguns casos, verdadeiras ilhas flutuantes de juncos, jacintos e nenúfares – provaram-se sumptuosos.

Abrigavam veados das pampas, bandos de capivaras e de lontras, estes controlados e perseguidos por jacarés, caimões e anacondas furtivas.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, Capivara ou carpincho

Capivaras semi-mergulhadas na água repleta de vegetação anfíbia da lagoa de Iberá.

Avistámos ainda garças, colónias de mergulhões a secar ao sol e outras aves, de rapina, incontáveis peixes e anfíbios, entre tantas distintas espécies daquele prodigioso ecossistema lacustre.

Tal biodiversidade atrai e apaixona biólogos e fotógrafos de todo o mundo que regressam ano após ano. Era o caso de Fred que, como nós, apontava as suas teleobjectivas de forma frenética para os espécimes que mais o inspiravam a registar.

Esta hiperactividade contrastava com a contemplação descontraída e elegante de Lena, a Lolita loura acompanhante do rude, quase bruto, austríaco, ela que nos deslumbrara com uma confissão inesperada: “Eu nasci em Kamchatka, não sei se conhecem?

Regresso Quase Nocturno à Posada de la Laguna

Fica lá do outro lado da Rússia.”

Conhecer até conhecíamos, mas só de ver e de ler, nunca tínhamos era lá estado. Como qualquer viajante sempre insatisfeito com os lugares por que passou, sonhávamos explorá-la o quanto antes, ou não se tratasse de uma das regiões vulcânicas mais remotas, indómitas e majestosas à face da Terra.

Voltámos ao embarcadouro da Posada Laguna sobre o ocaso. O céu acima da Iberá ardia.

A água estava tingida de um azul quente, aqui e ali, salpicada pelos vultos irrequietos de centenas de corvos-marinhos à tona, assustados pela intrusão tardia e estridente da embarcação.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, corvos-marinhos

Corvos-marinhos partilham a água cálida da vasta lagoa de Iberá.

Uma hora depois do desembarque, voltamos a reunir-nos com Fred, Lena e outros hóspedes em redor de um jantar que Doña Elsa tinha mandado preparar ao estilo gastronómico que o filho Chef de um restaurante conceituado de Buenos Aires criara para a pousada da família.

Hoje, a Laguna é um de uns poucos negócios instalados nas margens vastas dos Esteros del Iberá, em grande parte em redor da aldeola com visual de parque de roulottes de Colónia Pellegrini.

Conquistadores, Missionários e Indígenas Guarani: a História Difusa dos Esteros del Iberá

Nem sempre a região foi erma. À chegada dos conquistadores espanhóis, no século XVI, povoavam estas paragens diversas sub-etnias guaranis ou “guaranizadas” à força após ataques avassaladores que terminavam com rituais canibais atemorizantes.

Segundo narram os anciãos de Mercedes e Colónia Pellegrini, até pouco depois da viragem para o século XX, ouviam-se gritos vindos das zonas mais recônditas e ainda por descobrir pelos colonos brancos da lagoa. Supunha-se, então, que ainda eram habitadas por descendentes desses nativos.

Fosse como fosse, devido à inacessibilidade da região dos Esteros del Iberá, foram raras as povoações que ali se instalaram. As missões jesuíticas chegaram a dominar e a operar em territórios com limites próximos mas a área alagada foi durante muito tempo considerada inabitável.

Nela se refugiavam foragidos. Dela viviam caçadores e pescadores sem outros recursos.

Nós continuávamos no encalço de expressões e imagens daquela impressionante natureza anfíbia.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, Ocaso em Iberá

Sol põe-se por detrás de um dos muitos palmares que preenchem ilhas no meio da Laguna Iberá.

A Incursão Madrugadora aos Esteros del Iberá

No dia seguinte, madrugámos para nova rota embarcada na lagoa, em busca de mais e mais das espécies que ali continuavam a proliferar, sem grandes esperanças de encontrarmos algum dos papa-formigas e jaguares residentes que, além de escassos e esquivos, eram nocturnos.

Alcançámos zonas de grandes ilhas de terra firme preenchidas por palmares densos em que pulavam e ululuvam macacos-bugio agitados pela visita inesperada de um veado-das-pampas solitário.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, macacos-uivadores

Guia fotograda um bando de macacos-bugio, conhecidos pelo seu uivo.

As palmeiras pouco tinham que ver com as que nos habituámos a ver quando em Portugal.

Eram buritis, jataí e outras tão ou mais exóticas do tipo indaiá.

Algumas das mais altas serviam de poiso de observação para várias tachãs, aves endémicas destas partes da Argentina e sul do Brasil.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, tachãs, Chauna Torquata

Um trio de tachãs, também chamados no Brasil de inhuma-pocas, chajás, anhumas-do-pantanal, tarrã (Rio Grande do Sul) e tachãs-do-sul.

No regresso da última incursão, Doña Elsa recompensa-nos pelo entusiasmo que dedicávamos ao trabalho. Contempla-nos com uma noite extra na pousada.

Aproveitámos para investigar outros recantos ainda mais longínquos da lagoa, voltámos a espreitar a estranha Colónia Pellegrini e acompanhámos um veterinário e uma equipa de gaúchos durante uma longa vacinação de uma estância de gado chamada Swiss Agro.

Esteros del Iberá, Pantanal Argentina, gaúchos

Gaúchos trabalham na fazenda produtora de gado Swiss Agro.

Entretanto, deixámos aquele pantanal argentino. Viajámos mais para sul da pampa sem fim.

Colónia Pellegrini, Argentina

Quando a Carne é Fraca

É conhecido o sabor inconfundível da carne argentina. Mas esta riqueza é mais vulnerável do que se imagina. A ameaça da febre aftosa, em particular, mantém as autoridades e os produtores sobre brasas.
Passo do Lontra, Miranda, Brasil

O Brasil Alagado a um Passo da Lontra

Estamos no limiar oeste do Mato Grosso do Sul mas mato, por estes lados, é outra coisa. Numa extensão de quase 200.000 km2, o Brasil surge parcialmente submerso, por rios, riachos, lagoas e outras águas dispersas em vastas planícies de aluvião. Nem o calor ofegante da estação seca drena a vida e a biodiversidade de lugares e fazendas pantaneiras como a que nos acolheu às margens do rio Miranda.
Miranda, Brasil

Maria dos Jacarés: o Pantanal abriga criaturas assim

Eurides Fátima de Barros nasceu no interior da região de Miranda. Há 38 anos, instalou-se e a um pequeno negócio à beira da BR262 que atravessa o Pantanal e ganhou afinidade com os jacarés que viviam à sua porta. Desgostosa por, em tempos, as criaturas ali serem abatidas, passou a tomar conta delas. Hoje conhecida por Maria dos Jacarés, deu nome de jogador ou treinador de futebol a cada um dos bichos. Também garante que reconhecem os seus chamamentos.
Cataratas Iguaçu/Iguazu, Brasil/Argentina

O Troar da Grande Água

Após um longo percurso tropical, o rio Iguaçu dá o mergulho dos mergulhos. Ali, na fronteira entre o Brasil e a Argentina, formam-se as cataratas maiores e mais impressionantes à face da Terra.
San Ignácio Mini, Argentina

As Missões Jesuíticas Impossíveis de San Ignácio Mini

No séc. XVIII, os jesuítas expandiam um domínio religioso no coração da América do Sul em que convertiam os indígenas guarani em missões jesuíticas. Mas as Coroas Ibéricas arruinaram a utopia tropical da Companhia de Jesus.
Maguri Bill, Índia

Um Pantanal nos Confins do Nordeste Indiano

O Maguri Bill ocupa uma área anfíbia nas imediações assamesas do rio Bramaputra. É louvado como um habitat incrível sobretudo de aves. Quando o navegamos em modo de gôndola, deparamo-nos com muito (mas muito) mais vida que apenas a asada.
Caño Negro, Costa Rica

Uma Vida à Pesca entre a Vida Selvagem

Uma das zonas húmidas mais importantes da Costa Rica e do Mundo, Caño Negro deslumbra pelo seu ecossistema exuberante. Não só. Remota, isolada por rios, pântanos e estradas sofríveis, os seus habitantes encontraram na pesca um meio embarcado de fortalecerem os laços da sua comunidade.
PN Tortuguero, Costa Rica

Tortuguero: da Selva Inundada ao Mar das Caraíbas

Após dois dias de impasse devido a chuva torrencial, saímos à descoberta do Parque Nacional Tortuguero. Canal após canal, deslumbramo-nos com a riqueza natural e exuberância deste ecossistema flúviomarinho da Costa Rica.
PN Tortuguero, Costa Rica

A Costa Rica e Alagada de Tortuguero

O Mar das Caraíbas e as bacias de diversos rios banham o nordeste da nação tica, uma das zonas mais chuvosas e rica em fauna e flora da América Central. Assim baptizado por as tartarugas verdes nidificarem nos seus areais negros, Tortuguero estende-se, daí para o interior, por 312 km2 de deslumbrante selva aquática.
PN Gorongosa, Moçambique

O Coração Selvagem de Moçambique dá Sinais de Vida

A Gorongosa abrigava um dos mais exuberantes ecossistemas de África mas, de 1980 a 1992, sucumbiu à Guerra Civil travada entre a FRELIMO e a RENAMO. Greg Carr, o inventor milionário do Voice Mail recebeu a mensagem do embaixador moçambicano na ONU a desafiá-lo a apoiar Moçambique. Para bem do país e da humanidade, Carr comprometeu-se a ressuscitar o parque nacional deslumbrante que o governo colonial português lá criara.
PN Hwange, Zimbabwé

O Legado do Saudoso Leão Cecil

No dia 1 de Julho de 2015, Walter Palmer, um dentista e caçador de trofeus do Minnesota matou Cecil, o leão mais famoso do Zimbabué. O abate gerou uma onda viral de indignação. Como constatamos no PN Hwange, quase dois anos volvidos, os descendentes de Cecil prosperam.
Santa Lucia, África do Sul

Uma África Tão Selvagem Quanto Zulu

Na eminência do litoral de Moçambique, a província de KwaZulu-Natal abriga uma inesperada África do Sul. Praias desertas repletas de dunas, vastos pântanos estuarinos e colinas cobertas de nevoeiro preenchem esta terra selvagem também banhada pelo oceano Índico. Partilham-na os súbditos da sempre orgulhosa nação zulu e uma das faunas mais prolíficas e diversificadas do continente africano.
Fieis acendem velas, templo da Gruta de Milarepa, Circuito Annapurna, Nepal
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 9º Manang a Milarepa Cave, Nepal

Uma Caminhada entre a Aclimatização e a Peregrinação

Em pleno Circuito Annapurna, chegamos por fim a Manang (3519m). Ainda a precisarmos de aclimatizar para os trechos mais elevados que se seguiam, inauguramos uma jornada também espiritual a uma caverna nepalesa de Milarepa (4000m), o refúgio de um siddha (sábio) e santo budista.
Gravuras, Templo Karnak, Luxor, Egipto
Arquitectura & Design
Luxor, Egipto

De Luxor a Tebas: viagem ao Antigo Egipto

Tebas foi erguida como a nova capital suprema do Império Egípcio, o assento de Amon, o Deus dos Deuses. A moderna Luxor herdou o Templo de Karnak e a sua sumptuosidade. Entre uma e a outra fluem o Nilo sagrado e milénios de história deslumbrante.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Aventura
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
Dia da Austrália, Perth, bandeira australiana
Cerimónias e Festividades
Perth, Austrália

Dia da Austrália: em Honra da Fundação, de Luto Pela Invasão

26/1 é uma data controversa na Austrália. Enquanto os colonos britânicos o celebram com churrascos e muita cerveja, os aborígenes celebram o facto de não terem sido completamente dizimados.
Montanha da Mesa vista a partir de Waterfront, Cidade do Cabo, África do Sul
Cidades
Table Mountain, África do Sul

À Mesa do Adamastor

Dos tempos primordiais das Descobertas à actualidade, a Montanha da Mesa sempre se destacou acima da imensidão sul-africana e dos oceanos em redor. Os séculos passaram e a Cidade do Cabo expandiu-se a seus pés. Tanto os capetonians como os forasteiros de visita se habituaram a contemplar, a ascender e a venerar esta meseta imponente e mítica.
Moradora obesa de Tupola Tapaau, uma pequena ilha de Samoa Ocidental.
Comida
Tonga, Samoa Ocidental, Polinésia

Pacífico XXL

Durante séculos, os nativos das ilhas polinésias subsistiram da terra e do mar. Até que a intrusão das potências coloniais e a posterior introdução de peças de carne gordas, da fast-food e das bebidas açucaradas geraram uma praga de diabetes e de obesidade. Hoje, enquanto boa parte do PIB nacional de Tonga, de Samoa Ocidental e vizinhas é desperdiçado nesses “venenos ocidentais”, os pescadores mal conseguem vender o seu peixe.
Cultura
Pueblos del Sur, Venezuela

Os Pauliteiros de Mérida, Suas Danças e Cia

A partir do início do século XVII, com os colonos hispânicos e, mais recentemente, com os emigrantes portugueses consolidaram-se nos Pueblos del Sur, costumes e tradições bem conhecidas na Península Ibérica e, em particular, no norte de Portugal.
Espectador, Melbourne Cricket Ground-Rules footbal, Melbourne, Australia
Desporto
Melbourne, Austrália

O Futebol em que os Australianos Ditam as Regras

Apesar de praticado desde 1841, o Futebol Australiano só conquistou parte da grande ilha. A internacionalização nunca passou do papel, travada pela concorrência do râguebi e do futebol clássico.
Caminhantes no trilho do Ice Lake, Circuito Annapurna, Nepal
Em Viagem
Circuito Annapurna: 7º - Braga - Ice Lake, Nepal

Circuito Annapurna – A Aclimatização Dolorosa do Ice Lake

Na subida para o povoado de Ghyaru, tivemos uma primeira e inesperada mostra do quão extasiante se pode provar o Circuito Annapurna. Nove quilómetros depois, em Braga, pela necessidade de aclimatizarmos ascendemos dos 3.470m de Braga aos 4.600m do lago de Kicho Tal. Só sentimos algum esperado cansaço e o avolumar do deslumbre pela Cordilheira Annapurna.
San Cristobal de Las Casas, Chiapas, Zapatismo, México, Catedral San Nicolau
Étnico
San Cristóbal de Las Casas, México

O Lar Doce Lar da Consciência Social Mexicana

Maia, mestiça e hispânica, zapatista e turística, campestre e cosmopolita, San Cristobal não tem mãos a medir. Nela, visitantes mochileiros e activistas políticos mexicanos e expatriados partilham uma mesma demanda ideológica.
luz solar fotografia, sol, luzes
Fotografia
Luz Natural (Parte 2)

Um Sol, tantas Luzes

A maior parte das fotografias em viagem são tiradas com luz solar. A luz solar e a meteorologia formam uma interacção caprichosa. Saiba como a prever, detectar e usar no seu melhor.
Arménia Berço Cristianismo, Monte Aratat
História
Arménia

O Berço do Cristianismo Oficial

Apenas 268 anos após a morte de Jesus, uma nação ter-se-á tornado a primeira a acolher a fé cristã por decreto real. Essa nação preserva, ainda hoje, a sua própria Igreja Apostólica e alguns dos templos cristãos mais antigos do Mundo. Em viagem pelo Cáucaso, visitamo-los nos passos de Gregório o Iluminador, o patriarca que inspira a vida espiritual da Arménia.
Buracos dos cozidos das Furnas, São Miguel, Açores, Portugal
Ilhas
Vale das Furnas, São Miguel

O Calor Açoriano do Vale das Furnas

Surpreendemo-nos, na maior ilha dos Açores, com uma caldeira retalhada por minifúndios agrícolas, massiva e profunda ao ponto de abrigar dois vulcões, uma enorme lagoa e quase dois mil micaelenses. Poucos lugares do arquipélago são, ao mesmo tempo, tão grandiosos e acolhedores como o verdejante e fumegante Vale das Furnas.
Passageiros sobre a superfície gelada do Golfo de Bótnia, na base do quebra-gelo "Sampo", Finlândia
Inverno Branco
Kemi, Finlândia

Não é Nenhum “Barco do Amor”. Quebra Gelo desde 1961

Construído para manter vias navegáveis sob o Inverno árctico mais extremo, o quebra-gelo Sampo” cumpriu a sua missão entre a Finlândia e a Suécia durante 30 anos. Em 1988, reformou-se e dedicou-se a viagens mais curtas que permitem aos passageiros flutuar num canal recém-aberto do Golfo de Bótnia, dentro de fatos que, mais que especiais, parecem espaciais.
Na pista de Crime e Castigo, Sao Petersburgo, Russia, Vladimirskaya
Literatura
São Petersburgo, Rússia

Na Pista de “Crime e Castigo”

Em São Petersburgo, não resistimos a investigar a inspiração para as personagens vis do romance mais famoso de Fiódor Dostoiévski: as suas próprias lástimas e as misérias de certos concidadãos.
Era Susi rebocado por cão, Oulanka, Finlandia
Natureza
PN Oulanka, Finlândia

Um Lobo Pouco Solitário

Jukka “Era-Susi” Nordman criou uma das maiores matilhas de cães de trenó do mundo. Tornou-se numa das personagens mais emblemáticas da Finlândia mas continua fiel ao seu cognome: Wilderness Wolf.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Braga ou Braka ou Brakra, no Nepal
Parques Naturais
Circuito Annapurna: 6º – Braga, Nepal

Num Nepal Mais Velho que o Mosteiro de Braga

Quatro dias de caminhada depois, dormimos aos 3.519 metros de Braga (Braka). À chegada, apenas o nome nos é familiar. Confrontados com o encanto místico da povoação, disposta em redor de um dos mosteiros budistas mais antigos e reverenciados do circuito Annapurna, lá prolongamos a aclimatização com subida ao Ice Lake (4620m).
San Juan, Cidade Velha, Porto Rico, Reggaeton, bandeira em Portão
Património Mundial UNESCO
San Juan, Porto Rico (Parte 2)

Ao Ritmo do Reggaeton

Os porto-riquenhos irrequietos e inventivos fizeram de San Juan a capital mundial do reggaeton. Ao ritmo preferido da nação, encheram a sua “Cidade Muralhada” de outras artes, de cor e de vida.
Vista do topo do Monte Vaea e do tumulo, vila vailima, Robert Louis Stevenson, Upolu, Samoa
Personagens
Upolu, Samoa

A Ilha do Tesouro de Stevenson

Aos 30 anos, o escritor escocês começou a procurar um lugar que o salvasse do seu corpo amaldiçoado. Em Upolu e nos samoanos, encontrou um refúgio acolhedor a que entregou a sua vida de alma e coração.
Montezuma e Malpaís, melhores praias da Costa Rica, Catarata
Praias
Montezuma, Costa Rica

De Volta aos Braços Tropicais de Montezuma

Passaram 18 anos desde que nos deslumbrámos com este que é um dos litorais abençoados da Costa Rica. Há apenas dois meses, reencontrámo-lo. Tão aconchegante como o  tínhamos conhecido.
Via Conflituosa
Religião
Jerusalém, Israel

Pelas Ruas Beliciosas da Via Dolorosa

Em Jerusalém, enquanto percorrem a Via Dolorosa, os crentes mais sensíveis apercebem-se de como a paz do Senhor é difícil de alcançar nas ruelas mais disputadas à face da Terra.
Composição Flam Railway abaixo de uma queda d'água, Noruega
Sobre carris
Nesbyen a Flam, Noruega

Flam Railway: Noruega Sublime da Primeira à Última Estação

Por estrada e a bordo do Flam Railway, num dos itinerários ferroviários mais íngremes do mundo, chegamos a Flam e à entrada do Sognefjord, o maior, mais profundo e reverenciado dos fiordes da Escandinávia. Do ponto de partida à derradeira estação, confirma-se monumental esta Noruega que desvendamos.
Sociedade
Margilan, Usbequistão

Um Ganha Pão do Uzbequistão

Numa de muitas padarias de Margilan, desgastado pelo calor intenso do forno tandyr, o padeiro Maruf'Jon trabalha meio-cozido como os distintos pães tradicionais vendidos por todo o Usbequistão
Visitantes nas ruínas de Talisay, ilha de Negros, Filipinas
Vida Quotidiana
Talisay City, Filipinas

Monumento a um Amor Luso-Filipino

No final do século XIX, Mariano Lacson, um fazendeiro filipino e Maria Braga, uma portuguesa de Macau, apaixonaram-se e casaram. Durante a gravidez do que seria o seu 11º filho, Maria sucumbiu a uma queda. Destroçado, Mariano ergueu uma mansão em sua honra. Em plena 2ª Guerra Mundial, a mansão foi incendiada mas as ruínas elegantes que resistiram eternizam a sua trágica relação.
tunel de gelo, rota ouro negro, Valdez, Alasca, EUA
Vida Selvagem
Valdez, Alasca

Na Rota do Ouro Negro

Em 1989, o petroleiro Exxon Valdez provocou um enorme desastre ambientai. A embarcação deixou de sulcar os mares mas a cidade vitimada que lhe deu o nome continua no rumo do crude do oceano Árctico.
Passageiros, voos panorâmico-Alpes do sul, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Aoraki Monte Cook, Nova Zelândia

A Conquista Aeronáutica dos Alpes do Sul

Em 1955, o piloto Harry Wigley criou um sistema de descolagem e aterragem sobre asfalto ou neve. Desde então, a sua empresa revela, a partir do ar, alguns dos cenários mais grandiosos da Oceania.
EN FR PT ES