Viti Levu, Fiji

Canibalismo e Cabelo, Velhos Passatempos de Viti Levu, ilhas Fiji


Capacete capilar
O cabelo exuberante de Rockodage Bello, dona de uma espécie de antiquário de Pacific Harbour.
Pronto a comer
Rapazes de um matagali da beira do rio Navua ralam coco fresco.
Sobre a Proa
William, um guia nativo, conduz uma pequena expedição pelo rio Navua, em direcção às terras altas de Namosi.
Samu Sakelago
Rapaz fijiano exibe dotes artesãos.
Poder capilar
Imagem histórica de guerreiros fijianos com as grandes cabeleiras tradicionais deste arquipélago melanésio.
Selva tropical de Namosi
Vegetação cerrada do sopé das Namosi Highlands.
Trio Fijiano
Mosese S. Jnr, Herry Danford e Samu Sakelago posam na sua aldeia.
Parede de Vegetação
Cenário verdejante de uma vertente na margem do rio Navua.
Guerreiros Cabeludos
Foto histórica mostra guerreiros fijianos com fartas cabeleiras.
Coreografia de boas-vindas
Jovem protagoniza uma dança, após a cerimónia kava de recepção dos convidados do clã.
Jangada de bambu
Nativo conduz visitantes ao longo do rio Navua.
Mosese S. Jnr
Um jovem da margem do Navua, com o sonho de jogar raguebi na Nova Zelândia ou na Austrália.
Ao Tapete
Nativos de um clã à margem do rio Navua encerram mais uma dança típica.
Trilho Luxuriante
Nativo percorre uma levada ao longo de um afluente do rio Navua.
Durante 2500 anos, a antropofagia fez parte do quotidiano de Fiji. Nos séculos mais recentes, a prática foi adornada por um fascinante culto capilar. Por sorte, só subsistem vestígios da última moda.

Bula, a expressão nacional fijiana significa simultaneamente “olá” e “bem-vindo” e é normalmente proferida com um sorriso nos lábios.

Em Fiji, todo o contacto começa por ela e passa a amizade pela kava, uma espécie de soro obtido das raízes da planta homónima. Não demorámos muito a experimentá-la.

Chegados à foz do Navua, juntamo-nos a um grupo prestes a subir o rio até às enigmáticas Namosi Highlands. A primeira parte da expedição contempla uma visita a um matagali (aldeia típica), e, como manda a tradição, inclui uma cerimónia de recepção com partilha desta bebida.

Do lado da aldeia, é o chefe Tui quem conduz o protocolo. Em representação dos estrangeiros, está um líder de conveniência escolhido pelo guia local, com a concordância do resto da comitiva. Os dois ficam sentados frente a frente, ladeados pelos outros elementos da sua representação.

A Fastidiosa Cerimónia Fijiana da Kava

Dá-se, então, uma troca interminável de palavras entre Tui e o guia William – seu filho e herdeiro do cargo – de que se  destacam, pela repetição, inúmeros naka, diminutivos do obrigado fijiano, que, na íntegra, se pronúncia vinaka.

Terminado o diálogo, o chefe Tui espreme as raízes de kava para uma tanoa – um grande recipiente esculpido em madeira. A bebida, alcoólica e amarga, é finalmente servida aos participantes e gera reacções distintas que vão da repulsa à indiferença.

Habituados ao desconforto dos forasteiros, os anfitriões dão início a exibições de danças tradicionais meke, primeiro masculinas e guerreiras, depois, graciosas, femininas.

Mulher leva a cabo movimentos de uma dança tradicional fijiana.

Após o almoço, o carismático William retoma a palavra e, descreve o passado longínquo da sua aldeia e a arrepiante vida tribal das Namosi Highlands. 

É sem razões contemporâneas para receio que regressamos ao Navua, com o plano de vencer o caudal para chegar às terras altas da cordilheira. Banal nas imediações do oceano, o rio depressa muda de aparência.

E, quando menos se espera, surge ladeado por “florestas” impenetráveis de glória da manhã, bambu e de vegetação rival que criam cenários sombrios. O nevoeiro adensa-se a partir das margens e retoca o ambiente para as novas narrativas arrepiantes de William.

Rio, Fiji, Viti Levu, Canibalismo e Cabelo

Nativo percorre uma levada ao longo de um afluente do rio Navua

O Longo Passado de Canibalismo das Ilhas de Fiji

Este, aproveita a envolvência enigmática e relembra que o canibalismo fez parte de Viti Levu e de grande parte da melanésia durante mais de 2500 anos e que a mais sofisticada forma de vingança para uma tribo de Fiji – o supra-sumo do insulto às rivais – era, até há menos de um século, naquelas mesmas margens, comer os inimigos.

Poupa a comitiva aos pormenores realmente macabros.

A garganta que acolhe o rio aperta à medida que avançamos para o interior e passamos por longas quedas de água que se precipitam das falésias. Ao mesmo tempo, a floresta adensa-se e agrava o ambiente semi-assustador que pareceu ideal ao realizador de “Anaconda 2: The Black Orchid”, para ali rodar mais um filme de fugir da famosa saga réptil.

Sobrevivemos à expedição. Assim que regressamos a Navua, metemo-nos no carro, guiamos até Pacific Harbour e espreitamos o mercado local, um reduto comercial peculiar, estagnado por aparente falta de facturação e aquém do requinte plástico dos resorts em redor. 

Ali, encontramos o exemplo perfeito de outro hobby histórico fijiano: o cabelo. 

Mosese S. Jnr, Fiji, Viti Levu, Canibalismo e Cabelo

m jovem da margem do Navua, com o sonho de jogar raguebi na Nova Zelândia ou na Austrália.

Canibalismo à Parte. A Obsessão dos Fijianos pelo Seu Cabelo

Rockodage Bello passa o espanador pela sua loja de antiguidades quando lhe perguntamos se a podemos fotografar. De dentro do vestido azul às flores, a senhora parece inchar de vaidade e implora apenas por alguns segundos para se arranjar.

Através de uma porta entreaberta, vemo-la a escovar o cabelo farto vezes sem conta perante um espelho antigo. E, quando pensamos que o embelezamento está terminado, Rockodage traz-nos uma cadeira e relembra, com graça inata, que ninguém está com pressa.

Passam-se mais dois minutos até que, por fim, lá ajeita uma pequena pluméria atrás da orelha e se apresenta, radiante, para a fotografia. 

Capacete capilar

O cabelo exuberante de Rockodage Bello, dona de uma espécie de antiquário de Pacific Harbour.

O peso do seu simbolismo desvaneceu-se com o tempo, mas o cabelo chegou a desempenhar um papel fulcral na sociedade fijiana. O tamanho das cabeleiras marcava a masculinidade do portador mas também a hierarquia social das aldeias.

Era sabido que o cabelo de um homem comum não podia ser maior que o do chefe e a cabeleira das mulheres teria que se manter inferior à dos seus maridos.

Tendo em conta estas convenções, alguns indígenas passavam horas em cabeleireiros locais tratando dos seus enormes capacetes capilares (às vezes com 30 cm) que tingiam com as suas cores e padrões preferidos.

Cabelos históricos, Fiji, Viti Levu, Canibalismo e Cabelo

Foto histórica mostra guerreiros fijianos com fartas cabeleiras

A moda desvaneceu-se. Hoje, apesar de se encontrarem ainda enormes bolas capilares, exemplares tão volumosos como o de Rockodage tornaram-se raros.

Os que subsistem, cumprem, na perfeição, a sua função de impressionar.

Longsheng, China

Huang Luo: a Aldeia Chinesa dos Cabelos mais Longos

Numa região multiétnica coberta de arrozais socalcados, as mulheres de Huang Luo renderam-se a uma mesma obsessão capilar. Deixam crescer os cabelos mais longos do mundo, anos a fio, até um comprimento médio de 170 a 200 cm. Por estranho que pareça, para os manterem belos e lustrosos, usam apenas água e arrôz.

Viti Levu, Fiji

Ilhas à Beira de Ilhas Plantadas

Uma parte substancial de Fiji preserva as expansões agrícolas da era colonial britânica. No norte e ao largo da grande ilha de Viti Levu, também nos deparámos com plantações que há muito só o são de nome.

Viti Levu, Fiji

A Partilha Improvável da ilha Viti Levu

Em pleno Pacífico Sul, uma comunidade numerosa de descendentes de indianos recrutados pelos ex-colonos britânicos e a população indígena melanésia repartem há muito a ilha chefe de Fiji.
Colónia Pellegrini, Argentina

Quando a Carne é Fraca

É conhecido o sabor inconfundível da carne argentina. Mas esta riqueza é mais vulnerável do que se imagina. A ameaça da febre aftosa, em particular, mantém as autoridades e os produtores sobre brasas.
Malekula, Vanuatu

Canibalismo de Carne e Osso

Até ao início do século XX, os comedores de homens ainda se banqueteavam no arquipélago de Vanuatu. Na aldeia de Botko descobrimos porque os colonizadores europeus tanto receavam a ilha de Malekula.
Navala, Fiji

O Urbanismo Tribal de Fiji

Fiji adaptou-se à invasão dos viajantes com hotéis e resorts ocidentalizados. Mas, nas terras altas de Viti Levu, Navala conserva as suas palhotas criteriosamente alinhadas.
Elafonisi, Creta, Grécia
Praia
Chania a Elafonisi, Creta, Grécia

Ida à Praia à Moda de Creta

À descoberta do ocidente cretense, deixamos Chania, percorremos a garganta de Topolia e desfiladeiros menos marcados. Alguns quilómetros depois, chegamos a um recanto mediterrânico de aguarela e de sonho, o da ilha de Elafonisi e sua lagoa.
Caminhada Solitária, Deserto do Namibe, Sossusvlei, Namibia, acácia na base de duna
Parque Nacional
Sossusvlei, Namíbia

O Namibe Sem Saída de Sossusvlei

Quando flui, o rio efémero Tsauchab serpenteia 150km, desde as montanhas de Naukluft. Chegado a Sossusvlei, perde-se num mar de montanhas de areia que disputam o céu. Os nativos e os colonos chamaram-lhe pântano sem retorno. Quem descobre estas paragens inverosímeis da Namíbia, pensa sempre em voltar.
Crocodilos, Queensland Tropical Australia Selvagem
Parques nacionais
Cairns a Cape Tribulation, Austrália

Queensland Tropical: uma Austrália Demasiado Selvagem

Os ciclones e as inundações são só a expressão meteorológica da rudeza tropical de Queensland. Quando não é o tempo, é a fauna mortal da região que mantém os seus habitantes sob alerta.
Templo Nigatsu, Nara, Japão
Kikuno
Nara, Japão

Budismo vs Modernismo: a Face Dupla de Nara

No século VIII d.C. Nara foi a capital nipónica. Durante 74 anos desse período, os imperadores ergueram templos e santuários em honra do Budismo, a religião recém-chegada do outro lado do Mar do Japão. Hoje, só esses mesmos monumentos, a espiritualidade secular e os parques repletos de veados protegem a cidade do inexorável cerco da urbanidade.
Arquitectura & Design
Napier, Nova Zelândia

De volta aos Anos 30 – Calhambeque Tour

Numa cidade reerguida em Art Deco e com atmosfera dos "anos loucos" e seguintes, o meio de locomoção adequado são os elegantes automóveis clássicos dessa era. Em Napier, estão por toda a parte.
Aurora ilumina o vale de Pisang, Nepal.
Aventura
Circuito Anapurna: 3º- Upper Pisang, Nepal

Uma Inesperada Aurora Nevada

Aos primeiros laivos de luz, a visão do manto branco que cobrira a povoação durante a noite deslumbra-nos. Com uma das caminhadas mais duras do Circuito Annapurna pela frente, adiamos a partida tanto quanto possível. Contrariados, deixamos Upper Pisang rumo a Ngawal quando a derradeira neve se desvanecia.
cowboys oceania, Rodeo, El Caballo, Perth, Australia
Cerimónias e Festividades
Perth, Austrália

Cowboys da Oceania

O Texas até fica do outro lado do mundo mas não faltam vaqueiros no país dos coalas e dos cangurus. Rodeos do Outback recriam a versão original e 8 segundos não duram menos no Faroeste australiano.
Penhascos acima do Valley of Desolation, junto a Graaf Reinet, África do Sul
Cidades
Graaf-Reinet, África do Sul

Uma Lança Bóer na África do Sul

Nos primeiros tempos coloniais, os exploradores e colonos holandeses tinham pavor do Karoo, uma região de grande calor, grande frio, grandes inundações e grandes secas. Até que a Companhia Holandesa das Índias Orientais lá fundou Graaf-Reinet. De então para cá, a quarta cidade mais antiga da nação arco-íris prosperou numa encruzilhada fascinante da sua história.
Comida
Mercados

Uma Economia de Mercado

A lei da oferta e da procura dita a sua proliferação. Genéricos ou específicos, cobertos ou a céu aberto, estes espaços dedicados à compra, à venda e à troca são expressões de vida e saúde financeira.
Indígena Coroado
Cultura
Pueblos del Sur, Venezuela

Por uns Trás-os-Montes da Venezuela em Fiesta

Em 1619, as autoridades de Mérida ditaram a povoação do território em redor. Da encomenda, resultaram 19 aldeias remotas que encontramos entregues a comemorações com caretos e pauliteiros locais.
arbitro de combate, luta de galos, filipinas
Desporto
Filipinas

Quando só as Lutas de Galos Despertam as Filipinas

Banidas em grande parte do Primeiro Mundo, as lutas de galos prosperam nas Filipinas onde movem milhões de pessoas e de Pesos. Apesar dos seus eternos problemas é o sabong que mais estimula a nação.
Erika Mae
Em Viagem
Filipinas

Os Donos da Estrada Filipina

Com o fim da 2ª Guerra Mundial, os filipinos transformaram milhares de jipes norte-americanos abandonados e criaram o sistema de transporte nacional. Hoje, os exuberantes jeepneys estão para as curvas.
Promessa?
Étnico
Goa, Índia

Para Goa, Rapidamente e em Força

Uma súbita ânsia por herança tropical indo-portuguesa faz-nos viajar em vários transportes mas quase sem paragens, de Lisboa à famosa praia de Anjuna. Só ali, a muito custo, conseguimos descansar.
arco-íris no Grand Canyon, um exemplo de luz fotográfica prodigiosa
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
À boleia do mar
História
Maui, Havai

Divino Havai

Maui é um antigo chefe e herói do imaginário religioso e tradicional havaiano. Na mitologia deste arquipélago, o semi-deus laça o sol, levanta o céu e leva a cabo uma série de outras proezas em favor dos humanos. A ilha sua homónima, que os nativos creem ter criado no Pacífico do Norte, é ela própria prodigiosa.
Moai, Rano Raraku, Ilha Pascoa, Rapa Nui, Chile
Ilhas
Rapa Nui - Ilha da Páscoa, Chile

Sob o Olhar dos Moais

Rapa Nui foi descoberta pelos europeus no dia de Páscoa de 1722. Mas, se o nome cristão ilha da Páscoa faz todo o sentido, a civilização que a colonizou de moais observadores permanece envolta em mistério.
Verificação da correspondência
Inverno Branco
Rovaniemi, Finlândia

Da Lapónia Finlandesa ao Árctico, Visita à Terra do Pai Natal

Fartos de esperar pela descida do velhote de barbas pela chaminé, invertemos a história. Aproveitamos uma viagem à Lapónia Finlandesa e passamos pelo seu furtivo lar.
De visita
Literatura

Rússia

O Escritor que Não Resistiu ao Próprio Enredo

Alexander Pushkin é louvado por muitos como o maior poeta russo e o fundador da literatura russa moderna. Mas Pushkin também ditou um epílogo quase tragicómico da sua prolífica vida.

Twelve Apostles, Great Ocean Road, Victoria, Austrália
Natureza
Great Ocean Road, Austrália

Oceano Fora, pelo Grande Sul Australiano

Uma das evasões preferidas dos habitantes do estado australiano de Victoria, a via B100 desvenda um litoral sublime que o oceano moldou. Bastaram-nos uns quilómetros para percebermos porque foi baptizada de The Great Ocean Road.
Aposentos dourados
Outono

Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.

lagoas e fumarolas, vulcoes, PN tongariro, nova zelandia
Parques Naturais
Tongariro, Nova Zelândia

Os Vulcões de Todas as Discórdias

No final do século XIX, um chefe indígena cedeu os vulcões do PN Tongariro à coroa britânica. Hoje, parte significativa do povo maori reclama aos colonos europeus as suas montanhas de fogo.
Maksim, povo Sami, Inari, Finlandia-2
Património Mundial UNESCO
Inari, Finlândia

Os Guardiães da Europa Boreal

Há muito discriminado pelos colonos escandinavos, finlandeses e russos, o povo Sami recupera a sua autonomia e orgulha-se da sua nacionalidade.
Era Susi rebocado por cão, Oulanka, Finlandia
Personagens
PN Oulanka, Finlândia

Um Lobo Pouco Solitário

Jukka “Era-Susi” Nordman criou uma das maiores matilhas de cães de trenó do mundo. Tornou-se numa das personagens mais emblemáticas da Finlândia mas continua fiel ao seu cognome: Wilderness Wolf.
Mme Moline popinée
Praias

Lifou, Ilhas Lealdade

A Maior das Lealdades

Lifou é a ilha do meio das três que formam o arquipélago semi-francófono ao largo da Nova Caledónia. Dentro de algum tempo, os nativos kanak decidirão se querem o seu paraíso independente da longínqua metrópole.

Hinduismo Balinês, Lombok, Indonésia, templo Batu Bolong, vulcão Agung em fundo
Religião
Lombok, Indonésia

Lombok: Hinduísmo Balinês Numa Ilha do Islão

A fundação da Indonésia assentou na crença num Deus único. Este princípio ambíguo sempre gerou polémica entre nacionalistas e islamistas mas, em Lombok, os balineses levam a liberdade de culto a peito
Executivos dormem assento metro, sono, dormir, metro, comboio, Toquio, Japao
Sobre carris
Tóquio, Japão

Os Hipno-Passageiros de Tóquio

O Japão é servido por milhões de executivos massacrados com ritmos de trabalho infernais e escassas férias. Cada minuto de tréguas a caminho do emprego ou de casa lhes serve para o seu inemuri, dormitar em público.
Vista para ilha de Fa, Tonga, Última Monarquia da Polinésia
Sociedade
Tongatapu, Tonga

A Última Monarquia da Polinésia

Da Nova Zelândia à Ilha da Páscoa e ao Havai nenhuma outra monarquia resistiu à chegada dos descobridores europeus e da modernidade. Para Tonga, durante várias décadas, o desafio foi resistir à monarquia.
O projeccionista
Vida Quotidiana
Sainte-Luce, Martinica

Um Projeccionista Saudoso

De 1954 a 1983, Gérard Pierre projectou muitos dos filmes famosos que chegavam à Martinica. 30 anos após o fecho da sala em que trabalhava, ainda custava a este nativo nostálgico mudar de bobine.
Perigo de praia
Vida Selvagem

Santa Lucia, África do Sul

Uma África Tão Selvagem Quanto Zulu

Na eminência do litoral de Moçambique, a província de KwaZulu-Natal abriga uma inesperada África do Sul. Praias desertas repletas de dunas, vastos pântanos estuarinos e colinas cobertas de nevoeiro preenchem esta terra selvagem também banhada pelo oceano Índico. Partilham-na os súbditos da sempre orgulhosa nação zulu e uma das faunas mais prolíficas e diversificadas do continente africano.

Napali Coast e Waimea Canyon, Kauai, Rugas do Havai
Voos Panorâmicos
NaPali Coast, Havai

As Rugas Deslumbrantes do Havai

Kauai é a ilha mais verde e chuvosa do arquipélago havaiano. Também é a mais antiga. Enquanto exploramos a sua Napalo Coast por terra, mar e ar, espantamo-nos ao vermos como a passagem dos milénios só a favoreceu.