PN Tortuguero, Costa Rica

A Costa Rica e Alagada de Tortuguero


Nª Srª de Tortuguero
Uma Nª Srª abrigada por uma grande escultura de tartaruga, à saída de La Pavona.
Canal de Palma abaixo
Barco publico transporta passageiros pelo Canal de Palma.
Tortuguero. El Pueblito de
Morador de Tortuguero passa atrás das duas estátuas aviárias da povoação.
Tarde Dourada
Casal sob o alpendre de sua casa, na aldeia de Tortuguero.
Grande Pescaria
Don Emílio e seus filhos regressam de mais uma pescaria na boa do rio Tortuguero, com grandes robalos.
Maternidade Preguiçosa
Mãe preguiça segura uma cria e procura o sol após um longo período de chuva.
Convívio à beira d’água
Amigos convivem numa casa à beira do canal de Tortuguero.
Anhinga Anhinga
PN Tortuguero, Costa Rica
Intersecção no Canal
Capitão Mainor manobra um dos muitos barco que percorrem os canais de Tortuguero.
Iguana zonza
Iguana volta a subir uma árvore após uma queda aparatosa durante o seu sono.
Tortuguero
O sol assenta no horizonte e doura a costa caribenha de Tortuguero, no litoral nordeste da Costa Rica.
O Mar das Caraíbas e as bacias de diversos rios banham o nordeste da nação tica, uma das zonas mais chuvosas e rica em fauna e flora da América Central. Assim baptizado por as tartarugas verdes nidificarem nos seus areais negros, Tortuguero estende-se, daí para o interior, por 312 km2 de deslumbrante selva aquática.

Percorridos 50km de província Limon rural e solarenga, o limiar rodoviário de La Pavona depressa põe os pontos nos is quanto à ilusão de uma qualquer benesse barométrica.

Ainda nos dirigíamos para a protecção do bar-restaurante quando nuvens plúmbeas e inclementes lançam um dilúvio sobre o embarcadero.

Num momento em que as bátegas se aligeiraram, subimos a bordo do barco em que seguiríamos com destino a Tortuguero. À espera de outros passageiros, voltamos a sair em prospecção fotográfica.

Damos connosco encurralados por nova chuvada debaixo de um abrigo tosco de barrotes e tábuas.

Abençoava-o e os recém-chegados à beira-rio um santuário como nunca tínhamos visto, composto de uma tartaruga pernuda esculpida em madeira escura.

E, debaixo da carapaça elevada, uma estatueta verde brilhante, do que nos parecia uma Nossa Senhora a segurar um menino Jesus.

Por fim, com todos a bordo, Carlos Arceyut, o anfitrião do Laguna Lodge dá-nos as boas-vindas, apresenta-nos ao capitão do barco Minor.

Minor zarpa para o Suerte, um afluente do rio Tortuguero, outro de vários rios que fluem da Cordilheira Central na direcção da costa caribenha da Costa Rica e que alagam vastas áreas no seu caminho, como é o caso da de Caño Negro, mais a ocidente.

Passados 20 minutos, como por milagre da inusitada divindade, as nuvens abrem. Durante quase uma hora, sob uma cúpula já só quase azul celeste, ziguezagueamos pelos os meandros do Suerte, até entrarmos num canal amplo apontado à povoação de San Francisco e à Laguna Penitência.

Dobrado o gancho de uma tal de Isla Quatro Esquinas, deixamos um passageiro na povoação de Tortuguero. Voltamos a subir o canal paralelo ao da Laguna da Providência até que, sobre a hora prevista, ancoramos no Laguna Lodge.

Laguna Lodge, entre os Canais de Tortuguero e o Mar das Caraíbas

Lá nos instalamos, entre o derradeiro canal da viagem e o Mar das Caraíbas e, mal saímos para o alpendre do quarto, já nos víamos em convívio com a fauna em redor.

Um grande baque deixa-nos de sobressalto. Ocorre-nos que o deveria ter causado um coco descartado pelo seu coqueiro.

Um olhar mais atento, revela-nos uma grande iguana recém caída do cimo de uma árvore e estatelada no solo humedecido. Acompanhamo-la, incólume, mas algo atordoada, no regresso ao seu sono interrompido nas alturas.

Num cenário e ecossistema único como aquele, não queríamos desperdiçar um minuto que fosse. De acordo, voltamos para o canal, uma vez mais capitaneados por Mainor e guiados por Carlos Arceyut.

A Vida Quase Anfíbia e Arriscada de Tortuguero

Vasculhamos a vegetação das margens em busca de animais quando um trio a bordo de uma canoa “Rosmery”, esforçado a remar contra a corrente, nos chama a atenção. “São o Sr. Emílio e os filhos.” diz-nos Carlos.  “Foram pescar à boca do rio. Vamos ver o que apanharam”

Carlos interpela-los. Instantes depois, os pescadores exibem-nos um enorme robalo e um pargo só algo mais pequeno. “Para eles, pescaria desta é rotina. Conhecem estes canais como ninguém e já passaram por tudo.

Só para terem ideia, uma vez, um dos filhos do Sr. Emílio foi atacado por um crocodilo, até próximo de onde apanharam estes peixes. Sabem como ele se safou? Bateu-lhe com um pau. Não foi por isso que deixaram de lá voltar.”

Emílio e os descendentes não eram os únicos a recusarem intimidar-se pela omnipresença dos vorazes répteis.

Umas centenas de metros para montante, cruzamo-nos com um outro trio, desta feita, a bordo da canoa “Miss Sibella”. Dª Rosana, Axel e Genesis pescavam camarões de rio, que desemaranhavam de ilhas flutuantes de vegetação. Estabelecemos nova abordagem.

Malgrado uma certa timidez inicial, também eles nos lembrar que habitam sobre a água e que se os crocodilos os mantivessem longe dos canais, não poderiam viver. “De qualquer maneira, é para evitar chatices  que eu tenho a canoa entre mim e a margem. Fazemos o que podemos.”

Tortuguero, a Povoação Caricata

O sol já quase assentava sobre a selva para ocidente. Prolongamos a navegação na direcção da povoação Tortuguero. Desembarcamos ao som de cumbia vinda de um bar de rua, àquela hora, com poucos clientes.

Mais que a banda sonora caribenha, é a imposição de um núcleo inusitado de estátuas que nos tira do sério.

Logo em frente ao molhe, para lá da colónia de pneus que amortece a atracagem dos barcos e acima de um parque infantil multicolor, uma arara verde convivia com um tucano. Alguns metros para a esquerda, dois ursos polares sentados sobre um telheiro apreciavam a converseta das aves e o seu reflexo tremelicante na água escura do canal.

A razão de ser das aves era-nos clara. A dos ursos polares, carecia de uma explicação. “Ah! Ficou aí de uma publicidade ou patrocínio de uma marca de gelados.

Acho que até era a Esquimo.” elucida-nos Carlos.

Estátuas à margem, a aldeola de Tortuguero foi gerada por ticos ancestrais, mestizos de afro-caribenhos, indígenas miskitos e de imigrantes de outras paragens bem mais longínquas.

Das Origens de Tortuguero ao Regresso Recompensador ao Laguna Lodge

Desenvolveu-se sobretudo pela necessidade de mão-de-obra das plantações de cacau que, pela sua iminência acabou por suscitar a exportação adicional de carne de tartaruga, também para os E.U.A. e a Europa.

Admiramos como o ocaso dourava o casario de Tortuguero. Extenuados de todo um dia de viagem rodoviária e fluvial, cedemos a trocar a penumbra intrigante do lugarejo pelo abrigo acolhedor, recarregador de energias do Laguna Lodge.

Enquanto jantamos, resistimos a uma tentativa de assalto de uma família de coatis esfomeados.

Deitamo-nos cedo, convencidos de que enfrentaríamos um novo dia solarengo, repleto de novidade e actividade, como o que se encerrava. Enganávamo-nos e não era pouco.

Um Inesperado Dramatismo Meteorológico

A meio da noite, um ribombar que mais parecia o Mar das Caraíbas a passar-nos por cima do quarto faz-nos despertar em sobressalto. Quando espreitarmos pela janela, percebemos que se tratava de uma chuva diluviana, empurrada de norte por rajadas de vento quase ciclónicas.

A época dos furações do Caribe tinha findado havia uns dez dias. Ainda assim, em Dezembro, é comum frentes frias descerem pela América Central e descarregarem a sua humidade e fúria do lado caribenho.

As bátegas sucederam-se toda noite. Prosseguiram pelo dia fora. Agitaram e inflaram o Mar das Caraíbas acinzentado e, ali, mesmo em tempos de bonança, pouco aconselhável a banhos, devido às fortes correntes e à abundância de tubarões-touro.

Passou-se todo outro dia. Não passou a tempestade.

Neste descalabro meteorológico tão natural no pluvioso Tortuguero, o Mar das Caraíbas limitou-se a projectar as suas ondas quase até à floresta de coqueiros.

Já no canal, a água subia a olhos vistos. Invadiu o embarcadouro. Galgou a orla do jardim.

Nesse tempo, por três vezes, Luís Torres, um outro guia ao serviço do lodge, apareceu ao nosso serviço e, para frustração partilhada, viu os seus préstimos por nós adiados.

Assim foi até que, duas alvoradas tenebrosas e tormentosas depois, à terceira, a intempérie deu de si.

Despertamos sem chuva nem vento. Em vez do céu irado a desenrolar-se sobre as nossas cabeças, uma névoa suave massajava o cocuruto verdejante da selva.

Por Fim, de Volta aos Canais do PN Tortuguero

Quando terminamos o pequeno-almoço, Luís Torres está uma vez mais a postos no embarcadouro, acompanhado pelo capitão da lancha, Chito, alcunha que substituiu o seu nome real Braulio.

“Desta vez, é mesmo, Luís, não se preocupe. É, e vai ser já” garantimos-lhe, imbuídos da mesma ansiedade evasiva do guia. Minutos depois, estávamos a navegar o canal.

O território previsto era bem mais amplo que o do dia inaugural. E, no entanto, bastou-nos atravessar para a margem oposta para logo nos maravilharmos.

Após o longo castigo ensopado, como nós, boa parte dos animais ansiavam pelo afago solar. Chito e Luís detectam uma família de macacos-uivadores numa árvore.

Enquanto os admiramos e fotografamos, encontram uma mãe preguiça ainda encharcada a dormitar ao sol, com uma cria de olhos piscos sobre o dorso.

Entusiasmados pelo absoluto revés na sorte que o Tortuguero nos guardava, esforçamo-nos por deixar as criaturas entregues ao seu perene sono.

Apontamos uma vez mais à aldeia das aves-estátuas e, logo, ao gancho do canal. Na extensão da povoação, atingimos a entrada do Parque Nacional homónimo.

Depois de três dias de acesso e de abrigo forçado, por fim, íamos aceder ao âmago selvagem e inundado do Parque Nacional Tortuguero.

Artigo realizado com o apoio de:

JUMBO CAR COSTA RICA

https://en.jumbocar-costarica.com/?utm_source=got2globe

Use o Código JUMBOCARCOSTARICA e tenha 10% de Desconto em qualquer Reserva, até 31-12-2022

LAGUNA LODGE TORTUGUERO

www.lagunatortuguero.com

Miranda, Brasil

Maria dos Jacarés: o Pantanal abriga criaturas assim

Eurides Fátima de Barros nasceu no interior da região de Miranda. Há 38 anos, instalou-se e a um pequeno negócio à beira da BR262 que atravessa o Pantanal e ganhou afinidade com os jacarés que viviam à sua porta. Desgostosa por, em tempos, as criaturas ali serem abatidas, passou a tomar conta delas. Hoje conhecida por Maria dos Jacarés, deu nome de jogador ou treinador de futebol a cada um dos bichos. Também garante que reconhecem os seus chamamentos.
Passo do Lontra, Miranda, Brasil

O Brasil Alagado a um Passo da Lontra

Estamos no limiar oeste do Mato Grosso do Sul mas mato, por estes lados, é outra coisa. Numa extensão de quase 200.000 km2, o Brasil surge parcialmente submerso, por rios, riachos, lagoas e outras águas dispersas em vastas planícies de aluvião. Nem o calor ofegante da estação seca drena a vida e a biodiversidade de lugares e fazendas pantaneiras como a que nos acolheu às margens do rio Miranda.
Parque Nacional Gorongosa, Moçambique, Vida Selvagem, leões
Safari
PN Gorongosa, Moçambique

O Coração Selvagem de Moçambique dá Sinais de Vida

A Gorongosa abrigava um dos mais exuberantes ecossistemas de África mas, de 1980 a 1992, sucumbiu à Guerra Civil travada entre a FRELIMO e a RENAMO. Greg Carr, o inventor milionário do Voice Mail recebeu a mensagem do embaixador moçambicano na ONU a desafiá-lo a apoiar Moçambique. Para bem do país e da humanidade, Carr comprometeu-se a ressuscitar o parque nacional deslumbrante que o governo colonial português lá criara.
Thorong Pedi a High Camp, circuito Annapurna, Nepal, caminhante solitário
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna 12º: Thorong Phedi a High Camp

O Prelúdio da Travessia Suprema

Este trecho do Circuito Annapurna só dista 1km mas, em menos de duas horas, leva dos 4450m aos 4850m e à entrada do grande desfiladeiro. Dormir no High Camp é uma prova de resistência ao Mal de Montanha que nem todos passam.
Luderitz, Namibia
Arquitectura & Design
Lüderitz, Namibia

Wilkommen in Afrika

O chanceler Bismarck sempre desdenhou as possessões ultramarinas. Contra a sua vontade e todas as probabilidades, em plena Corrida a África, o mercador Adolf Lüderitz forçou a Alemanha assumir um recanto inóspito do continente. A cidade homónima prosperou e preserva uma das heranças mais excêntricas do império germânico.
Totems, aldeia de Botko, Malekula,Vanuatu
Aventura
Malekula, Vanuatu

Canibalismo de Carne e Osso

Até ao início do século XX, os comedores de homens ainda se banqueteavam no arquipélago de Vanuatu. Na aldeia de Botko descobrimos porque os colonizadores europeus tanto receavam a ilha de Malekula.
cowboys oceania, Rodeo, El Caballo, Perth, Australia
Cerimónias e Festividades
Perth, Austrália

Cowboys da Oceania

O Texas até fica do outro lado do mundo mas não faltam vaqueiros no país dos coalas e dos cangurus. Rodeos do Outback recriam a versão original e 8 segundos não duram menos no Faroeste australiano.
Templo Nigatsu, Nara, Japão
Cidades
Nara, Japão

Budismo vs Modernismo: a Face Dupla de Nara

No século VIII d.C. Nara foi a capital nipónica. Durante 74 anos desse período, os imperadores ergueram templos e santuários em honra do Budismo, a religião recém-chegada do outro lado do Mar do Japão. Hoje, só esses mesmos monumentos, a espiritualidade secular e os parques repletos de veados protegem a cidade do inexorável cerco da urbanidade.
mercado peixe Tsukiji, toquio, japao
Comida
Tóquio, Japão

O Mercado de Peixe que Perdeu a Frescura

Num ano, cada japonês come mais que o seu peso em peixe e marisco. Desde 1935, que uma parte considerável era processada e vendida no maior mercado piscícola do mundo. Tsukiji foi encerrado em Outubro de 2018, e substituído pelo de Toyosu.
Maiko durante espectaculo cultural em Nara, Geisha, Nara, Japao
Cultura
Quioto, Japão

Sobrevivência: A Última Arte Gueixa

Já foram quase 100 mil mas os tempos mudaram e as gueixas estão em vias de extinção. Hoje, as poucas que restam vêem-se forçadas a ceder a modernidade menos subtil e elegante do Japão.
Corrida de Renas , Kings Cup, Inari, Finlândia
Desporto
Inari, Finlândia

A Corrida Mais Louca do Topo do Mundo

Há séculos que os lapões da Finlândia competem a reboque das suas renas. Na final da Kings Cup - Porokuninkuusajot - , confrontam-se a grande velocidade, bem acima do Círculo Polar Ártico e muito abaixo de zero.
ilha Streymoy, Ilhas Faroe, Tjornuvik, Gigante e Bruxa
Em Viagem
Streymoy, Ilhas Faroé

Streymoy Acima, ao Sabor da Ilha das Correntes

Deixamos a capital Torshavn rumo a norte. Cruzamos de Vestmanna para a costa leste de Streymoy. Até chegarmos ao extremo setentrional de Tjornuvík, deslumbramo-nos vezes sem conta com a excentricidade verdejante da maior ilha faroesa.
Vanuatu, Cruzeiro em Wala
Étnico
Wala, Vanuatu

Cruzeiro à Vista, a Feira Assenta Arraiais

Em grande parte de Vanuatu, os dias de “bons selvagens” da população ficaram para trás. Em tempos incompreendido e negligenciado, o dinheiro ganhou valor. E quando os grandes navios com turistas chegam ao largo de Malekuka, os nativos concentram-se em Wala e em facturar.
tunel de gelo, rota ouro negro, Valdez, Alasca, EUA
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Portfólio Got2Globe

Sensações vs Impressões

História
Militares

Defensores das Suas Pátrias

Mesmo em tempos de paz, detectamos militares por todo o lado. A postos, nas cidades, cumprem missões rotineiras que requerem rigor e paciência.
Autocarro garrido em Apia, Samoa Ocidental
Ilhas
Samoa  

Em Busca do Tempo Perdido

Durante 121 anos, foi a última nação na Terra a mudar de dia. Mas, Samoa percebeu que as suas finanças ficavam para trás e, no fim de 2012, decidiu voltar para oeste da LID - Linha Internacional de Data.
lago ala juumajarvi, parque nacional oulanka, finlandia
Inverno Branco
Kuusamo ao PN Oulanka, Finlândia

Sob o Encanto Gélido do Árctico

Estamos a 66º Norte e às portas da Lapónia. Por estes lados, a paisagem branca é de todos e de ninguém como as árvores cobertas de neve, o frio atroz e a noite sem fim.
Sombra vs Luz
Literatura
Quioto, Japão

O Templo de Quioto que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.
Avestruz, Cabo Boa Esperança, África do Sul
Natureza
Cabo da Boa Esperança - Cape of Good Hope NP, África do Sul

À Beira do Velho Fim do Mundo

Chegamos onde a grande África cedia aos domínios do “Mostrengo” Adamastor e os navegadores portugueses tremiam como varas. Ali, onde a Terra estava, afinal, longe de acabar, a esperança dos marinheiros em dobrar o tenebroso Cabo era desafiada pelas mesmas tormentas que lá continuam a grassar.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Garranos galopam pelo planalto acima de Castro Laboreiro, PN Peneda-Gerês, Portugal
Parques Naturais
Castro Laboreiro, Portugal  

Do Castro de Laboreiro à Raia da Serra Peneda – Gerês

Chegamos à (i) eminência da Galiza, a 1000m de altitude e até mais. Castro Laboreiro e as aldeias em redor impõem-se à monumentalidade granítica das serras e do Planalto da Peneda e de Laboreiro. Como o fazem as suas gentes resilientes que, entregues ora a Brandas ora a Inverneiras, ainda chamam casa a estas paragens deslumbrantes.
Celebração newar, Bhaktapur, Nepal
Património Mundial UNESCO
Bhaktapur, Nepal

As Máscaras Nepalesas da Vida

O povo indígena Newar do Vale de Katmandu atribui grande importância à religiosidade hindu e budista que os une uns aos outros e à Terra. De acordo, abençoa os seus ritos de passagem com danças newar de homens mascarados de divindades. Mesmo se há muito repetidas do nascimento à reencarnação, estas danças ancestrais não iludem a modernidade e começam a ver um fim.
Personagens
Sósias, actores e figurantes

Estrelas do Faz de Conta

Protagonizam eventos ou são empresários de rua. Encarnam personagens incontornáveis, representam classes sociais ou épocas. Mesmo a milhas de Hollywood, sem eles, o Mundo seria mais aborrecido.
Mahé Ilhas das Seychelles, amigos da praia
Praias
Mahé, Seychelles

A Ilha Grande das Pequenas Seychelles

Mahé é maior das ilhas do país mais diminuto de África. Alberga a capital da nação e quase todos os seichelenses. Mas não só. Na sua relativa pequenez, oculta um mundo tropical deslumbrante, feito de selva montanhosa que se funde com o Índico em enseadas de todos os tons de mar.
Casario, cidade alta, Fianarantsoa, Madagascar
Religião
Fianarantsoa, Madagáscar

A Cidade Malgaxe da Boa Educação

Fianarantsoa foi fundada em 1831 por Ranavalona Iª, uma rainha da etnia merina então predominante. Ranavalona Iª foi vista pelos contemporâneos europeus como isolacionista, tirana e cruel. Reputação da monarca à parte, quando lá damos entrada, a sua velha capital do sul subsiste como o centro académico, intelectual e religioso de Madagáscar.
A Toy Train story
Sobre Carris
Siliguri a Darjeeling, Índia

Ainda Circula a Sério o Comboio Himalaia de Brincar

Nem o forte declive de alguns tramos nem a modernidade o detêm. De Siliguri, no sopé tropical da grande cordilheira asiática, a Darjeeling, já com os seus picos cimeiros à vista, o mais famoso dos Toy Trains indianos assegura há 117 anos, dia após dia, um árduo percurso de sonho. De viagem pela zona, subimos a bordo e deixamo-nos encantar.
Tombola, bingo de rua-Campeche, Mexico
Sociedade
Campeche, México

Há 200 Anos a Brincar com a Sorte

No fim do século XVIII, os campechanos renderam-se a um jogo introduzido para esfriar a febre das cartas a dinheiro. Hoje, jogada quase só por abuelitas, a loteria local pouco passa de uma diversão.
Vida Quotidiana
Profissões Árduas

O Pão que o Diabo Amassou

O trabalho é essencial à maior parte das vidas. Mas, certos trabalhos impõem um grau de esforço, monotonia ou perigosidade de que só alguns eleitos estão à altura.
Serengeti, Grande Migração Savana, Tanzania, gnus no rio
Vida Selvagem
PN Serengeti, Tanzânia

A Grande Migração da Savana Sem Fim

Nestas pradarias que o povo Masai diz siringet (correrem para sempre), milhões de gnus e outros herbívoros perseguem as chuvas. Para os predadores, a sua chegada e a da monção são uma mesma salvação.
The Sounds, Fiordland National Park, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Fiordland, Nova Zelândia

Os Fiordes dos Antipodas

Um capricho geológico fez da região de Fiordland a mais crua e imponente da Nova Zelândia. Ano após anos, muitos milhares de visitantes veneram o sub-domínio retalhado entre Te Anau e Milford Sound.
PT EN ES FR DE IT