Boracay, Filipinas

A Praia Filipina de Todos os Sonhos


Conversa ao pôr-do-sol
Banhistas convivem na àgua morna do Mar de Sibuyan, enquanto um paraw desliza mais ao fundo.
Filipinas Tropicais
Paraw colorido navega no mar esmeralda que banha as ilhas de Panay e Boracay.
Para Mais Tarde Recordar
Irmãs asiáticas são fotografadas junto a um enorme castelo de areia, erguido num estilo arquitectónico oriental.
Espera Sem Desespero
Proprietário de um paraw garrido aguarda por passageiros junto ao areal diminuído pela maré cheia da White Beach.
Horizonte de Paraws
Dezenas de barcos tradicionais coloridos navegam no mar de Sibuyan, em frente à White Beach.
Carregamento solidário
Equipa de desportistas transporta uma canoa para dentro de àgua.
Remador estilo White Beach
Um dos líderes das equipas de remadores de canoas, em grande forma e trajado com óbvios cuidados estéticos.
Visão invertida
Passageiros descontraem sob a vela de um paraw, uma embarcação à vela tradicional muito abundante na ilha filipina de Panay.
Meia-Pagaiada
Tripulante ajuda a propulsionar uma canoa a partir do seu posto destacado na popa da embarcação de madeira.
Snorkeling fácil
Banhista explora o mar pouco profundo e cristalino ao largo da White Beach.
Navegação crespuscular
Paraw veleja em frente à bola do sol poente, em mais um fim de tarde tropical e idílico da White Beach.
Leitura balnear
Mulher devora um livro refastelada numa cadeira de praia instalada à beira-mar.
Bangka a postos
Tripulantes de uma bangka aguardam por mais passageiros para zarparem para uma volta em redor de Boracay.
Força de braços
Barco dragão é propulsionado por uma série de remadores motivados pelo convívio e pela excentricidade do exercício.
Para mais tarde recordar (versão nocturna)
Mais jovens visitantes de Boracay são fotografados em frente a um castelo de areia destacado no areal da White Beach.
Foi revelada por mochileiros ocidentais e pela equipa de filmagem de “Assim Nascem os Heróis”. Seguiram-se centenas de resorts e milhares de veraneantes orientais mais alvos que o areal de giz.

Amanheceu faz umas poucas horas. Enquanto caminhamos aquém da floresta limiar de coqueiros, surpreende-nos a visão de dezenas de casais entregues a pacientes sessões fotográficas.

Como o vemos, a maior parte está de lua-de-mel mas, mesmo noutros casos, pouco muda na servidão com que os jovens japoneses, chineses, sul-coreanos e taiwaneses se entregam aos caprichos das parceiras.

Embelezadas em modo estival, estas, assumem pose atrás de pose e aguardam pelos respectivos disparos da câmaras.

Sempre que os visores dos aparelhos reflectem algum defeito, reclamam o renovar do processo. Sem alternativas, os namorados, noivos ou maridos fazem-lhes a vontade com sorrisos nos lábios e piropos elegantes.

Para Mais Tarde Recordar

Irmãs asiáticas são fotografadas junto a um enorme castelo de areia, erguido num estilo arquitectónico oriental.

Há um óbvio paralelismo entre a adulação pelas jovens modelos e a do litoral imaculado que as acolhe.

É com recurso a um outro retoque de cosmética durante a época  das chuvas habagat e a autoconfiança dos elogios passados que White Beach revalida, ano após ano, o título de Princesa das Praias Filipinas.

Filipinas Tropicais

Paraw colorido navega no mar esmeralda que banha as ilhas de Panay e Boracay.

White Beach, Boracay: de Segredo Filipino…

Até aos anos setenta, esta extremidade da ilha de Boracay, situada a 315km a sul da capital Manila, mantinha-se um refúgio visitado apenas por viajantes intrépidos a quem havia sido revelado o grande segredo do Mar Sibuyan.

Em 1970, Robert Aldrich dirigiu Michael Cayne e Henri Fonda num “Assim Nascem os Heróis”, rodado em Boracay.

No filme, Sam Lawson faz de um interprete de japonês que tinha evitado entrar em combate no teatro de guerra do Pacífico da 2ª Guerra Mundial. O seu comandante (Henry Fonda) destaca-o para uma base britânica perdida na selva nas então Novas Hébridas (hoje Vanuatu).

Ali, Lawson não só se vê forçado a combater como conquista o estatuto de herói, após, segundo narra Tosh Hearne – um médico Cockney e soberbo da companhia (Michael Cayne) – ter matado quinze japoneses, possivelmente trinta, por sua conta.

Ao invés do enredo desta longa metragem, Boracay e a bem maior Panay sempre se mantiveram pacíficas. À margem do caos político e bélico da vizinha ilha meridional Mindanao – que então abrigava os grupos islamistas, separatistas e terroristas MNLF (Moro National Liberation Front) e MILF (Moro Islamica Liberation Force). E que hoje, abriga ainda os resistentes BIFF (Bangsamoro Islamic Freedom Fighters).

Um dos visitantes ocidentais mais influentes que se seguiu à equipa de filmagem de “Assim Nascem os Heróis”, um alemão de nome Jens Peter, louvou estas ilhas e em particular a White Beach num dos seus conceituados guias de viagem.

Snorkeling fácil

Banhista explora o mar pouco profundo e cristalino ao largo da White Beach.

A menção honrosa desencadeou um afluxo, a partir de então, quase contínuo de mochileiros curiosos e uma fama sem retorno.

a… Praia Asiática de Todos os Sonhos

Uma década depois, a beleza dos litorais filipinos, em geral, corria mundo. A White Beach destacava-se dos demais. Nos anos 90, já dotada de inúmeros resorts de todos os tipos, surgia com frequência em listas das melhores praias do Mundo elaboradas por publicações conceituadas de viagem.

Sem surpresa, nos países vizinhos –  Japão, Taiwan, China e Coreia do Sul – as agências de turismo passaram a vendê-la em pacotes turísticos como um paraíso barato logo ali ao lado das suas paragens asiáticas.

Até 1980, os únicos sons que se ouviam eram os do mar e de uma ou outra liquidificadora distante em plena produção de batidos.

Hoje, há uma frota de embarcações motorizadas de diferentes tipos ancoradas junto ao areal da White Beach para o que der e vier. Clientes não faltam.

Espera Sem Desespero

Proprietário de um paraw garrido aguarda por passageiros junto ao areal diminuído pela maré cheia da White Beach.

Em intervalos dos seus muitos momentos fotográficos, os casais românticos – como os grupos de turistas asiáticos em geral – esforçam-se por ser o mais destemidos possível.

Aulas de Mergulho que Espelham a Psicologia de Grupo Asiática

Na White Beach, pegou de moda terem aulas de mergulho.

Como acompanhámos da beira do mar sedutor de Sibuyan, a aventura da experiência é contida. Mas, de acordo com a famosa psicologia de grupo que comanda o Extremo Oriente, é para todos. Literalmente.

Como um exército madrugador de ninjas desajeitados, centenas de vultos enfiados em fatos escuros de neoprene percorrem o areal conduzidos por um instrutor. Chegados à projecção no areal de uma grande barcaça, formam um círculo e recebem um briefing exaustivo que memorizam e passam a executar com precisão de autómatos.

Segue-se uma não menos espalhafatosa incursão na água para dar início aos exercícios de submersão. E, por fim, a viagem em direcção a alto mar que desassombra a praia.

Para lá da rebentação insignificante, permanecem ainda atracados dezenas de bangkas (a embarcação típica das filipinas) e de paraws (outros barcos à vela pitorescos) que, mal o vento se insinue, os veraneantes hão-de fretar.

Horizonte de Paraws

Dezenas de barcos tradicionais coloridos navegam no mar de Sibuyan, em frente à White Beach.

Muitos outros forasteiros mantêm-se à sombra da linha de coqueiros, sentados nos bares e restaurantes. Ou entretidos com as bagatelas – óculos de sol, joalharia, relógios, roupa e tours – que um enxame de vendedores sediados no mercado ao ar livre de nome D’Mall lhes tenta impingir.

O empregado de serviço de uma esplanada em que repousamos, oriundo de Manila, respeita a missão e o empenho quase guerrilheiro dos compatriotas mas não se refreia em beliscá-los: “São moros. Em época alta migram para cá de Mindanao, de Jolo e de outras ilhas Sulu, lá mais para baixo. Também são dos vendedores mais chatos que já alguma vez já pisaram as Filipinas. Eu até tenho pena de alguns turistas.”

Para os aliviar deste inevitável stress comercial e do surpreendente cansaço balnear, um regimento de massagistas residentes mantém-se a postos para aplicar a magia das suas mãos nos corpos ainda por bronzear.

Leitura balnear

Mulher devora um livro refastelada numa cadeira de praia instalada à beira-mar.

A Febre dos Dragon Boats da White Beach, Boracay

Por norma, a meio da tarde, o vento e os desportistas filipinos residentes e estrangeiros apoderam-se da praia.

Junto à água, os adeptos do windsurf e do kyte surfing tratam dos últimos preparativos antes de se fazerem ao mar quase alto enquanto que dois pelotões internacionais e multirraciais correm ao longo da praia e ultimam a forma física para uma corrida de barcos dragão a ter lugar nos dias que se seguem.

Remador estilo White Beach

Um dos líderes das equipas de remadores de canoas, em grande forma e trajado com óbvios cuidados estéticos.

Lideram-nos jovens orgulhosos alguns obcecados com as suas imagens, com corpos esculturais, fatos de banho irreverentes, brincos, piercings, óculos escuros, pulseiras, bem como lenços ou bandoletes garridas que condizem com os conjuntos.

Terminado o aquecimento, o grupo regressa ao ponto de partida e divide-se. Cada equipa eleva um dragon boat sobre a cabeça.

Em esforço solidário, vencem o areal alargado pela maré vazia, depositam-nos sobre mar, embarcam e zarpam com pagaiadas vigorosas.

Carregamento solidário

Equipa de desportistas transporta uma canoa para dentro de àgua.

Nas imediações, empregados de um resort fazem o seu próprio exercício diário: carregam centenas de malas de hóspedes asiáticos para a caixa de um camião.

Para os proprietários da bagagem, o breve deleite filipino da White Beach está prestes a terminar.

Conversa ao pôr-do-sol

El Nido, Filipinas

El Nido, Palawan: A Última Fronteira Filipina

Um dos cenários marítimos mais fascinantes do Mundo, a vastidão de ilhéus escarpados de Bacuit esconde recifes de coral garridos, pequenas praias e lagoas idílicas. Para a descobrir, basta uma bangka.
Coron, Busuanga, Filipinas

A Armada Japonesa Secreta mas Pouco

Na 2ª Guerra Mundial, uma frota nipónica falhou em ocultar-se ao largo de Busuanga e foi afundada pelos aviões norte-americanos. Hoje, os seus destroços subaquáticos atraem milhares de mergulhadores.
Filipinas

Os Donos da Estrada Filipina

Com o fim da 2ª Guerra Mundial, os filipinos transformaram milhares de jipes norte-americanos abandonados e criaram o sistema de transporte nacional. Hoje, os exuberantes jeepneys estão para as curvas.
Bacolod, Filipinas

Doces Filipinas

Bacolod é a capital de Negros, a ilha no centro da produção filipina de cana de açúcar. De viagem pelos confins do Extremo-Oriente e entre a história e a contemporaneidade, saboreamos o âmago fascinante da mais Latina das Ásias.
Marinduque, Filipinas

Quando os Romanos Invadem as Filipinas

Nem o Império do Oriente chegou tão longe. Na Semana Santa, milhares de centuriões apoderam-se de Marinduque. Ali, se reencenam os últimos dias de Longinus, um legionário convertido ao Cristianismo.
Bacolod, Filipinas

Um Festival para Rir da Tragédia

Por volta de 1980, o valor do açúcar, uma importante fonte de riqueza da ilha filipina de Negros caia a pique e o ferry “Don Juan” que a servia afundou e tirou a vida a mais de 176 passageiros, grande parte negrenses. A comunidade local resolveu reagir à depressão gerada por estes dramas. Assim surgiu o MassKara, uma festa apostada em recuperar os sorrisos da população.
Camiguin, Filipinas

Uma Ilha de Fogo Rendida à Água

Com mais de vinte cones acima dos 100 metros, a abrupta e luxuriante, Camiguin tem a maior concentração de vulcões que qualquer outra das 7641 ilhas filipinas ou do planeta. Mas, nos últimos tempos, nem o facto de um destes vulcões estar activo tem perturbado a paz da sua vida rural, piscatória e, para gáudio dos forasteiros, fortemente balnear.
Mactan, Cebu, Filipinas

O Atoleiro de Magalhães

Tinham decorrido quase 19 meses de navegação pioneira e atribulada em redor do mundo quando o explorador português cometeu o erro da sua vida. Nas Filipinas, o carrasco Datu Lapu Lapu preserva honras de herói. Em Mactan, uma sua estátua bronzeada com visual de super-herói tribal sobrepõe-se ao mangal da tragédia.
Talisay City, Filipinas

Monumento a um Amor Luso-Filipino

No final do século XIX, Mariano Lacson, um fazendeiro filipino e Maria Braga, uma portuguesa de Macau, apaixonaram-se e casaram. Durante a gravidez do que seria o seu 11º filho, Maria sucumbiu a uma queda. Destroçado, Mariano ergueu uma mansão em sua honra. Em plena 2ª Guerra Mundial, a mansão foi incendiada mas as ruínas elegantes que resistiram eternizam a sua trágica relação.
Hungduan, Filipinas

Filipinas em Estilo Country

Os GI's partiram com o fim da 2ª Guerra Mundial mas a música do interior dos EUA que ouviam ainda anima a Cordillera de Luzon. É de tricycle e ao seu ritmo que visitamos os terraços de arroz de Hungduan.
Vigan, Filipinas

Vigan, a Mais Hispânica das Ásias

Os colonos espanhóis partiram mas as suas mansões estão intactas e as kalesas circulam. Quando Oliver Stone buscava cenários mexicanos para "Nascido a 4 de Julho" encontrou-os nesta ciudad fernandina
Bohol, Filipinas

Umas Filipinas do Outro Mundo

O arquipélago filipino estende-se por 300.000 km² de oceano Pacífico. Parte do sub-arquipélago Visayas, Bohol abriga pequenos primatas com aspecto alienígena e as colinas extraterrenas de Chocolate Hills.
Marinduque, Filipinas

A Paixão Filipina de Cristo

Nenhuma nação em redor é católica mas muitos filipinos não se deixam intimidar. Na Semana Santa, entregam-se à crença herdada dos colonos espanhóis.A auto-flagelação torna-se uma prova sangrenta de fé
Filipinas

Quando só as Lutas de Galos Despertam as Filipinas

Banidas em grande parte do Primeiro Mundo, as lutas de galos prosperam nas Filipinas onde movem milhões de pessoas e de Pesos. Apesar dos seus eternos problemas é o sabong que mais estimula a nação.
Batad, Filipinas

Os Socalcos que Sustentam as Filipinas

Há mais de 2000 anos, inspirado pelo seu deus do arroz, o povo Ifugao esquartejou as encostas de Luzon. O cereal que os indígenas ali cultivam ainda nutre parte significativa do país.
Delta do Okavango, Nem todos os rios Chegam ao Mar, Mokoros
Safari
Delta do Okavango, Botswana

Nem Todos os Rios Chegam ao Mar

Terceiro rio mais longo do sul de África, o Okavango nasce no planalto angolano do Bié e percorre 1600km para sudeste. Perde-se no deserto do Kalahari onde irriga um pantanal deslumbrante repleto de vida selvagem.
Aurora ilumina o vale de Pisang, Nepal.
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 3º- Upper Pisang, Nepal

Uma Inesperada Aurora Nevada

Aos primeiros laivos de luz, a visão do manto branco que cobrira a povoação durante a noite deslumbra-nos. Com uma das caminhadas mais duras do Circuito Annapurna pela frente, adiamos a partida tanto quanto possível. Contrariados, deixamos Upper Pisang rumo a Ngawal quando a derradeira neve se desvanecia.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Arquitectura & Design
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Passageiros, voos panorâmico-Alpes do sul, Nova Zelândia
Aventura
Aoraki Monte Cook, Nova Zelândia

A Conquista Aeronáutica dos Alpes do Sul

Em 1955, o piloto Harry Wigley criou um sistema de descolagem e aterragem sobre asfalto ou neve. Desde então, a sua empresa revela, a partir do ar, alguns dos cenários mais grandiosos da Oceania.
Cortejo Ortodoxo
Cerimónias e Festividades
Suzdal, Rússia

Séculos de Devoção a um Monge Devoto

Eutímio foi um asceta russo do século XIV que se entregou a Deus de corpo e alma. A sua fé inspirou a religiosidade de Suzdal. Os crentes da cidade veneram-no como ao santo em que se tornou.
Coração Budista do Myanmar
Cidades
Yangon, Myanmar

A Grande Capital da Birmânia (Delírios da Junta Militar à Parte)

Em 2005, o governo ditatorial do Myanmar inaugurou uma nova capital bizarra e quase deserta. A vida exótica e cosmopolita mantém-se intacta, em Yangon, a maior e mais fascinante cidade birmanesa.
Comida
Comida do Mundo

Gastronomia Sem Fronteiras nem Preconceitos

Cada povo, suas receitas e iguarias. Em certos casos, as mesmas que deliciam nações inteiras repugnam muitas outras. Para quem viaja pelo mundo, o ingrediente mais importante é uma mente bem aberta.
Mini-snorkeling
Cultura
Ilhas Phi Phi, Tailândia

De regresso à Praia de Danny Boyle

Passaram 15 anos desde a estreia do clássico mochileiro baseado no romance de Alex Garland. O filme popularizou os lugares em que foi rodado. Pouco depois, alguns desapareceram temporária mas literalmente do mapa mas, hoje, a sua fama controversa permanece intacta.
Fogo artifício de 4 de Julho-Seward, Alasca, Estados Unidos
Desporto
Seward, Alasca

O 4 de Julho Mais Longo

A independência dos Estados Unidos é festejada, em Seward, Alasca, de forma modesta. Mesmo assim, o 4 de Julho e a sua celebração parecem não ter fim.
Nova Gales do Sul Austrália, Caminhada na praia
Em Viagem
Batemans Bay a Jervis Bay, Austrália

Nova Gales do Sul, de Baía em Baía

Com Sydney para trás, entregamo-nos à “South Coast” australiana. Ao longo de 150km, na companhia de pelicanos, cangurus e outras peculiares criaturas aussie, deixamo-nos perder num litoral recortado entre praias deslumbrantes e eucaliptais sem fim.
Retorno na mesma moeda
Étnico
Dawki, Índia

Dawki, Dawki, Bangladesh à Vista

Descemos das terras altas e montanhosas de Meghalaya para as planas a sul e abaixo. Ali, o caudal translúcido e verde do Dawki faz de fronteira entre a Índia e o Bangladesh. Sob um calor húmido que há muito não sentíamos, o rio também atrai centenas de indianos e bangladeshianos entregues a uma pitoresca evasão.
Vista para ilha de Fa, Tonga, Última Monarquia da Polinésia
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Portfólio Got2Globe

Sinais Exóticos de Vida

Gravuras, Templo Karnak, Luxor, Egipto
História
Luxor, Egipto

De Luxor a Tebas: viagem ao Antigo Egipto

Tebas foi erguida como a nova capital suprema do Império Egípcio, o assento de Amon, o Deus dos Deuses. A moderna Luxor herdou o Templo de Karnak e a sua sumptuosidade. Entre uma e a outra fluem o Nilo sagrado e milénios de história deslumbrante.
Visitantes nos Jameos del Água, Lanzarote, Canárias, Espanha
Ilhas
Lanzarote, Ilhas Canárias

A César Manrique o que é de César Manrique

Só por si, Lanzarote seria sempre uma Canária à parte mas é quase impossível explorá-la sem descobrir o génio irrequieto e activista de um dos seus filhos pródigos. César Manrique faleceu há quase trinta anos. A obra prolífica que legou resplandece sobre a lava da ilha vulcânica que o viu nascer.
Maksim, povo Sami, Inari, Finlandia-2
Inverno Branco
Inari, Finlândia

Os Guardiães da Europa Boreal

Há muito discriminado pelos colonos escandinavos, finlandeses e russos, o povo Sami recupera a sua autonomia e orgulha-se da sua nacionalidade.
Visitantes da casa de Ernest Hemingway, Key West, Florida, Estados Unidos
Literatura
Key West, Estados Unidos

O Recreio Caribenho de Hemingway

Efusivo como sempre, Ernest Hemingway qualificou Key West como “o melhor lugar em que tinha estado...”. Nos fundos tropicais dos E.U.A. contíguos, encontrou evasão e diversão tresloucada e alcoolizada. E a inspiração para escrever com intensidade a condizer.
Caminhada sobre a orla, vulcão villarrica, Pucon, Chile
Natureza
Vulcão Villarrica, Chile

Ascensão à Cratera do Vulcão Villarrica, Sempre em Actividade

Pucón abusa da confiança da natureza e prospera no sopé da montanha Villarrica.Seguimos este mau exemplo por trilhos gelados e conquistamos a cratera de um dos vulcões mais activos da América do Sul.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Totem, Sitka, Viagem Alasca que já foi da Rússia
Parques Naturais
Sitka, Alasca

Sitka: Viagem por um Alasca que Já foi Russo

Em 1867, o czar Alexandre II teve que vender o Alasca russo aos Estados Unidos. Na pequena cidade de Sitka, encontramos o legado russo mas também os nativos Tlingit que os combateram.
Guardiã, Museu Estaline, Gori, Georgia
Património Mundial UNESCO
Uplistsikhe e Gori, Geórgia

Do Berço da Geórgia à Infância de Estaline

À descoberta do Cáucaso, exploramos Uplistsikhe, uma cidade troglodita antecessora da Geórgia. E a apenas 10km, em Gori, damos com o lugar da infância conturbada de Joseb Jughashvili, que se tornaria o mais famoso e tirano dos líderes soviéticos.
Ooty, Tamil Nadu, cenário de Bollywood, Olhar de galã
Personagens
Ooty, Índia

No Cenário Quase Ideal de Bollywood

O conflito com o Paquistão e a ameaça do terrorismo tornaram as filmagens em Caxemira e Uttar Pradesh um drama. Em Ooty, constatamos como esta antiga estação colonial britânica assumia o protagonismo.
Cruzeiro Princess Yasawa, Maldivas
Praias
Maldivas

Cruzeiro pelas Maldivas, entre Ilhas e Atóis

Trazido de Fiji para navegar nas Maldivas, o Princess Yasawa adaptou-se bem aos novos mares. Por norma, bastam um ou dois dias de itinerário, para a genuinidade e o deleite da vida a bordo virem à tona.
Glamour vs Fé
Religião
Goa, Índia

O Último Estertor da Portugalidade Goesa

A proeminente cidade de Goa já justificava o título de “Roma do Oriente” quando, a meio do século XVI, epidemias de malária e de cólera a votaram ao abandono. A Nova Goa (Pangim) por que foi trocada chegou a sede administrativa da Índia Portuguesa mas viu-se anexada pela União Indiana do pós-independência. Em ambas, o tempo e a negligência são maleitas que agora fazem definhar o legado colonial luso.
Train Fianarantsoa a Manakara, TGV Malgaxe, locomotiva
Sobre Carris
Fianarantsoa-Manakara, Madagáscar

A Bordo do TGV Malgaxe

Partimos de Fianarantsoa às 7a.m. Só às 3 da madrugada seguinte completámos os 170km para Manakara. Os nativos chamam a este comboio quase secular Train Grandes Vibrations. Durante a longa viagem, sentimos, bem fortes, as do coração de Madagáscar.
Amaragem, Vida à Moda Alasca, Talkeetna
Sociedade
Talkeetna, Alasca

A Vida à Moda do Alasca de Talkeetna

Em tempos um mero entreposto mineiro, Talkeetna rejuvenesceu, em 1950, para servir os alpinistas do Monte McKinley. A povoação é, de longe, a mais alternativa e cativante entre Anchorage e Fairbanks.
Vendedores de fruta, Enxame, Moçambique
Vida Quotidiana
Enxame, Moçambique

Área de Serviço à Moda Moçambicana

Repete-se em quase todas as paragens em povoações de Moçambique dignas de aparecer nos mapas. O machimbombo (autocarro) detém-se e é cercado por uma multidão de empresários ansiosos. Os produtos oferecidos podem ser universais como água ou bolachas ou típicos da zona. Nesta região a uns quilómetros de Nampula, as vendas de fruta eram sucediam-se, sempre bastante intensas.
Maria Jacarés, Pantanal Brasil
Vida Selvagem
Miranda, Brasil

Maria dos Jacarés: o Pantanal abriga criaturas assim

Eurides Fátima de Barros nasceu no interior da região de Miranda. Há 38 anos, instalou-se e a um pequeno negócio à beira da BR262 que atravessa o Pantanal e ganhou afinidade com os jacarés que viviam à sua porta. Desgostosa por, em tempos, as criaturas ali serem abatidas, passou a tomar conta delas. Hoje conhecida por Maria dos Jacarés, deu nome de jogador ou treinador de futebol a cada um dos bichos. Também garante que reconhecem os seus chamamentos.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.