Coron, Busuanga, Filipinas

A Armada Japonesa Secreta mas Pouco


Enseada escondida
Uma bangka nas águas cristalinas da enseada que conduz ao lago Kayangan.
Power Gym Coron
Amigos descansam à entrada de um ginásio escuro de Coron.
Flutuação
Visitantes asiáticos flutuam com coletes no lago Kayangan.
Contraluz marinha
Moradores de Coron remam numa pequena embarcação ao largo da cidade.
Coron Island
Duas nativas falam num bar de Coron.
De volta a Coron
Bangkas prestes a deixarem a enseada em que se esconde o lago Kayangan.
Mergulhadores
Mergulhadores preparam-se para explorar as embarcações afundadas da armada nipónica.
Bangkas ancoradas
Várias bangkas esperam o regresso de passageiros do outro lado da falésia, onde se esconde o lago Kayangan.
Flutuação Trajada
Turista coreano bóia na água semi salobra do lago Kayangan.
Convívio no Convés
Pescadores navegam no Mar da China do Sul, ao largo de Busuanga.
Vista Sea Dive
Vista do litoral de Busuanga a partir do hotel Sea Dive.
Mao Suerte
Empregado escreve resultados de um jogo de sorte numa loja de Coron.
Treino de mergulho
Mergulhadores ambientam-se ao largo da ilha Dimakaya.
Palafita ao pôr-do-sol
Palafita e uma lancha nas imediações do hotel Sea Dive, ao largo de Coron
Na 2ª Guerra Mundial, uma frota nipónica falhou em ocultar-se ao largo de Busuanga e foi afundada pelos aviões norte-americanos. Hoje, os seus destroços subaquáticos atraem milhares de mergulhadores.

Pelo menos nos dez dias seguintes, eram nulas as hipóteses de conseguirmos voo.

Vêmo-nos obrigados a ultrapassar a desconfiança e o receio. E a comprar bilhetes para um dos barcos que assegurava a rota El Nido – Busuanga, a principal ilha do arquipélago filipino Calamian.

O sol ainda nasce. Subimos a bordo de uma bangka garrida, de dimensões maiores que as habituais numa bangka.

Para todos os efeitos, tratava-se de uma simples embarcação típica, de madeira, equipada com flutuadores laterais, desadequada a longas travessias e a ondulação. Instalamo-nos a bordo o melhor que podemos e com a companhia de outros passageiros franceses, ingleses e australianos.

Quando a bangka zarpa, submetemo-nos ao destino.

pescadores, coron, busuanga, filipinas

Pescadores navegam no Mar da China do Sul, ao largo de Busuanga.

A Navegação Precária entre El Nido e Coron

A viagem para norte do Mar da China do Sul prossegue. O timoneiro filipino ao leme, trata de que avancemos o mais possível ao longo da costa.

Ainda assim, acabamos por enfrentar ondas que ensopam a embarcação e obrigam os tripulantes a recorrer a uma velha bomba de extracção de água.

Os trajectos por que seguimos sem a protecção de ilhas são, felizmente curtos. Apesar de longa e emocionante, a navegação termina sem incidentes.

Já é de tarde, quando desembarcamos em Coron.

palafita, coron, busuanga, filipinas

Palafita e uma lancha nas imediações do hotel Sea Dive, ao largo de Coron

Sea Dive: check in no Hotel Local dos Mergulhadores

Cumprida uma caminhada curta, damos entrada no Sea Dive, um hotel de quatro andares plantado à beira-mar, humilde mas acolhedor.

Como o nome deixa antever, é conhecido por reunir mergulhadores de todo o mundo, forasteiros ávidos por descobrir sobretudo os destroços de uma armada nipónica que jaz ao largo da ilha vizinha de Coron, entre os dez e os quarenta metros de profundidade.

Pouco depois de nos instalarmos, conhecemos Andy Pownall, o proprietário de uma pequena reserva insular próxima, especialista no tema.

Quando a Força Aérea Americana Afundou uma Frota Nipónica Mal Escondida

Andy apressa-se a desbobinar à história deslumbrante daquele agora museu subaquático: “Em 1944, durante a fase asiática da 2ª Guerra Mundial, os norte-americanos bombardearam uma frota de embarcações nipónicas que se encontrava em Manila.

Afundaram quinze navios e obrigaram os japoneses a esconder os barcos que resistiram fora do que pensavam ser o raio de acção dos bombardeiros. A baía de Coron e as águas em redor de Busuanga foram os ancoradouros escolhidos.  Os aviões de reconhecimento americanos acabaram por descobrir o paradeiro da frota.

bangkas, coron, busuanga, filipinas

Bangkas prestes a deixarem a enseada em que se esconde o lago Kayangan.

Às seis da manhã de 24 de Setembro, depois de descolarem de porta-aviões e voarem 550km (na altura, uma distância recorde para este tipo de ataques) em mais de seis horas, levaram a cabo um ataque devastador que afundou ou danificou outros 24 barcos. Entre as embarcações, encontravam-se jóias da marinha japonesa: o Akitsushima, o Kogyo Maru e o Irako todos com cerca de 150 metros de comprimento; o Olympia Maru; o Lusong e o Tae Maru.”

Parte deles afundaram ao alcance dos mergulhadores e até snorkelers. Assim continuam.

A Omnipresença de Jim no Hotel Sea Dive de Coron

A Jim, o norte-americano expatriado dono do hotel, o abrigo em Busuanga parece ter corrido melhor. Passada a fase de adaptação, garantido o sucesso do seu investimento inicial no Sea Dive, Jim limita-se a colher os lucros garantidos pela febre gerada pela frota afundada.

Em simultâneo, usufrui dos cuidados femininos fáceis que abundam em Coron, como um pouco por todas as Filipinas. Sem muito mais que fazer, pavoneia-se pelo bar e pela sala de refeições exterior do estabelecimento que ergueu quase só em madeira, também ele, se visto do mar contíguo, com a forma de uma embarcação multi-convés.

Jim oferece uma outra sugestão aos mergulhadores estrangeiros que detecta a  planearem as suas aventuras. Logo, desaparece na companhia das jovens do seu séquito de empregadas e acompanhantes nativas.

Deixamos de o ver por algum tempo. Nem que seja porque partimos à descoberta das redondezas de Coron.

bar, coron, busuanga, filipinas

Duas nativas falam num bar de Coron.

À Descoberta da Vizinha de Busuanga e dos Seus Lagos

Sabemos que por ali existem sete lagos, todos cercados por rochedos de calcário. Sabemos ainda que, destes, se destacam o Kayangan e o Barracuda, ambos com acesso através de enseadas com cores marinhas de postais do paraíso.

Começamos por visitar o primeiro. Mal a bangka barulhenta que nos transporta atraca, subimos a uma das vertentes rochosas que isolam o lago do oceano.

bangka, lago kayangan, coron, busuanga, filipinas

Uma bangka nas águas cristalinas da enseada que conduz ao lago Kayangan.

Uma vez do outro lado, descemos outro trilho até às suas margens abruptas.

Quando entramos no Kayangan, somos quase os únicos nadadores naquela espécie de aquário natural. A exclusividade dura menos do que desejávamos.

Várias excursões de coreanos e japoneses invadem o lago e entregam os clientes a uma diversão entre o infantil e o tresloucado, a chapinharem e a boiarem em grupo, sustentados por coletes salva-vidas garridos que aniquilam a magia do estranho cenário tropical.

flutuacao, coron, busuanga, filipinas

Visitantes asiáticos flutuam com coletes no lago Kayangan.

Falta ao Kayangan a característica mais interessante do “irmão” Barracuda: as três camadas sobrepostas de água doce, salobra e salgada.

Mudamos de enseada e verificamos a excentricidade química deste último, na paz líquida que tínhamos sentido por momentos no lago irmão e que reconquistamos com apreço.

Quando a sombra se apodera do Barracuda, regressamos a Coron e ao SeaDive.

bangkas, coron, busuanga, filipinas

Várias bangkas esperam o regresso de passageiros do outro lado da falésia, onde se esconde o lago Kayangan.

Jim reaparece na manhã seguinte. Um batalhão de mergulhadores embarca em várias bangkas pré-alinhadas no retalho de mar de que se eleva o hotel. Sob a supervisão do anfitrião, as operações fluem sem percalços.

Assim que sente as embarcações desaparecer da vista do varandim, Jim regressa à sua vida. Farto da frota nipónica afundada e de tanto mergulho, carrega a sua própria lancha com mobiliário e utensílios de praia, comida, cerveja e outros géneros.

Já ao leme, despede-se com trejeitos de político sem escrúpulos dos funcionários e dos hóspedes curiosos. Logo, zarpa com um grupo de amigos e acompanhantes filipinas, rumo ao seu piquenique num recanto balnear qualquer de Busuanga.

A Excentricidade Bélica do Mergulho em Coron

Todos os embarcados regressam ao fim do dia. Vêmo-los trocarem narrativas entusiasmadas das suas peripécias, regadas por cervejas San Miguel geladas.

mergulho, coron, busuanga, filipinas

Mergulhadores preparam-se para explorar as embarcações afundadas da armada nipónica.

Os proeminentes franceses, discípulos de Jacques Costeau, adeptos incondicionais destas odisseias exóticas lideram o debate: “A determinada altura, percebemos mesmo que era mesmo o Kogyo Maru.” afiança um deles. “Havia coral por todos os lados. Os mastros estavam cobertos de coral-alface em que se escondiam pequenas colónias de peixes-leão. Descemos ao longo do convés no meio de cardumes ondulantes de peixes-fuzileiro, peixes-morcego, alguns cavalos-marinhos solitários e até tartarugas. O barco estava repleto de vida, foi mais que impressionante! … tudo iluminado por uma luz azul fria estilo extraterrestre que chegava da superfície.”

As embarcações japonesas ali afundadas são mais longas que a profundidade a que jazem. Proporcionam mergulhos sem grandes dificuldades técnicas, ainda assim, arriscados devido às armadilhas labirínticas que as estruturas complexas e agora camufladas pelas algas e corais suscitam.

São inúmeras as possibilidade da suas exploração. Era esse o motivo porque as expedições de muitos dos mergulhadores no Sea Dive duravam vários dias.

treino mergulho, coron, busuanga, filipinas

Mergulhadores ambientam-se ao largo da ilha Dimakaya.

Jim regressa à sua base hoteleira com espalhafato comparável ao da partida. Deixa o descarregamento da lancha a cargo dos empregados do hotel. Em vez, inteira-se pela enésima vez da situação subaquática do Okikawa Maru, do Tangat, do Akitsushima e companhia.

Na realidade pouco ou nada interessado naquela repetição das experiências alheias, proclama sem qualquer pejo: “muito bem rapazes, estou a ver que continuam com a adrenalina toda.

Vejam mas é se arranjam umas filipinas jeitosas para se acalmarem!”.

Bacolod, Filipinas

Um Festival para Rir da Tragédia

Por volta de 1980, o valor do açúcar, uma importante fonte de riqueza da ilha filipina de Negros caia a pique e o ferry “Don Juan” que a servia afundou e tirou a vida a mais de 176 passageiros, grande parte negrenses. A comunidade local resolveu reagir à depressão gerada por estes dramas. Assim surgiu o MassKara, uma festa apostada em recuperar os sorrisos da população.
Camiguin, Filipinas

Uma Ilha de Fogo Rendida à Água

Com mais de vinte cones acima dos 100 metros, a abrupta e luxuriante, Camiguin tem a maior concentração de vulcões que qualquer outra das 7641 ilhas filipinas ou do planeta. Mas, nos últimos tempos, nem o facto de um destes vulcões estar activo tem perturbado a paz da sua vida rural, piscatória e, para gáudio dos forasteiros, fortemente balnear.
Talisay City, Filipinas

Monumento a um Amor Luso-Filipino

No final do século XIX, Mariano Lacson, um fazendeiro filipino e Maria Braga, uma portuguesa de Macau, apaixonaram-se e casaram. Durante a gravidez do que seria o seu 11º filho, Maria sucumbiu a uma queda. Destroçado, Mariano ergueu uma mansão em sua honra. Em plena 2ª Guerra Mundial, a mansão foi incendiada mas as ruínas elegantes que resistiram eternizam a sua trágica relação.
Militares

Defensores das Suas Pátrias

Mesmo em tempos de paz, detectamos militares por todo o lado. A postos, nas cidades, cumprem missões rotineiras que requerem rigor e paciência.
Viagens de Barco

Para Quem Só Enjoa de Navegar na Net

Embarque e deixe-se levar em viagens de barco imperdíveis como o arquipélago filipino de Bacuit e o mar gelado do Golfo finlandês de Bótnia.
Morro de São Paulo, Brasil

Um Litoral Divinal da Bahia

Há três décadas, não passava de uma vila piscatória remota e humilde. Até que algumas comunidades pós-hippies revelaram o retiro do Morro ao mundo e o promoveram a uma espécie de santuário balnear.
El Nido, Filipinas

El Nido, Palawan: A Última Fronteira Filipina

Um dos cenários marítimos mais fascinantes do Mundo, a vastidão de ilhéus escarpados de Bacuit esconde recifes de coral garridos, pequenas praias e lagoas idílicas. Para a descobrir, basta uma bangka.
Hungduan, Filipinas

Filipinas em Estilo Country

Os GI's partiram com o fim da 2ª Guerra Mundial mas a música do interior dos EUA que ouviam ainda anima a Cordillera de Luzon. É de tricycle e ao seu ritmo que visitamos os terraços de arroz de Hungduan.
Vigan, Filipinas

Vigan, a Mais Hispânica das Ásias

Os colonos espanhóis partiram mas as suas mansões estão intactas e as kalesas circulam. Quando Oliver Stone buscava cenários mexicanos para "Nascido a 4 de Julho" encontrou-os nesta ciudad fernandina
Serengeti, Grande Migração Savana, Tanzania, gnus no rio
Safari
PN Serengeti, Tanzânia

A Grande Migração da Savana Sem Fim

Nestas pradarias que o povo Masai diz siringet (correrem para sempre), milhões de gnus e outros herbívoros perseguem as chuvas. Para os predadores, a sua chegada e a da monção são uma mesma salvação.
Rebanho em Manang, Circuito Annapurna, Nepal
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 8º Manang, Nepal

Manang: a Derradeira Aclimatização em Civilização

Seis dias após a partida de Besisahar chegamos por fim a Manang (3519m). Situada no sopé das montanhas Annapurna III e Gangapurna, Manang é a civilização que mima e prepara os caminhantes para a travessia sempre temida do desfiladeiro de Thorong La (5416 m).
Arquitectura & Design
Fortalezas

O Mundo à Defesa – Castelos e Fortalezas que Resistem

Sob ameaça dos inimigos desde os confins dos tempos, os líderes de povoações e de nações ergueram castelos e fortalezas. Um pouco por todo o lado, monumentos militares como estes continuam a resistir.
Aventura
Vulcões

Montanhas de Fogo

Rupturas mais ou menos proeminentes da crosta terrestre, os vulcões podem revelar-se tão exuberantes quanto caprichosos. Algumas das suas erupções são gentis, outras provam-se aniquiladoras.
Danca dragao, Moon Festival, Chinatown-Sao Francisco-Estados Unidos da America
Cerimónias e Festividades
São Francisco, E.U.A.

Com a Cabeça na Lua

Chega a Setembro e os chineses de todo o mundo celebram as colheitas, a abundância e a união. A enorme sino-comunidade de São Francisco entrega-se de corpo e alma ao maior Festival da Lua californiano.
Tequila, cidade de Jalisco, México, jima
Cidades
Tequila, JaliscoMéxico

Tequila: a Destilação do Oeste Mexicano que Anima o Mundo

Desiludidos com a falta de vinho e de aguardente, os Conquistadores do México aprimoraram a aptidão indígena milenar de produzir álcool. No século XVII, os espanhóis estavam satisfeitos com a sua pinga e começaram a exportá-la. A partir de Tequila, o pueblo, hoje, centro de região demarcada. E nome por que se tornou famosa.
Cacau, Chocolate, Sao Tome Principe, roça Água Izé
Comida
São Tomé e Príncipe

Roças de Cacau, Corallo e a Fábrica de Chocolate

No início do séc. XX, São Tomé e Príncipe geravam mais cacau que qualquer outro território. Graças à dedicação de alguns empreendedores, a produção subsiste e as duas ilhas sabem ao melhor chocolate.
Espectáculo Impressions Lijiang, Yangshuo, China, Entusiasmo Vermelho
Cultura
Lijiang e Yangshuo, China

Uma China Impressionante

Um dos mais conceituados realizadores asiáticos, Zhang Yimou dedicou-se às grandes produções ao ar livre e foi o co-autor das cerimónias mediáticas dos J.O. de Pequim. Mas Yimou também é responsável por “Impressions”, uma série de encenações não menos polémicas com palco em lugares emblemáticos.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Desporto
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
Chiang Khong a Luang prabang, Laos, Pelo Mekong Abaixo
Em Viagem
Chiang Khong - Luang Prabang, Laos

Barco Lento, Rio Mekong Abaixo

A beleza do Laos e o custo mais baixo são boa razões para navegar entre Chiang Khong e Luang Prabang. Mas esta longa descida do rio Mekong pode ser tão desgastante quanto pitoresca.
Étnico
Pentecostes, Vanuatu

Naghol: O Bungee Jumping sem Modernices

Em Pentecostes, no fim da adolescência, os jovens lançam-se de uma torre apenas com lianas atadas aos tornozelos. Cordas elásticas e arneses são pieguices impróprias de uma iniciação à idade adulta.
Portfólio, Got2Globe, melhores imagens, fotografia, imagens, Cleopatra, Dioscorides, Delos, Grécia
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Portfólio Got2Globe

O Terreno e o Celestial

Gravuras, Templo Karnak, Luxor, Egipto
História
Luxor, Egipto

De Luxor a Tebas: viagem ao Antigo Egipto

Tebas foi erguida como a nova capital suprema do Império Egípcio, o assento de Amon, o Deus dos Deuses. A moderna Luxor herdou o Templo de Karnak e a sua sumptuosidade. Entre uma e a outra fluem o Nilo sagrado e milénios de história deslumbrante.
Cruzeiro Princess Yasawa, Maldivas
Ilhas
Maldivas

Cruzeiro pelas Maldivas, entre Ilhas e Atóis

Trazido de Fiji para navegar nas Maldivas, o Princess Yasawa adaptou-se bem aos novos mares. Por norma, bastam um ou dois dias de itinerário, para a genuinidade e o deleite da vida a bordo virem à tona.
Igreja Sta Trindade, Kazbegi, Geórgia, Cáucaso
Inverno Branco
Kazbegi, Geórgia

Deus nas Alturas do Cáucaso

No século XIV, religiosos ortodoxos inspiraram-se numa ermida que um monge havia erguido a 4000 m de altitude e empoleiraram uma igreja entre o cume do Monte Kazbek (5047m) e a povoação no sopé. Cada vez mais visitantes acorrem a estas paragens místicas na iminência da Rússia. Como eles, para lá chegarmos, submetemo-nos aos caprichos da temerária Estrada Militar da Geórgia.
Casal de visita a Mikhaylovskoe, povoação em que o escritor Alexander Pushkin tinha casa
Literatura
São Petersburgo e Mikhaylovskoe, Rússia

O Escritor que Sucumbiu ao Próprio Enredo

Alexander Pushkin é louvado por muitos como o maior poeta russo e o fundador da literatura russa moderna. Mas Pushkin também ditou um epílogo quase tragicómico da sua prolífica vida.
Cavalgada em tons de Dourado
Natureza
El Calafate, Argentina

Os Novos Gaúchos da Patagónia

Em redor de El Calafate, em vez dos habituais pastores a cavalo, cruzamo-nos com gaúchos criadores equestres e com outros que exibem para gáudio dos visitantes, a vida tradicional das pampas douradas.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Vista de La Graciosa de Lanzarote, Canárias, Espanha
Parques Naturais
La Graciosa, Ilhas Canárias

A Mais Graciosa das Ilhas Canárias

Até 2018, a menor das Canárias habitadas não contava para o arquipélago. Desembarcados em La Graciosa, desvendamos o encanto insular da agora oitava ilha.
Delta do Okavango, Nem todos os rios Chegam ao Mar, Mokoros
Património Mundial UNESCO
Delta do Okavango, Botswana

Nem Todos os Rios Chegam ao Mar

Terceiro rio mais longo do sul de África, o Okavango nasce no planalto angolano do Bié e percorre 1600km para sudeste. Perde-se no deserto do Kalahari onde irriga um pantanal deslumbrante repleto de vida selvagem.
Personagens
Sósias, actores e figurantes

Estrelas do Faz de Conta

Protagonizam eventos ou são empresários de rua. Encarnam personagens incontornáveis, representam classes sociais ou épocas. Mesmo a milhas de Hollywood, sem eles, o Mundo seria mais aborrecido.
Natação, Austrália Ocidental, Estilo Aussie, Sol nascente nos olhos
Praias
Busselton, Austrália

2000 metros em Estilo Aussie

Em 1853, Busselton foi dotada de um dos pontões então mais longos do Mundo. Quando a estrutura decaiu, os moradores decidiram dar a volta ao problema. Desde 1996 que o fazem, todos os anos. A nadar.
Cena natalícia, Shillong, Meghalaya, Índia
Religião
Shillong, India

Selfiestão de Natal num Baluarte Cristão da Índia

Chega Dezembro. Com uma população em larga medida cristã, o estado de Meghalaya sincroniza a sua Natividade com a do Ocidente e destoa do sobrelotado subcontinente hindu e muçulmano. Shillong, a capital, resplandece de fé, felicidade, jingle bells e iluminações garridas. Para deslumbre dos veraneantes indianos de outras partes e credos.
Comboio do Fim do Mundo, Terra do Fogo, Argentina
Sobre Carris
Ushuaia, Argentina

Ultima Estação: Fim do Mundo

Até 1947, o Tren del Fin del Mundo fez incontáveis viagens para que os condenados do presídio de Ushuaia cortassem lenha. Hoje, os passageiros são outros mas nenhuma outra composição passa mais a Sul.
Bufalos, ilha do Marajo, Brasil, búfalos da polícia de Soure
Sociedade
Ilha do Marajó, Brasil

A Ilha dos Búfalos

Uma embarcação que transportava búfalos da Índia terá naufragado na foz do rio Amazonas. Hoje, a ilha de Marajó que os acolheu tem uma das maiores manadas do mundo e o Brasil já não passa sem estes bovídeos.
manada, febre aftosa, carne fraca, colonia pellegrini, argentina
Vida Quotidiana
Colónia Pellegrini, Argentina

Quando a Carne é Fraca

É conhecido o sabor inconfundível da carne argentina. Mas esta riqueza é mais vulnerável do que se imagina. A ameaça da febre aftosa, em particular, mantém as autoridades e os produtores sobre brasas.
Jabula Beach, Kwazulu Natal, Africa do Sul
Vida Selvagem
Santa Lucia, África do Sul

Uma África Tão Selvagem Quanto Zulu

Na eminência do litoral de Moçambique, a província de KwaZulu-Natal abriga uma inesperada África do Sul. Praias desertas repletas de dunas, vastos pântanos estuarinos e colinas cobertas de nevoeiro preenchem esta terra selvagem também banhada pelo oceano Índico. Partilham-na os súbditos da sempre orgulhosa nação zulu e uma das faunas mais prolíficas e diversificadas do continente africano.
Napali Coast e Waimea Canyon, Kauai, Rugas do Havai
Voos Panorâmicos
NaPali Coast, Havai

As Rugas Deslumbrantes do Havai

Kauai é a ilha mais verde e chuvosa do arquipélago havaiano. Também é a mais antiga. Enquanto exploramos a sua Napalo Coast por terra, mar e ar, espantamo-nos ao vermos como a passagem dos milénios só a favoreceu.
PT EN ES FR DE IT