Brasília, Brasil

Brasília: da Utopia à Capital e Arena Política do Brasil


Desde os tempos do Marquês de Pombal que se falava da transferência da capital para o interior. Hoje, a cidade quimera continua a parecer surreal mas dita as regras do desenvolvimento brasileiro.

A época seca do Planalto Central costuma ser inclemente com Brasília e a meteorologia cumpria os seus desígnios.

O ar mantinha-se há já alguns dias quente e áspero, quase desprovido de humidade, misturado com uma poeira leve que feria as gargantas mais sensíveis.

“Vamos lá pessoal, com determinação mas respeito…”  alerta ao altifalante um “policial” experiente.

Quando as Manifestações Tomam Conta do Planalto

Nem o calor insuportável do meio da tarde tinha demovido uma mega-manifestação da Polícia Rodoviária Federal de se formar à hora marcada, junto à catedral exuberante da cidade.

Vemos o cortejo estender-se pelas principais avenidas. E demorar-se de propósito na Praça dos Três Poderes, em frente ao edifício do Congresso Nacional, junto ao Palácio do Planalto onde era crucial que as suas reivindicações de um plano de carreira e de mais vagas fossem ouvidas.

Manifestação polícia, Brasilia, Utopia, Brasil

Manifestação da Polícia Rodoviária Nacional passa em frente ao Palácio do Planalto.

Os brasileiros procuram o seu caminho para a Ordem e o Progresso. Ao mesmo tempo, um outro protesto criativo, desta vez dos professores, instalava-se sobre o relvado adjacente ao Congresso Nacional.

A precaver a mais que certa indisponibilidade dos políticos para os receber, os responsáveis tinham colocado dezenas de imagens dos deputados sobre cadeiras. E era àquela plateia inanimada que exigiam um “piso” salarial, exigência proferida por um representante da classe a partir de um púlpito improvisado.

São elevados os custos da interioridade da capital e, em particular, destas expressões da democracia. As despesas com transportes, alimentação, infra-estruturas e outros chegam à ordem dos 2, 3, 4 e até bem mais milhões de Reais.

Ministérios, Brasilia, Utopia, Brasil

Sequência de edifícios de Brasília ao pôr-do-sol.

Apesar de ínfimos se comparados com o que foi gasto na construção de Brasília e com o potencial económico do Brasil, estes números afectam as organizações promotoras que, os divulgam com frequência à imprensa em jeito de queixa adicional.

Os Confins Históricos do Projecto Brasília

Não foi nada que preocupasse em demasia o governo do Marquês de Pombal quando ponderou, pela primeira vez, passar a capital do Império Português para domínios menos explorados da colónia.

À época, as riquezas mais fáceis do Brasil – ouro e diamantes, em vez do imenso petróleo actual – surgiam do litoral para o interior e convinha à Coroa efectivar um domínio o mais abrangente possível do território.

Instalação com favelas, Brasilia, Utopia, Brasil

Uma obra de arte instalada em Brasília, ilustra um tipo básico de habitações que acabou por cercar a capital brasileira

A ideia foi debatida e disputada por várias facções. Com destaque para os Inconfidentes Mineiros. Este grupo de rebeldes conjurava, desde há algum tempo, uma revolta separatista contra a derrama e outras formas de impostos implacáveis que levavam para a metrópole parte (1500 kg de ouro anuais) da riqueza acumulada pela população abastada de Minas Gerais.

Por ironia, o seu lugar de eleição para a capital da nova república chamava-se São João d’El Rei. O plano foi traído por um coronel que, em troca, viu perdoada a dívida que tinha para com a Coroa.

No mesmo ano da Revolução Francesa, os Inconfidentes foram condenados no Rio de Janeiro e aprisionados. Como exemplo preventivo de novas revoltas. Tiradentes, o conjurado de mais baixa posição social, foi enforcado e esquartejado.

A disposição de deslocalizar a capital subsistiu ao longo da história, antes e depois da independência brasileira.

Marinheiros, Brasilia, Utopia, Brasil

Grupo de marinheiros assiste a uma cerimónia militar.

O Lento Arrancar da Capital no Coração do Brasil

Em 1891, essa mudança foi incluída na constituição republicana e, ao mesmo tempo, constituída uma Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil.

Só muito mais tarde, em 1960, a desejada nova capital se tornaria realidade, viabilizada pela determinação política do Presidente Juscelino Kubitschek.

Monumento Juscelino Kubitshek II ,Brasilia, Utopia, Brasil

Moradora atravessa o espaço do Memorial a Juscelino Kubitschek

O urbanista Lúcio Costa e o arquitecto Oscar Niemeyer receberam uma carta quase branca.

Criaram uma cidade de tal maneira inusitada que, quando o astronauta russo Yuri Gagarin a visitou fez questão de declarar: “tenho a impressão de que estou a desembarcar num planeta diferente …”.

É a mesma sensação que temos enquanto caminhamos pelas suas avenidas largas, entre formas criadas como uma visão dos anos 60 do que seria uma cidade de um futuro longínquo.

Uma cidade que acabou por ser a única construída no século XX a conquistar o estatuto de Património Cultural da Humanidade da UNESCO.

Museu da República ,Brasilia, Utopia, Brasil

Transeunte passa em frente ao Museu da República, mais uma obra sui generis de Niemeyer.

À Margem do Urbanismo e Arquitectura, a Vida Humanizada de Brasília

Malgrado o seu aspecto de museu orgânico, Brasília depressa ganhou uma vida contrastante.

O Distrito Federal acolheu migrantes de todas as regiões do Brasil e até do estrangeiro de uma forma bem menos harmoniosa que o que era esperada.

Na proximidade do Eixo Monumental, das diferentes “asas” habitacionais e dos excêntricos sectores funcionais da cidade (diversões, cultura, comércio, hotéis, médico-hospitalar etc.), a população beneficiou dos empregos criados pelo estado e daqueles a estes ligados. Prosperou.

Ministério meio-ambiente, Brasilia, Utopia, Brasil

Funcionário caminha junto ao edifício dos Ministérios do Meio-Ambiente e Cultura.

Ao mesmo tempo, os municípios goianos da periferia acolheram milhares de recém-chegados extra que procuravam alternativas à pobreza das zonas que tinham abandonado.

Brasília vai a caminho dos 3 milhões de habitantes. Em termos sociais, é considerada a 4ª cidade mais desequilibrada do Brasil e a até recentemente, a 16ª do mundo.

Os números da criminalidade surgem, como era de esperar, a condizer.

Instalação com favelas, Brasilia, Utopia, Brasil

Uma obra de arte instalada em Brasília, ilustra um tipo básico de habitações que acabou por cercar a capital brasileira

Pouco ou nada afectam a nata elitista dos políticos que mantêm o seu domicilio luxuoso na capital mas, voam sempre que podem para as grandes metrópoles históricas do litoral – leia-se São Paulo e Rio de Janeiro – onde, política à margem, se continua a desenrolar a “verdadeira” vida brasileira.

Para a classe média e, ainda mais para os pobres, Brasília é a cidade com que há que lidar.

Instalação com favelas, Brasilia, Utopia, Brasil

Uma obra de arte instalada em Brasília, ilustra um tipo básico de habitações que acabou por cercar a capital brasileira

Motorista Seu Zé e a Realidade Então Abastada do Brasil

Taxista a tempo inteiro, seu Zé mostra-se mais apoquentado com a praga de manifestações do que com os “passarinhos” (assim lhes chama), os radares de velocidade que as autoridades esconderam em várias árvores da avenida. Sempre que pode, acelera.

”Esses caras ainda me vão arruinar o fim do dia. Tenho que levar meu filho ao treino a horas, vocês sabem como é o famoso paitrocínio brasileiro…” Como não tem politico na família, a gente tenta se virar com o futebol, né? ”

Tanto a reclamação como a ambição são velhas mas Seu Zé admite: “pelo menos nas notícias internacionais desde há algum tempo que o Brasil só dá show. Vocês sabem … tem uma das economias com crescimento mais rápido do mundo e prevê-se que se torne uma das cinco maiores já nas próximas décadas…”

Escadaria Palácio Itamaraty, Brasilia, Utopia, Brasil

Funcionário dirige-se para a saída do palácio Itamaraty.

O motorista acaba ainda por aceitar que a carrinha hiper-moderna, quase luxuosa em que trabalha se pode considerar um fruto desta nova prosperidade. No entanto, por altura da última revisão deste texto, Abril 2020, o Brasil de Jair Bolsonaro vivia um período de crise social e económica agravada pela pandemia de Covid 19.

Dentro do táxi, perdemos a noção do tempo. Entretanto a multidão de protestantes tinha desmobilizado. Quando menos esperamos, o sol começa a pôr-se. Pinta uma parede celeste laranja que parece fechar a cidade a oeste.

Compõe-se ali mais um dos célebres ocasos exuberantes de Brasília. Segue-se um crepúsculo rival.

Na manhã seguinte, estavam previstas várias novas manifestações e, quem sabe, um ou outro escândalo dos que dão mais sentido aos jornais da nação.

Um dos edifícios do arquitecto Oscar Niemeyer que compõem a Praça dos Três Poderes.

Os deputados e senadores ocuparão os seus lugares na câmara do Congresso Nacional.

Como o faz desde a década de 70, através das suas decisões, para bem e para o mal, Brasília decidiria o futuro do Brasil.

Antena de Brasilia marca o centro de um crepúsculo garrido que toma conta da capital.

Passo do Lontra, Miranda, Brasil

O Brasil Alagado a um Passo da Lontra

Estamos no limiar oeste do Mato Grosso do Sul mas mato, por estes lados, é outra coisa. Numa extensão de quase 200.000 km2, o Brasil surge parcialmente submerso, por rios, riachos, lagoas e outras águas dispersas em vastas planícies de aluvião. Nem o calor ofegante da estação seca drena a vida e a biodiversidade de lugares e fazendas pantaneiras como a que nos acolheu às margens do rio Miranda.
Manaus, Brasil

Os Saltos e Sobressaltos da ex-Capital Mundial da Borracha

De 1879 a 1912, só a bacia do rio Amazonas gerava o latex de que, de um momento para o outro, o mundo precisou e, do nada, Manaus tornou-se uma das cidades mais avançadas à face da Terra. Mas um explorador inglês levou a árvore para o sudeste asiático e arruinou a produção pioneira. Manaus voltou a provar a sua elasticidade. É a maior cidade da Amazónia e a sétima do Brasil.
Curitiba, Brasil

A Vida Elevada de Curitiba

Não é só a altitude de quase 1000 metros a que a cidade se situa. Cosmopolita e multicultural, a capital paranaense tem uma qualidade de vida e rating de desenvolvimento humano que a tornam um caso à parte no Brasil.
Lençois da Bahia, Brasil

A Liberdade Pantanosa do Quilombo do Remanso

Escravos foragidos subsistiram séculos em redor de um pantanal da Chapada Diamantina. Hoje, o quilombo do Remanso é um símbolo da sua união e resistência mas também da exclusão a que foram votados.
Perth, Austrália

A Cidade Solitária

A mais 2000km de uma congénere digna desse nome, Perth é considerada a urbe mais remota à face da Terra. Apesar de isolados entre o Índico e o vasto Outback, são poucos os habitantes que se queixam.
Goiás Velho, Brasil

Um Legado da Febre do Ouro

Dois séculos após o apogeu da prospecção, perdida no tempo e na vastidão do Planalto Central, Goiás estima a sua admirável arquitectura colonial, a riqueza supreendente que ali continua por descobrir.
Singapura

A Ilha do Sucesso e da Monotonia

Habituada a planear e a vencer, Singapura seduz e recruta gente ambiciosa de todo o mundo. Ao mesmo tempo, parece aborrecer de morte alguns dos seus habitantes mais criativos.
Hidroeléctrica Binacional de Itaipu, Brasil

HidroElétrica Binacional do Itaipu: a Febre do Watt

Em 1974, milhares de brasileiros e paraguaios confluíram para a zona de construção da então maior barragem do Mundo. 30 anos após a conclusão, Itaipu gera 90% da energia paraguaia e 20% da do Brasil.
Telhados cinza, Lijiang, Yunnan, China
UNESCO
Lijiang, China

Uma Cidade Cinzenta mas Pouco

Visto ao longe, o seu casario vasto é lúgubre mas as calçadas e canais seculares de Lijiang revelam-se mais folclóricos que nunca. Em tempos, esta cidade resplandeceu como a capital grandiosa do povo Naxi. Hoje, tomam-na de assalto enchentes de visitantes chineses que disputam o quase parque temático em que se tornou.
Arquitectura & Design
Cemitérios

A Última Morada

Dos sepulcros grandiosos de Novodevichy, em Moscovo, às ossadas maias encaixotadas de Pomuch, na província mexicana de Campeche, cada povo ostenta a sua forma de vida. Até na morte.
Aventura
Vulcões

Montanhas de Fogo

Rupturas mais ou menos proeminentes da crosta terrestre, os vulcões podem revelar-se tão exuberantes quanto caprichosos. Algumas das suas erupções são gentis, outras provam-se aniquiladoras.
Desfile de nativos-mericanos, Pow Pow, Albuquerque, Novo México, Estados Unidos
Cerimónias e Festividades
Albuquerque, E.U.A.

Soam os Tambores, Resistem os Índios

Com mais de 500 tribos presentes, o pow wow "Gathering of the Nations" celebra o que de sagrado subsiste das culturas nativo-americanas. Mas também revela os danos infligidos pela civilização colonizadora.
Anoitecer no Parque Itzamna, Izamal, México
Cidades
Izamal, México

A Cidade Mexicana, Santa, Bela e Amarela

Até à chegada dos conquistadores espanhóis, Izamal era um polo de adoração do deus Maia supremo Itzamná e Kinich Kakmó, o do sol. Aos poucos, os invasores arrasaram as várias pirâmides dos nativos. No seu lugar, ergueram um grande convento franciscano e um prolífico casario colonial, com o mesmo tom solar em que a cidade hoje católica resplandece.
Comida
Comida do Mundo

Gastronomia Sem Fronteiras nem Preconceitos

Cada povo, suas receitas e iguarias. Em certos casos, as mesmas que deliciam nações inteiras repugnam muitas outras. Para quem viaja pelo mundo, o ingrediente mais importante é uma mente bem aberta.
Cultura
Lhasa, Tibete

Quando o Budismo se Cansa da Meditação

Nem só com silêncio e retiro espiritual se procura o Nirvana. No Mosteiro de Sera, os jovens monges aperfeiçoam o seu saber budista com acesos confrontos dialécticos e bateres de palmas crepitantes.
Espectador, Melbourne Cricket Ground-Rules footbal, Melbourne, Australia
Desporto
Melbourne, Austrália

O Futebol em que os Australianos Ditam as Regras

Apesar de praticado desde 1841, o Futebol Australiano só conquistou parte da grande ilha. A internacionalização nunca passou do papel, travada pela concorrência do râguebi e do futebol clássico.
Ferry Nek Luong
Em Viagem
Ho Chi-Minh a Angkor, Camboja

O Tortuoso Caminho para Angkor

Do Vietname em diante, as estradas cambojanas desfeitas e os campos de minas remetem-nos para os anos do terror Khmer Vermelho. Sobrevivemos e somos recompensados com a visão do maior templo religioso
Silhuetas Islâmicas
Étnico

Istambul, Turquia

Onde o Oriente encontra o Ocidente, a Turquia Procura um Rumo

Metrópole emblemática e grandiosa, Istambul vive numa encruzilhada. Como a Turquia em geral, dividida entre a laicidade e o islamismo, a tradição e a modernidade, continua sem saber que caminho seguir

luz solar fotografia, sol, luzes
Fotografia
Luz Natural (Parte 2)

Um Sol, tantas Luzes

A maior parte das fotografias em viagem são tiradas com luz solar. A luz solar e a meteorologia formam uma interacção caprichosa. Saiba como a prever, detectar e usar no seu melhor.
Forte Galle, Sri Lanka, Ceilão Lendária Taprobana
História
Galle, Sri Lanka

Nem Além, Nem Aquém da Lendária Taprobana

Camões eternizou o Ceilão como um marco indelével das Descobertas onde Galle foi das primeiras fortalezas que os portugueses controlaram e cederam. Passaram-se cinco séculos e o Ceilão deu lugar ao Sri Lanka. Galle resiste e continua a seduzir exploradores dos quatro cantos da Terra.
PN Timanfaya, Montanhas de Fogo, Lanzarote, Caldera del Corazoncillo
Ilhas
PN Timanfaya, Lanzarote, Canárias

PN Timanfaya e as Montanhas de Fogo de Lanzarote

Entre 1730 e 1736, do nada, dezenas de vulcões de Lanzarote entraram em sucessivas erupções. A quantidade massiva de lava que libertaram soterrou várias povoações e forçou quase metade dos habitantes a emigrar. O legado deste cataclismo é o cenário marciano actual do exuberante PN Timanfaya.
Passageiros sobre a superfície gelada do Golfo de Bótnia, na base do quebra-gelo "Sampo", Finlândia
Inverno Branco
Kemi, Finlândia

Não é Nenhum “Barco do Amor”. Quebra Gelo desde 1961

Construído para manter vias navegáveis sob o Inverno árctico mais extremo, o quebra-gelo Sampo” cumpriu a sua missão entre a Finlândia e a Suécia durante 30 anos. Em 1988, reformou-se e dedicou-se a viagens mais curtas que permitem aos passageiros flutuar num canal recém-aberto do Golfo de Bótnia, dentro de fatos que, mais que especiais, parecem espaciais.
Enseada, Big Sur, Califórnia, Estados Unidos
Literatura
Big Sur, E.U.A.

A Costa de Todos os Refúgios

Ao longo de 150km, o litoral californiano submete-se a uma vastidão de montanha, oceano e nevoeiro. Neste cenário épico, centenas de almas atormentadas seguem os passos de Jack Kerouac e Henri Miller.
São Jorge, Açores, Fajã dos Vimes
Natureza
São Jorge, Açores

De Fajã em Fajã

Abundam, nos Açores, faixas de terra habitável no sopé de grandes falésias. Nenhuma outra ilha tem tantas fajãs como as mais de 70 da esguia e elevada São Jorge. Foi nelas que os jorgenses se instalaram. Nelas assentam as suas atarefadas vidas atlânticas.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
À boleia do mar
Parques Naturais
Maui, Havai

Divino Havai

Maui é um antigo chefe e herói do imaginário religioso e tradicional havaiano. Na mitologia deste arquipélago, o semi-deus laça o sol, levanta o céu e leva a cabo uma série de outras proezas em favor dos humanos. A ilha sua homónima, que os nativos creem ter criado no Pacífico do Norte, é ela própria prodigiosa.
Uma Cidade Perdida e Achada
Património Mundial UNESCO
Machu Picchu, Peru

A Cidade Perdida em Mistério dos Incas

Ao deambularmos por Machu Picchu, encontramos sentido nas explicações mais aceites para a sua fundação e abandono. Mas, sempre que o complexo é encerrado, as ruínas ficam entregues aos seus enigmas.
ora de cima escadote, feiticeiro da nova zelandia, Christchurch, Nova Zelandia
Personagens
Christchurch, Nova Zelândia

O Feiticeiro Amaldiçoado da Nova Zelândia

Apesar da sua notoriedade nos antípodas, Ian Channell, o feiticeiro da Nova Zelândia não conseguiu prever ou evitar vários sismos que assolaram Christchurch. O último obrigou-o a mudar-se para casa da mãe.
Banhista, The Baths, Devil's Bay (The Baths) National Park, Virgin Gorda, Ilhas Virgens Britânicas
Praias
Virgin Gorda, Ilhas Virgens Britânicas

Os “Caribanhos” Divinais de Virgin Gorda

À descoberta das Ilhas Virgens, desembarcamos numa beira-mar tropical e sedutora salpicada de enormes rochedos graníticos. Os The Baths parecem saídos das Seicheles mas são um dos cenários marinhos mais exuberantes das Caraíbas.
A Crucificação em Helsínquia
Religião
Helsínquia, Finlândia

Uma Via Crucis Frígido-Erudita

Chegada a Semana Santa, Helsínquia exibe a sua crença. Apesar do frio de congelar, actores pouco vestidos protagonizam uma re-encenação sofisticada da Via Crucis por ruas repletas de espectadores.
Comboio do Fim do Mundo, Terra do Fogo, Argentina
Sobre carris
Ushuaia, Argentina

Ultima Estação: Fim do Mundo

Até 1947, o Tren del Fin del Mundo fez incontáveis viagens para que os condenados do presídio de Ushuaia cortassem lenha. Hoje, os passageiros são outros mas nenhuma outra composição passa mais a Sul.
Kogi, PN Tayrona, Guardiães do Mundo, Colômbia
Sociedade
PN Tayrona, Colômbia

Quem Protege os Guardiães do Mundo?

Os indígenas da Serra Nevada de Santa Marta acreditam que têm por missão salvar o Cosmos dos “Irmãos mais Novos”, que somos nós. Mas a verdadeira questão parece ser: "Quem os protege a eles?"
Casario, cidade alta, Fianarantsoa, Madagascar
Vida Quotidiana
Fianarantsoa, Madagáscar

A Cidade Malgaxe da Boa Educação

Fianarantsoa foi fundada em 1831 por Ranavalona Iª, uma rainha da etnia merina então predominante. Ranavalona Iª foi vista pelos contemporâneos europeus como isolacionista, tirana e cruel. Reputação da monarca à parte, quando lá damos entrada, a sua velha capital do sul subsiste como o centro académico, intelectual e religioso de Madagáscar.
Parque Nacional Amboseli, Monte Kilimanjaro, colina Normatior
Vida Selvagem
PN Amboseli, Quénia

Uma Dádiva do Kilimanjaro

O primeiro europeu a aventurar-se nestas paragens masai ficou estupefacto com o que encontrou. E ainda hoje grandes manadas de elefantes e de outros herbívoros vagueiam ao sabor do pasto irrigado pela neve da maior montanha africana.
Pleno Dog Mushing
Voos Panorâmicos
Seward, Alasca

O Dog Mushing Estival do Alasca

Estão quase 30º e os glaciares degelam. No Alasca, os empresários têm pouco tempo para enriquecer. Até ao fim de Agosto, o dog mushing não pode parar.