PN Tortuguero, Costa Rica

Tortuguero: da Selva Inundada ao Mar das Caraíbas


De olho na Selva
Guia Luis torres tenta avistar animais nas árvores em redor de um dos canais do PN Tortuguero.
Espanto Símio II
Macaco-aranha observa visitantes humanos do cimo de um coqueiro.
Lagarto Jesus Cristo
Espécime de lagarto basilisco, verde como é usual no "lado caribenho" da Costa Rica, por oposição aos castanhos do "lado do Pacífico".
Manobra
Barco prestes a atracar na margem do canal de Tortuguero mais próximo do Mar das Caraíbas.
Tarde Dourada
Casal sob o alpendre de sua casa, na aldeia de Tortuguero.
Iguana indolente
Iguana sobre uma árvore do Laguna Lodge, Tortuguero.
Convívio à beira d’água
Amigos convivem numa casa à beira do canal de Tortuguero.
Anhinga Anhinga
Anhinga Anhinga atenta ao movimento dos peixes à tona de um dos canais do PN Tortuguero.
Banho arriscado
Um morador banha-se na Lagoa Penitência de Tortuguero.
Navegação de Canal
Barco percorre um canal espelhado do PN Tortuguero.
Espanto Símio
Macaco-uivador espantado com a inesperada proximidade de humanos.
Grande Pescaria
Don Emílio e seus filhos regressam de mais uma pescaria na boa do rio Tortuguero, com grandes robalos.
Caimãozito
Caimão repousa num bercário repleto de seus irmãos no Caño Harold do PN Tortuguero.
Tortuguero
O sol assenta no horizonte e doura a costa caribenha de Tortuguero, no litoral nordeste da Costa Rica.
Após dois dias de impasse devido a chuva torrencial, saímos à descoberta do Parque Nacional Tortuguero. Canal após canal, deslumbramo-nos com a riqueza natural e exuberância deste ecossistema flúviomarinho da Costa Rica.

continuação de  A Costa Rica e Alagada de Tortuguero

Cumprimos a entrada no Parque Nacional Tortuguero pela intersecção fluvial caprichosa estabelecida pela Isla de Cuatro Esquinas.

Como aconteceria em qualquer via rodoviária, a determinada altura, uma placa sinalizadora, neste caso, com letras amarelas sobre um fundo negro, subsumida num recanto repleto de vegetação, indica as possíveis direcções da navegação.

Não que Chito e Luís Torres, nativos, peritos naquelas paragens, alguma vez precisassem de indicações.

Guia, PN Tortuguero, Costa Rica

Guia Luis torres tenta avistar animais nas árvores em redor de um dos canais do PN Tortuguero.

De acordo, o duo segue Caño Água Fria acima. Água Fria porque, assim nos explica Luís, é feito de água de rio que, ao contrário da de outros leitos próximos, chega directa das montanhas com um tom mais escuro. O canal Água Fria flui repleto de nutrientes.

A Frescura da Fauna e Flora do Caño Água Fria

Alimenta a flora viçosa envolvente, habitat da panóplia de criaturas que continuávamos a avistar, sobretudo aves e répteis. Passamos por íbis negros e por anhingas que os locais chamam de pianos, devido à espécie de teclado que as suas asas negras e brancas aparentam formar.

Encontramos iguanas e lagartos basiliscos, também conhecidos de Jesus Cristos, devido à mestria que exibem em caminhar sobre as águas.

PN Tortuguero, Costa Rica

Espécime de lagarto basilisco, verde como é usual no “lado caribenho” da Costa Rica, por oposição aos castanhos do “lado do Pacífico”.

Cruzamo-nos com tucanos, garças azuis e brancas e com famílias de jaçanãs.

Não chegasse a longa lista de nomes que ostenta no Brasil e restante América do Sul, na Costa Rica, as fêmeas desta espécie são tratadas por malas madres.

Entusiasmado pelas peculiaridades de Tortuguero, Luís Torres, esclarece-nos: “é que a progenitora põe os ovos e, assim e sempre que pode, vai passear e deixa as crias ao cuidado do macho. Reparem que até estão dois machos de volta das crias mas o pai é o que as crias não hesitam em seguir.”

Palmeiras excêntricas brotam de verdadeiras paredes de trepadeiras sufocantes, na base das árvores a sério desta floresta tropical feita Pantanal.

Sobre os ramos mais elevados, pica-paus aperfeiçoam perfurações tresloucadas.

Macacos-uivadores disseminam os seus uivos dramáticos pela selva e, desconfiados, acompanham a passagem dos forasteiros embarcados.

Macaco-uivador, PN Tortuguero, Costa Rica

Macaco-uivador espantado com a inesperada proximidade de humanos.

Aqui e ali, o Tortuguero estreita. Obriga Luís a subir à proa e a verificar se a sua profundidade e suavidade de corrente nos permite continuarmos a subir.

Numa dessas verificações, o guia e o capitão decidem que deveríamos dar meia-volta.

Isla de Cuatro Esquinas, o Entroncamento Fulcral dos Caños do PN Tortuguero

Quando nos reaproximamos da Isla de Cuatro Esquinas, cruzamo-nos com um visitante solitário que pagaia sobre um caiaque, contra o fluxo do caudal, ainda assim, à vontade para nos saudar sem retroceder uma dezena de metros.

Outra placa sinalizadora da Isla de Cuatro Esquinas indica-nos a direcção de três caños vizinhos, o de Harold, o Chiquero, o Mora.

Placa de direcções, PN Tortuguero, Costa Rica

Placa escondida pela vegetação, junto à Isla Cuatro Esquinas, indica várias indicações.

Na manhã seguinte, percorreríamos também o de Palma.

Encontramo-lo como um espelho perfeito, de tão escura e imóvel se mantinha a sua água, ladeada por uma selva ainda mais apertada e, a espaços, percorrido pelos barcos públicos que asseguram a ligação entre La Pavona e as principais povoações de Tortuguero.

Embarcação no Caño Palma, PN Tortuguero, Costa Rica

Barco percorre o Caño de Palma, um de vários de Tortuguero.

No tempo que decorrera, na brincadeira, chateámos Luís com o não podermos voltar ao lodge sem fotografarmos as espécies estrela que nos faltavam: um jaguar, uma boa, crocodilos.

Luís, responde com a paciência de muitos anos como guia e humor que nos faz rir a todos. “De certeza que não querem compor melhor essa lista? Bom, vamos procurar uns caimões que, esses sim, temos a obrigação de vos mostrar.”

Percorridas apenas umas centenas de metros sinuosas num dos caños sinalizados, chegamos a uma ramificação sem saída.

Ali, numa densa floresta anfíbia, Luís Torres indica-nos um berçário de caimões, com doze ou treze caimõezinhos emersos, a aquecerem apoiados na folhagem.

Caimão juvenil, PN Tortuguero, Costa Rica

Caimão repousa num bercário repleto de seus irmãos no Caño Harold do PN Tortuguero.

De regresso ao canal principal, Chito detecta uma tartaruga de rio, camuflada contra vegetação de tons condizentes. Não pertencia à espécie marinha que desova em números impressionantes nos areais negros das Caraíbas.

Essas, a seu tempo, haveríamos de as admirar.

Regresso Estratégico ao Laguna Lodge

E, por falar em tempo, estávamos há quatro horas embarcados, à descoberta do Parque Nacional Tortuguero. De acordo, Luís Torres decretou um já premente regresso ao lodge para almoço e merecido descanso.

Em vez do repouso, resolvemos deambular pelas terras ajardinadas e florestadas do Laguna Lodge. O casal de iguanas nosso vizinho, dormitava no cimo da sua árvore.

Iguana em repouso, PN Tortuguero, Costa Rica

Iguana sobre uma árvore do Laguna Lodge, Tortuguero.

Na frente marinha, nem sinal de animais sobre o areal. Acabamos por perseguir, num modo o mais furtivo possível, um bando de araras que debatiam, estridentes, um qualquer tema do dia.

Até que chegam às 2h30 da tarde. A hora do reencontro com Luís e Chito.

E de nova incursão nos canais de Tortuguero.

Navegação pela Laguna Penitência, PN Tortuguero, Costa Rica

Capitão Chito ao leme de um barco, ao largo de São Francisco de Tortuguero.

Uma vez mais, apontamos à Isla de Cuatro Esquinas. Contornamo-la rumo a norte, pela Laguna Penitência acima, bem mais aberta que o canal paralelo em que se situa o Laguna Lodge.

De Passagem por São Francisco

Já com o meandro em gancho oposto ao da Isla Quatro Esquinas à vista, a navegação de Chito desvenda-nos o casario lacustre de San Francisco de Tortuguero, ao som de uma qualquer cúmbia cada vez menos difusa.

Findo o dilúvio, a lagoa quase se apoderara da povoação mas a sua marginal resplandecia de vida.

Sem complexos, uma garça secava as penas ao sol, sobre um telheiro de chapa. Logo ao lado, festivo, um morador banhava-se, nas águas lamacentas em frente a um restaurante bar avarandado.

Luís e Chito não tocam no assunto mas, do que tínhamos apreendido sobre Tortuguero, algo ali não fazia sentido. “Então como é, Luís? Os canais não estão cheios de crocodilos?” perguntamos-lhe.

“Pois, estar, estão mas o que é que querem? Algumas pessoas de cá, às vezes, não têm noção. Dá-me a ideia de que o homem já bebeu mais do que devia.”

Em frente à entrada da Casita del Bosque, a forma do cerro frondoso de Tortuguero impõe-se como nunca.

À Conquista do Cerro Tortuguero…

Ancoramos junto à sua base, na extensão norte do Parque Nacional Tortuguero.

Embrenhamo-nos na floresta densa, elevada e alagada em redor do outeiro, por um caminho que serpenteava entre incontáveis raízes, habitada por mosquitos sedentos de sangue.

Trilho para o cimo do Cerro Tortuguero,PN Tortuguero, Costa Rica

Guia Luís Torres percorre o trilho sombrio de acesso ao cimo do Cerro Tortuguero.

E por rãs venenosas oophaga pumilio, de secção superior vermelha e  pernas azuis, a razão porque ostentam o nome anglófono de blue-jeans frog.

O sendero contorna o monte. O miradouro escondido entre árvores no seu cimo revela-nos uma incrível versão panorâmica de Tortuguero, com as linhas do rio homónimo a ondularem desde a base longínqua da Cordilheira Vulcânica Central e replicadas em diversos canais.

PN Tortuguero, Costa Rica

Barco prestes a atracar na margem do canal de Tortuguero mais próximo do Mar das Caraíbas.

Vemo-nos prendados pela brisa oceânica e pelo bónus de dali podermos admirar a foz do rio Tortuguero, o areal negro fechado por uma pequena floresta de coqueiros e o Mar das Caraíbas.

… e a Boca do Rio Homónimo

Um par de abutres zopilotes esvoaçavam em redor do monte. Com o sol quase a assentar-se a oeste da Cordilheira Vulcânica Central, descemos para a base do monte contrária àquela de que tínhamos ascendido, sobre a Boca do rio, que é como dizer, a sua foz.

Já do lado de lá, apreciamos a azáfama de fim de dia de alguns pescadores intrigados pela atenção que lhes dedicávamos. Quando o escuro se apodera do arrebol, zarpamos de volta ao abrigo do Laguna Lodge.

Tortuguero, Costa Rica

O sol assenta no horizonte e doura a costa caribenha de Tortuguero, no litoral nordeste da Costa Rica.

Era suposto termos uma noite de algum trabalho em computador e, o mais cedo que conseguíssemos, de descanso sagrado.

Uma vez mais, Tortuguero trocou-nos as voltas.

O Berçário virado ao Mar das Caraíbas

Não eram ainda sete horas quando um segurança do lodge nos bate à porta. “O Carlos pediu-me para vos avisar que encontraram tartarugas. Eu levo-vos lá.”

Seguimos-lhe os passos. A luz da sua lanterna ilumina o breu e, às tantas, diversos buracos no areal repletos de pequenos ovos brancos já quebrados pelas tartarugas recém-nascidas.

Observamo-las, desorientadas, devido ao brilho das lanternas, que procuravam em vez do da lua reflectida.

Apesar de alguns desnortes e voltas desnecessárias, a maioria das tartaruguinhas lá chegou à rebentação, venceu o vaivém das vagas e entrou em água mais alta que lhes permitiu nadar.

Uma atrás de outra, vimos dezenas sumirem-se na vastidão marinha do Caribe.

O ciclo de vida da espécie ficou assim renovado. Com ele, o sentido do deslumbrante Tortuguero.

Artigo realizado com o apoio de:

LAGUNA LODGE TORTUGUERO

www.lagunatortuguero.com

PN Tortuguero, Costa Rica

A Costa Rica e Alagada de Tortuguero

O Mar das Caraíbas e as bacias de diversos rios banham o nordeste da nação tica, uma das zonas mais chuvosas e rica em fauna e flora da América Central. Assim baptizado por as tartarugas verdes nidificarem nos seus areais negros, Tortuguero estende-se, daí para o interior, por 312 km2 de deslumbrante selva aquática.
Passo do Lontra, Miranda, Brasil

O Brasil Alagado a um Passo da Lontra

Estamos no limiar oeste do Mato Grosso do Sul mas mato, por estes lados, é outra coisa. Numa extensão de quase 200.000 km2, o Brasil surge parcialmente submerso, por rios, riachos, lagoas e outras águas dispersas em vastas planícies de aluvião. Nem o calor ofegante da estação seca drena a vida e a biodiversidade de lugares e fazendas pantaneiras como a que nos acolheu às margens do rio Miranda.
Esteros del Iberá, Argentina

O Pantanal das Pampas

No mapa mundo, para sul do famoso pantanal brasileiro, surge uma região alagada pouco conhecida mas quase tão vasta e rica em biodiversidade. A expressão guarani Y berá define-a como “águas brilhantes”. O adjectivo ajusta-se a mais que à sua forte luminância.
Maguri Bill, Índia

Um Pantanal nos Confins do Nordeste Indiano

O Maguri Bill ocupa uma área anfíbia nas imediações assamesas do rio Bramaputra. É louvado como um habitat incrível sobretudo de aves. Quando o navegamos em modo de gôndola, deparamo-nos com muito (mas muito) mais vida que apenas a asada.
Gandoca-Manzanillo (Refúgio de Vida Selvagem), Costa Rica

O Refúgio Caribenho de Gandoca-Manzanillo

No fundo do seu litoral sudeste, na iminência do Panamá, a nação “tica” protege um retalho de selva, de pântano e de Mar das Caraíbas. Além de um refúgio de vida selvagem providencial, Gandoca-Manzanillo revela-se um deslumbrante éden tropical.
Montezuma, Costa Rica

De Volta aos Braços Tropicais de Montezuma

Passaram 18 anos desde que nos deslumbrámos com este que é um dos litorais abençoados da Costa Rica. Há apenas dois meses, reencontrámo-lo. Tão aconchegante como o  tínhamos conhecido.
PN Manuel António, Costa Rica

O Pequeno-Grande Parque Nacional da Costa Rica

São bem conhecidas as razões para o menor dos 28 parques nacionais costarriquenhos se ter tornado o mais popular. A fauna e flora do PN Manuel António proliferam num retalho ínfimo e excêntrico de selva. Como se não bastasse, limitam-no quatro das melhores praias ticas.
Cahuita, Costa Rica

Uma Costa Rica de Rastas

Em viagem pela América Central, exploramos um litoral da Costa Rica tão afro quanto das Caraíbas. Em Cahuita, a Pura Vida inspira-se numa fé excêntrica em Jah e numa devoção alucinante pela cannabis.
Fogón de Lola, Costa Rica

O Sabor a Costa Rica de El Fogón de Lola

Como o nome deixa perceber, o Fogón de Lola de Guapiles serve pratos confeccionados ao fogão e ao forno, segundo tradição familiar costarricense. Em particular, a família da Tia Lola.

Sul do Belize

A Estranha Vida ao Sol do Caribe Negro

A caminho da Guatemala, constatamos como a existência proscrita do povo garifuna, descendente de escravos africanos e de índios arawaks, contrasta com a de vários redutos balneares bem mais airosos.

Corn Islands-Ilhas do Milho, Nicarágua

Puro Caribe

Cenários tropicais perfeitos e a vida genuína dos habitantes são os únicos luxos disponíveis nas também chamadas Corn Islands ou Ilhas do Milho, um arquipélago perdido nos confins centro-americanos do Mar das Caraíbas.
Miravalles, Costa Rica

O Vulcão que Miravalles

Com 2023 metros, o Miravalles destaca-se no norte da Costa Rica, bem acima de uma cordilheira de pares que inclui o La Giganta, o Tenório, Espiritu Santo, o Santa Maria, o Rincón de La Vieja e o Orosi. Inactivo no que diz respeito a erupções, alimenta um campo geotermal prolífico que amorna as vidas dos costarriquenhos à sua sombra.
Caño Negro, Costa Rica

Uma Vida à Pesca entre a Vida Selvagem

Uma das zonas húmidas mais importantes da Costa Rica e do Mundo, Caño Negro deslumbra pelo seu ecossistema exuberante. Não só. Remota, isolada por rios, pântanos e estradas sofríveis, os seus habitantes encontraram na pesca um meio embarcado de fortalecerem os laços da sua comunidade.
Monteverde, Costa Rica

O Refúgio Ecológico que os Quakers Legaram ao Mundo

Desiludidos com a propensão militar dos E.U.A., um grupo de 44 Quakers migrou para a Costa Rica, nação que havia abolido o exército. Agricultores, criadores de gado, tornaram-se conservacionistas. Viabilizaram um dos redutos naturais mais reverenciados da América Central.
PN Tortuguero, Costa Rica

Uma Noite no Berçário de Tortuguero

O nome da região de Tortuguero tem uma óbvia e antiga razão. Há muito que as tartarugas do Atlântico e do Mar das Caraíbas se reunem nas praias de areia negro do seu estreito litoral para desovarem. Numa das noites que passamos em Tortuguero assistimos aos seus frenéticos nascimentos.
Cahuita, Costa Rica

Um Regresso Adulto a Cahuita

Durante um périplo mochileiro pela Costa Rica, de 2003, deliciamo-nos com o aconchego caribenho de Cahuita. Em 2021, decorridos 18 anos, voltamos. Além de uma esperada, mas comedida modernização e hispanização do pueblo, pouco mais tinha mudado.
Parque Nacional Gorongosa, Moçambique, Vida Selvagem, leões
Safari
PN Gorongosa, Moçambique

O Coração Selvagem de Moçambique dá Sinais de Vida

A Gorongosa abrigava um dos mais exuberantes ecossistemas de África mas, de 1980 a 1992, sucumbiu à Guerra Civil travada entre a FRELIMO e a RENAMO. Greg Carr, o inventor milionário do Voice Mail recebeu a mensagem do embaixador moçambicano na ONU a desafiá-lo a apoiar Moçambique. Para bem do país e da humanidade, Carr comprometeu-se a ressuscitar o parque nacional deslumbrante que o governo colonial português lá criara.
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 5º - Ngawal a BragaNepal

Rumo a Braga. A Nepalesa.

Passamos nova manhã de meteorologia gloriosa à descoberta de Ngawal. Segue-se um curto trajecto na direcção de Manang, a principal povoação no caminho para o zénite do circuito Annapurna. Ficamo-nos por Braga (Braka). A aldeola não tardaria a provar-se uma das suas mais inolvidáveis escalas.
Arquitectura & Design
Cemitérios

A Última Morada

Dos sepulcros grandiosos de Novodevichy, em Moscovo, às ossadas maias encaixotadas de Pomuch, na província mexicana de Campeche, cada povo ostenta a sua forma de vida. Até na morte.
lagoas e fumarolas, vulcoes, PN tongariro, nova zelandia
Aventura
Tongariro, Nova Zelândia

Os Vulcões de Todas as Discórdias

No final do século XIX, um chefe indígena cedeu os vulcões do PN Tongariro à coroa britânica. Hoje, parte significativa do povo maori reclama aos colonos europeus as suas montanhas de fogo.
Queima de preces, Festival de Ohitaki, templo de fushimi, quioto, japao
Cerimónias e Festividades
Quioto, Japão

Uma Fé Combustível

Durante a celebração xintoísta de Ohitaki são reunidas no templo de Fushimi preces inscritas em tabuínhas pelos fiéis nipónicos. Ali, enquanto é consumida por enormes fogueiras, a sua crença renova-se.
Península Iucatão, Cidade Mérida, México, Cabildo
Cidades
Mérida, México

A Mais Exuberante das Méridas

Em 25 a.C, os romanos fundaram Emerita Augusta, capital da Lusitânia. A expansão espanhola gerou três outras Méridas no mundo. Das quatro, a capital do Iucatão é a mais colorida e animada, resplandecente de herança colonial hispânica e vida multiétnica.
Singapura Capital Asiática Comida, Basmati Bismi
Comida
Singapura

A Capital Asiática da Comida

Eram 4 as etnias condóminas de Singapura, cada qual com a sua tradição culinária. Adicionou-se a influência de milhares de imigrados e expatriados numa ilha com metade da área de Londres. Apurou-se a nação com a maior diversidade gastronómica do Oriente.
Tabatô, Guiné Bissau, Balafons
Cultura
Tabatô, Guiné Bissau

Tabatô: ao Ritmo do Balafom

Durante a nossa visita à tabanca, num ápice, os djidius (músicos poetas)  mandingas organizam-se. Dois dos balafonistas prodigiosos da aldeia assumem a frente, ladeados de crianças que os imitam. Cantoras de megafone em riste, cantam, dançam e tocam ferrinhos. Há um tocador de corá e vários de djambés e tambores. A sua exibição gera-nos sucessivos arrepios.
Desporto
Competições

Homem, uma Espécie Sempre à Prova

Está-nos nos genes. Pelo prazer de participar, por títulos, honra ou dinheiro, as competições dão sentido ao Mundo. Umas são mais excêntricas que outras.
kings canyon, Red centre, coracao, Australia
Em Viagem
Red Centre, Austrália

No Coração Partido da Austrália

O Red Centre abriga alguns dos monumentos naturais incontornáveis da Austrália. Impressiona-nos pela grandiosidade dos cenários mas também a incompatibilidade renovada das suas duas civilizações.
Ilha do Norte, Nova Zelândia, Maori, Tempo de surf
Étnico
Ilha do Norte, Nova Zelândia

Viagem pelo Caminho da Maoridade

A Nova Zelândia é um dos países em que descendentes de colonos e nativos mais se respeitam. Ao explorarmos a sua lha do Norte, inteirámo-nos do amadurecimento interétnico desta nação tão da Commonwealth como maori e polinésia.
arco-íris no Grand Canyon, um exemplo de luz fotográfica prodigiosa
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
Mar Morto, Tona de água, Lugar Mais Baixo Terra, Israel, repouso
História
Mar Morto, Israel

À Tona d’água, nas Profundezas da Terra

É o lugar mais baixo à superfície do planeta e palco de várias narrativas bíblicas. Mas o Mar Morto também é especial pela concentração de sal que inviabiliza a vida mas sustém quem nele se banha.
A inevitável pesca
Ilhas

Florianópolis, Brasil

O Legado Açoriano do Atlântico Sul

Durante o século XVIII, milhares de ilhéus portugueses perseguiram vidas melhores nos confins meridionais do Brasil. Nas povoações que fundaram, abundam os vestígios de afinidade com as origens.

Auroras Boreais, Laponia, Rovaniemi, Finlandia, Raposa de Fogo
Inverno Branco
Lapónia, Finlândia

Em Busca da Raposa de Fogo

São exclusivas dos píncaros da Terra as auroras boreais ou austrais, fenómenos de luz gerados por explosões solares. Os nativos Sami da Lapónia acreditavam tratar-se de uma raposa ardente que espalhava brilhos no céu. Sejam o que forem, nem os quase 30º abaixo de zero que se faziam sentir no extremo norte da Finlândia nos demoveram de as admirar.
Sombra vs Luz
Literatura
Quioto, Japão

O Templo de Quioto que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.
Era Susi rebocado por cão, Oulanka, Finlandia
Natureza
PN Oulanka, Finlândia

Um Lobo Pouco Solitário

Jukka “Era-Susi” Nordman criou uma das maiores matilhas de cães de trenó do mundo. Tornou-se numa das personagens mais emblemáticas da Finlândia mas continua fiel ao seu cognome: Wilderness Wolf.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Recompensa Kukenam
Parques Naturais
Monte Roraima, Venezuela

Viagem No Tempo ao Mundo Perdido do Monte Roraima

Perduram no cimo do Monte Roraima cenários extraterrestres que resistiram a milhões de anos de erosão. Conan Doyle criou, em "O Mundo Perdido", uma ficção inspirada no lugar mas nunca o chegou a pisar.
Torres del Paine, Patagónia Dramática, Chile
Património Mundial UNESCO
PN Torres del Paine, Chile

A Mais Dramática das Patagónias

Em nenhuma outra parte os confins austrais da América do Sul se revelam tão arrebatadores como na cordilheira de Paine. Ali, um castro natural de colossos de granito envolto de lagos e glaciares projecta-se da pampa e submete-se aos caprichos da meteorologia e da luz.
Em quimono de elevador, Osaka, Japão
Personagens
Osaka, Japão

Na Companhia de Mayu

A noite japonesa é um negócio bilionário e multifacetado. Em Osaka, acolhe-nos uma anfitriã de couchsurfing enigmática, algures entre a gueixa e a acompanhante de luxo.
Mahé Ilhas das Seychelles, amigos da praia
Praias
Mahé, Seychelles

A Ilha Grande das Pequenas Seychelles

Mahé é maior das ilhas do país mais diminuto de África. Alberga a capital da nação e quase todos os seichelenses. Mas não só. Na sua relativa pequenez, oculta um mundo tropical deslumbrante, feito de selva montanhosa que se funde com o Índico em enseadas de todos os tons de mar.
Religião
Lhasa, Tibete

Quando o Budismo se Cansa da Meditação

Nem só com silêncio e retiro espiritual se procura o Nirvana. No Mosteiro de Sera, os jovens monges aperfeiçoam o seu saber budista com acesos confrontos dialécticos e bateres de palmas crepitantes.
De volta ao sol. Cable Cars de São Francisco, Vida Altos e baixos
Sobre Carris
São Francisco, E.U.A.

Cable Cars de São Francisco: uma Vida aos Altos e Baixos

Um acidente macabro com uma carroça inspirou a saga dos cable cars de São Francisco. Hoje, estas relíquias funcionam como uma operação de charme da cidade do nevoeiro mas também têm os seus riscos.
San Cristobal de Las Casas, Chiapas, Zapatismo, México, Catedral San Nicolau
Sociedade
San Cristóbal de Las Casas, México

O Lar Doce Lar da Consciência Social Mexicana

Maia, mestiça e hispânica, zapatista e turística, campestre e cosmopolita, San Cristobal não tem mãos a medir. Nela, visitantes mochileiros e activistas políticos mexicanos e expatriados partilham uma mesma demanda ideológica.
Cruzamento movimentado de Tóquio, Japão
Vida Quotidiana
Tóquio, Japão

A Noite Sem Fim da Capital do Sol Nascente

Dizer que Tóquio não dorme é eufemismo. Numa das maiores e mais sofisticadas urbes à face da Terra, o crepúsculo marca apenas o renovar do quotidiano frenético. E são milhões as suas almas que, ou não encontram lugar ao sol, ou fazem mais sentido nos turnos “escuros” e obscuros que se seguem.
Barco e timoneiro, Cayo Los Pájaros, Los Haitises, República Dominicana
Vida Selvagem
Península de Samaná, PN Los Haitises, República Dominicana

Da Península de Samaná aos Haitises Dominicanos

No recanto nordeste da República Dominicana, onde a natureza caribenha ainda triunfa, enfrentamos um Atlântico bem mais vigoroso que o esperado nestas paragens. Lá cavalgamos em regime comunitário até à famosa cascata Limón, cruzamos a baía de Samaná e nos embrenhamos na “terra das montanhas” remota e exuberante que a encerra.
Napali Coast e Waimea Canyon, Kauai, Rugas do Havai
Voos Panorâmicos
NaPali Coast, Havai

As Rugas Deslumbrantes do Havai

Kauai é a ilha mais verde e chuvosa do arquipélago havaiano. Também é a mais antiga. Enquanto exploramos a sua Napalo Coast por terra, mar e ar, espantamo-nos ao vermos como a passagem dos milénios só a favoreceu.