PN Canaima, Venezuela

Kerepakupai, Salto Angel: O Rio Que Cai do Céu


Curiaras sobre o Ocaso
Curiaras usadas pelos indígenas para conduzirem visitantes ao Salto Angel, ancoradas na margem do rio Carrao.
O Xamã da Lagoa
Um xamã indígena, na Lagoa Canaima
Convívio lacustre
Adolescentes convivem na água fresca da lagoa Canaima.
Balnear Lagunar
Crianças divertem-se junto a uma margem da lagoa Canaima.
Mergulho de El Sapo
Indígena mergulha para a lagoa Canaima, na extensão do Salto El Sapo.
Duche natural
Guia regressa de uma passagem encharcada sob a àgua do Salto El Sapo.
Grande Curiara
Curiara ancorada na lagoa Canaima, com água avermelhada devido à concentração de um composto químico natural.
Splaaaashhhhh
Curiara motorizada levanta água do rio Carrao.
Uma meseta ou tepui
Tepuy destacado da selva em redor do rio Carrao.
De pedra em pedra
Criança indígena na lagoa formada na base do Salto Angel.
Para o ar de Porlamar
Avioneta levanta voo do aeródromo de Porlamar, origem de voos frequentes para Canaima.
Viagem de Curiara
Curiaras sobem o rio Carrao lado a lado, a caminho do Salto Angel.
Curiara & Lagoa Canaima
Curiara ancorada sobre a água colorada da Lagoa Canaima.
Salto Uricao
Curiara com passageiros passa em frente ao salto Uricao, um dos que alimenta a lagoa Canaima
Pequenos Pemones
Crianças indígenas junto a uma pequena curiara, numa margem do rio Carrao.
Pancho em curiara, canyon Ahonda
Guia Pancho a bordo de uma canoa junto ao desfiladeiro de Ahonda.
Doca do canyon ahonda
Guia Pancho prende uma curiara à margem.
Salto Angel ou Angel Falls
O véu de água da queda d'água mais longa do mundo, o Salto Angel.
Bonança antes do salto
Água imóvel do rio Carrao, imediatamente antes de cair para a lagoa Canaima.
Em 1937, Jimmy Angel aterrou uma avioneta sobre uma meseta perdida na selva venezuelana. O aventureiro americano não encontrou ouro mas conquistou o baptismo da queda d'água mais longa à face da Terra

O pequeno Cessna parece ter tido melhores dias.

Só ficamos realmente apreensivos quando constatamos o volume e o peso provável do único homem aos comandos. Saturado da sua rotina aérea, o piloto recebe-nos com indiferença. Passa-nos um briefing minimal. Descola de imediato para o céu sobre a floresta tropical de Canaima.

Aeródromo Porlamar, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Avioneta levanta voo do aeródromo de Porlamar, origem de voos frequentes para Canaima.

A atmosfera revela-se nublada, ventosa, repleta de poços de ar. Faz o avião saltar a toda a hora. Nem a turbulência nem o historial de acidentes aéreos naquela área afectam o repouso del comandante que se afunda num enorme jornal venezuelano e retoca a manche com os joelhos.

O voo é panorâmico mas curto. Tão depressa como subimos, regressamos ao solo. Seduzem-nos as vistas privilegiadas daquele estranho domínio sul-americano. Aterramos nas imediações da lagoa Canaima. Ali, são-nos concedidas duas horas por nossa conta.

Banho, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Crianças divertem-se junto a uma margem da lagoa Canaima.

Pela Selva do Parque Nacional Canaima Acima

Malgrado o ambiente luxuriante que a envolve, ao olho mais urbano, a Laguna de Canaima podia ser confundida com o reservatório vasto de uma qualquer ETAR remota.

As suas águas repousam ali, por caprichos do rio que nela se precipita com violência em saltos com nomes excêntricos: o Hacha, o Golondrina e o Ucaima.

Curiara salto Uricao, Salto Angel Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Curiara com passageiros passa em frente ao salto Uricao, um dos que alimenta a lagoa Canaima

Durante quilómetros a fio, o rio Carrao serpenteia entre os vários tepuis (mesetas). Rasga a selva e arrasta terra e húmus que conferem ao caudal um visual ocre. Quando esta água é empurrada para os limites do meandro amplo que se segue, o composto de ácidos fúlvicos e húmicos adensa-se e reage.

O resultado é uma espuma suspeita e uma gradiente de tons que vai do negro nas partes mais profundas a um vermelho-amarelado junto às margens. O cenário prova-se, de facto, químico. Tão químico, quanto natural.

Curiara na lagoa Canaima, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Curiara ancorada sobre a água colorada da Lagoa Canaima.

Não fossem as correntes submersas traiçoeiras provocadas pelas quedas de água, a lagoa poderia ser considerada segura, quase termal.

As duas horas escoam-se. Regressamos ao acampamento base. Juntamo-nos a um grupo multinacional que aguarda instruções dos guias para zarpar Carrao acima.

Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Água imóvel do rio Carrao, imediatamente antes de cair para a lagoa Canaima.

A Caminhada até à Margem das Curiaras

Só que, nesse dia, o tráfico aéreo de acesso ao Parque Nacional Canaima tinha-se complicado. Alguns viajantes estavam atrasados. Os guias mantêm o tempo contado com precisão.

Sabem que correm o risco de ser apanhados no rio depois do pôr-do-sol, e que isso obrigaria o grupo a passar a noite na selva das margens. É sob a pressão dessa desventura que conduzem as operações.

O campo base fica no extremo oeste da lagoa Canaima. As curiaras que nos esperam estão atracadas no porto Ucaima, a montante de saltos do rio Carrao demasiado violentos para os vencerem.

Curiaras, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Curiara ancorada na lagoa Canaima, com água avermelhada devido à concentração de um composto químico natural.

Cumprimos a caminhada em redor da lagoa quase em corrida,  ao ritmo dos líderes nativos que se mostram cada vez mais preocupados.

A determinada altura, reparamos que o frenesim que tomava conta da comitiva contrastava com a paz ilusória do rio, ali, a apenas algumas dezenas metros do abismo.

Chegados os visitantes em falta, embarcamos em três curiaras (canoas resistentes de construção indígena) movidas por motores poderosos. A navegação contra corrente começa tranquila. As águas depressa se agitam.

A Subida Tresloucada dos Rápidos do Rio Carrao

Na iminência dos rápidos Moroco, os guias caem num impasse que preocupa os passageiros. Até que uma ordem de Carlos – o responsável máximo da jornada – nos leva de volta à ação.

Determinados e destemidos, os homens do leme puxam pelos motores. Fazem as embarcações sulcar e galgar os rápidos. A viagem assemelha-se a uma montanha russa fluvial. Tanto subimos as vagas furiosas do Carrao como descemos no rio e as vemos invadir parcialmente as embarcações.

Viagem de Curiara, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Curiaras sobem o rio Carrao lado a lado, a caminho do Salto Angel.

A banda sonora da aventura também é intermitente. Quando os motores soltam a sua força, ouvimos o rugido grave dos pistons. E sempre que o caudal avassalador os condiciona, impõe-se o bradar agudo da água. De quando em quando, ouvem-se ainda gritos de pânico dos passageiros.

Após uma derradeira aceleração, vencemos os rápidos Moroco e Mayupa e entramos num trecho pacificado do Carrao. O resto da viagem até ao Canyon de Ahonda já é feito no escuro.

Depois da Adrenalina, o Descanso Nocturno no Canyon de Ahonda

Assim que desembarcamos no acampamento intermediário, dois companheiros de viagem bascos põem-nos a par dos acontecimentos: “Rapazes, estes gajos são doidos! Como estava a ficar de noite, em vez de sairmos dos barcos e voltarmos a entrar mais à frente, meteram-nos naqueles rápidos furiosos!

Canyon Ahonda, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Guia Pancho a bordo de uma canoa junto ao desfiladeiro de Ahonda.

Lemos num guia que já aconteceram ali várias tragédias. E que, durante a época das chuvas, isso está completamente proibido pelo governo.”

Continuamos a debater a aventura durante o jantar que os anfitriões cozinham à pressa. Em seguida, Carlos embala-nos com as suas teorias geopolíticas e conspirações dos Estados Unidos para dominar a Colômbia e a Venezuela. Mais cedo do que esperamos, os guias e os forasteiros cedem ao cansaço. Adormecem, lado a lado, nas redes que lhes estão reservadas.

Antes de a eles nos juntarmos, ainda passamos os olhos pelo passado épico de Canaima.

O Grupo de Indígenas Pemon e a Aventura Prospectora do ianque Jimmy Angel

Esta região era há muito conhecida pelos seus indígenas pémon e – defendem alguns historiadores, durante o século XVII,  também Fernando de Berrío, um explorador e governador castelhano que então terá chegado a estas partes.

Xamã, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Um xamane indígena, na Lagoa Canaima

Dois séculos mais tarde, a lenda de um suposto rio de ouro perdido e os artigos e mapas do capitão da armada venezuelana Felix Cardona Puig suscitaram o interesse de um aviador norte-americano intrépido.

Jimmy Angel e a esposa Marie Angel mudaram-se para aqueles confins da América do Sul. Associaram-se a Gustavo “Cabuya” Heny, e a um jardineiro de nome Miguel Angel Delgado, especialista no manuseamento de cordas e machetes.

Tepui, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Tepuy destacado da selva em redor do rio Carrao.

Juntos, formaram uma equipa de exploração que protagonizou diversas aproximações ao Auyantepui, a grande meseta (tem cerca de 700 km² de superfície).

Sabia que dela se precipitava a Kerepakupai Vená, uma queda de água que, com 979 m, se provaria a mais alta à face da Terra.

Durante quinze dias, Jimmy Angel assistiu os esforços dos colegas no solo. Sobrevoou a área no seu adorado avião Flamingo e largou mantimentos e equipamento atados a pequenos paraquedas.

O aviador tinha já antes circundado o topo da grande meseta. Nessas ocasiões, não encontrou o rio de ouro lendário mas achou uma área plana que lhe parecia propícia a uma aterragem. Em 9 de Outubro de 1937, o grupo de aventureiros concretizou o mais desvairado dos seus planos.

De início, o contacto com o solo pareceu suave a Jimmy Angel e a Henry. As rodas acabaram por se afundar na lama. Provocaram uma travagem abrupta que provocou a quebra da tubagem de combustível e atolou toda a parte frontal do avião.

Uma nebulosidade persistente impediu o resgate dos dois homens. Com a ajuda dos companheiros no acampamento base, Jimmy Angel e Henry conseguiram sobreviver a um árduo regresso por terra a Kamarata, uma povoação indígena da Gran Sabana.

Angel Falls, Salto Angel ou Kerepakupai: a Polémica Imposta por Hugo Chavez

Em 1964, o avião foi declarado monumento nacional pelo governo da Venezuela. Seis anos depois, seria removido pela força aérea daquele país e colocado no Museu de Aviação de Maracay.

De então para cá, a vastidão selvagem de Canaima continuou a seduzir o mundo. A sua queda de água prodigiosa atrai hordas de curiosos. Já nos faltava pouco para também a vislumbrarmos.

Partimos do Canyon de Ahonda pouco depois do nascer do novo dia. Cumprimos mais duas horas de curiara. Já não no Carrao mas para montante de um seu afluente, o Churún que flui ao longo doutro grande desfiladeiro, o Devil’s Canyon.

Splash de curiara, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Curiara motorizada levanta água do rio Carrao.

Desembarcamos no campo Ratoncito e tomamos o trilho de selva que conduz a um ponto de observação privilegiado do salto.

Quando lá chegamos, a visibilidade é quase total. Concede-nos uma merecida recompensa.

Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

O véu de água da queda d’água mais longa do mundo, o Salto Angel.

Sentamo-nos sobre um bloco elevado de rochas. Ficamos semi-hipnotizados a contemplar o rio Kerepakupai a lançar-se no abismo e a dançar consoante o vento que, próximo do solo, chega a suspender a água cada vez mais dispersa.

Divertimo-nos a comentar que nem Jimmy Angel tinha tido aquela vista. Quando detectamos duas avionetas a voar sobre o topo do penhasco vem-nos à mente a epopeia do norte-americano que morreu, em 1956, depois de se despenhar no Panamá.

Louvamos o seu pioneirismo tresloucado. É algo que nem todos os venezuelanos optaram por fazer.

Em 2009, inflamado como sempre pelo bolivarianismo totalitário e respectivo anti-americanismo, o falecido ex-presidente Hugo Chávez aproveitou um programa de TV para banir o apelido do aviador. Alegou que milhares de índios Pémon tinham visto as quedas de água antes de Jimmy Angel.

De pedra em pedra, Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela

Criança indígena na lagoa formada na base do Salto Angel.

Decretou então, que a maravilha natural se passaria a chamar apenas Cheru-Meru, algo que teve que corrigir quando a sua filha lhe passou uma nota que dizia que aquele era o nome de uma cascata vizinha e que a palavra certa era Kerepakupai.

Após persistentes momentos de prática, Chávez proclamou à Venezuela que tinha dominado a pronunciação do termo indígena correcto.

Aproveitou para acusar os Estados Unidos de terem violado o espaço aéreo da sua nação com um avião pilotado: “São os yankees. Ordenei que os abatessem. Não podemos permitir isto”.

Jimmy Angel já estava a salvo.

Gran Sabana, Venezuela

Um Verdadeiro Parque Jurássico

Apenas a solitária estrada EN-10 se aventura pelo extremo sul selvagem da Venezuela. A partir dela, desvendamos cenários de outro mundo, como o da savana repleta de dinossauros da saga de Spielberg.

Pueblos del Sur, Venezuela

Por uns Trás-os-Montes da Venezuela em Fiesta

Em 1619, as autoridades de Mérida ditaram a povoação do território em redor. Da encomenda, resultaram 19 aldeias remotas que encontramos entregues a comemorações com caretos e pauliteiros locais.
Cascatas e Quedas de Água

Cascatas do Mundo: Impressionantes Rios Verticais

Dos quase 1000 metros de altura do salto dançante de Angel à potência fulminante de Iguaçu ou Victoria após chuvas torrenciais, abatem-se sobre a Terra cascatas de todos os tipos.
Mérida, Venezuela

A Renovação Vertiginosa do Teleférico mais Alto do Mundo

Em execução a partir de 2010, a reconstrução do teleférico de Mérida foi levada a cabo na Sierra Nevada por operários intrépidos que sofreram na pele a grandeza da obra.
Monte Roraima, Venezuela

Viagem No Tempo ao Mundo Perdido do Monte Roraima

Perduram no cimo do Monte Roraima cenários extraterrestres que resistiram a milhões de anos de erosão. Conan Doyle criou, em "O Mundo Perdido", uma ficção inspirada no lugar mas nunca o chegou a pisar.
Manaus, Brasil

Ao Encontro do Encontro das Águas

O fenómeno não é único mas, em Manaus, reveste-se de uma beleza e solenidade especial. A determinada altura, os rios Negro e Solimões convergem num mesmo leito do Amazonas mas, em vez de logo se misturarem, ambos os caudais prosseguem lado a lado. Enquanto exploramos estas partes da Amazónia, testemunhamos o insólito confronto do Encontro das Águas.
Islândia

Ilha de Fogo, Gelo, Cascatas e Quedas de Água

A cascata suprema da Europa precipita-se na Islândia. Mas não é a única. Nesta ilha boreal, com chuva ou neve constantes e em plena batalha entre vulcões e glaciares, despenham-se torrentes sem fim.
Mérida, Venezuela

Mérida a Los Nevados: nos Confins Andinos da Venezuela

Nos anos 40 e 50, a Venezuela atraiu 400 mil portugueses mas só metade ficou em Caracas. Em Mérida, encontramos lugares mais semelhantes às origens e a geladaria excêntrica dum portista imigrado.
Victoria Falls, Zimbabwe

O Presente Trovejante de Livingstone

O explorador procurava uma rota para o Índico quando nativos o conduziram a um salto do rio Zambeze. As cataratas que encontrou eram tão majestosas que decidiu baptizá-las em honra da sua rainha
PN Henri Pittier, Venezuela

PN Henri Pittier: entre o Mar das Caraíbas e a Cordilheira da Costa

Em 1917, o botânico Henri Pittier afeiçoou-se à selva das montanhas marítimas da Venezuela. Os visitantes do parque nacional que este suíço ali criou são, hoje, mais do que alguma vez desejou
Ilha Margarita ao PN Mochima, Venezuela

Ilha Margarita ao Parque Nacional Mochima: um Caribe bem Caribenho

A exploração do litoral venezuelano justifica uma festa náutica de arromba. Mas, estas paragens também nos revelam a vida em florestas de cactos e águas tão verdes como a selva tropical de Mochima.
Cataratas Iguaçu/Iguazu, Brasil/Argentina

O Troar da Grande Água

Após um longo percurso tropical, o rio Iguaçu dá o mergulho dos mergulhos. Ali, na fronteira entre o Brasil e a Argentina, formam-se as cataratas maiores e mais impressionantes à face da Terra.
Pueblos del Sur, Venezuela

Os Pauliteiros de Mérida, Suas Danças e Cia

A partir do início do século XVII, com os colonos hispânicos e, mais recentemente, com os emigrantes portugueses consolidaram-se nos Pueblos del Sur, costumes e tradições bem conhecidas na Península Ibérica e, em particular, no norte de Portugal.
Parque Nacional Gorongosa, Moçambique, Vida Selvagem, leões
Safari
PN Gorongosa, Moçambique

O Coração Selvagem de Moçambique dá Sinais de Vida

A Gorongosa abrigava um dos mais exuberantes ecossistemas de África mas, de 1980 a 1992, sucumbiu à Guerra Civil travada entre a FRELIMO e a RENAMO. Greg Carr, o inventor milionário do Voice Mail recebeu a mensagem do embaixador moçambicano na ONU a desafiá-lo a apoiar Moçambique. Para bem do país e da humanidade, Carr comprometeu-se a ressuscitar o parque nacional deslumbrante que o governo colonial português lá criara.
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 5º - Ngawal a BragaNepal

Rumo a Braga. A Nepalesa.

Passamos nova manhã de meteorologia gloriosa à descoberta de Ngawal. Segue-se um curto trajecto na direcção de Manang, a principal povoação no caminho para o zénite do circuito Annapurna. Ficamo-nos por Braga (Braka). A aldeola não tardaria a provar-se uma das suas mais inolvidáveis escalas.
costa, fiorde, Seydisfjordur, Islandia
Arquitectura & Design
Seydisfjordur, Islândia

Da Arte da Pesca à Pesca da Arte

Quando armadores de Reiquejavique compraram a frota pesqueira de Seydisfjordur, a povoação teve que se adaptar. Hoje, captura discípulos da arte de Dieter Roth e outras almas boémias e criativas.
Totems, aldeia de Botko, Malekula,Vanuatu
Aventura
Malekula, Vanuatu

Canibalismo de Carne e Osso

Até ao início do século XX, os comedores de homens ainda se banqueteavam no arquipélago de Vanuatu. Na aldeia de Botko descobrimos porque os colonizadores europeus tanto receavam a ilha de Malekula.
Gelados, Festival moriones, Marinduque, Filipinas
Cerimónias e Festividades
Marinduque, Filipinas

Quando os Romanos Invadem as Filipinas

Nem o Império do Oriente chegou tão longe. Na Semana Santa, milhares de centuriões apoderam-se de Marinduque. Ali, se reencenam os últimos dias de Longinus, um legionário convertido ao Cristianismo.
Verão Escarlate
Cidades

Valência a Xàtiva, Espanha

Do outro Lado da Ibéria

Deixada de lado a modernidade de Valência, exploramos os cenários naturais e históricos que a "comunidad" partilha com o Mediterrâneo. Quanto mais viajamos mais nos seduz a sua vida garrida.

Singapura Capital Asiática Comida, Basmati Bismi
Comida
Singapura

A Capital Asiática da Comida

Eram 4 as etnias condóminas de Singapura, cada qual com a sua tradição culinária. Adicionou-se a influência de milhares de imigrados e expatriados numa ilha com metade da área de Londres. Apurou-se a nação com a maior diversidade gastronómica do Oriente.
Cultura
Espectáculos

O Mundo em Cena

Um pouco por todo o Mundo, cada nação, região ou povoação e até bairro tem a sua cultura. Em viagem, nada é mais recompensador do que admirar, ao vivo e in loco, o que as torna únicas.
Corrida de Renas , Kings Cup, Inari, Finlândia
Desporto
Inari, Finlândia

A Corrida Mais Louca do Topo do Mundo

Há séculos que os lapões da Finlândia competem a reboque das suas renas. Na final da Kings Cup - Porokuninkuusajot - , confrontam-se a grande velocidade, bem acima do Círculo Polar Ártico e muito abaixo de zero.
viagem austrália ocidental, Surfspotting
Em Viagem
Perth a Albany, Austrália

Pelos Confins do Faroeste Australiano

Poucos povos veneram a evasão como os aussies. Com o Verão meridional em pleno e o fim-de-semana à porta, os habitantes de Perth refugiam-se da rotina urbana no recanto sudoeste da nação. Pela nossa parte, sem compromissos, exploramos a infindável Austrália Ocidental até ao seu limite sul.
Assuão, Egipto, rio Nilo encontra a África negra, ilha Elefantina
Étnico
Assuão, Egipto

Onde O Nilo Acolhe a África Negra

1200km para montante do seu delta, o Nilo deixa de ser navegável. A última das grandes cidades egípcias marca a fusão entre o território árabe e o núbio. Desde que nasce no lago Vitória, o rio dá vida a inúmeros povos africanos de tez escura.
luz solar fotografia, sol, luzes
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Luz Natural (Parte 2)

Um Sol, tantas Luzes

A maior parte das fotografias em viagem são tiradas com luz solar. A luz solar e a meteorologia formam uma interacção caprichosa. Saiba como a prever, detectar e usar no seu melhor.
Teleférico que liga Puerto Plata ao cimo do PN Isabel de Torres
História
Puerto Plata, República Dominicana

Prata da Casa Dominicana

Puerto Plata resultou do abandono de La Isabela, a segunda tentativa de colónia hispânica das Américas. Quase meio milénio depois do desembarque de Colombo, inaugurou o fenómeno turístico inexorável da nação. Numa passagem-relâmpago pela província, constatamos como o mar, a montanha, as gentes e o sol do Caribe a mantêm a reluzir.
Igreja Ortodoxa de Bolshoi Zayatski, ilhas Solovetsky, Rússia
Ilhas
Bolshoi Zayatsky, Rússia

Misteriosas Babilónias Russas

Um conjunto de labirintos pré-históricos espirais feitos de pedras decoram a ilha Bolshoi Zayatsky, parte do arquipélago Solovetsky. Desprovidos de explicações sobre quando foram erguidos ou do seu significado, os habitantes destes confins setentrionais da Europa, tratam-nos por vavilons.
Auroras Boreais, Laponia, Rovaniemi, Finlandia, Raposa de Fogo
Inverno Branco
Lapónia, Finlândia

Em Busca da Raposa de Fogo

São exclusivas dos píncaros da Terra as auroras boreais ou austrais, fenómenos de luz gerados por explosões solares. Os nativos Sami da Lapónia acreditavam tratar-se de uma raposa ardente que espalhava brilhos no céu. Sejam o que forem, nem os quase 30º abaixo de zero que se faziam sentir no extremo norte da Finlândia nos demoveram de as admirar.
silhueta e poema, cora coralina, goias velho, brasil
Literatura
Goiás Velho, Brasil

Vida e Obra de uma Escritora à Margem

Nascida em Goiás, Ana Lins Bretas passou a maior parte da vida longe da família castradora e da cidade. Regressada às origens, continuou a retratar a mentalidade preconceituosa do interior brasileiro
Geotermia, Calor da Islândia, Terra do Gelo, Geotérmico, Lagoa Azul
Natureza
Islândia

O Aconchego Geotérmico da Ilha do Gelo

A maior parte dos visitantes valoriza os cenários vulcânicos da Islândia pela sua beleza. Os islandeses também deles retiram calor e energia cruciais para a vida que levam às portas do Árctico.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Chã das Caldeiras a Mosteiros, Ilha do Fogo, Cabo Verde
Parques Naturais
Chã das Caldeiras a Mosteiros, Ilha do Fogo, Cabo Verde

Chã das Caldeiras a Mosteiros: descida pelos Confins do Fogo

Com o cimo de Cabo Verde conquistado, dormimos e recuperamos em Chã das Caldeiras, em comunhão com algumas das vidas à mercê do vulcão. Na manhã seguinte, iniciamos o regresso à capital São Filipe, 11 km de caminho para Mosteiros abaixo.
Khiva, Uzbequistão, Fortaleza, Rota da Seda,
Património Mundial UNESCO
Khiva, Uzbequistão

A Fortaleza da Rota da Seda que a União Soviética Aveludou

Nos anos 80, dirigentes soviéticos renovaram Khiva numa versão amaciada que, em 1990, a UNESCO declarou património Mundial. A URSS desintegrou-se no ano seguinte. Khiva preservou o seu novo lustro.
Verificação da correspondência
Personagens
Rovaniemi, Finlândia

Da Lapónia Finlandesa ao Árctico, Visita à Terra do Pai Natal

Fartos de esperar pela descida do velhote de barbas pela chaminé, invertemos a história. Aproveitamos uma viagem à Lapónia Finlandesa e passamos pelo seu furtivo lar.
El Nido, Palawan a Ultima Fronteira Filipina
Praias
El Nido, Filipinas

El Nido, Palawan: A Última Fronteira Filipina

Um dos cenários marítimos mais fascinantes do Mundo, a vastidão de ilhéus escarpados de Bacuit esconde recifes de coral garridos, pequenas praias e lagoas idílicas. Para a descobrir, basta uma bangka.
Promessa?
Religião
Goa, Índia

Para Goa, Rapidamente e em Força

Uma súbita ânsia por herança tropical indo-portuguesa faz-nos viajar em vários transportes mas quase sem paragens, de Lisboa à famosa praia de Anjuna. Só ali, a muito custo, conseguimos descansar.
Composição Flam Railway abaixo de uma queda d'água, Noruega
Sobre Carris
Nesbyen a Flam, Noruega

Flam Railway: Noruega Sublime da Primeira à Última Estação

Por estrada e a bordo do Flam Railway, num dos itinerários ferroviários mais íngremes do mundo, chegamos a Flam e à entrada do Sognefjord, o maior, mais profundo e reverenciado dos fiordes da Escandinávia. Do ponto de partida à derradeira estação, confirma-se monumental esta Noruega que desvendamos.
Nissan, Moda, Toquio, Japao
Sociedade
Tóquio, Japão

À Moda de Tóquio

No ultra-populoso e hiper-codificado Japão, há sempre espaço para mais sofisticação e criatividade. Sejam nacionais ou importados, é na capital que começam por desfilar os novos visuais nipónicos.
Mulheres com cabelos longos de Huang Luo, Guangxi, China
Vida Quotidiana
Longsheng, China

Huang Luo: a Aldeia Chinesa dos Cabelos mais Longos

Numa região multiétnica coberta de arrozais socalcados, as mulheres de Huang Luo renderam-se a uma mesma obsessão capilar. Deixam crescer os cabelos mais longos do mundo, anos a fio, até um comprimento médio de 170 a 200 cm. Por estranho que pareça, para os manterem belos e lustrosos, usam apenas água e arrôz.
Penhascos acima do Valley of Desolation, junto a Graaf Reinet, África do Sul
Vida Selvagem
Graaf-Reinet, África do Sul

Uma Lança Bóer na África do Sul

Nos primeiros tempos coloniais, os exploradores e colonos holandeses tinham pavor do Karoo, uma região de grande calor, grande frio, grandes inundações e grandes secas. Até que a Companhia Holandesa das Índias Orientais lá fundou Graaf-Reinet. De então para cá, a quarta cidade mais antiga da nação arco-íris prosperou numa encruzilhada fascinante da sua história.
Passageiros, voos panorâmico-Alpes do sul, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Aoraki Monte Cook, Nova Zelândia

A Conquista Aeronáutica dos Alpes do Sul

Em 1955, o piloto Harry Wigley criou um sistema de descolagem e aterragem sobre asfalto ou neve. Desde então, a sua empresa revela, a partir do ar, alguns dos cenários mais grandiosos da Oceania.