El Calafate, Argentina

Os Novos Gaúchos da Patagónia


Cavalgada em tons de Dourado
El Chabón Gustavo Holzmann galopa atrás de uma sua manada de cavalos que segue acompanhada de cães.
Argentino das Pampas Douradas
Trabalhador da herdade Nibepo Aike vestido ao bom estilo gaúcho da província de Santa Cruz.
Em plena tosquia
Uma ovelha é tosquiada, presa entre as pernas de um gaúcho da herdade Nibepo Aike.
Herdade encharcada
Vista da herdade Nibepo Aike, num dia chuvoso da Patagónia.
Uma ovelha solitária
Ovelha investiga a entrada de humanos num estábulo da herdade Nibepo Aike.
De patrulha
Ave de rapina perscruta a planície em busca de presas.
Pura Argentina: Mate & Parrilla
Gaúcho da herdade Nibepo Aike saboreia chá mate enquanto controla o lento assar de uma parrilla de cordeiro.
Parilla pronta
Parilla pronta a comer, depois de assar durante bastante tempo sobre brasas.
Riacho rápido
Riacho alimentado pela chuva e pelo degelo das montanhas atravessa a pampa amarelada junto a El Calafate.
Natureza Morta
Uma lebre caçada pelos cães de Gustavo Holzmann, pendurada da sua sela.
Deco Bovina
Pormenor decorativo da "estancia" Nibepo Aike.
Pausa na cavalgada
El Chabón - Gustavo Holzmann saboreia o sol suave que incide na zona da Patagónia argentina em redor de El Calafate.
Ovelhas intrigadas
Pequeno rebanho reunido num pasto da planície amarela em redor de El Calafate.
Em plena tosquia II
Gaúcho tosquia uma ovelha da herdade Nibepo Aika, segundos métodos tradicionais da Patagónia.
Anita na Argentina
A entrada de outra de muitas "estancias" desta zona interior da Patagónia argentina.
Trajes à vontade
Outro dos gaúchos da "estáncia" Nibepo Aike, este em trajes mais descontraídos que compostos.
Trajes conformes
Pormenor de moda gaúcha à cintura de um dos gaúchos da herdade Nibepo Aike.
Em redor de El Calafate, em vez dos habituais pastores a cavalo, cruzamo-nos com gaúchos criadores equestres e com outros que exibem para gáudio dos visitantes, a vida tradicional das pampas douradas.

Paramos no meio de um nada sul-americano, determinados em contemplar a imensidão dourada da estepe.

Passam-se cinco minutos. Dos confins desse mesmo nada, surge uma manada de cavalos a galope acompanhada, lado a lado por uma matilha de cães, todos eles determinados ora a controlar a manada ou liderar a corrida.

Na cauda da bizarra cavalgada incita-os um gaúcho de chicote em riste.

Ao ver-nos na beira da estrada, o gaúcho abandona a perseguição. Vem saudar-nos.

Reparamos que uma lebre que os cães haviam caçado lhe ensanguenta a sela e o pelo da montada e avisamo-lo na brincadeira: “Esses cães ainda rebentam com tanta dedicação!”.

“Nã, estão mais que habituados.” responde-nos. “Quando regressarmos, comem muito. Depois, dormem umas boas horas. É lindo isto por aqui, não é? Se quiserem vir numa cavalgada um dia destes, perguntem por mim lá no centro. Toda a gente me conhece. Sou o El Chabón.”

Dialogamos mais um pouco e despedimo-nos. El Chabón, a sua manada de cavalos e os cães retomam a correria. Somem no horizonte. Nós voltamos ao carro e à estrada encharcada.

Mais tarde, viríamos a descobrir que aquela personagem bravia mas cortês, embrulhada em couro e algo sumida num chapéu negro e numa barba tão ou mais escura tinha o nome de Gustavo Holzmann.

Tratava-se de um argentino de ascendência húngara, natural de Buenos Aires que se mudou em 1985 para os arredores de El Calafate, com o plano de criar cavalos.

El Chabón era o termo argentino equivalente ao tio espanhol, ao cara brasileiro e ao gajo português porque ficara conhecido na região.

Com o tempo, Gustavo tornou-se numa espécie de rei local das cavalgadas.

Segundo descrevem as descrições e elogios de que nos fomos inteirando, dedicou-se ao seu negócio com toda a alma, orgulhoso de proporcionar aos clientes momentos de genuína aventura, boa-disposição e confraternização nos cenários descomunais da Patagónia.

Não ficou por aí.

Entregou-se à permacultura e começou a ministrar sessões de hipoterapia. Tão profícua se tornou a sua relação com os equinos que Gustavo se passou a considerar um “caballólogo”.

Retomamos a Ruta Provincial RP15 que parte de El Calafate em direcção aos Andes e aos glaciares a sul.

Devagar e, de quando em quando, aos esses sobre o ripio (areão) escorregadio, avançamos ao longo da enorme arriba que abriga a cidade e da estepe alcatifada de amarelo pelos incontáveis arbustos do frio, os coirones.

Percorremos o espaço sem fim em que vagueiam, ao sabor do pasto, rebanhos de ovelhas e manadas de cavalos. E em que saltitam coelhos, assustados pelas aves de rapina e pelos cães predadores de El Chabón.

A continuação da estrada 15 conduz-nos à entrada de herdades ovelheiras emblemáticas da zona. A El Galpon del Glaciar, a Nibepo Aike, a Anita, entre outras.

Contra uns bons pesos, euros ou dólares, quase todas mimam os forasteiros com um aconchego patagónico tranquilizante e os melhores asados e parrilladas do país. Conscientes da reputação dos asados argentinos, não quisemos ser excepção.

Passamos sob o portal da estáncia Nibepo Aike decididos a submetermo-nos a um desses tratamentos, com vista para elevações polvilhadas de branco. A neve ainda caía nas terras mais altas. A chuva irrigava as terras mais baixas.

À chegada, recebe-nos um trio de gaúchos trajados cada um ao seu estilo, todos dentro dos padrões da tradição gaúcha da província de Santa Cruz.

Guiam-nos numa curta volta pelos edifícios de madeira mais próximos da propriedade. Depois, conduzem-nos a um estábulo desafogado mas lúgubre onde os esperam várias ovelhas.

Em três tempos, dois deles colaboram para capturar e dominar uma ovelha. Atam-lhe as patas e deitam-na sobre o piso. Com o animal enrolado, quase só vemos um focinho branco que se destaca duma grande bola de pelo creme.

As tesouradas que se seguem roubam a maior parte da lã farta da ovelha. Deixam-na com um visual juvenil e inocente, coberta de uma camada ténue de pelo quase branco.

Contra o frio intermédio e o torpor, um outro gaúcho bonacheirão e pitoresco de chapéu de feltro, camisa caqui, colete grená abotoado e avental da cintura para baixo, sorve chá mate.

Bebe-o da bombilla tradicional que segura com afecto enquanto passa os olhos pela parrilla ainda a assar sobre brasas.

Segue-se um longo almoço bem mais merecido por estes cowboys da Patagónia que qualquer um dos visitantes, que se  limitam a admirar o seu trabalho, os cenários da estância Nibeko Aike e, vá lá que seja, a inteirarem-se do seu curioso passado.

Segundo nos contam, a herdade teve origem no assentamento e parceria de um grupo de emigrantes croatas, no início do século XX em que Santiago Peso (o nome adaptado à argentina, não o original) e as famílias Trutanic e Stipcic formaram uma sociedade em que Santiago participou com o seu trabalho e os restantes sócios com a compra das ovelhas, outros animais e equipamentos.

Em 1936, Santiago Peso morreu de tuberculose. Seis anos depois, a esposa Maria Martinic – que continuou a explorar a herdade com as três filhas – comprou as partes que pertenciam aos sócios do marido.

Em 1947, decidiu mudar o nome da estáncia de La Jerónima para Nibepo Aike. Nibepo era uma composição das primeiras letras das alcunhas carinhosas das suas descendentes, Nini, Bebe e Poroka, seguido de Aike, um termo indígena tehuelche que significa “lugar de”.

Em 1976, Doña Maria faleceu. Nini comprou a parte da herdade da irmãs. É Adolfo, um dos seus filhos que tem actualmente a cargo a administração.

Os tempos mudaram também um pouco por toda a vasta Patagónia. Já não é a criação ovelheira o meio de sustento das herdades, principalmente em redor de El Calafate em que as visitas e estadias dos muitos turistas que chegam atraídos pela beleza imponente do glaciar Perito Moreno rendem aos proprietários incomparavelmente mais.

De acordo, mesmo se em menor quantidade, alguns gaúchos veem intactos os seus postos de trabalho. Em vez de tomarem conta de rebanhos com milhares de ovelhas, como d’antes, empregam as suas artes a apenas umas dezenas.

Centenas no melhor dos casos. Para compensar, aperfeiçoam os dotes sociais e conversam como nunca, com gente como nós, chegada do outro lado dos oceanos e de todas as partes do mundo.

Cai uma neve fina e esvoaçante. Os gaúchos conhecem a instabilidade traiçoeira da RP-15, ainda pior para os pequenos utilitários alugados em El Calafate em que nos movíamos.

António, um deles, faz questão de nos precaver sobre o que nos esperava com o melhor humor de que se lembrou: “bem amigos, se já escorregava à vinda para cá, preparem-se que agora vai ser bem pior!. Não querem voltar antes num dos nossos cavalos? Molham-se um pouco mas olhem que vão bem mais seguros! “

Rimo-nos a bom rir com a improbabilidade da sugestão e recusamos com uma qualquer piada que não fica a altura.

Metemo-nos no carro já com a cabeça e os ombros cobertos de flocos e fazemo-nos mais uma vez ao rípio.

Como esperado, pelo caminho, patinamos e corrigimos trajectórias de despiste vezes sem conta.

Demoramos uma eternidade, mas lá chegamos a El Calafate sãos, salvos e deslumbrados com os caprichos daquela Patagónia gaúcha sem fim.

Perito Moreno, Argentina

O Glaciar Que Resiste

O aquecimento é supostamente global mas não chega a todo o lado. Na Patagónia, alguns rios de gelo resistem.De tempos a tempos, o avanço do Perito Moreno provoca derrocadas que fazem parar a Argentina
El Chalten, Argentina

O Apelo de Granito da Patagónia

Duas montanhas de pedra geraram uma disputa fronteiriça entre a Argentina e o Chile.Mas estes países não são os únicos pretendentes.Há muito que os cerros Fitz Roy e Torre atraem alpinistas obstinados
Monument Valley, E.U.A.

Índios ou cowboys?

Realizadores de Westerns emblemáticos como John Ford imortalizaram aquele que é o maior território indígena dos Estados Unidos. Hoje, na Nação Navajo, os navajo também vivem na pele dos velhos inimigos.
Tombstone, E.U.A.

Tombstone: a Cidade Demasiado Dura para Morrer

Filões de prata descobertos no fim do século XIX fizeram de Tombstone um centro mineiro próspero e conflituoso na fronteira dos Estados Unidos com o México. Lawrence Kasdan, Kurt Russel, Kevin Costner e outros realizadores e actores hollywoodescos tornaram famosos os irmãos Earp e o duelo sanguinário de “O.K. Corral”. A Tombstone que, ao longo dos tempos tantas vidas reclamou, está para durar.
Ushuaia, Argentina

Ultima Estação: Fim do Mundo

Até 1947, o Tren del Fin del Mundo fez incontáveis viagens para que os condenados do presídio de Ushuaia cortassem lenha. Hoje, os passageiros são outros mas nenhuma outra composição passa mais a Sul.
Esteros del Iberá, Argentina

O Pantanal das Pampas

No mapa mundo, para sul do famoso pantanal brasileiro, surge uma região alagada pouco conhecida mas quase tão vasta e rica em biodiversidade. A expressão guarani Y berá define-a como “águas brilhantes”. O adjectivo ajusta-se a mais que à sua forte luminância.
Perth, Austrália

Cowboys da Oceania

O Texas até fica do outro lado do mundo mas não faltam vaqueiros no país dos coalas e dos cangurus. Rodeos do Outback recriam a versão original e 8 segundos não duram menos no Faroeste australiano.
Mendoza, Argentina

De Um Lado ao Outro dos Andes

Saída da Mendoza cidade, a ruta N7 perde-se em vinhedos, eleva-se ao sopé do Monte Aconcágua e cruza os Andes até ao Chile. Poucos trechos transfronteiriços revelam a imponência desta ascensão forçada
Cataratas Iguaçu/Iguazu, Brasil/Argentina

O Troar da Grande Água

Após um longo percurso tropical, o rio Iguaçu dá o mergulho dos mergulhos. Ali, na fronteira entre o Brasil e a Argentina, formam-se as cataratas maiores e mais impressionantes à face da Terra.
San Ignácio Mini, Argentina

As Missões Jesuíticas Impossíveis de San Ignácio Mini

No séc. XVIII, os jesuítas expandiam um domínio religioso no coração da América do Sul em que convertiam os indígenas guarani. Mas as Coroas Ibéricas arruinaram a utopia tropical da Companhia de Jesus
Canal Beagle, Argentina

Darwin e o Canal Beagle: no Rumo da Evolução

Em 1833, Charles Darwin navegou a bordo do "Beagle" pelos canais da Terra do Fogo. A sua passagem por estes confins meridionais moldou a teoria revolucionária que formulou da Terra e das suas espécies
Ushuaia, Argentina

A Última das Cidades Austrais

A capital da Terra do Fogo marca o limiar austral da civilização. De Ushuaia partem inúmeras incursões ao continente gelado. Nenhuma destas aventuras de toca e foge se compara à da vida na cidade final.
Lençóis da Bahia, Diamantes Eternos, Brasil
Arquitectura & Design
Lençois da Bahia, Brasil

Lençois da Bahia: nem os Diamantes São Eternos

No século XIX, Lençóis tornou-se na maior fornecedora mundial de diamantes. Mas o comércio das gemas não durou o que se esperava. Hoje, a arquitectura colonial que herdou é o seu bem mais precioso.
Aventura
Vulcões

Montanhas de Fogo

Rupturas mais ou menos proeminentes da crosta terrestre, os vulcões podem revelar-se tão exuberantes quanto caprichosos. Algumas das suas erupções são gentis, outras provam-se aniquiladoras.
religiosos militares, muro das lamentacoes, juramento bandeira IDF, Jerusalem, Israel
Cerimónias e Festividades
Jerusalém, Israel

Em Festa no Muro das Lamentações

Nem só a preces e orações atende o lugar mais sagrado do judaísmo. As suas pedras milenares testemunham, há décadas, o juramento dos novos recrutas das IDF e ecoam os gritos eufóricos que se seguem.
Jardim Monte Palace, Funchal, Madeira
Cidades
Funchal, Madeira

Portal para um Portugal Quase Tropical

A Madeira está situada a menos de 1000km a norte do Trópico de Câncer. E a exuberância luxuriante que lhe granjeou o cognome de ilha jardim do Atlântico desponta em cada recanto da sua íngreme capital.
Moradora obesa de Tupola Tapaau, uma pequena ilha de Samoa Ocidental.
Comida
Tonga, Samoa Ocidental, Polinésia

Pacífico XXL

Durante séculos, os nativos das ilhas polinésias subsistiram da terra e do mar. Até que a intrusão das potências coloniais e a posterior introdução de peças de carne gordas, da fast-food e das bebidas açucaradas geraram uma praga de diabetes e de obesidade. Hoje, enquanto boa parte do PIB nacional de Tonga, de Samoa Ocidental e vizinhas é desperdiçado nesses “venenos ocidentais”, os pescadores mal conseguem vender o seu peixe.
Pitões das Júnias, Montalegre, Portugal
Cultura
Montalegre, Portugal

Pelo Alto do Barroso, Cimo de Trás-os-Montes

Mudamo-nos das Terras de Bouro para as do Barroso. Com base em Montalegre, deambulamos à descoberta de Paredes do Rio, Tourém, Pitões das Júnias e o seu mosteiro, povoações deslumbrantes do cimo raiano de Portugal. Se é verdade que o Barroso já teve mais habitantes, visitantes não lhe deviam faltar.
Natação, Austrália Ocidental, Estilo Aussie, Sol nascente nos olhos
Desporto
Busselton, Austrália

2000 metros em Estilo Aussie

Em 1853, Busselton foi dotada de um dos pontões então mais longos do Mundo. Quando a estrutura decaiu, os moradores decidiram dar a volta ao problema. Desde 1996 que o fazem, todos os anos. A nadar.
Em Viagem
Viagens de Barco

Para Quem Só Enjoa de Navegar na Net

Embarque e deixe-se levar em viagens de barco imperdíveis como o arquipélago filipino de Bacuit e o mar gelado do Golfo finlandês de Bótnia.
Manhã cedo no Lago
Étnico

Nantou, Taiwan

No Âmago da Outra China

Nantou é a única província de Taiwan isolada do oceano Pacífico. Quem hoje descobre o coração montanhoso desta região tende a concordar com os navegadores portugueses que baptizaram Taiwan de Formosa.

arco-íris no Grand Canyon, um exemplo de luz fotográfica prodigiosa
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
ilha de Praslin, cocos do mar, Seychelles, Enseada do Éden
História
Praslin, Seichelles

O Éden dos Enigmáticos Cocos-do-Mar

Durante séculos, os marinheiros árabes e europeus acreditaram que a maior semente do mundo, que encontravam nos litorais do Índico com forma de quadris voluptuosos de mulher, provinha de uma árvore mítica no fundo dos oceanos.  A ilha sensual que sempre os gerou deixou-nos extasiados.
Barcos sobre o gelo, ilha de Hailuoto, Finlândia
Ilhas
Hailuoto, Finlândia

Um Refúgio no Golfo de Bótnia

Durante o Inverno, a ilha de Hailuoto está ligada à restante Finlândia pela maior estrada de gelo do país. A maior parte dos seus 986 habitantes estima, acima de tudo, o distanciamento que a ilha lhes concede.
lago ala juumajarvi, parque nacional oulanka, finlandia
Inverno Branco
Kuusamo ao PN Oulanka, Finlândia

Sob o Encanto Gélido do Árctico

Estamos a 66º Norte e às portas da Lapónia. Por estes lados, a paisagem branca é de todos e de ninguém como as árvores cobertas de neve, o frio atroz e a noite sem fim.
Lago Manyara, parque nacional, Ernest Hemingway, girafas
Literatura
PN Lago Manyara, Tanzânia

África Favorita de Hemingway

Situado no limiar ocidental do vale do Rift, o parque nacional lago Manyara é um dos mais diminutos mas encantadores e ricos em vida selvagem da Tanzânia. Em 1933, entre caça e discussões literárias, Ernest Hemingway dedicou-lhe um mês da sua vida atribulada. Narrou esses dias aventureiros de safari em “As Verdes Colinas de África”.
Era Susi rebocado por cão, Oulanka, Finlandia
Natureza
PN Oulanka, Finlândia

Um Lobo Pouco Solitário

Jukka “Era-Susi” Nordman criou uma das maiores matilhas de cães de trenó do mundo. Tornou-se numa das personagens mais emblemáticas da Finlândia mas continua fiel ao seu cognome: Wilderness Wolf.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Camiguin, Filipinas, manguezal de Katungan.
Parques Naturais
Camiguin, Filipinas

Uma Ilha de Fogo Rendida à Água

Com mais de vinte cones acima dos 100 metros, a abrupta e luxuriante, Camiguin tem a maior concentração de vulcões que qualquer outra das 7641 ilhas filipinas ou do planeta. Mas, nos últimos tempos, nem o facto de um destes vulcões estar activo tem perturbado a paz da sua vida rural, piscatória e, para gáudio dos forasteiros, fortemente balnear.
Jingkieng Wahsurah, ponte de raízes da aldeia de Nongblai, Meghalaya, Índia
Património Mundial UNESCO
Meghalaya, Índia

Pontes de Povos que Criam Raízes

A imprevisibilidade dos rios na região mais chuvosa à face da Terra nunca demoveu os Khasi e os Jaintia. Confrontadas com a abundância de árvores ficus elastica nos seus vales, estas etnias habituaram-se a moldar-lhes os ramos e estirpes. Da sua tradição perdida no tempo, legaram centenas de pontes de raízes deslumbrantes às futuras gerações.
ora de cima escadote, feiticeiro da nova zelandia, Christchurch, Nova Zelandia
Personagens
Christchurch, Nova Zelândia

O Feiticeiro Amaldiçoado da Nova Zelândia

Apesar da sua notoriedade nos antípodas, Ian Channell, o feiticeiro da Nova Zelândia não conseguiu prever ou evitar vários sismos que assolaram Christchurch. O último obrigou-o a mudar-se para casa da mãe.
Praias
Gizo, Ilhas Salomão

Gala dos Pequenos Cantores de Saeraghi

Em Gizo, ainda são bem visíveis os estragos provocados pelo tsunami que assolou as ilhas Salomão. No litoral de Saeraghi, a felicidade balnear das crianças contrasta com a sua herança de desolação.
Buda Vairocana, templo Todai ji, Nara, Japão
Religião
Nara, Japão

O Berço Colossal do Budismo Nipónico

Nara deixou, há muito, de ser capital e o seu templo Todai-ji foi despromovido. Mas o Grande Salão mantém-se o maior edifício antigo de madeira do Mundo. E alberga o maior buda vairocana de bronze.
A Toy Train story
Sobre carris
Siliguri a Darjeeling, Índia

Ainda Circula a Sério o Comboio Himalaia de Brincar

Nem o forte declive de alguns tramos nem a modernidade o detêm. De Siliguri, no sopé tropical da grande cordilheira asiática, a Darjeeling, já com os seus picos cimeiros à vista, o mais famoso dos Toy Trains indianos assegura há 117 anos, dia após dia, um árduo percurso de sonho. De viagem pela zona, subimos a bordo e deixamo-nos encantar.
Kogi, PN Tayrona, Guardiães do Mundo, Colômbia
Sociedade
PN Tayrona, Colômbia

Quem Protege os Guardiães do Mundo?

Os indígenas da Serra Nevada de Santa Marta acreditam que têm por missão salvar o Cosmos dos “Irmãos mais Novos”, que somos nós. Mas a verdadeira questão parece ser: "Quem os protege a eles?"
O projeccionista
Vida Quotidiana
Sainte-Luce, Martinica

Um Projeccionista Saudoso

De 1954 a 1983, Gérard Pierre projectou muitos dos filmes famosos que chegavam à Martinica. 30 anos após o fecho da sala em que trabalhava, ainda custava a este nativo nostálgico mudar de bobine.
femea e cria, passos grizzly, parque nacional katmai, alasca
Vida Selvagem
PN Katmai, Alasca

Nos Passos do Grizzly Man

Timothy Treadwell conviveu Verões a fio com os ursos de Katmai. Em viagem pelo Alasca, seguimos alguns dos seus trilhos mas, ao contrário do protector tresloucado da espécie, nunca fomos longe demais.
Napali Coast e Waimea Canyon, Kauai, Rugas do Havai
Voos Panorâmicos
NaPali Coast, Havai

As Rugas Deslumbrantes do Havai

Kauai é a ilha mais verde e chuvosa do arquipélago havaiano. Também é a mais antiga. Enquanto exploramos a sua Napalo Coast por terra, mar e ar, espantamo-nos ao vermos como a passagem dos milénios só a favoreceu.