Mendoza, Argentina

De Um Lado ao Outro dos Andes


Tecto das Américas
Vista para o Monte Aconcágua, o mais elevado do continente americano, com 6.962 metros.
Las Bovedas
Las Bovedas, antigos fornos em Uspallata.
Estância sem Neve
Imagem de Las Cuevas, uma estância a 3.185 metros de altitude que passa os meses mais quentes do ano sem neve.
Rafting andino
Rafting de águas bravas no rio Mendoza.
Santuário
Viajante verifica indicações junto a um santuário na zona de Vilavicêncio.
Petróglifos
Arte primitiva sobre rochas do cerro Tunduqueral, nas imediações de Uspallata.
Secura Verdejante
Cenário com álamos nos arredores de Uspallata.
Aviso
Sinal que alerta para o perigo acrescido pelo declive da estrada da RN7.
Aula ao Ar Livre
Excursão de estudantes de geologia, nas imediações do Cerro Tunduqueral.
Fantasma Ferroviário
Velha linha de comboio dos Andes Mendocinos, desactivada após a construção da Ruta N7.
Cerro Tunduqueral
Viajante contempla a planicie que envolve Uspallata.
Las Cuevas
Entrada da estância de neve de Las Cuevas quase sem neve.
Cume Aconcágua
O cimo do Cerro Acongágua, a montanha mais elevada da América do Sul.
A caminho do Chile
Camião aproxima-se da fronteira com o Chile.
Saída da Mendoza cidade, a ruta N7 perde-se em vinhedos, eleva-se ao sopé do Monte Aconcágua e cruza os Andes até ao Chile. Poucos trechos transfronteiriços revelam a imponência desta ascensão forçada

Pouco a pouco, para oeste das planícies intermináveis salpicadas de adegas sofisticadas e das suas vinhas, a província de Mendoza eleva-se ao domínio arranha-céus da cordilheira dos Andes.

O minúsculo Ford Ka era o carro mais desaconselhado para nos conduzir por terras tão cruas e imponentes. Também estava listado como mais barato. O factor financeiro voltou a falar mais alto. Sobrecarregamo-lo com as mochilas já gastas com que andamos e deixamos para trás a capital homónima da província.

Ladeira atrás de ladeira, o motor do Ka ruge furibundo, em progresso na Ruta Nacional 7 (RN7), a via argentina que atravessa os Andes em direcção ao Chile.

O rio Mendoza acompanha-nos das terras mais planas até à Cordilheira del Limite. Serpenteia por uma panóplia de expressões dramáticas da natureza.

E atravessa algumas das localidades mais pitorescas daquela Argentina desafogada.

A Impressionante Vastidão Andina de Uspallata

A primeira a chamar-nos a atenção é Uspallata, um povoado que, em meados do século XV, se situava nas imediações no Camiño del Inca usado pelos Incas para cruzar os Andes.

A vila surge num vasto planalto, no geral, árido mas que acolhe um oásis de enormes alámos beneficiários de correntes de água tímidas. Neste cenário refrescante encontramos as abóbadas caiadas das Bovedas, fornos de adobe do século XVIII em que os colonos hispânicos fundiam os minerais extraídos da região incluindo o ouro subtraído aos Incas e outros povos indígenas.

Não vemos vivalma em redor. O lugar permanece entregue às cabras e vacas que devoram a erva junto ao ribeiro mais próximo. De acordo, não nos tardamos.

Seguimos à descoberta por uma estrada secundária erma, de asfalto gasto. Vários quilómetros depois, paramos junto a um núcleo de rochas arredondadas em que uma placa identifica os petróglifos do cerro Tunduqueral.

Petroglifos, Mendoza, de um lado ao outro dos andes, argentina

Arte primitiva sobre rochas do cerro Tunduqueral, nas imediações de Uspallata.

Com paciência, identificamos as figuras antropomórficas:  um rosto com grandes olhos, homenzitos de linhas simples, estranhas criaturas com três dedos e um outro homem, lagarto.

São só exemplos de múltiplas ilustrações que se crê terem sido deixadas por habitantes pré-históricos da região que esboçavam as suas primeiras crenças xamânicas .

Subimos a uma crista geológica destacadas do cenário.

Paisagem Uspallata, Mendoza, de um lado ao outro dos andes, argentina

Cenário com álamos nos arredores de Uspallata.

Do cimo, confirmamos como não tinha fim aquele deserto pintado e apreciamos-lhe o perfil multicolorido de Western Spaghetti sul-americano. Detectamos ainda o cerro local das Siete Colores elevações com inspiração de arco-íris que abundam no país das pampas.

Já no seu sopé poeirento, absorvemos as explicações de um professor geólogo que forma um grupo de adolescentes interessados.

Ponte e Rio Picheuta: um Cenário Emblemático da América do Sul

Alguns minutos depois, damos com a ponte miniatura de pedra que cruza o rio Picheuta, com o Torreão da Sentinela vizinho e os vestígios do fortim com o mesmo nome do rio.

Nas imediações, o exército liderado pelo General San Martin triunfou, em 1770, na primeira de várias batalhas libertadoras da Argentina contra as forças da coroa espanhola. Ali se começou a concretizar a independência da Argentina e, ao mesmo tempo, se forjou a nova história da América do Sul.

San Martin, esse, transformou-se num herói nacional, uma espécie de Simon Bolivar do cone sul. Hoje, estátuas e ruas em sua honra abundam um pouco por todo o país.

As Polvaredas e o Longínquo Cerro Tupungato

Viajamos a 2050 metros de altitude quando damos entrada em Polvaredas, uma de várias estações ferroviárias andinas que a construção da via asfaltada que ligou Mendoza a Santiago do Chile tornou fantasma.

Estacao Comboio, Mendoza, de um lado ao outro dos andes, argentina

Velha linha de comboio dos Andes Mendocinos, desactivada após a construção da Ruta N7.

Já nas redondezas de Punta de Vacas, vislumbramos o distante Cerro Tupungato, um vulcão com 6.500 metros de altitude.

Os panoramas andinos revelam-se avassaladores. Sucedem-se outros vales amplos com leitos que os caudais do degelo primaveril escavaram profundos, mesmo se, naquela altura, exagerados para os rios diminuídos que os percorriam.

Rafting Proximo, Mendoza, de um lado ao outro dos andes, argentina

Rafting de águas bravas no rio Mendoza.

Em redor, como gigantescas forças de opressão, impõem-se outras das montanhas majestosas da América do Sul que a geologia dotou de uma impressionante paleta de tons, do cinza ou preto gastos aos avermelhados e ocres garridos.

A Puente de Inca que Charles Darwin de Dignou a Visitar

Estamos a 2580 metros acima do nível do mar quando, para lá da beira do caminho, identificamos a Puente del Inca, uma formação rochosa natural amarelada esculpida pela passagem da água do rio Vacas sob sedimentos ferruginosos.

Em 1835, também Charles Darwin ali se deixou intrigar. Como era seu hábito, esboçou desenhos da ponte e das grandes estalactites.

Não pôde, no entanto, mimar o corpo saturado das suas intermináveis explorações terrestres nas agora conceituadas águas termais. As infra-estruturas de SPA mal-amanhadas que servem actualmente o lugar só surgiram no início do século XX.

Con Nieveo Hielo, Mendoza, de um lado ao outro dos andes, argentina

Sinal que alerta para o perigo acrescido pelo declive da estrada da RN7.

Continuamos a submeter o motor urbano e débil do Ford Ka à sua já longa tortura. Após novo esforço mecânico hercúleo alcançamos a entrada para o tecto das Américas.

Monte Aconcágua. O Cenário Majestoso do Tecto das Américas

Estacionamos. Fazemo-nos ao trilho que conduz ao monte que lhe empresta o nome.

Passamos a lagoa Horcones até que, no cimo de um morro, uma placa nos sugere um miradouro privilegiado e identifica a visão longínqua que dali tínhamos : Cerro Aconcágua, 6992 metros.

Cerro Aconcagua 6962, Mendoza, de um lado ao outro dos andes, argentina

Vista para o Monte Aconcágua, o mais elevado do continente americano, com 6.962 metros.

O trilho que prossegue na sua direcção seduz-nos. Mas ainda estamos longe do fim do trecho argentino da RN7 e viajávamos com o tempo contado.

Fosse como fosse, mesmo que os especialistas considerem o Aconcágua a montanha não técnica mais elevada do mundo  (por o seu cume ser conquistável sem qualquer tipo de equipamento de escalada) nunca a desafiamos de ânimo leve.

Descobertas arqueológicas surpreendentes de 1985 parecem sustentar a acessibilidade relativa da montanha. Nesse ano, o Clube Andinista de Mendoza encontrou uma múmia inca na vertente sudoeste, a 5300 m.

Ficou assim provado que até mesmo as montanhas mais elevadas dos Andes eram usadas para ritos funerários pré-columbinos.

Monte Aconcagua, Mendoza, de um lado ao outro dos andes, argentina

O cimo do Cerro Acongágua, a montanha mais elevada da América do Sul.

Partilhado pela Argentina e pelo Chile, o monte Aconcágua destaca-se das montanhas vizinhas pelo seu cume amplo. Por norma, cobre-o um manto espesso de neve eterna que atrai alpinistas, ou andinistas – como os argentinos fazem questão de chamar – de todo o mundo.

Apesar da atenção que lhe é dedicada e da altitude recordista do continente sul-americano, do hemisfério ocidental e do hemisfério sul, muito graças à supremacia dimensional da cordilheira dos Himalaias, o Aconcágua não está sequer entre as 400 montanhas mais elevadas do mundo.

A Estação de Inverno e Final de Las Cuevas

Conformados, damos por encerrada a contemplação e retornamos à linha condutora do percurso. Em vez do Aconcágua, continuamos a subir os Andes ainda e sempre pela RN7.

Já na iminência do Chile, chegamos ao vale do rio Las Cuevas e à povoação deserta homónima. A pouca neve que encontramos decora o castanho-escuro das encostas com padrões aleatórios de branco que parecem passados de validade.

Las Cuevas, Mendoza, de um lado ao outro dos andes, argentina

Imagem de Las Cuevas, uma estância a 3.185 metros de altitude que passa os meses mais quentes do ano sem neve.

Como então aparentavam estar desfasadas as construções de arquitectura nórdica moderna, mais adequadas ao Inverno da zona, época de intensos nevões e de milhares de esquiadores e snowboarders argentinos, chilenos e de outras paragens mais longínquas que ali acorrem para se divertirem e aperfeiçoarem as suas acrobacias.

Las Cuevas confirmou-se a última marca de civilização argentina antes da aduana.

Las Cuevas 3185, Mendoza, de um lado ao outro dos andes, argentina

Entrada da estância de neve de Las Cuevas quase sem neve.

Em breve, começaríamos a descer a vertente oeste dos Andes e a embrenharmo-nos no território chileno.

Florida Keys, E.U.A.

A Alpondra Caribenha dos E.U.A.

Os Estados Unidos continentais parecem encerrar-se, a sul, na sua caprichosa península da Flórida. Não se ficam por aí. Mais de cem ilhas de coral, areia e mangal formam uma excêntrica extensão tropical que há muito seduz os veraneantes norte-americanos.
Circuito Annapurna: 1º - Pokhara a Chame, Nepal

Por Fim, a Caminho

Depois de vários dias de preparação em Pokhara, partimos em direcção aos Himalaias. O percurso pedestre só o começamos em Chame, a 2670 metros de altitude, com os picos nevados da cordilheira Annapurna já à vista. Até lá, completamos um doloroso mas necessário preâmbulo rodoviário pela sua base subtropical.

Mal de Altitude: não é mau. É péssimo!

Em viagem, acontece vermo-nos confrontados com a falta de tempo para explorar um lugar tão imperdível como elevado. Ditam a medicina e as experiências prévias com o Mal de Altitude que não devemos arriscar subir à pressa.
Salta e Jujuy, Argentina

Pelas Terras Altas da Argentina Profunda

Um périplo pelas províncias de Salta e Jujuy leva-nos a desvendar um país sem sinal de pampas. Sumidos na vastidão andina, estes confins do Noroeste da Argentina também se perderam no tempo.
Estradas Imperdíveis

Grandes Percursos, Grandes Viagens

Com nomes pomposos ou meros códigos rodoviários, certas estradas percorrem cenários realmente sublimes. Da Road 66 à Great Ocean Road, são, todas elas, aventuras imperdíveis ao volante.
Mendoza, Argentina

Viagem por Mendoza, a Grande Província Enóloga Argentina

Os missionários espanhóis perceberam, no século XVI, que a zona estava talhada para a produção do “sangue de Cristo”. Hoje, a província de Mendoza está no centro da maior região enóloga da América Latina.
Mérida, Venezuela

Mérida a Los Nevados: nos Confins Andinos da Venezuela

Nos anos 40 e 50, a Venezuela atraiu 400 mil portugueses mas só metade ficou em Caracas. Em Mérida, encontramos lugares mais semelhantes às origens e a geladaria excêntrica dum portista imigrado.
Ushuaia, Argentina

A Última das Cidades Austrais

A capital da Terra do Fogo marca o limiar austral da civilização. De Ushuaia partem inúmeras incursões ao continente gelado. Nenhuma destas aventuras de toca e foge se compara à da vida na cidade final.
savuti, botswana, leões comedores de elefantes
Safari
Savuti, Botswana

Os Leões Comedores de Elefantes de Savuti

Um retalho do deserto do Kalahari seca ou é irrigado consoante caprichos tectónicos da região. No Savuti, os leões habituaram-se a depender deles próprios e predam os maiores animais da savana.
Caminhantes no trilho do Ice Lake, Circuito Annapurna, Nepal
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 7º - Braga - Ice Lake, Nepal

Circuito Annapurna – A Aclimatização Dolorosa do Ice Lake

Na subida para o povoado de Ghyaru, tivemos uma primeira e inesperada mostra do quão extasiante se pode provar o Circuito Annapurna. Nove quilómetros depois, em Braga, pela necessidade de aclimatizarmos ascendemos dos 3.470m de Braga aos 4.600m do lago de Kicho Tal. Só sentimos algum esperado cansaço e o avolumar do deslumbre pela Cordilheira Annapurna.
Competição do Alaskan Lumberjack Show, Ketchikan, Alasca, EUA
Arquitectura & Design
Ketchikan, Alasca

Aqui Começa o Alasca

A realidade passa despercebida a boa parte do mundo, mas existem dois Alascas. Em termos urbanos, o estado é inaugurado no sul do seu oculto cabo de frigideira, uma faixa de terra separada dos restantes E.U.A. pelo litoral oeste do Canadá. Ketchikan, é a mais meridional das cidades alasquenses, a sua Capital da Chuva e a Capital Mundial do Salmão.
Aventura
Viagens de Barco

Para Quem Só Enjoa de Navegar na Net

Embarque e deixe-se levar em viagens de barco imperdíveis como o arquipélago filipino de Bacuit e o mar gelado do Golfo finlandês de Bótnia.
Bom conselho Budista
Cerimónias e Festividades
Chiang Mai, Tailândia

300 Wats de Energia Espiritual e Cultural

Os tailandeses chamam a cada templo budista wat e a sua capital do norte tem-nos em óbvia abundância. Entregue a sucessivos eventos realizados entre santuários, Chiang Mai nunca se chega a desligar.
Hiroxima, cidade rendida à paz, Japão
Cidades
Hiroxima, Japão

Hiroxima: uma Cidade Rendida à Paz

Em 6 de Agosto de 1945, Hiroxima sucumbiu à explosão da primeira bomba atómica usada em guerra. Volvidos 70 anos, a cidade luta pela memória da tragédia e para que as armas nucleares sejam erradicadas até 2020.
Comida
Mercados

Uma Economia de Mercado

A lei da oferta e da procura dita a sua proliferação. Genéricos ou específicos, cobertos ou a céu aberto, estes espaços dedicados à compra, à venda e à troca são expressões de vida e saúde financeira.
Festival MassKara, cidade de Bacolod, Filipinas
Cultura
Bacolod, Filipinas

Um Festival para Rir da Tragédia

Por volta de 1980, o valor do açúcar, uma importante fonte de riqueza da ilha filipina de Negros caia a pique e o ferry “Don Juan” que a servia afundou e tirou a vida a mais de 176 passageiros, grande parte negrenses. A comunidade local resolveu reagir à depressão gerada por estes dramas. Assim surgiu o MassKara, uma festa apostada em recuperar os sorrisos da população.
arbitro de combate, luta de galos, filipinas
Desporto
Filipinas

Quando só as Lutas de Galos Despertam as Filipinas

Banidas em grande parte do Primeiro Mundo, as lutas de galos prosperam nas Filipinas onde movem milhões de pessoas e de Pesos. Apesar dos seus eternos problemas é o sabong que mais estimula a nação.
Avião em aterragem, Maho beach, Sint Maarten
Em Viagem
Maho Beach, Sint Maarten

A Praia Caribenha Movida a Jacto

À primeira vista, o Princess Juliana International Airport parece ser apenas mais um nas vastas Caraíbas. Sucessivas aterragens a rasar a praia Maho que antecede a sua pista, as descolagens a jacto que distorcem as faces dos banhistas e os projectam para o mar, fazem dele um caso à parte.
Promessa?
Étnico
Goa, Índia

Para Goa, Rapidamente e em Força

Uma súbita ânsia por herança tropical indo-portuguesa faz-nos viajar em vários transportes mas quase sem paragens, de Lisboa à famosa praia de Anjuna. Só ali, a muito custo, conseguimos descansar.
portfólio, Got2Globe, fotografia de Viagem, imagens, melhores fotografias, fotos de viagem, mundo, Terra
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Got2Globe

Melhor do Mundo – Portfólio Got2Globe

Mdina, Malta, Cidade Silenciosa, arquitectura
História
Mdina, Malta

A Cidade Silenciosa e Notável de Malta

Mdina foi capital de Malta até 1530. Mesmo depois de os Cavaleiros Hospitalários a terem despromovido, foi atacada e fortificou-se a condizer. Hoje, é a costeira e sobranceira Valletta que conduz os destinos da ilha. A Mdina coube a tranquilidade da sua monumentalidade.
Solovestsky Outonal
Ilhas
Ilhas Solovetsky, Rússia

A Ilha-Mãe do Arquipélago Gulag

Acolheu um dos domínios religiosos ortodoxos mais poderosos da Rússia mas Lenine e Estaline transformaram-na num gulag. Com a queda da URSS, Solovestky recupera a paz e a sua espiritualidade.
Passageiros sobre a superfície gelada do Golfo de Bótnia, na base do quebra-gelo "Sampo", Finlândia
Inverno Branco
Kemi, Finlândia

Não é Nenhum “Barco do Amor”. Quebra Gelo desde 1961

Construído para manter vias navegáveis sob o Inverno árctico mais extremo, o quebra-gelo Sampo” cumpriu a sua missão entre a Finlândia e a Suécia durante 30 anos. Em 1988, reformou-se e dedicou-se a viagens mais curtas que permitem aos passageiros flutuar num canal recém-aberto do Golfo de Bótnia, dentro de fatos que, mais que especiais, parecem espaciais.
Sombra vs Luz
Literatura
Quioto, Japão

O Templo de Quioto que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.
Foz incandescente, Grande Ilha Havai, Parque Nacional Vulcoes, rios de Lava
Natureza
Big Island, Havai

Grande Ilha do Havai: À Procura de Rios de Lava

São cinco os vulcões que fazem da ilha grande Havai aumentar de dia para dia. O Kilauea, o mais activo à face da Terra, liberta lava em permanência. Apesar disso, vivemos uma espécie de epopeia para a vislumbrar.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Iguana em Tulum, Quintana Roo, México
Parques Naturais
Iucatão, México

A Lei de Murphy Sideral que Condenou os Dinossauros

Cientistas que estudam a cratera provocada pelo impacto de um meteorito há 66 milhões de anos chegaram a uma conclusão arrebatadora: deu-se exatamente sobre uma secção dos 13% da superfície terrestre suscetíveis a tal devastação. Trata-se de uma zona limiar da península mexicana de Iucatão que um capricho da evolução das espécies nos permitiu visitar.
Uxmal, Iucatão, capital Maia, a Pirâmide do Adivinho
Património Mundial UNESCO
Uxmal, Iucatão, México

A Capital Maia que Se Empilhou Até ao Colapso

O termo Uxmal significa construída três vezes. Na longa era pré-Hispânica de disputa do mundo Maia, a cidade teve o seu apogeu, correspondente ao cimo da Pirâmide do Adivinho no seu âmago. Terá sido abandonada antes da Conquista Espanhola do Iucatão. As suas ruínas são das mais intactas da Península do Iucatão.
Vista do topo do Monte Vaea e do tumulo, vila vailima, Robert Louis Stevenson, Upolu, Samoa
Personagens
Upolu, Samoa

A Ilha do Tesouro de Stevenson

Aos 30 anos, o escritor escocês começou a procurar um lugar que o salvasse do seu corpo amaldiçoado. Em Upolu e nos samoanos, encontrou um refúgio acolhedor a que entregou a sua vida de alma e coração.
Lançamento de rede, ilha de Ouvéa-Ilhas Lealdade, Nova Caledónia
Praias
Ouvéa, Nova Caledónia

Entre a Lealdade e a Liberdade

A Nova Caledónia sempre questionou a integração na longínqua França. Na ilha de Ouvéa, arquipélago das Lealdade, encontramos uma história de resistência mas também nativos que preferem a cidadania e os privilégios francófonos.
Kremlin de Rostov Veliky, Rússia
Religião
Rostov Veliky, Rússia

Sob as Cúpulas da Alma Russa

É uma das mais antigas e importantes cidades medievais, fundada durante as origens ainda pagãs da nação dos czares. No fim do século XV, incorporada no Grande Ducado de Moscovo, tornou-se um centro imponente da religiosidade ortodoxa. Hoje, só o esplendor do kremlin moscovita suplanta o da cidadela da tranquila e pitoresca Rostov Veliky.
A Toy Train story
Sobre Carris
Siliguri a Darjeeling, Índia

Ainda Circula a Sério o Comboio Himalaia de Brincar

Nem o forte declive de alguns tramos nem a modernidade o detêm. De Siliguri, no sopé tropical da grande cordilheira asiática, a Darjeeling, já com os seus picos cimeiros à vista, o mais famoso dos Toy Trains indianos assegura há 117 anos, dia após dia, um árduo percurso de sonho. De viagem pela zona, subimos a bordo e deixamo-nos encantar.
Bufalos, ilha do Marajo, Brasil, búfalos da polícia de Soure
Sociedade
Ilha do Marajó, Brasil

A Ilha dos Búfalos

Uma embarcação que transportava búfalos da Índia terá naufragado na foz do rio Amazonas. Hoje, a ilha de Marajó que os acolheu tem uma das maiores manadas do mundo e o Brasil já não passa sem estes bovídeos.
Vendedores de fruta, Enxame, Moçambique
Vida Quotidiana
Enxame, Moçambique

Área de Serviço à Moda Moçambicana

Repete-se em quase todas as paragens em povoações de Moçambique dignas de aparecer nos mapas. O machimbombo (autocarro) detém-se e é cercado por uma multidão de empresários ansiosos. Os produtos oferecidos podem ser universais como água ou bolachas ou típicos da zona. Nesta região a uns quilómetros de Nampula, as vendas de fruta eram sucediam-se, sempre bastante intensas.
Cabo da Cruz, colónia focas, cape cross focas, Namíbia
Vida Selvagem
Cape Cross, Namíbia

A Mais Tumultuosa das Colónias Africanas

Diogo Cão desembarcou neste cabo de África em 1486, instalou um padrão e fez meia-volta. O litoral imediato a norte e a sul, foi alemão, sul-africano e, por fim, namibiano. Indiferente às sucessivas transferências de nacionalidade, uma das maiores colónias de focas do mundo manteve ali o seu domínio e anima-o com latidos marinhos ensurdecedores e intermináveis embirrações.
The Sounds, Fiordland National Park, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Fiordland, Nova Zelândia

Os Fiordes dos Antipodas

Um capricho geológico fez da região de Fiordland a mais crua e imponente da Nova Zelândia. Ano após anos, muitos milhares de visitantes veneram o sub-domínio retalhado entre Te Anau e Milford Sound.
EN FR PT ES