Chile


Ilha da Páscoa, Chile
A Descolagem e a Queda do Culto do Homem-Pássaro
Até ao século XVI, os nativos da Ilha da Páscoa esculpiram e idolatraram enormes deuses de pedra. De um momento para o outro, começaram a derrubar os seus moais. Sucedeu-se a veneração de tangatu manu, um líder meio humano meio sagrado, decretado após uma competição dramática pela conquista de um ovo.

El Tatio, Chile

Uma Ida a Banhos Andina

Envolto de vulcões supremos, o campo geotermal de El Tatio surge como uma miragem dantesca de enxofre e vapor a uns gélidos 4300 m de altitude. Os seus geiseres e fumarolas atraem hordas de viajantes. Ditou o tempo que uma das mais concorridas celebrações dos Andes e do Deserto do Atacama passasse por lá partilharem uma piscina aquecida a 30º pelas profundezas da Terra.

PN Torres del Paine, Chile

A Mais Dramática das Patagónias

Em nenhuma outra parte os confins austrais da América do Sul se revelam tão arrebatadores como na cordilheira de Paine. Ali, um castro natural de colossos de granito envolto de lagos e glaciares projecta-se da pampa e submete-se aos caprichos da meteorologia e da luz. 

Ilha da Páscoa, Chile

Sob o Olhar dos Moais

Rapa Nui foi descoberta pelos europeus no dia de Páscoa de 1722. Mas, se o nome cristão da ilha faz todo o sentido, a civilização que a colonizou de estátuas observadoras permanece envolta em mistério

San Pedro de Atacama, Chile

O Oásis dos Gringos

Os conquistadores espanhóis tinham partido e o comboio desviou as caravanas de gado e nitrato. San Pedro recuperava a paz mas uma horda de forasteiros à descoberta da América do Sul invadiu o pueblo.

Ilha Robinson Crusoe, Chile

Na Pele do Verdadeiro Robinson Crusoe

A principal ilha do arquipélago Juan Fernández foi abrigo de piratas e tesouros. A sua história fez-se de aventuras como a de Alexander Selkirk, o marinheiro abandonado que inspirou o romance de Dafoe

Deserto de Atacama, Chile

A Vida nos Limites

Quando menos se espera, o lugar mais seco do mundo revela novos cenários extraterrestres numa fronteira entre o inóspito e o acolhedor, o estéril e o fértil que os nativos se habituaram a atravessar.

Puerto Natales-Puerto Montt, Chile

Cruzeiro num Cargueiro

Após longa pedinchice de mochileiros, a companhia chilena NAVIMAG decidiu admiti-los a bordo. Desde então, muitos viajantes exploraram os canais da Patagónia, lado a lado com contentores e gado.

Pucón, Chile

A Brincar com o Fogo

Pucón abusa da confiança da natureza e prospera no sopé da montanha Villarrica.Seguimos este mau exemplo por trilhos gelados e conquistamos a cratera de um dos vulcões mais activos da América do Sul.

Voo marinho
Ilha da Páscoa, Chile

A Descolagem e a Queda do Culto do Homem-Pássaro

Até ao século XVI, os nativos da Ilha da Páscoa esculpiram e idolatraram enormes deuses de pedra. De um momento para o outro, começaram a derrubar os seus moais. Sucedeu-se a veneração de tangatu manu, um líder meio humano meio sagrado, decretado após uma competição dramática pela conquista de um ovo.
Campo de géiseres

El Tatio, Chile

Uma Ida a Banhos Andina

Envolto de vulcões supremos, o campo geotermal de El Tatio surge como uma miragem dantesca de enxofre e vapor a uns gélidos 4300 m de altitude. Os seus geiseres e fumarolas atraem hordas de viajantes. Ditou o tempo que uma das mais concorridas celebrações dos Andes e do Deserto do Atacama passasse por lá partilharem uma piscina aquecida a 30º pelas profundezas da Terra.

Torres del Paine I

PN Torres del Paine, Chile

A Mais Dramática das Patagónias

Em nenhuma outra parte os confins austrais da América do Sul se revelam tão arrebatadores como na cordilheira de Paine. Ali, um castro natural de colossos de granito envolto de lagos e glaciares projecta-se da pampa e submete-se aos caprichos da meteorologia e da luz. 

Vítima do Destino

Ilha da Páscoa, Chile

Sob o Olhar dos Moais

Rapa Nui foi descoberta pelos europeus no dia de Páscoa de 1722. Mas, se o nome cristão da ilha faz todo o sentido, a civilização que a colonizou de estátuas observadoras permanece envolta em mistério

La Casona

San Pedro de Atacama, Chile

O Oásis dos Gringos

Os conquistadores espanhóis tinham partido e o comboio desviou as caravanas de gado e nitrato. San Pedro recuperava a paz mas uma horda de forasteiros à descoberta da América do Sul invadiu o pueblo.

Vista de Selkirk

Ilha Robinson Crusoe, Chile

Na Pele do Verdadeiro Robinson Crusoe

A principal ilha do arquipélago Juan Fernández foi abrigo de piratas e tesouros. A sua história fez-se de aventuras como a de Alexander Selkirk, o marinheiro abandonado que inspirou o romance de Dafoe

Mapa


Como ir


VISTOS E OUTROS PROCEDIMENTOS

Os cidadãos portugueses não necessitam de visto para visitas turísticas e obtêm autorização de permanência para 90 dias.

CUIDADOS DE SAÚDE

O Chile não requer nenhuma vacina em particular para conceder a entrada de visitantes. Não existe malária no país. 

Não suba às terras mais elevadas da cordilheira andina de forma brusca – viagem gradual no mínimo de 1 ou 2 dias – por forma a evitar o mal de altitude.

Para mais informações sobre saúde em viagem, consulte o Portal da Saúde do Ministério da Saúde e Clínica de Medicina Tropical e do Viajante. Em FitForTravel encontra conselhos de saúde e prevenção de doenças específicas de cada país (em língua inglesa).

VIAGEM PARA O CHILE

Voe com a TAP (tel.: 707 205 700) para o Rio de Janeiro e, desta cidade, com a Lan Chile, para Santiago do Chile por a partir de 1.000€.

A não perder


  • Deserto de Atacama
  • ​Arica
  • Parque Nacional Lauca
  • ​Santiago
  • Chillán
  • ​Pucon & vulção Villarica
  • Arquipélago Juan Fernández
  • ​Valdívia
  • Ilha de Chiloé​
  • ​Parque Nacional Torres del Paine
  • Cruzeiro NAVIMAG pelos fiordes da Patagónia chilena
  • Terra do Fogo chilena
  • Ilha da Páscoa

Explorar


VOOS INTERNOS

A companhia aérea Lan Chile opera a quase totalidade dos voos domésticos. A inexistência de empresas concorrentes faz com que os preços dos voos se mantenham consideravelmente altos. Muito graças à ausência de concorrência, será difícil encontrar um voo doméstico no Chile a menos de 100€, mesmo para as rotas mais curtas.

A Lan também voa regularmente para a ilha da Páscoa, o território chileno mais afastado da América do Sul e a ilha mais isolada do Mundo. O preço normal ronda os 400€ mas pode encontrar voos por menos durante a época baixa e em certos períodos promocionais.

As companhias ATA e Lassa voam ainda para o arquipélago Juan Fernandez, um grupo de ilhas fascinantes – incluindo a Robinson Crusoe – a 600 km de Valparaíso, na costa chilena. O voo de ida e volta custa cerca de 500€.

ALUGUER DE VIATURA

É possível alugar carro nos aeroportos e outros balcões de rent a car das principais cidades chilenas. Veículos alugados terão um custo mínimo de 45€ a 55€ por dia para carros económicos de pequena dimensão, por vezes com apenas 150 ou 200 km diários incluídos a que se devem adicionar 0,50€ – 0,60€ por cada litro de gasolina, um pouco menos para o gasóleo.

As estradas chilenas principais têm uma qualidade bastante aceitável. Se planeia sair destas estradas e percorrer vias secundárias, alugue um jipe ou, no mínimo, um veículo com tracção às quatro rodas. As famosas estradas de “rípio” chilenas podem tornar-se muito escorregadias a seguir a uma longa chuvada ou nevão, já para não falar do possível gelo, no sul do país, durante os meses mais frios.

As duas principais estradas do Chile, a Carretera Austral e a Panamericana percorrem grande parte do país. A última sofreu melhoramentos mas foi equipada com portagens que cobram 1€ a 2€ por determinado tramo ou um valor fixo pela saída para determinada cidade.

O Chile garante condições aceitáveis de segurança para quem conduz carro, mota e até bicicleta. O trânsito nas cidades é substancialmente mais organizado e tranquilo que na Argentina e que no Brasil. Também é relativamente mais tranquila a condução na Panamericana e na Carretera Austral, ao longo do país.

AUTOCARRO

O Chile é percorrido por uma considerável frota de autocarros de longo curso. Poderá encontrar autocarros para virtualmente todas as regiões, excepto as mais remotas como os fiordes da Patagónia, o extremo sul da Terra do Fogo e a zona dos campos de gelo. Mais imformações e reservas em Omnilineas. Quase todas as empresas oferecem assentos normais e aquilo a que chamam salon cama, em que os passageiros podem dormir durante a viagem por um preço cerca de 30% mais elevado. Os preços das viagens de autocarro vão dos 4€ do percurso de Santiago do Chile para Valparaíso (2 horas) aos quase 100€ de Santiago para a longínqua Punta Arenas (60 horas).

BARCO

São várias as companhias de navegação que asseguram viagens de ferry principalmente na secção do Chile mais retalhada por fiordes e canais, para sul de Puerto Montt.

A título de exemplo, a NAVIMAG passou a admitir viajantes estrangeiros a bordo dos seus cargueiros-cruzeiros que percorrem os fiordes da Patagónia entre Puerto Natales (na proximidade das Torres del Paine), Puerto Montt e vice-versa. Estes percursos têm um custo aproximado de 290€ por passageiro/cama, para 3 noites de navegação.

Desde há algum tempo, opera também a rota Puerto Montt-Puerto Cachabuco. Saiba que, se viajar pelo Chile num veículo de duas ou 4 rodas, os ferries da NAVIMAG e de algumas outras companhias também o podem transportar em distintas rotas.

Outras rotas possíveis são: Puerto Montt – Chaitén; La Arena – Puelche; Hornopirén – Caleta Gonzalo; Pargua – ilha de Chiloé; Chiloé – Chaiten; Chiloé – Puerto Cachabuco; Puerto Ibañez – Chile Chico; Punta Arenas – Terra do Fogo; Puerto Williams – Ushuaia.

São operadas por Transmarchilay; Catamaranes del Sur; Naviera Sotramin; Mar del Sur e Tranbordadora Austral Broom

 

COMBOIO

A rede ferroviária do Chile foi recentemente remodelada e aumentada mas continua a provar-se pouco competitiva face à dos autocarros. É mais lenta, mais cara e, na maior parte dos casos, tão ou menos confortável. Existem ligações ferroviárias internacionais com a Bolívia (Arica – La Paz) e o Peru (Arica – Tacna). Mais informações em EFE.

Quando ir


O estreito e comprido Chile estende-se por uma vasta latitude. Como tal, apresenta distintos padrões meteorológicos, de norte para sul. Norte Grande e Norte Chico: apesar de desérticas ou semi-desérticas, estas regiões e, em particular, o Deserto do Atacama, apresentam temperaturas médias moderadas, de 15ºC a 23ºC. Tenha, no entanto, em conta que as zonas mais elevadas na proximidade da cordilheira Andina e da fronteira com a Argentina podem ser bastante mais frias. Chile Central e Distrito de Los Lagos: é Verão nesta zona e para sul, de Dezembro a Fevereiro. A época mais chuvosa vai de Maio a Agosto. Chiloe, Aisen, Magallanes e Terra do Fogo: visite apenas durante o fim da Primavera, Verão e início do Outono se não quer sofrer com temperaturas muito abaixo de 0ºC, ventos, chuvas e/ou nevões fustigantes e incessantes. Mesmo nestes períodos, não é garantido que se vá sentir sempre confortável.

Dinheiro e Custos


A moeda local é o Peso chileno (CLP). Pagamentos com os cartões de crédito e débito mais populares são possíveis nos estabelecimentos mais modernos, principalmente nas maiores povoações.

ALOJAMENTO 

O âmbito vai de pousadas e guest houses (hospedajes) básicas para mochileiros, com diárias de 20€ em quarto duplo, aos resorts sofisticados situados nos lugares mais turísticos do país, como a cadeia Explora em que 4 dias com tudo incluído podem custar 3 ou 4 mil euros.

ALIMENTAÇÃO 

Refeições desde 3€ ou 4€ nas bancas e restaurantes dos mercados tradicionais a centenas de euros nos restaurantes mais sofisticados de Santiago.

INTERNET 

Mesmo tendo em conta a sua dimensão, a interminável latitude e o vasto território remoto, o Chile é servido por uma rede de Internet bastante aceitável com casas de Internet até nas povoações mais diminutas. O preço pela navegação vai de 1.50€ a 3€ à hora. Quanto mais longe das grande povoações e, especialmente, quanto mais para sul, mais lenta será a Internet.