El Tatio, Chile

Géiseres El Tatio – Entre o Gelo e o Calor do Atacama


Campo Geiseres de El Tatio
El Tatio é considerado um dos campos de géiseres maiores e mais elevado da América do Sul e do mundo. São mais de 80 géiseres a uma altitude de 4.200 metros.
Capela de adobe
Uma capela à beira da estrada a meio do caminho para El Tatio.
Grande Coiron
Um coiron de dimensões consideráveis destaca-se entre pares nas terras gélidas do altiplano andino.
Coirones
Um tufo dourado de coiron, os arbustos resistentes que abundam nas terras altas da cordilheira Andina
Caudas de Raposa ou Limpa-garrafas
Pormenor da vegetação que fecha as lagoas aquecidas das termas de Puritana
Cruz de lã
Uma cruz vestida de lã coroa uma capela campesina num lugarejo perdido no nada a caminho de El Tatio.
Água a ferver
Um dos muitos géiseres de El Tatio, agrupados a mais de 4.200 metros de altitude.
Descolagem
Bando de flamingos levanta voo da lagoa gélida em que se alimentava.
Lagoa dos flamingos
Flamingos numa lagoa que tem a água congelada e os aprisiona, durante a noite, até ao nascer do sol.
Entre o Gelo e o Calor
Gelo formado pelo congelamento da água em ebulição projectada pelos géiseres de El Tatio
Lama Decorado
Um lama marcado e abençoado com enfeites de lã colocados pelos donos.
Trio de Camelídeos do Atacama
Manadas de lamas, vicunhas e alpacas são avistadas com frequência nas terras altas em redor de El Tatio.
Silhuetas
Silhuetas bem desenhadas contra o vapor libertado pelos géiseres de El Tatio.
O SPA de El Tatio
Banhistas partilham a àgua quente de uma das lagoas de El Tatio, enquanto, em redor, a temperatura permanece negativa e há gelo no solo.
A recompensa
Silhuetas de viajantes que se banham nas águas revigorantes das termas de El Tatio.
Lagoa de Puritana
Visitantes descontraem numa das lagoas aquecidas das Termas de Puritama, entre San Pedro de Atacama e o vulcão Putana.
Geiser de El Tatio
Geiser de El Tatio projecta água fervente e sulfurosa.
Outro Geiser de El Tatio
Geiser projecta calor e vapor do solo pedregoso do Altiplano de Atacama.
Envolto de vulcões supremos, o campo geotermal de El Tatio, no Deserto de Atacama surge como uma miragem dantesca de enxofre e vapor a uns gélidos 4200 m de altitude. Os seus géiseres e fumarolas atraem hordas de viajantes.

O Explora Atacama, um dos hotéis mais conceituados de San Pedro de Atacama, faz acompanhar os seus jantares caprichados e sofisticados, com alguns dos melhores vinhos chilenos.

Assim regados, os repastos deleitam e alegram os hóspedes sem reservas. Mas vão mal com as horas madrugadoras a que saem as excursões para que se alistam.

A carrinha parte do pátio – antiga cavalariça de San Pedro de Atacama – no escuro das 5h30, mais de duas horas antes da aurora.

Deixa a cidade. Aos poucos, avança paralela à fronteira com a Bolívia e ao sector andino de montanhas e vulcões que a estabelece. Sem conseguir vislumbrar nada dos cenários em redor, boa parte dos oito passageiros da carrinha deixam-se dormitar.

A Ascensão Atacamenha para o Planalto de El Tatio

Uma alba ténue inaugura o dia. Nicholas, o guia, decide poupar-nos ao desperdício e acorda a comitiva. Por essa altura, contornamos uma lagoa rasa, habitada por flamingos, patos selvagens e outras aves menos vistosas.

Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Flamingos numa lagoa que tem a água congelada e os aprisiona, durante a noite, até ao nascer do sol.

Nicholas aproveita o pretexto para nos despertar também a atenção. “Amigos, olhem bem para a passarada… vai parecer-vos que estou a inventar mas, nestas lagoas, nas noites frias, as aves dormem com as patas presas no gelo. Só se soltam de manhã – ou seja daqui a pouco – quando o sol o voltar a derreter.”

Não tínhamos nem como o comprovar, nem razão para duvidar. Fenómenos não faltavam à região, muito para lá da aridez recordista do deserto de Atacama.

Continuamos a subir por desfiladeiros pejados de cactos.

Cruzamos aldeias de adobe e cal com as suas casas e igrejinhas pitorescas de adobe e telhado de colme, abençoadas por cruzes que os nativos vestem de lã garrida.

Cruz de lã, Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Uma cruz vestida de lã coroa uma capela campesina num lugarejo perdido no nada a caminho de El Tatio.

E atingimos a puna de Atacama, o planalto andino por norma assim considerado acima dos 4000 metros.

Avistamos manadas de vicunhas e lamas, alguns enfeitados por berloques de lã colorida dependurados das orelhas. São- lhes colocados pelos indígenas, em cerimónias dedicadas, à laia de bênção, de identificação e de propriedade.

Os camelídeos que admiramos pastam entre coirones, também conhecidos por palha brava, os arbustos rasteiros resistentes à secura e ao frio que pintam de amarelo a vastidão.

Coirones, Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Um tufo dourado de coiron, os arbustos resistentes que abundam nas terras altas da cordilheira Andina

Entre Géiseres e Fumarolas. O Campo Geotermal Excêntrico de El Tatio

Quase 100 km e duas horas após San Pedro de Atacama, já o sol se exibia em pleno esplendor, detectamos colunas de fumo à distância e em contraluz. De início, confundem-se com o produto de pequenos fogos.

À medida que nos aproximamos, desvendamos uma profusão dantesca de géiseres fervilhantes e fumarolas.

Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

El Tatio é considerado um dos campos de géiseres maiores e mais elevado da América do Sul e do mundo. São mais de 80 géiseres a uma altitude de 4.200 metros.

Percorrem-na vultos humanos que caminham entre as cortinas de vapor dançantes. Os indígenas habituaram-se a tratar este cenário surreal por El Tatio “o velho que chora” ou “o avô que chora”, no dialecto kunza que usaram no altiplano dividido entre o Chile, a Bolívia e a Argentina.

O kunza extinguiu-se algures durante o século XIX, abafado pela disseminação do castelhano imposta pelos colonos hispânicos. Ainda assim, o nome El Tatio passou de geração em geração. Aliás, divulgado às costas dos gringos mochileiros, eternizou-se á escala mundial.

Tínhamos chegado ao maior campo geotermal dos Andes e do Hemisfério Sul, com uma área de 10km². É o terceiro maior do mundo a seguir ao de Yellowstone (E.U.A.) e do de Dolina Geizerov, integrante da reserva nacional de biosfera Kronotsky, na península de Kamchatka, o extremo oriental da Rússia.

Aos seus 4300 metros de altitude, El Tatio é também o alegado campo geotermal mais elevado à face da Terra, com a eventual disputa do boliviano Sol de Mañana, um campo entre os 4800 e os 5000 metros mas composto quase só de poços de lama que libertam vapor e enxofre.

Geiser de El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Geiser projecta calor e vapor do solo pedregoso do Altiplano de Atacama.

A vizinha Bolívia insinua-se ali ao lado, a leste da fronteira estabelecida pelo complexo vulcânico Altiplano-Puna, um conglomerado de estratovulcões e velhas caldeiras que, em tempos pré-históricos, estiveram na base de gigantescas erupções.

Por comparação, o legado desta actividade vulcânica é diminuto.

Os geiseres de El Tatio, projectam as suas erupções a uma altura média inferior a um metro e máxima de cinco metros, distâncias apenas insignificantes se tivermos em conta o recorde mundial do geiser Steamboat de Yellowstone: 91 metros.

Uma Lagoa, Dezenas de Viajantes num Êxtase Geotérmico

À chegada, El Tatio e, em particular, a sua piscina termal geravam sucessivas manifestações de alívio e regozijo em dezenas de viajantes que se haviam adiantado e se banhavam numa espécie de jacuzzi natural.

Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Banhistas partilham a àgua quente de uma das lagoas de El Tatio, enquanto, em redor, a temperatura permanece negativa e há gelo no solo.

Só àquela hora a temperatura exterior subia para positiva. Conseguíamos comprová-lo pelo súbito derretimento do gelo em redor de muitos dos oitenta géiseres.

Entre o vestido e o despido arrastava-se, assim, um lapso de sofrimento incontornável que os banhistas enfrentavam. Uns com coragem, outros com pura inconsciência.

Os 30º a que brotava a água tudo faziam esquecer: o despertar madrugador, a viagem aos solavancos e até a dor de cabeça que, pelo menos em alguns dos forasteiros, o mal da montanha e eventuais excessos alcoólicos da noite anterior, começavam a causar.

O aconchego térmico da lagoa garantia um aconchego ritualizado, libertador e gerador das mais cálidas cavaqueiras.

Certos banhistas estavam há mais tempo no Atacama. Eram já repetentes nas incursões às terras elevadas na orla leste do deserto na fronteira com a Argentina e a Bolívia.

Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Silhuetas de viajantes que se banham nas águas revigorantes das termas de El Tatio.

Uns poucos, teriam inclusive subido a vulcões exuberantes como o Cerro Toco, o activo Lascar, o Licancabur ou o vizinho Sairecabur, os três últimos a roçarem os 6.000 metros de altitude.

Para estes gringos, a recompensa da água quente duraria o que durasse, ou o que os guias deixassem prolongar. No caso dos estreantes, teria que terminar dentro em pouco. Os guias – pelo menos eles – sabiam quão traiçoeira se podia revelar o mal da montanha. E o quanto faria os clientes sofrer.

Os Microrganismos Extremófilos do Deserto de Atacama

Outros organismos, microscópicos, bem mais resistentes às condições adversas e que usufruíam daquelas águas sulfurosas levam-nos de volta ao caracter fenomenal do Deserto do Atacama e redondezas.

Em 2003, uma comitiva multinacional de cientistas da NASA e da Universidade norte-americana Carnegie Mellon instalou-se no Atacama com o propósito de implementar a Life in the Atacama, um programa de aperfeiçoamento de veículos robóticos rover que preparavam para utilizar na missão astrobiológica Spirit.

Após aturada investigação, os cientistas concluíram que só no Atacama tinham encontrado espaços sem qualquer tipo de vida. Foi, assim, decretado o lugar à face da Terra mais similar a Marte.

Em simultâneo, expressões orgânicas encontradas em redor provaram-se análogas das presentes nos primórdios da Terra, eventualmente, também na existência passada de Marte.

Bem mais adaptados e confortáveis que os viajantes que repartiam a piscina, estes ditos organismos extremófilos proliferam há milhões de anos nas chaminés do campo geotermal. Não consta que o mal da montanha lhes cause qualquer incómodo.

No caso particular de El Tatio, os organismos resistentes às altas temperaturas da água sobrevivem em até 74ºC dos 86ºC registados em certos géiseres, a temperatura de ebulição à altitude local.

Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Um dos muitos géiseres de El Tatio, agrupados a mais de 4.200 metros de altitude.

Geram uma espécie de tapetes microbiais que se transformam num excêntrico sínter, um depósito silicioso ou calcário derivado da compactação de micropartículas a temperaturas inferiores às da fusão.

A Microbiololgia de El Tatio vs a de HomePlate, em Marte

Ora, esquivando-nos a mais meandros obscuros da Física e da Química, o fascínio advém de várias destas microestruturas presentes em El Tatio serem semelhantes às encontradas em HomePlate, uma meseta marciana com 90 metros documentada pela missão Spirit, de 2006 a 2010.

Vasculhou-a o rover homónimo até que, em Março de 2010, se atascou num solo granulado da vertente nordeste da formação. Ficou, assim, por provar que os depósitos lá detectados eram, como os de El Tatio, biogenéticos.

Dita o padrão meteorológico de El Tátio que, por volta das 8h30, ventos ascendentes façam dispersar o vapor resplandecente pela superfície do planalto.

A luminosidade fulgurante que se instala reduz a visibilidade e torna os passeios entre os geiseres e chaminés mais arriscados que nunca.

Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Silhuetas bem desenhadas contra o vapor libertado pelos géiseres de El Tatio.

Nesse dia não foi diferente. Alguns banhistas persistentes ou que adiavam a nova submissão ao frio exterior, mantinham-se de molho.

A maior parte, não tardou a debandar da piscina termal e apontou a aldeias atacamenhas da região, a Caspana, a Toconce, Ayquina, Chiu Chiu ou outras.

Capela de adobe, Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Uma capela à beira da estrada a meio do caminho para El Tatio.

Nós, aceitámos o repto de Nicholas. Inauguramos o regresso ao pueblo de San Pedro com paragens estratégicas de que, tal como nos prometera o guia, não nos arrependemos.

El Tatio não era o único campo geotermal da região. Na eminência de Guatin e dos seus desfiladeiros ressequidos salpicados de cactos, detemo-nos numas tais de termas de Puritama.

Estávamos quase mil metros abaixo de El Tatio. Com o sol bem subido no horizonte, a temperatura ambiente tinha-se amornado. Puritama podia não partilhar da exuberância vaporosa do campo de géiseres.

Contava, no entanto, com uma série de lagoas naturais que se sucediam de cima para baixo no leito de um riacho, envoltas de uma floresta excêntrica de colas de zorro (caudas de raposa), assim tratam os hispânicos os penacheiros, também conhecidos por limpa-garrafas por razões que ressaltam do seu visual.

A profusão das plantas formava sebes densas e circulares que envolviam cada uma das lagoas. Concediam-lhes uma atmosfera de retiro contrastante com a que tínhamos sentido em El Tatio.

Lagoa de Puritana, Geisers El Tatio, Atacama, Chile, Entre o gelo e o calor

Visitantes descontraem numa das lagoas aquecidas das Termas de Puritama, entre San Pedro de Atacama e o vulcão Putana.

Em tempos, os indígenas atacamenhos recorriam às suas águas repletas de sulfato de sódio para recuperarem de fadiga, de artrites e reumatismos.

Pouco ou nada dormidos nas noites anteriores, desgastados das sucessivas excursões e caminhadas, considerámos justificada a primeira das indicações.

Voltámos a despir-nos. Enfiámo-nos numa lagoa sem vivalma. Recuperámos a alma e o corpo até à pele se encarquilhar e San Pedro de Atacama nos reclamar.

Ilha da Páscoa, Chile

A Descolagem e a Queda do Culto do Homem-Pássaro

Até ao século XVI, os nativos da Ilha da Páscoa esculpiram e idolatraram enormes deuses de pedra. De um momento para o outro, começaram a derrubar os seus moais. Sucedeu-se a veneração de tangatu manu, um líder meio humano meio sagrado, decretado após uma competição dramática pela conquista de um ovo.
PN Torres del Paine, Chile

A Mais Dramática das Patagónias

Em nenhuma outra parte os confins austrais da América do Sul se revelam tão arrebatadores como na cordilheira de Paine. Ali, um castro natural de colossos de granito envolto de lagos e glaciares projecta-se da pampa e submete-se aos caprichos da meteorologia e da luz.
Rapa Nui - Ilha da Páscoa, Chile

Sob o Olhar dos Moais

Rapa Nui foi descoberta pelos europeus no dia de Páscoa de 1722. Mas, se o nome cristão ilha da Páscoa faz todo o sentido, a civilização que a colonizou de moais observadores permanece envolta em mistério.
San Pedro de Atacama, Chile

São Pedro de Atacama: a Vida em Adobe no Mais Árido dos Desertos

Os conquistadores espanhóis tinham partido e o comboio desviou as caravanas de gado e nitrato. San Pedro recuperava a paz mas uma horda de forasteiros à descoberta da América do Sul invadiu o pueblo.
Deserto de Atacama, Chile

A Vida nos Limites do Deserto de Atacama

Quando menos se espera, o lugar mais seco do mundo revela novos cenários extraterrestres numa fronteira entre o inóspito e o acolhedor, o estéril e o fértil que os nativos se habituaram a atravessar.
Saariselka, Finlândia

O Delicioso Calor do Árctico

Diz-se que os finlandeses criaram os SMS para não terem que falar. O imaginário dos nórdicos frios perde-se na névoa das suas amadas saunas, verdadeiras sessões de terapia física e social.
Bandeiras de oração em Ghyaru, Nepal
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 4º – Upper Pisang a Ngawal, Nepal

Do Pesadelo ao Deslumbre

Sem que estivéssemos avisados, confrontamo-nos com uma subida que nos leva ao desespero. Puxamos ao máximo pelas forças e alcançamos Ghyaru onde nos sentimos mais próximos que nunca dos Annapurnas. O resto do caminho para Ngawal soube como uma espécie de extensão da recompensa.
Arquitectura & Design
Cemitérios

A Última Morada

Dos sepulcros grandiosos de Novodevichy, em Moscovo, às ossadas maias encaixotadas de Pomuch, na província mexicana de Campeche, cada povo ostenta a sua forma de vida. Até na morte.
Pleno Dog Mushing
Aventura
Seward, Alasca

O Dog Mushing Estival do Alasca

Estão quase 30º e os glaciares degelam. No Alasca, os empresários têm pouco tempo para enriquecer. Até ao fim de Agosto, o dog mushing não pode parar.
Cerimónias e Festividades
Militares

Defensores das Suas Pátrias

Mesmo em tempos de paz, detectamos militares por todo o lado. A postos, nas cidades, cumprem missões rotineiras que requerem rigor e paciência.
Goiás Velho, Legado da Febre do ouro, Brasil
Cidades
Goiás Velho, Brasil

Um Legado da Febre do Ouro

Dois séculos após o apogeu da prospecção, perdida no tempo e na vastidão do Planalto Central, Goiás estima a sua admirável arquitectura colonial, a riqueza supreendente que ali continua por descobrir.
Cacau, Chocolate, Sao Tome Principe, roça Água Izé
Comida
São Tomé e Príncipe

Roças de Cacau, Corallo e a Fábrica de Chocolate

No início do séc. XX, São Tomé e Príncipe geravam mais cacau que qualquer outro território. Graças à dedicação de alguns empreendedores, a produção subsiste e as duas ilhas sabem ao melhor chocolate.
Cultura
Apia, Samoa Ocidental

Fia Fia – Folclore Polinésio de Alta Rotação

Da Nova Zelândia à Ilha da Páscoa e daqui ao Havai, contam-se muitas variações de danças polinésias. As noites samoanas de Fia Fia, em particular, são animadas por um dos estilos mais acelerados.
Corrida de Renas , Kings Cup, Inari, Finlândia
Desporto
Inari, Finlândia

A Corrida Mais Louca do Topo do Mundo

Há séculos que os lapões da Finlândia competem a reboque das suas renas. Na final da Kings Cup - Porokuninkuusajot - , confrontam-se a grande velocidade, bem acima do Círculo Polar Ártico e muito abaixo de zero.
Casario sofisticado de Tóquio, onde o Couchsurfing e os seus anfitriões abundam.
Em Viagem
Couchsurfing (Parte 1)

Mi Casa, Su Casa

Em 2003, uma nova comunidade online globalizou um antigo cenário de hospitalidade, convívio e de interesses. Hoje, o Couchsurfing acolhe milhões de viajantes, mas não deve ser praticado de ânimo leve.
Cowboys basotho, Malealea, Lesoto
Étnico
Malealea, Lesoto

A Vida no Reino Africano dos Céus

O Lesoto é o único estado independente situado na íntegra acima dos mil metros. Também é um dos países no fundo do ranking mundial de desenvolvimento humano. O seu povo altivo resiste à modernidade e a todas as adversidades no cimo da Terra grandioso mas inóspito que lhe calhou.
Vista para ilha de Fa, Tonga, Última Monarquia da Polinésia
Portfólio Fotográfico Got2Globe

Sinais Exóticos de Vida

Vaca cachena em Valdreu, Terras de Bouro, Portugal
História
Campos de Gerês -Terras de Bouro, Portugal

Pelos Campos do Gerês e as Terras de Bouro

Prosseguimos num périplo longo e ziguezagueante pelos domínios da Peneda-Gerês e de Bouro, dentro e fora do nosso único Parque Nacional. Nesta que é uma das zonas mais idolatradas do norte português.
Vanuatu, Cruzeiro em Wala
Ilhas
Wala, Vanuatu

Cruzeiro à Vista, a Feira Assenta Arraiais

Em grande parte de Vanuatu, os dias de “bons selvagens” da população ficaram para trás. Em tempos incompreendido e negligenciado, o dinheiro ganhou valor. E quando os grandes navios com turistas chegam ao largo de Malekuka, os nativos concentram-se em Wala e em facturar.
lago ala juumajarvi, parque nacional oulanka, finlandia
Inverno Branco
Kuusamo ao PN Oulanka, Finlândia

Sob o Encanto Gélido do Árctico

Estamos a 66º Norte e às portas da Lapónia. Por estes lados, a paisagem branca é de todos e de ninguém como as árvores cobertas de neve, o frio atroz e a noite sem fim.
Na pista de Crime e Castigo, Sao Petersburgo, Russia, Vladimirskaya
Literatura
São Petersburgo, Rússia

Na Pista de “Crime e Castigo”

Em São Petersburgo, não resistimos a investigar a inspiração para as personagens vis do romance mais famoso de Fiódor Dostoiévski: as suas próprias lástimas e as misérias de certos concidadãos.
Terraços de Sistelo, Serra do Soajo, Arcos de Valdevez, Minho, Portugal
Natureza
Sistelo, Peneda-Gerês, Portugal

Do “Pequeno Tibete Português” às Fortalezas do Milho

Deixamos as fragas da Srª da Peneda, rumo a Arcos de ValdeVez e às povoações que um imaginário erróneo apelidou de Pequeno Tibete Português. Dessas aldeias socalcadas, passamos por outras famosas por guardarem, como tesouros dourados e sagrados, as espigas que colhem. Caprichoso, o percurso revela-nos a natureza resplandecente e a fertilidade verdejante destas terras da Peneda-Gerês.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Fuga de Seljalandsfoss
Parques Naturais
Islândia

Ilha de Fogo, Gelo, Cascatas e Quedas de Água

A cascata suprema da Europa precipita-se na Islândia. Mas não é a única. Nesta ilha boreal, com chuva ou neve constantes e em plena batalha entre vulcões e glaciares, despenham-se torrentes sem fim.
Mirador de La Peña, El Hierro, Canárias, Espanha
Património Mundial UNESCO
El Hierro, Canárias

A Orla Vulcânica das Canárias e do Velho Mundo

Até Colombo ter chegado às Américas, El Hierro era vista como o limiar do mundo conhecido e, durante algum tempo, o Meridiano que o delimitava. Meio milénio depois, a derradeira ilha ocidental das Canárias fervilha de um vulcanismo exuberante.
Casal de visita a Mikhaylovskoe, povoação em que o escritor Alexander Pushkin tinha casa
Personagens
São Petersburgo e Mikhaylovskoe, Rússia

O Escritor que Sucumbiu ao Próprio Enredo

Alexander Pushkin é louvado por muitos como o maior poeta russo e o fundador da literatura russa moderna. Mas Pushkin também ditou um epílogo quase tragicómico da sua prolífica vida.
República Dominicana, Praia Bahia de Las Águilas, Pedernales. Parque Nacional Jaragua, Praia
Praias
Laguna Oviedo a Bahia de las Águilas, República Dominicana

Em Busca da Praia Dominicana Imaculada

Contra todas as probabilidades, um dos litorais dominicanos mais intocados também é dos mais remotos. À descoberta da província de Pedernales, deslumbramo-nos com o semi-desértico Parque Nacional Jaragua e com a pureza caribenha da Bahia de las Águilas.
Religião
Circuito Annapurna: 5º- Ngawal-BragaNepal

Rumo a Braga. A Nepalesa.

Passamos nova manhã de meteorologia gloriosa à descoberta de Ngawal. Segue-se um curto trajecto na direcção de Manang, a principal povoação no caminho para o zénite do circuito Annapurna. Ficamo-nos por Braga (Braka). A aldeola não tardaria a provar-se uma das suas mais inolvidáveis escalas.
Comboio Kuranda train, Cairns, Queensland, Australia
Sobre carris
Cairns-Kuranda, Austrália

Comboio para o Meio da Selva

Construído a partir de Cairns para salvar da fome mineiros isolados na floresta tropical por inundações, com o tempo, o Kuranda Railway tornou-se no ganha-pão de centenas de aussies alternativos.
Sociedade
Profissões Árduas

O Pão que o Diabo Amassou

O trabalho é essencial à maior parte das vidas. Mas, certos trabalhos impõem um grau de esforço, monotonia ou perigosidade de que só alguns eleitos estão à altura.
Retorno na mesma moeda
Vida Quotidiana
Dawki, Índia

Dawki, Dawki, Bangladesh à Vista

Descemos das terras altas e montanhosas de Meghalaya para as planas a sul e abaixo. Ali, o caudal translúcido e verde do Dawki faz de fronteira entre a Índia e o Bangladesh. Sob um calor húmido que há muito não sentíamos, o rio também atrai centenas de indianos e bangladeshianos entregues a uma pitoresca evasão.
femea e cria, passos grizzly, parque nacional katmai, alasca
Vida Selvagem
PN Katmai, Alasca

Nos Passos do Grizzly Man

Timothy Treadwell conviveu Verões a fio com os ursos de Katmai. Em viagem pelo Alasca, seguimos alguns dos seus trilhos mas, ao contrário do protector tresloucado da espécie, nunca fomos longe demais.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
EN FR PT ES