Las Vegas, E.U.A.

O Berço da Cidade do Pecado


Decoração de Luzes-Fremont Street-Las Vegas
Glitter Gulch
O famoso neon de Glitter Gulch que inspirou o outro nome porque é conhecida a Freemont Street.
A Voz da Noite
Vocalista de banda de hard-rock anima um público expectante.
Golden Nugget
Clientes contemplam a animação da Freemont Street de uma varanda do casino Golden Nugget
Sins, Sinners
Pregadores de uma igreja do Nevada, condenam a vida pecaminosa da Freemont Street
O Homem dos Cocktails
Barmen exibe as suas habilidades a uma Freemont Street sobrelotada.
Hard Rock
Guitarrista com visual exuberante enriquece mais um tema hard rock da sua banda.
Graceland
Capela casamenteira de Graceland, uma de várias em Las Vegas, a capital norte-americana dos casamentos.
Vegas Vic
Um dos neones mais emblemáticos da Freemont Street e de Las Vegas, o cowboy Vegas Vic.
Modo Can Can
Dançarinas can can animam a noite num dos casinos da Fremont Street.
Nem sempre a famosa Strip concentrou a atenção de Las Vegas. Muitos dos seus hotéis e casinos replicaram o glamour de néon da rua que antes mais se destacava, a Fremont Street.

A noite vai a meio mas não param de chegar motoqueiros.

Reno fica a mais de 700 km para noroeste do estado do Nevada, uma distância que não chega a importunar estes easy riders norte-americanos, perseguidores destemidos dos eventos que lhes dedicam as cidades mais luminosas e barulhentas do Faroeste dos EUA.

Na procedência, a festa tinha encerrado ao início da tarde. À hora a que chegávamos às imediações da Fremont Street, aquela rua e Las Vegas, em geral, ainda aqueciam.

Os bikers desmontavam e desentorpeciam as pernas e os braços que as suas Harley Davidsons e afins condenaram a posições pouco naturais.

A Exploração Pioneira de Fremont

John Charles Fremont teve bem mais trabalho para chegar às imediações da via a que emprestou o nome. O explorador foi o primeiro americano a vislumbrar estas paragens e a deparar-se com a grande Sierra Nevada.

A narração das suas expedições guiadas pelo emblemático Kit Carson a estes confins ocidentais inspirou várias comunidades mórmones a instalarem-se no vizinho Utah. Tendo em conta o que se passa hoje em Reno, Las Vegas e outras, aqueles colonos religiosos acertaram ao não optar pelo Nevada.

De quando em quando, alguns visitam-nas com o propósito sagrado de alertar os frequentadores da má vida para os pecados. A Fremont Street é, claro está, um dos seus alvos predilectos.

Uma banda de hard rock com roupas negras e ar  gasto ensaia para um concerto que está prestes a inaugurar. Confluem para a frente do palco centenas de figurões barbudos e cabeludos de wrestlers reformados, envoltos em cabedal e lenços com caveiras e bandeiras dos E.U.A.

A longa viagem despertou-lhes o apetite. Bebem incontáveis cervejas em copo de plástico e fazem o dia ao vendedor ambulante de hambúrgueres e cachorros quentes que, numa jogada de mestre, se tinha instalado ali por perto.

Hard Rock à Altura do Público Motoqueiro e Pesado

O vocalista sabe ao que vêm. Nos momentos musicais protagonizados pelas guitarras estridentes, provoca-os com chavões infalíveis e posturas desafiadoras: “C’mon guys, lets rock this town”.

Vocalista banda hard rock, Fremont Street, Las Vegas, Estados Unidos

Vocalista de banda de hard-rock anima um público expectante.

A audiência rejubila com o show e absorve os decibéis que extravasam qualquer escala admissível. Retribui com headbangs descontrolados que se disseminam como por acção de um qualquer vírus entre a multidão excitada.

Ainda  vamos no início da rua mas a Fremont está definitivamente ligada à corrente. Não é coisa de agora.

Guitarrista, Fremont Street, Las Vegas, Estados Unidos

Guitarrista com visual exuberante enriquece mais um tema hard rock da sua banda.

Muito Antes da Famosa Strip, a Génese da Fremont Street

A Fremont Street recebeu o primeiro asfalto de Las Vegas, em 1925. Seis anos depois, seguiu-se o semáforo inaugural da cidade. A febre dos casinos chegou entretanto, muito antes de o jogo ter sido legalizado. O Northern Club conquistou uma das 6 licenças pioneiras emitidas no Nevada e a primeira para a rua.

Daí em diante, a Fremont acolheu mais e mais casinos e a sua aura de néon foi-se intensificando.

Golden Nugget, Fremont Street, Las Vegas, Estados Unidos

Clientes contemplam a animação da Freemont Street de uma varanda do casino Golden Nugget

O famoso Golden Nugget foi erguido do nada, completamente dedicado ao jogo, em 1946. No ano seguinte, o Pioneer Club instalou a iluminação ainda hoje icónica do cowboy Vegas Vic. A concorrência não quis ficar para trás e criou as suas próprias atracções eléctricas.

Concretizou-se, assim, a imagem de marca da Fremont Street e o seu extremo oeste transformou-se na visão colorida que todos os filmes e espectáculos televisivos queriam mostrar de Las Vegas.

Casinos, Néons e Videoclips: a Vida Frenética da Fremont Street

A coexistência dos néones granjeou-lhe o título de Glitter Gulch (ravina do brilho), uma fama duradoura que foi frequentemente renovada.

Em 1964, a rua entrou nos créditos iniciais de “Viva Las Vegas” com Elvis Presley. Sete anos depois, acolheu uma das cenas de perseguições jamesbondianas de “Diamonds are Forever”.

Em 1987, os membros dos U2 percorreram-na no videoclip de “I Still Haven’t Found What I’m Looking For”. Outra banda, os Flaming Lips, filmaram ali parte do seu teledisco de “Do You Realise” e Tom Waits faz-lhe várias referencias no tema “Mr. Siegal”.

A Fremont Street inspira até a versão San Andreas do popular jogo de vídeo Grand Theft Auto, em que aparece como “Old Venturas Strip”.

Mas, a determinada altura, a rua já não tinha espaço para mais casinos e a população de adeptos e viciados de jogo não parava de aumentar.

Alguns empresários re-localizaram os seus investimentos para a bem mais desafogada Las Vegas Boulevard (6.8km) e criaram ali uma espécie de nova Fremont que viria a atingir dimensões e fluxos de pessoas e de dinheiro muito superiores. Esta avenida viria a ser baptizada por The Strip.

O Fascínio das Luzes e das Cores de Las Vegas

À medida que avançamos ao longo da Fremont Street, os sentidos são-nos despertados vezes sem conta mas reforça-se a noção de um inesperado surreal.

Mais para diante, há um bar instalado mesmo a meio da via em que vários barmen servem bebidas ao som da música, de forma hiperactiva e acrobática.

Bar de Rua, Fremont Street, Las Vegas, Estados Unidos

Barmen exibe as suas habilidades a uma Freemont Street sobrelotada.

Os transeuntes fluem em ambas direcções semi-hipnotizados pelas luzes dos néones e da longa cobertura em que são projectados temas visuais alucinantes da Freemont Street Experience, uma instalação luz & som concebida em 1990 para atrair mais gente à área downtown de Las Vegas que sofria devido à cada vez mais forte polarização da Strip.

No tecto côncavo, são exibidas imagens com design irreverente e irrepreensível que jogam com a cor e a luminosidade, com visuais excêntricos e futuristas ou simplesmente queridos da nação americana: a ida à Lua, a bandeira, o patriotismo, o jogo.

Projecção tecto USA, Fremont Street, Las Vegas, Estados Unidos

Um espectáculo de luz projecta a bandeira dos Estados Unidos na cobertura da rua Freemont Street.

Os Gentlemen Clubs, as Actrizes Porno e a Contestação Religiosa dos Pregadores do Nevada

Cá em baixo, Carmen Mirandas espalhafatosas e outros iscos femininos desinibidos convidam os homens e até casais a entrarem nos casinos ou nos Gentlemen Clubs que representam. Um destes últimos, o Girls of Glitter Gulch tornou-se popular à sua maneira.

Can Can Girls, Fremont Street, Las Vegas,Estados Unidos

Dançarinas can can animam a noite num dos casinos da Fremont Street.

Ali, sobre um longo palco-passadeira dotado com três varões, dezenas de modelos sexys desfilam, dançam e insinuam lapdances praticamente nuas. É frequente a presença de actrizes porno famosas e de estrelas centerfold das revistas do género.

Cada hora que lá passam é-lhes paga a peso de ouro mas este novo clube de strip é o único da baixa de Las Vegas e tem obtido lucros astronómicos, de tal forma que gastou há algum tempo quase 3 milhões de euros numa remodelação de visual.

A sua vaqueira de néon Vegas Vickie surge sentada sobre o pórtico de entrada ou, se preferirmos, sobre uma verdadeira mina.

Neon Glitter Gulch, Fremont Street, Las Vegas, Estados Unidos

O famoso neon de Glitter Gulch que inspirou o outro nome porque é conhecida a Freemont Street.

Nem todos os americanos a apreciam, ou à Fremont Street e até Las Vegas em geral. Caminhamos mais um pouco e damos com dois pastores de uma das milhentas casas de Deus que se instalaram mais tarde no estado.

Munidos de megafones, pregam sem temor a culpa e a possível salvação dos gentios: “ainda estão a tempo de se arrepender”, “Não há amor nestas vossas vidas”, entre outros chavões morais.

Complementam ainda a sua indignação verbal com um cartaz que exibe o desenho de Cristo flagelado numa cruz com uma inscrição de “Pecado, Pecados, Pecadores” e impinge a passagem bíblica de Gálatas 3:13: “Cristo resgatou-nos da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; pois está escrito: “Maldito seja todo aquele que for suspenso no madeiro”.

Pregadores religiosos, Fremont Street, Las Vegas, Estados Unidos

Pregadores de uma igreja do Nevada, condenam a vida pecaminosa da Freemont Street

A multidão de pecadores passa pelos religiosos e ignora-os ou observa-os como uma mera expressão de loucura que muitos transeuntes fazem questão de fotografar.

Depois, seguem caminho para a próxima diversão. A vida é curta e esta Fremont Street fica no coração de Las Vegas. “The show must go on“.

Key West, E.U.A.

O Faroeste Tropical dos E.U.A.

Chegamos ao fim da Overseas Highway e ao derradeiro reduto das propagadas Florida Keys. Os Estados Unidos continentais entregam-se, aqui, a uma deslumbrante vastidão marinha esmeralda-turquesa. E a um devaneio meridional alentado por uma espécie de feitiço caribenho.
Las Vegas, E.U.A.

Onde o Pecado tem Sempre Perdão

Projectada do Deserto Mojave como uma miragem de néon, a capital norte-americana do jogo e do espectáculo é vivida como uma aposta no escuro. Exuberante e viciante, Vegas nem aprende nem se arrepende.
Vale da Morte, E.U.A.

O Ressuscitar do Lugar Mais Quente

Desde 1921 que Al Aziziyah, na Líbia, era considerado o lugar mais quente do Planeta. Mas a polémica em redor dos 58º ali medidos fez com que, 99 anos depois, o título fosse devolvido ao Vale da Morte.
Las Vegas, E.U.A.

Capital Mundial dos Casamentos vs Cidade do Pecado

A ganância do jogo, a luxúria da prostituição e a ostentação generalizada fazem parte de Las Vegas. Como as capelas que não têm olhos nem ouvidos e promovem matrimónios excêntricos, rápidos e baratos.
Key West, Estados Unidos

O Recreio Caribenho de Hemingway

Efusivo como sempre, Ernest Hemingway qualificou Key West como “o melhor lugar em que tinha estado...”. Nos fundos tropicais dos E.U.A. contíguos, encontrou evasão e diversão tresloucada e alcoolizada. E a inspiração para escrever com intensidade a condizer.
Tombstone, E.U.A.

Tombstone: a Cidade Demasiado Dura para Morrer

Filões de prata descobertos no fim do século XIX fizeram de Tombstone um centro mineiro próspero e conflituoso na fronteira dos Estados Unidos com o México. Lawrence Kasdan, Kurt Russel, Kevin Costner e outros realizadores e actores hollywoodescos tornaram famosos os irmãos Earp e o duelo sanguinário de “O.K. Corral”. A Tombstone que, ao longo dos tempos tantas vidas reclamou, está para durar.
São Francisco, E.U.A.

Cable Cars de São Francisco: uma Vida aos Altos e Baixos

Um acidente macabro com uma carroça inspirou a saga dos cable cars de São Francisco. Hoje, estas relíquias funcionam como uma operação de charme da cidade do nevoeiro mas também têm os seus riscos.
São Francisco, E.U.A.

Com a Cabeça na Lua

Chega a Setembro e os chineses de todo o mundo celebram as colheitas, a abundância e a união. A enorme sino-comunidade de São Francisco entrega-se de corpo e alma ao maior Festival da Lua californiano.
Florida Keys, E.U.A.

A Alpondra Caribenha dos E.U.A.

Os Estados Unidos continentais parecem encerrar-se, a sul, na sua caprichosa península da Flórida. Não se ficam por aí. Mais de cem ilhas de coral, areia e mangal formam uma excêntrica extensão tropical que há muito seduz os veraneantes norte-americanos.
Miami, E.U.A.

Uma Obra-Prima da Reabilitação Urbana

Na viragem para o século XXI, o bairro Wynwood mantinha-se repleto de fábricas e armazéns abandonados e grafitados. Tony Goldman, um investidor imobiliário astuto, comprou mais de 25 propriedades e fundou um parque mural. Muito mais que ali homenagear o grafiti, Goldman fundou o grande bastião da criatividade de Miami.
Miami Beach, E.U.A.

A Praia de Todas as Vaidades

Poucos litorais concentram, ao mesmo tempo, tanto calor e exibições de fama, de riqueza e de glória. Situada no extremo sudeste dos E.U.A., Miami Beach tem acesso por seis pontes que a ligam ao resto da Florida. É parco para o número de almas que a desejam.
Little Havana, E.U.A.

A Pequena Havana dos Inconformados

Ao longo das décadas e até aos dias de hoje, milhares de cubanos cruzaram o estreito da Florida em busca da terra da liberdade e da oportunidade. Com os E.U.A. ali a meros 145 km, muitos não foram mais longe. A sua Little Havana de Miami é, hoje, o bairro mais emblemático da diáspora cubana.
Grand Canyon, E.U.A.

Viagem pela América do Norte Abismal

O rio Colorado e tributários começaram a fluir no planalto homónimo há 17 milhões de anos e expuseram metade do passado geológico da Terra. Também esculpiram uma das suas mais deslumbrantes entranhas.
Monte Denali, Alasca

O Tecto Sagrado da América do Norte

Os indígenas Athabascan chamaram-no Denali, ou o Grande e reverenciam a sua altivez. Esta montanha deslumbrante suscitou a cobiça dos montanhistas e uma longa sucessão de ascensões recordistas.
Juneau, Alasca

A Pequena Capital do Grande Alasca

De Junho a Agosto, Juneau desaparece por detrás dos navios de cruzeiro que atracam na sua doca-marginal. Ainda assim, é nesta pequena capital que se decidem os destinos do 49º estado norte-americano.
Monument Valley, E.U.A.

Índios ou cowboys?

Realizadores de Westerns emblemáticos como John Ford imortalizaram aquele que é o maior território indígena dos Estados Unidos. Hoje, na Nação Navajo, os navajo também vivem na pele dos velhos inimigos.
Talkeetna, Alasca

A Vida à Moda do Alasca de Talkeetna

Em tempos um mero entreposto mineiro, Talkeetna rejuvenesceu, em 1950, para servir os alpinistas do Monte McKinley. A povoação é, de longe, a mais alternativa e cativante entre Anchorage e Fairbanks.
Navajo Nation, E.U.A.

Por Terras da Nação Navajo

De Kayenta a Page, com passagem pelo Marble Canyon, exploramos o sul do Planalto do Colorado. Dramáticos e desérticos, os cenários deste domínio indígena recortado no Arizona revelam-se esplendorosos.
Mauna Kea, Havai

Mauna Kea: um Vulcão de Olho no Espaço

O tecto do Havai era interdito aos nativos por abrigar divindades benevolentes. Mas, a partir de 1968 várias nações sacrificaram a paz dos deuses e ergueram a maior estação astronómica à face da Terra
Pearl Harbor, Havai

O Dia em que o Japão foi Longe Demais

Em 7 de Dezembro de 1941, o Japão atacou a base militar de Pearl Harbor. Hoje, partes do Havai parecem colónias nipónicas mas os EUA nunca esquecerão a afronta.
Parque Nacional Amboseli, Monte Kilimanjaro, colina Normatior
Safari
PN Amboseli, Quénia

Uma Dádiva do Kilimanjaro

O primeiro europeu a aventurar-se nestas paragens masai ficou estupefacto com o que encontrou. E ainda hoje grandes manadas de elefantes e de outros herbívoros vagueiam ao sabor do pasto irrigado pela neve da maior montanha africana.
Jovens percorrem a rua principal de Chame, Nepal
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 1º - Pokhara a ChameNepal

Por Fim, a Caminho

Depois de vários dias de preparação em Pokhara, partimos em direcção aos Himalaias. O percurso pedestre só o começamos em Chame, a 2670 metros de altitude, com os picos nevados da cordilheira Annapurna já à vista. Até lá, completamos um doloroso mas necessário preâmbulo rodoviário pela sua base subtropical.
Igreja colonial de São Francisco de Assis, Taos, Novo Mexico, E.U.A
Arquitectura & Design
Taos, E.U.A.

A América do Norte Ancestral de Taos

De viagem pelo Novo México, deslumbramo-nos com as duas versões de Taos, a da aldeola indígena de adobe do Taos Pueblo, uma das povoações dos E.U.A. habitadas há mais tempo e em contínuo. E a da Taos cidade que os conquistadores espanhóis legaram ao México, o México cedeu aos Estados Unidos e que uma comunidade criativa de descendentes de nativos e artistas migrados aprimoram e continuam a louvar.
Salto Angel, Rio que cai do ceu, Angel Falls, PN Canaima, Venezuela
Aventura
PN Canaima, Venezuela

Kerepakupai, Salto Angel: O Rio Que Cai do Céu

Em 1937, Jimmy Angel aterrou uma avioneta sobre uma meseta perdida na selva venezuelana. O aventureiro americano não encontrou ouro mas conquistou o baptismo da queda d'água mais longa à face da Terra
Cena natalícia, Shillong, Meghalaya, Índia
Cerimónias e Festividades
Shillong, India

Selfiestão de Natal num Baluarte Cristão da Índia

Chega Dezembro. Com uma população em larga medida cristã, o estado de Meghalaya sincroniza a sua Natividade com a do Ocidente e destoa do sobrelotado subcontinente hindu e muçulmano. Shillong, a capital, resplandece de fé, felicidade, jingle bells e iluminações garridas. Para deslumbre dos veraneantes indianos de outras partes e credos.
Saint George, Granada, Antilhas, casario
Cidades
Saint George, Granada

Uma Detonação de História Caribenha

A peculiar Saint George dispersa-se pela encosta de um vulcão inactivo e em redor de uma enseada em U. O seu casario abundante e ondulante comprova a riqueza gerada ao longo dos séculos na ilha de Granada de que é capital.
Cacau, Chocolate, Sao Tome Principe, roça Água Izé
Comida
São Tomé e Príncipe

Roças de Cacau, Corallo e a Fábrica de Chocolate

No início do séc. XX, São Tomé e Príncipe geravam mais cacau que qualquer outro território. Graças à dedicação de alguns empreendedores, a produção subsiste e as duas ilhas sabem ao melhor chocolate.
Capacete capilar
Cultura
Viti Levu, Fiji

Canibalismo e Cabelo, Velhos Passatempos de Viti Levu, ilhas Fiji

Durante 2500 anos, a antropofagia fez parte do quotidiano de Fiji. Nos séculos mais recentes, a prática foi adornada por um fascinante culto capilar. Por sorte, só subsistem vestígios da última moda.
Desporto
Competições

Homem, uma Espécie Sempre à Prova

Está-nos nos genes. Pelo prazer de participar, por títulos, honra ou dinheiro, as competições dão sentido ao Mundo. Umas são mais excêntricas que outras.
Jipe cruza Damaraland, Namíbia
Em Viagem
Damaraland, Namíbia

Namíbia On the Rocks

Centenas de quilómetros para norte de Swakopmund, muitos mais das dunas emblemáticas de Sossuvlei, Damaraland acolhe desertos entrecortados por colinas de rochas avermelhadas, a maior montanha e a arte rupestre decana da jovem nação. Os colonos sul-africanos baptizaram esta região em função dos Damara, uma das etnias da Namíbia. Só estes e outros habitantes comprovam que fica na Terra.
Manhã cedo no Lago
Étnico

Nantou, Taiwan

No Âmago da Outra China

Nantou é a única província de Taiwan isolada do oceano Pacífico. Quem hoje descobre o coração montanhoso desta região tende a concordar com os navegadores portugueses que baptizaram Taiwan de Formosa.

Portfólio Fotográfico Got2Globe
Portfólio Got2Globe

A Vida Lá Fora

Barco no rio Amarelo, Gansu, China
História
Bingling Si, China

O Desfiladeiro dos Mil Budas

Durante mais de um milénio e, pelo menos sete dinastias, devotos chineses exaltaram a sua crença religiosa com o legado de esculturas num estreito remoto do rio Amarelo. Quem desembarca no Desfiladeiro dos Mil Budas, pode não achar todas as esculturas mas encontra um santuário budista deslumbrante.
Porto Rico, San Juan, Cidade muralhada, panoramica
Ilhas
San Juan, Porto Rico

O Porto Rico e Muralhado de San Juan Bautista

San Juan é a segunda cidade colonial mais antiga das Américas, a seguir à vizinha dominicana de Santo Domingo. Entreposto pioneiro da rota que levava o ouro e a prata do Novo Mundo para Espanha, foi atacada vezes sem conta. As suas fortificações incríveis ainda protegem uma das capitais mais vivas e prodigiosas das Caraíbas.
Barcos sobre o gelo, ilha de Hailuoto, Finlândia
Inverno Branco
Hailuoto, Finlândia

Um Refúgio no Golfo de Bótnia

Durante o Inverno, a ilha de Hailuoto está ligada à restante Finlândia pela maior estrada de gelo do país. A maior parte dos seus 986 habitantes estima, acima de tudo, o distanciamento que a ilha lhes concede.
José Saramago em Lanzarote, Canárias, Espanha, Glorieta de Saramago
Literatura
Lanzarote, Canárias, Espanha

A Jangada de Basalto de José Saramago

Em 1993, frustrado pela desconsideração do governo português da sua obra “O Evangelho Segundo Jesus Cristo”, Saramago mudou-se com a esposa Pilar del Río para Lanzarote. De regresso a esta ilha canária algo extraterrestre, reencontramos o seu lar. E o refúgio da censura a que o escritor se viu votado.
Baleias caçada com Bolhas, Juneau a Pequena Capital do Grande alasca
Natureza
Juneau, Alasca

A Pequena Capital do Grande Alasca

De Junho a Agosto, Juneau desaparece por detrás dos navios de cruzeiro que atracam na sua doca-marginal. Ainda assim, é nesta pequena capital que se decidem os destinos do 49º estado norte-americano.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
The Sounds, Fiordland National Park, Nova Zelândia
Parques Naturais
Fiordland, Nova Zelândia

Os Fiordes dos Antipodas

Um capricho geológico fez da região de Fiordland a mais crua e imponente da Nova Zelândia. Ano após anos, muitos milhares de visitantes veneram o sub-domínio retalhado entre Te Anau e Milford Sound.
planicie sagrada, Bagan, Myanmar
Património Mundial UNESCO
Bagan, Myanmar

A Planície dos Pagodes, Templos e Redenções Celestiais

A religiosidade birmanesa sempre assentou num compromisso de redenção. Em Bagan, os crentes endinheirados e receosos continuam a erguer pagodes na esperança de conquistarem a benevolência dos deuses.
Ooty, Tamil Nadu, cenário de Bollywood, Olhar de galã
Personagens
Ooty, Índia

No Cenário Quase Ideal de Bollywood

O conflito com o Paquistão e a ameaça do terrorismo tornaram as filmagens em Caxemira e Uttar Pradesh um drama. Em Ooty, constatamos como esta antiga estação colonial britânica assumia o protagonismo.
Cruzeiro Princess Yasawa, Maldivas
Praias
Maldivas

Cruzeiro pelas Maldivas, entre Ilhas e Atóis

Trazido de Fiji para navegar nas Maldivas, o Princess Yasawa adaptou-se bem aos novos mares. Por norma, bastam um ou dois dias de itinerário, para a genuinidade e o deleite da vida a bordo virem à tona.
Templo Kongobuji
Religião
Monte Koya, Japão

A Meio Caminho do Nirvana

Segundo algumas doutrinas do budismo, são necessárias várias vidas para atingir a iluminação. O ramo shingon defende que se consegue numa só. A partir do Monte Koya, pode ser ainda mais fácil.
Trem do Serra do Mar, Paraná, vista arejada
Sobre Carris
Curitiba a Morretes, Paraná, Brasil

Paraná Abaixo, a Bordo do Trem Serra do Mar

Durante mais de dois séculos, só uma estrada sinuosa e estreita ligava Curitiba ao litoral. Até que, em 1885, uma empresa francesa inaugurou um caminho-de-ferro com 110 km. Percorremo-lo, até Morretes, a estação, hoje, final para passageiros. A 40km do término original e costeiro de Paranaguá.
Mahu, Terceiro Sexo da Polinesia, Papeete, Taiti
Sociedade
Papeete, Polinésia Francesa

O Terceiro Sexo do Taiti

Herdeiros da cultura ancestral da Polinésia, os mahu preservam um papel incomum na sociedade. Perdidos algures entre os dois géneros, estes homens-mulher continuam a lutar pelo sentido das suas vidas.
Cruzamento movimentado de Tóquio, Japão
Vida Quotidiana
Tóquio, Japão

A Noite Sem Fim da Capital do Sol Nascente

Dizer que Tóquio não dorme é eufemismo. Numa das maiores e mais sofisticadas urbes à face da Terra, o crepúsculo marca apenas o renovar do quotidiano frenético. E são milhões as suas almas que, ou não encontram lugar ao sol, ou fazem mais sentido nos turnos “escuros” e obscuros que se seguem.
Fazenda de São João, Pantanal, Miranda, Mato Grosso do Sul, ocaso
Vida Selvagem
Fazenda São João, Miranda, Brasil

Pantanal com o Paraguai à Vista

Quando a fazenda Passo do Lontra decidiu expandir o seu ecoturismo, recrutou a outra fazenda da família, a São João. Mais afastada do rio Miranda, esta outra propriedade revela um Pantanal remoto, na iminência do Paraguai. Do país e do rio homónimo.
Pleno Dog Mushing
Voos Panorâmicos
Seward, Alasca

O Dog Mushing Estival do Alasca

Estão quase 30º e os glaciares degelam. No Alasca, os empresários têm pouco tempo para enriquecer. Até ao fim de Agosto, o dog mushing não pode parar.