Takayama, Japão

Takayama do Japão Antigo e da Hida Medieval


Nippo-Selfie
Mulher fotografa-se no cenário típico de madeira de Sanmachi-Suji, o centro histórico de Takayama.
Kanamori Nagachika
Estátua de Kanamori Nagachika, um dos mais importantes senhores feudais de Takayama.
Tempo de Outono
Estrutura que aloja um sino, no exterior outonal de um templo budista nos arredores de Takayama.
Acolhimento Ryokan
Empregada dà as boas-vindas a clientes à entrada do restaurante em que trabalha.
Hida-Kokubunji I
A pagoda kokubunji do templo mais antigo de Takayama, com 3 andares.
À Moda Antiga
Condutor de rickshaw japonês puxa duas passageiras ao longo de Takayama.
Guloseimas de Takayama
Empregado de uma banca de bolos tradicionais em forma de peixes, no uniforme da casa.
Refeição à moda nipónica
Comensais almoçam num restaurante típico no centro de Takayama.
Elegância de quimono
Empregadas em quimono à porta do restaurante ryokan (tradicional) em que trabalham.
Takayama em dourado
Rua iluminada da cidade durante um anoitecer chuvoso.
Budas infantis
Budas jizo de pedra com babetes e toucas junto ao templo Kokubunji de Takayama.
Visual Samurai
Letreiro criativo de uma loja da rua Ichi-no-Machi.
Uniformes de Inverno
Alunos de uma escola junto a uma banca de doces.
Hida-Kokubunji II
Tons outonais da vegetação dão mais cor ao pagode lúgubre de Hida-Kokubunji.
Sombras budistas
Amuletos nipónicos balançam junto a uma fachada do complexo de Hida-Kokubunji.
Condutor para todo o serviço
Condutor de um rickshaw japonês fotografa o casal que puxa pelas velhas ruas da cidade.
Tempo de Descanso
Condutor de rickshaw japonês de Takayama repousa entre serviços.
Arquitectura de Hida
Telhados de um santuário budista nos arredores de Takayama.
Sombras budistas II
Amuletos nipónicos balançam junto a uma fachada do complexo de Hida-Kokubunji.
Boa-disposição
Amigas de visita à cidade partilham gelados e divertem-se.
Em três das suas ruas, Takayama retém uma arquitectura tradicional de madeira e concentra velhas lojas e produtoras de saquê. Em redor, aproxima-se dos 100.000 habitantes e rende-se à modernidade.

Conhecemos a gerente do hotel Tanabe no ambiente aconchegante e típico daquele estabelecimento em estilo ryokan.

A anfitriã recorre a um inglês muito ponderado e ainda mais pausado. Os especialistas da linguística negam-no.

Ainda assim, a gerente parece concordar com duas polémicas teorias vocabulares de ligação entre o Japão e Portugal: “Sim, é isso mesmo que eu e muitos outros japoneses pensamos: os mercadores portugueses introduziram o arigato ao repetirem vezes sem conta o seu obrigado.

Tal como fizeram com muitas outras palavras que nós usamos“. Pouco depois, entra em êxtase quando lhe revelamos a semelhança entre o sabon japonês e o sabão nacional para logo nos lavar o cérebro com uma canção infantil nipónica que usa e abusa do termo.

Elegância de quimono, Hida do Japão Antigo e Medieval

Empregadas em quimono à porta do restaurante ryokan (tradicional) em que trabalham.

O Âmago Histórico de Takayama

Findo o breve convívio, deixamos o hotel Tanabe. O centro histórico Sanmachi-suji está apenas a umas centenas de metros. Acabamos por o percorrer, para a frente e para trás, vezes sem conta.

Esta área secular diminuta de Takayama é formada por apenas três ruas repletas de domicílios e armazéns de mercadores do período Edo, lojas antigas, restaurantes típicos, museus e produtoras de saquê identificáveis pelas esferas de franjas de cedro penduradas à porta.

Empregado loja guloseimas, Hida do Japão Antigo e Medieval

Empregado de uma banca de bolos tradicionais em forma de peixes, no uniforme da casa.

Reina, por aqui, uma arquitectura e decoração tradicionais consubstanciadas em fachadas de madeira escura, coloridas por plantas e letreiros que sinalizam os estabelecimentos.

Ou anunciam promoções especiais e com retoques regionais apurados ao longo dos tempos pelas muitas famílias de carpinteiros e marceneiros que, no século VIII, se crê terem participado na construção do templo esplendoroso Hida Kokubun-ji de Takayama e dos seus pagodes.

Hida-Kokubunji, Takayama, Hida do Japão Antigo e Medieval

A pagoda kokubunji do templo mais antigo de Takayama, com 3 andares

Também do palácio imperial de Quioto e de vários outros templos de Quioto e de Nara.

Contemplamos e provamos dezenas de produtos locais, incluindo amostras de reconfortantes caldos miso, ou vemos os visitantes nipónicos investigarem e fotografarem-se junto a tudo o que lhes chama a atenção. Até perdermos a noção do tempo

Selfie, Hida do Japão Antigo e Medieval

Mulher fotografa-se no cenário típico de madeira de Sanmachi-Suji, o centro histórico de Takayama.

Riquexós Pitorescos e os Alertas Anti-Fogo dos Shobodan

De quando em quando, a passagem apressada de riquexós puxados por condutores de trajes típicos, por norma azuis, redobra a dinâmica turística de Sanmachi-Suji.

Estes rebocadores humanos também são guias. Explicam, ainda a arfar do esforço empregue na locomoção, os mais íntimos segredos seculares do bairro.

Os seus veículos pouco evoluíram face aos que terão sido inventados no Japão, por volta do fim do século XIX.

Puxador riquexó, Hida do Japão Antigo e Medieval

Condutor de rickshaw japonês puxa duas passageiras ao longo de Takayama.

E que inspiraram grande parte dos ainda hoje puxados em países asiáticos e de outras partes do mundo. Mesmo assim, garantem-lhes rendimentos sazonais mais que dignos para os padrões nipónicos.

Puxador riquexó e clientes, Hida do Japão Antigo e Medieval

Condutor de um rickshaw japonês fotografa o casal que puxa pelas velhas ruas da cidade.

A tarde chega ao fim. Começa uma vez mais a chuviscar.

O aguaceiro frígido não obsta a que, lá fora, um mensageiro medieval shobodan honre a sua missão cívica e percorra as ruas a bater dois paus um no outro para produzir um som traduzível por “cachium”, familiar entre os moradores.

Takayama em dourado

Rua iluminada da cidade durante um anoitecer chuvoso

Em simultâneo, o ancião apregoa o aviso Hi no yojin! (cuidado com o fogo) e reforça o alerta de que os moradores devem ter cuidado com as chamas nos seus lares.

O coração de Takayama mantém-se fortemente combustível.

Foi erguido, em madeira, no fim do século XVI. Como o foi toda a cidade fortificada que se desenvolveu em redor do castelo do todo-poderoso clã Kanamori.

Kanamori Nagachika, Hida do Japão Antigo e Medieval

Estátua de Kanamori Nagachika, um dos mais importantes senhores feudais de Takayama.

Takayama também perdurou muito tempo como capital da velha província Hida, uma região perdida no interior montanhoso do sobrelotado Japão.

Retiro Nocturno no Templo-Pousada Zenkoji e a Exploração Madrugadora de Takayama

Quando a noite se instala e o frio desce dos Alpes nipónicos, os donos e empregados das lojas apressam-se a fazer contas, a fechar e a recolher ao domicílios. As ruas ficam desertas.

Seguimos o fluxo habitual da cidade. Regressamos ao templo-pousada Zenkoji em que havíamos dado entrada à chegada à povoação.

A porta principal estava aberta, como quase todas as das divisões interiores, fusuma, que é como quem diz, nipónicas e de correr. Lá dentro, o monge Tommy tratava de arrumações na cozinha. Revelou-se muito mais austero do que quando o víramos pela primeira vez.

“Estão de volta?“ Pergunta-nos no inglês americanado que tinha adquirido nos anos em que vivera nos Estados Unidos. Não se esqueçam que não podem fazer barulho a partir das 22h.” relembra-nos sem grande delicadeza para logo voltar aos seus afazeres. Cansados como andávamos, só queríamos dormir.

Levantamo-nos pouco depois da aurorar seguinte, ainda meio atordoados com a fadiga que sobrava e com o frio precoce. Improvisamos um pequeno-almoço rápido.

Sombras budistas, Hida do Japão Antigo e Medieval

Amuletos nipónicos balançam junto a uma fachada do complexo de Hida-Kokubunji

Saímos para a rua determinados a enfrentar um Outono nipónico ansioso e descomplexado.

Takayama acordara havia muito, com o frenesim dos seus dois mercados matinais: o Jinya-mae, organizado junto à casa de governação (Jinya). E o Miya-gawa, disposto ao longo do rio homónimo que atravessava a cidade.

Agrupavam-se, em ambos, agricultores enrijecidos pela idade. De quando em quando, ofereciam aos transeuntes pequenas amostras das suas maças fuji e uvas tão deliciosas quanto dispendiosas.

Controlavam de forma quase mecânica as provas repetidas e abusadoras dos gaijin (estrangeiros). Ao mesmo tempo, esquivavam-se das excursões de miúdos de escola, autênticos bandos de crianças de rapina.

Fruta imaculada, Hida do Japão Antigo e Medieval

Crianças examinam fruta exposta num dos mercados de Takayama.

Teramachi e Shiroyama-koen: os Redutos Xintoístas-Budistas de Takayama

Como é de esperar numa urbe japonesa, Takayama também tem os seus domínios xintoístas-budistas. Chamam-se Teramachi e Shiroyama-Koen. Ocupam as colinas a leste da cidade.

Pouco depois de deixarmos os mercados, apontamos para estas paragens e percorremo-las por um caminho que serpenteia entre ciprestes, templos, santuários e cemitérios vastos, num cenário de atmosfera encharcada que tem tanto de lúgubre como de sedativo.

Arquitectura de Hida, Hida do Japão Antigo e Medieval

Telhados de um santuário budista nos arredores de Takayama.

A caminhada entretêm-nos quase duas horas. Reserva-nos para o fim as passagens mais íngremes e dolorosas: as subidas até ao parque Shiroyama-koen.

Já no seu interior bucólico, às pseudo-ruínas (pouco ou nada lá encontrámos) do Takayama-jo, o velho castelo feudal da era Kanamori.

Casario Takayama, Hida do Japão Antigo e Medieval

Casario no geral moderno de Takayama, em redor das suas três ou quatro ruas medievais.

No regresso ao centro, surpreendemo-nos com uma vista aberta sobre o casario pré-fabricado e anti-sísmico da cidade. Dali, não detectávamos qualquer sinal do núcleo histórico que, mesmo escondido, sabíamos resistir entre os edifícios mais altos.

Retornamos à baixa de Takayama e dedicamos mais um dia à exploração do seu resiliente reduto secular.

Quioto, Japão

O Templo de Quioto que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.
Miyajima, Japão

Xintoísmo e Budismo ao Sabor das Marés

Quem visita o tori de Itsukushima admira um dos três cenários mais reverenciados do Japão. Na ilha de Miyajima, a religiosidade nipónica confunde-se com a Natureza e renova-se com o fluir do Mar interior de Seto.
Nara, Japão

O Berço Colossal do Budismo Nipónico

Nara deixou, há muito, de ser capital e o seu templo Todai-ji foi despromovido. Mas o Grande Salão mantém-se o maior edifício antigo de madeira do Mundo. E alberga o maior buda vairocana de bronze.
Quioto, Japão

Um Japão Milenar Quase Perdido

Quioto esteve na lista de alvos das bombas atómicas dos E.U.A. e foi mais que um capricho do destino que a preservou. Salva por um Secretário de Guerra norte-americano apaixonado pela sua riqueza histórico-cultural e sumptuosidade oriental, a cidade foi substituída à última da hora por Nagasaki no sacrifício atroz do segundo cataclismo nuclear.
Ogimashi, Japão

Uma Aldeia Fiel ao A

Ogimashi revela uma herança fascinante da adaptabilidade nipónica. Situada num dos locais mais nevosos à face da Terra, esta povoação aperfeiçoou casas com verdadeiras estruturas anti-colapso.
Magome-Tsumago, Japão

Magome a Tsumago: o Caminho Sobrelotado Para o Japão Medieval

Em 1603, o xogum Tokugawa ditou a renovação de um sistema de estradas já milenar. Hoje, o trecho mais famoso da via que unia Edo a Quioto é percorrido por uma turba ansiosa por evasão.
Quioto, Japão

Uma Fé Combustível

Durante a celebração xintoísta de Ohitaki são reunidas no templo de Fushimi preces inscritas em tabuínhas pelos fiéis nipónicos. Ali, enquanto é consumida por enormes fogueiras, a sua crença renova-se.
Ogimashi, Japão

Um Japão Histórico-Virtual

Higurashi no Naku Koro ni” foi uma série de animação nipónica e jogo de computador com enorme sucesso. Em Ogimashi, aldeia de Shirakawa-Go, convivemos com um grupo de kigurumis das suas personagens.
Quioto, Japão

Sobrevivência: A Última Arte Gueixa

Já foram quase 100 mil mas os tempos mudaram e as gueixas estão em vias de extinção. Hoje, as poucas que restam vêem-se forçadas a ceder a modernidade menos subtil e elegante do Japão.
Okinawa, Japão

Danças de Ryukyu: têm séculos. Não têm grandes pressas.

O reino Ryukyu prosperou até ao século XIX como entreposto comercial da China e do Japão. Da estética cultural desenvolvida pela sua aristocracia cortesã contaram-se vários estilos de dança vagarosa.
Iriomote, Japão

Iriomote, uma Pequena Amazónia do Japão Tropical

Florestas tropicais e manguezais impenetráveis preenchem Iriomote sob um clima de panela de pressão. Aqui, os visitantes estrangeiros são tão raros como o yamaneko, um lince endémico esquivo.
Nikko, Japão

O Derradeiro Cortejo do Xogum Tokugawa

Em 1600, Ieyasu Tokugawa inaugurou um xogunato que uniu o Japão por 250 anos. Em sua homenagem, Nikko re-encena, todos os anos, a transladação medieval do general para o mausoléu faustoso de Toshogu.
Okinawa, Japão

O Pequeno Império do Sol

Reerguida da devastação causada pela 2ª Guerra Mundial, Okinawa recuperou a herança da sua civilização secular ryukyu. Hoje, este arquipélago a sul de Kyushu abriga um Japão à margem, prendado por um oceano Pacífico turquesa e bafejado por um peculiar tropicalismo nipónico.
Japão

O Império das Máquinas de Bebidas

São mais de 5 milhões as caixas luminosas ultra-tecnológicas espalhadas pelo país e muitas mais latas e garrafas exuberantes de bebidas apelativas. Há muito que os japoneses deixaram de lhes resistir.
Tóquio, Japão

Pachinko: o Vídeo - Vício Que Deprime o Japão

Começou como um brinquedo mas a apetência nipónica pelo lucro depressa transformou o pachinko numa obsessão nacional. Hoje, são 30 milhões os japoneses rendidos a estas máquinas de jogo alienantes.
Hiroxima, Japão

Hiroxima: uma Cidade Rendida à Paz

Em 6 de Agosto de 1945, Hiroxima sucumbiu à explosão da primeira bomba atómica usada em guerra. Volvidos 70 anos, a cidade luta pela memória da tragédia e para que as armas nucleares sejam erradicadas até 2020.
Tóquio, Japão

Ronronares Descartáveis

Tóquio é a maior das metrópoles mas, nos seus apartamentos exíguos, não há lugar para mascotes. Empresários nipónicos detectaram a lacuna e lançaram "gatis" em que os afectos felinos se pagam à hora.
Tóquio, Japão

O Mercado de Peixe que Perdeu a Frescura

Num ano, cada japonês come mais que o seu peso em peixe e marisco. Desde 1935, que uma parte considerável era processada e vendida no maior mercado piscícola do mundo. Tsukiji foi encerrado em Outubro de 2018, e substituído pelo de Toyosu.
Tóquio, Japão

O Imperador sem Império

Após a capitulação na 2ª Guerra Mundial, o Japão submeteu-se a uma constituição que encerrou um dos mais longos impérios da História. O imperador japonês é, hoje, o único monarca a reinar sem império.
Tóquio, Japão

À Moda de Tóquio

No ultra-populoso e hiper-codificado Japão, há sempre espaço para mais sofisticação e criatividade. Sejam nacionais ou importados, é na capital que começam por desfilar os novos visuais nipónicos.
hipopotamos, parque nacional chobe, botswana
Safari
PN Chobe, Botswana

Chobe: um rio na Fronteira da Vida com a Morte

O Chobe marca a divisão entre o Botswana e três dos países vizinhos, a Zâmbia, o Zimbabwé e a Namíbia. Mas o seu leito caprichoso tem uma função bem mais crucial que esta delimitação política.
Circuito Annapurna, Manang a Yak-kharka
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna 10º: Manang a Yak Kharka, Nepal

A Caminho das Terras (Mais) Altas dos Annapurnas

Após uma pausa de aclimatização na civilização quase urbana de Manang (3519 m), voltamos a progredir na ascensão para o zénite de Thorong La (5416 m). Nesse dia, atingimos o lugarejo de Yak Kharka, aos 4018 m, um bom ponto de partida para os acampamentos na base do grande desfiladeiro.
Sirocco, Arabia, Helsinquia
Arquitectura & Design
Helsínquia, Finlândia

O Design que Veio do Frio

Com boa parte do território acima do Círculo Polar Árctico, os finlandeses respondem ao clima com soluções eficientes e uma obsessão pela arte, pela estética e pelo modernismo inspirada na vizinha Escandinávia.
Totems, aldeia de Botko, Malekula,Vanuatu
Aventura
Malekula, Vanuatu

Canibalismo de Carne e Osso

Até ao início do século XX, os comedores de homens ainda se banqueteavam no arquipélago de Vanuatu. Na aldeia de Botko descobrimos porque os colonizadores europeus tanto receavam a ilha de Malekula.
Dia da Austrália, Perth, bandeira australiana
Cerimónias e Festividades
Perth, Austrália

Dia da Austrália: em Honra da Fundação, de Luto Pela Invasão

26/1 é uma data controversa na Austrália. Enquanto os colonos britânicos o celebram com churrascos e muita cerveja, os aborígenes celebram o facto de não terem sido completamente dizimados.
A Crucificação em Helsínquia
Cidades
Helsínquia, Finlândia

Uma Via Crucis Frígido-Erudita

Chegada a Semana Santa, Helsínquia exibe a sua crença. Apesar do frio de congelar, actores pouco vestidos protagonizam uma re-encenação sofisticada da Via Crucis por ruas repletas de espectadores.
fogon de Lola, comida rica, Costa Rica, Guapiles
Comida
Fogón de Lola, Costa Rica

O Sabor a Costa Rica de El Fogón de Lola

Como o nome deixa perceber, o Fogón de Lola de Guapiles serve pratos confeccionados ao fogão e ao forno, segundo tradição familiar costarricense. Em particular, a família da Tia Lola.
Mulheres com cabelos longos de Huang Luo, Guangxi, China
Cultura
Longsheng, China

Huang Luo: a Aldeia Chinesa dos Cabelos mais Longos

Numa região multiétnica coberta de arrozais socalcados, as mulheres de Huang Luo renderam-se a uma mesma obsessão capilar. Deixam crescer os cabelos mais longos do mundo, anos a fio, até um comprimento médio de 170 a 200 cm. Por estranho que pareça, para os manterem belos e lustrosos, usam apenas água e arrôz.
Corrida de Renas , Kings Cup, Inari, Finlândia
Desporto
Inari, Finlândia

A Corrida Mais Louca do Topo do Mundo

Há séculos que os lapões da Finlândia competem a reboque das suas renas. Na final da Kings Cup - Porokuninkuusajot - , confrontam-se a grande velocidade, bem acima do Círculo Polar Ártico e muito abaixo de zero.
Em Viagem
Viagens de Barco

Para Quem Só Enjoa de Navegar na Net

Embarque e deixe-se levar em viagens de barco imperdíveis como o arquipélago filipino de Bacuit e o mar gelado do Golfo finlandês de Bótnia.
Tabatô, Guiné Bissau, tabanca músicos mandingas. Baidi
Étnico
Tabatô, Guiné Bissau

A Tabanca dos Músicos Poetas Mandingas

Em 1870, uma comunidade de músicos mandingas em itinerância, instalou-se junto à actual cidade de Bafatá. A partir da Tabatô que fundaram, a sua cultura e, em particular, os seus balafonistas prodigiosos, deslumbram o Mundo.
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Portfólio Got2Globe

A Vida Lá Fora

História
Viti Levu, Fiji

A Partilha Improvável da ilha Viti Levu

Em pleno Pacífico Sul, uma comunidade numerosa de descendentes de indianos recrutados pelos ex-colonos britânicos e a população indígena melanésia repartem há muito a ilha chefe de Fiji.
Roça Bombaim, Roça Monte Café, ilha São Tomé, bandeira
Ilhas
Centro de São Tomé, São Tomé e Príncipe

De Roça em Roça, Rumo ao Coração Tropical de São Tomé

No caminho entre Trindade e Santa Clara confrontamo-nos com o passado colonial terrífico de Batepá. À passagem pelas roças Bombaim e Monte Café, a história da ilha parece ter-se diluído no tempo e na atmosfera clorofilina da selva santomense.
Cavalos sob nevão, Islândia Neve Sem Fim Ilha Fogo
Inverno Branco
Husavik a Myvatn, Islândia

Neve sem Fim na Ilha do Fogo

Quando, a meio de Maio, a Islândia já conta com o aconchego do sol mas o frio mas o frio e a neve perduram, os habitantes cedem a uma fascinante ansiedade estival.
Recompensa Kukenam
Literatura
Monte Roraima, Venezuela

Viagem No Tempo ao Mundo Perdido do Monte Roraima

Perduram no cimo do Monte Roraima cenários extraterrestres que resistiram a milhões de anos de erosão. Conan Doyle criou, em "O Mundo Perdido", uma ficção inspirada no lugar mas nunca o chegou a pisar.
Casario de Balestrand, Noruega
Natureza
Balestrand, Noruega

Balestrand: uma Vida Entre Fiordes

São comuns as povoações nas encostas dos desfiladeiros da Noruega. Balestrand está à entrada de três. Os seus cenários destacam-se de tal forma dos demais que atraíram pintores famosos e continuam a seduzir viajantes intrigados.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Parques Naturais
Moçamedes ao PN Iona, Namibe, Angola

Entrada em Grande na Angola das Dunas

Ainda com Moçâmedes como ponto de partida, viajamos em busca das areias do Namibe e do Parque Nacional Iona. A meteorologia do cacimbo impede a continuação entre o Atlântico e as dunas para o sul deslumbrante da Baía dos Tigres. Será só uma questão de tempo.
Ponte de Ross, Tasmânia, Austrália
Património Mundial UNESCO
À Descoberta de Tassie, Parte 3, Tasmânia, Austrália

Tasmânia de Alto a Baixo

Há muito a vítima predilecta das anedotas australianas, a Tasmânia nunca perdeu o orgulho no jeito aussie mais rude ser. Tassie mantém-se envolta em mistério e misticismo numa espécie de traseiras dos antípodas. Neste artigo, narramos o percurso peculiar de Hobart, a capital instalada no sul improvável da ilha até à costa norte, a virada ao continente australiano.
Monumento do Heroes Acre, Zimbabwe
Personagens
Harare, Zimbabwe

O Último Estertor do Surreal Mugabué

Em 2015, a primeira-dama do Zimbabué Grace Mugabe afirmou que o presidente, então com 91 anos, governaria até aos 100, numa cadeira-de-rodas especial. Pouco depois, começou a insinuar-se à sua sucessão. Mas, nos últimos dias, os generais precipitaram, por fim, a remoção de Robert Mugabe que substituiram pelo antigo vice-presidente Emmerson Mnangagwa.
Mini-snorkeling
Praias
Ilhas Phi Phi, Tailândia

De regresso à Praia de Danny Boyle

Passaram 15 anos desde a estreia do clássico mochileiro baseado no romance de Alex Garland. O filme popularizou os lugares em que foi rodado. Pouco depois, alguns desapareceram temporária mas literalmente do mapa mas, hoje, a sua fama controversa permanece intacta.
Jerusalém deus, Israel, cidade dourada
Religião
Jerusalém, Israel

Mais Perto de Deus

Três mil anos de uma história tão mística quanto atribulada ganham vida em Jerusalém. Venerada por cristãos, judeus e muçulmanos, esta cidade irradia controvérsias mas atrai crentes de todo o Mundo.
A Toy Train story
Sobre Carris
Siliguri a Darjeeling, Índia

Ainda Circula a Sério o Comboio Himalaia de Brincar

Nem o forte declive de alguns tramos nem a modernidade o detêm. De Siliguri, no sopé tropical da grande cordilheira asiática, a Darjeeling, já com os seus picos cimeiros à vista, o mais famoso dos Toy Trains indianos assegura há 117 anos, dia após dia, um árduo percurso de sonho. De viagem pela zona, subimos a bordo e deixamo-nos encantar.
Gatis de Tóquio, Japão, clientes e gato sphynx
Sociedade
Tóquio, Japão

Ronronares Descartáveis

Tóquio é a maior das metrópoles mas, nos seus apartamentos exíguos, não há lugar para mascotes. Empresários nipónicos detectaram a lacuna e lançaram "gatis" em que os afectos felinos se pagam à hora.
saksun, Ilhas Faroé, Streymoy, aviso
Vida Quotidiana
Saksun, StreymoyIlhas Faroé

A Aldeia Faroesa que Não Quer ser a Disneylandia

Saksun é uma de várias pequenas povoações deslumbrantes das Ilhas Faroé, que cada vez mais forasteiros visitam. Diferencia-a a aversão aos turistas do seu principal proprietário rural, autor de repetidas antipatias e atentados contra os invasores da sua terra.
Gandoca Manzanillo Refúgio, Baía
Vida Selvagem
Gandoca-Manzanillo (Refúgio de Vida Selvagem), Costa Rica

O Refúgio Caribenho de Gandoca-Manzanillo

No fundo do seu litoral sudeste, na iminência do Panamá, a nação “tica” protege um retalho de selva, de pântano e de Mar das Caraíbas. Além de um refúgio de vida selvagem providencial, Gandoca-Manzanillo revela-se um deslumbrante éden tropical.
Passageiros, voos panorâmico-Alpes do sul, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Aoraki Monte Cook, Nova Zelândia

A Conquista Aeronáutica dos Alpes do Sul

Em 1955, o piloto Harry Wigley criou um sistema de descolagem e aterragem sobre asfalto ou neve. Desde então, a sua empresa revela, a partir do ar, alguns dos cenários mais grandiosos da Oceania.