Takayama, Japão

Takayama do Japão Antigo e da Hida Medieval


Nippo-Selfie
Mulher fotografa-se no cenário típico de madeira de Sanmachi-Suji, o centro histórico de Takayama.
Kanamori Nagachika
Estátua de Kanamori Nagachika, um dos mais importantes senhores feudais de Takayama.
Tempo de Outono
Estrutura que aloja um sino, no exterior outonal de um templo budista nos arredores de Takayama.
Acolhimento Ryokan
Empregada dà as boas-vindas a clientes à entrada do restaurante em que trabalha.
Hida-Kokubunji I
A pagoda kokubunji do templo mais antigo de Takayama, com 3 andares.
À Moda Antiga
Condutor de rickshaw japonês puxa duas passageiras ao longo de Takayama.
Guloseimas de Takayama
Empregado de uma banca de bolos tradicionais em forma de peixes, no uniforme da casa.
Refeição à moda nipónica
Comensais almoçam num restaurante típico no centro de Takayama.
Elegância de quimono
Empregadas em quimono à porta do restaurante ryokan (tradicional) em que trabalham.
Takayama em dourado
Rua iluminada da cidade durante um anoitecer chuvoso.
Budas infantis
Budas jizo de pedra com babetes e toucas junto ao templo Kokubunji de Takayama.
Visual Samurai
Letreiro criativo de uma loja da rua Ichi-no-Machi.
Uniformes de Inverno
Alunos de uma escola junto a uma banca de doces.
Hida-Kokubunji II
Tons outonais da vegetação dão mais cor ao pagode lúgubre de Hida-Kokubunji.
Sombras budistas
Amuletos nipónicos balançam junto a uma fachada do complexo de Hida-Kokubunji.
Condutor para todo o serviço
Condutor de um rickshaw japonês fotografa o casal que puxa pelas velhas ruas da cidade.
Tempo de Descanso
Condutor de rickshaw japonês de Takayama repousa entre serviços.
Arquitectura de Hida
Telhados de um santuário budista nos arredores de Takayama.
Sombras budistas II
Amuletos nipónicos balançam junto a uma fachada do complexo de Hida-Kokubunji.
Boa-disposição
Amigas de visita à cidade partilham gelados e divertem-se.
Em três das suas ruas, Takayama retém uma arquitectura tradicional de madeira e concentra velhas lojas e produtoras de saquê. Em redor, aproxima-se dos 100.000 habitantes e rende-se à modernidade.

Conhecemos a gerente do hotel Tanabe no ambiente aconchegante e típico daquele estabelecimento em estilo ryokan.

A anfitriã recorre a um inglês muito ponderado e ainda mais pausado. Os especialistas da linguística negam-no.

Ainda assim, a gerente parece concordar com duas polémicas teorias vocabulares de ligação entre o Japão e Portugal: “Sim, é isso mesmo que eu e muitos outros japoneses pensamos: os mercadores portugueses introduziram o arigato ao repetirem vezes sem conta o seu obrigado.

Tal como fizeram com muitas outras palavras que nós usamos“. Pouco depois, entra em êxtase quando lhe revelamos a semelhança entre o sabon japonês e o sabão nacional para logo nos lavar o cérebro com uma canção infantil nipónica que usa e abusa do termo.

Elegância de quimono, Hida do Japão Antigo e Medieval

Empregadas em quimono à porta do restaurante ryokan (tradicional) em que trabalham.

O Âmago Histórico de Takayama

Findo o breve convívio, deixamos o hotel Tanabe. O centro histórico Sanmachi-suji está apenas a umas centenas de metros. Acabamos por o percorrer, para a frente e para trás, vezes sem conta.

Esta área secular diminuta de Takayama é formada por apenas três ruas repletas de domicílios e armazéns de mercadores do período Edo, lojas antigas, restaurantes típicos, museus e produtoras de saquê identificáveis pelas esferas de franjas de cedro penduradas à porta.

Empregado loja guloseimas, Hida do Japão Antigo e Medieval

Empregado de uma banca de bolos tradicionais em forma de peixes, no uniforme da casa.

Reina, por aqui, uma arquitectura e decoração tradicionais consubstanciadas em fachadas de madeira escura, coloridas por plantas e letreiros que sinalizam os estabelecimentos.

Ou anunciam promoções especiais e com retoques regionais apurados ao longo dos tempos pelas muitas famílias de carpinteiros e marceneiros que, no século VIII, se crê terem participado na construção do templo esplendoroso Hida Kokubun-ji de Takayama e dos seus pagodes.

Hida-Kokubunji, Takayama, Hida do Japão Antigo e Medieval

A pagoda kokubunji do templo mais antigo de Takayama, com 3 andares

Também do palácio imperial de Quioto e de vários outros templos de Quioto e de Nara.

Contemplamos e provamos dezenas de produtos locais, incluindo amostras de reconfortantes caldos miso, ou vemos os visitantes nipónicos investigarem e fotografarem-se junto a tudo o que lhes chama a atenção. Até perdermos a noção do tempo

Selfie, Hida do Japão Antigo e Medieval

Mulher fotografa-se no cenário típico de madeira de Sanmachi-Suji, o centro histórico de Takayama.

Riquexós Pitorescos e os Alertas Anti-Fogo dos Shobodan

De quando em quando, a passagem apressada de riquexós puxados por condutores de trajes típicos, por norma azuis, redobra a dinâmica turística de Sanmachi-Suji.

Estes rebocadores humanos também são guias. Explicam, ainda a arfar do esforço empregue na locomoção, os mais íntimos segredos seculares do bairro.

Os seus veículos pouco evoluíram face aos que terão sido inventados no Japão, por volta do fim do século XIX.

Puxador riquexó, Hida do Japão Antigo e Medieval

Condutor de rickshaw japonês puxa duas passageiras ao longo de Takayama.

E que inspiraram grande parte dos ainda hoje puxados em países asiáticos e de outras partes do mundo. Mesmo assim, garantem-lhes rendimentos sazonais mais que dignos para os padrões nipónicos.

Puxador riquexó e clientes, Hida do Japão Antigo e Medieval

Condutor de um rickshaw japonês fotografa o casal que puxa pelas velhas ruas da cidade.

A tarde chega ao fim. Começa uma vez mais a chuviscar.

O aguaceiro frígido não obsta a que, lá fora, um mensageiro medieval shobodan honre a sua missão cívica e percorra as ruas a bater dois paus um no outro para produzir um som traduzível por “cachium”, familiar entre os moradores.

Takayama em dourado

Rua iluminada da cidade durante um anoitecer chuvoso

Em simultâneo, o ancião apregoa o aviso Hi no yojin! (cuidado com o fogo) e reforça o alerta de que os moradores devem ter cuidado com as chamas nos seus lares.

O coração de Takayama mantém-se fortemente combustível.

Foi erguido, em madeira, no fim do século XVI. Como o foi toda a cidade fortificada que se desenvolveu em redor do castelo do todo-poderoso clã Kanamori.

Kanamori Nagachika, Hida do Japão Antigo e Medieval

Estátua de Kanamori Nagachika, um dos mais importantes senhores feudais de Takayama.

Takayama também perdurou muito tempo como capital da velha província Hida, uma região perdida no interior montanhoso do sobrelotado Japão.

Retiro Nocturno no Templo-Pousada Zenkoji e a Exploração Madrugadora de Takayama

Quando a noite se instala e o frio desce dos Alpes nipónicos, os donos e empregados das lojas apressam-se a fazer contas, a fechar e a recolher ao domicílios. As ruas ficam desertas.

Seguimos o fluxo habitual da cidade. Regressamos ao templo-pousada Zenkoji em que havíamos dado entrada à chegada à povoação.

A porta principal estava aberta, como quase todas as das divisões interiores, fusuma, que é como quem diz, nipónicas e de correr. Lá dentro, o monge Tommy tratava de arrumações na cozinha. Revelou-se muito mais austero do que quando o víramos pela primeira vez.

“Estão de volta?“ Pergunta-nos no inglês americanado que tinha adquirido nos anos em que vivera nos Estados Unidos. Não se esqueçam que não podem fazer barulho a partir das 22h.” relembra-nos sem grande delicadeza para logo voltar aos seus afazeres. Cansados como andávamos, só queríamos dormir.

Levantamo-nos pouco depois da aurorar seguinte, ainda meio atordoados com a fadiga que sobrava e com o frio precoce. Improvisamos um pequeno-almoço rápido.

Sombras budistas, Hida do Japão Antigo e Medieval

Amuletos nipónicos balançam junto a uma fachada do complexo de Hida-Kokubunji

Saímos para a rua determinados a enfrentar um Outono nipónico ansioso e descomplexado.

Takayama acordara havia muito, com o frenesim dos seus dois mercados matinais: o Jinya-mae, organizado junto à casa de governação (Jinya). E o Miya-gawa, disposto ao longo do rio homónimo que atravessava a cidade.

Agrupavam-se, em ambos, agricultores enrijecidos pela idade. De quando em quando, ofereciam aos transeuntes pequenas amostras das suas maças fuji e uvas tão deliciosas quanto dispendiosas.

Controlavam de forma quase mecânica as provas repetidas e abusadoras dos gaijin (estrangeiros). Ao mesmo tempo, esquivavam-se das excursões de miúdos de escola, autênticos bandos de crianças de rapina.

Fruta imaculada, Hida do Japão Antigo e Medieval

Crianças examinam fruta exposta num dos mercados de Takayama.

Teramachi e Shiroyama-koen: os Redutos Xintoístas-Budistas de Takayama

Como é de esperar numa urbe japonesa, Takayama também tem os seus domínios xintoístas-budistas. Chamam-se Teramachi e Shiroyama-Koen. Ocupam as colinas a leste da cidade.

Pouco depois de deixarmos os mercados, apontamos para estas paragens e percorremo-las por um caminho que serpenteia entre ciprestes, templos, santuários e cemitérios vastos, num cenário de atmosfera encharcada que tem tanto de lúgubre como de sedativo.

Arquitectura de Hida, Hida do Japão Antigo e Medieval

Telhados de um santuário budista nos arredores de Takayama.

A caminhada entretêm-nos quase duas horas. Reserva-nos para o fim as passagens mais íngremes e dolorosas: as subidas até ao parque Shiroyama-koen.

Já no seu interior bucólico, às pseudo-ruínas (pouco ou nada lá encontrámos) do Takayama-jo, o velho castelo feudal da era Kanamori.

Casario Takayama, Hida do Japão Antigo e Medieval

Casario no geral moderno de Takayama, em redor das suas três ou quatro ruas medievais.

No regresso ao centro, surpreendemo-nos com uma vista aberta sobre o casario pré-fabricado e anti-sísmico da cidade. Dali, não detectávamos qualquer sinal do núcleo histórico que, mesmo escondido, sabíamos resistir entre os edifícios mais altos.

Retornamos à baixa de Takayama e dedicamos mais um dia à exploração do seu resiliente reduto secular.

Quioto, Japão

O Templo de Quioto que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.
Miyajima, Japão

Xintoísmo e Budismo ao Sabor das Marés

Quem visita o tori de Itsukushima admira um dos três cenários mais reverenciados do Japão. Na ilha de Miyajima, a religiosidade nipónica confunde-se com a Natureza e renova-se com o fluir do Mar interior de Seto.
Nara, Japão

O Berço Colossal do Budismo Nipónico

Nara deixou, há muito, de ser capital e o seu templo Todai-ji foi despromovido. Mas o Grande Salão mantém-se o maior edifício antigo de madeira do Mundo. E alberga o maior buda vairocana de bronze.
Quioto, Japão

Um Japão Milenar Quase Perdido

Quioto esteve na lista de alvos das bombas atómicas dos E.U.A. e foi mais que um capricho do destino que a preservou. Salva por um Secretário de Guerra norte-americano apaixonado pela sua riqueza histórico-cultural e sumptuosidade oriental, a cidade foi substituída à última da hora por Nagasaki no sacrifício atroz do segundo cataclismo nuclear.
Ogimashi, Japão

Uma Aldeia Fiel ao A

Ogimashi revela uma herança fascinante da adaptabilidade nipónica. Situada num dos locais mais nevosos à face da Terra, esta povoação aperfeiçoou casas com verdadeiras estruturas anti-colapso.
Magome-Tsumago, Japão

Magome a Tsumago: o Caminho Sobrelotado Para o Japão Medieval

Em 1603, o xogum Tokugawa ditou a renovação de um sistema de estradas já milenar. Hoje, o trecho mais famoso da via que unia Edo a Quioto é percorrido por uma turba ansiosa por evasão.
Quioto, Japão

Uma Fé Combustível

Durante a celebração xintoísta de Ohitaki são reunidas no templo de Fushimi preces inscritas em tabuínhas pelos fiéis nipónicos. Ali, enquanto é consumida por enormes fogueiras, a sua crença renova-se.
Ogimashi, Japão

Um Japão Histórico-Virtual

Higurashi no Naku Koro ni” foi uma série de animação nipónica e jogo de computador com enorme sucesso. Em Ogimashi, aldeia de Shirakawa-Go, convivemos com um grupo de kigurumis das suas personagens.
Quioto, Japão

Sobrevivência: A Última Arte Gueixa

Já foram quase 100 mil mas os tempos mudaram e as gueixas estão em vias de extinção. Hoje, as poucas que restam vêem-se forçadas a ceder a modernidade menos subtil e elegante do Japão.
Arquitectura & Design
Fortalezas

O Mundo à Defesa – Castelos e Fortalezas que Resistem

Sob ameaça dos inimigos desde os confins dos tempos, os líderes de povoações e de nações ergueram castelos e fortalezas. Um pouco por todo o lado, monumentos militares como estes continuam a resistir.
Aventura
Vulcões

Montanhas de Fogo

Rupturas mais ou menos proeminentes da crosta terrestre, os vulcões podem revelar-se tão exuberantes quanto caprichosos. Algumas das suas erupções são gentis, outras provam-se aniquiladoras.
Via Conflituosa
Cerimónias e Festividades
Jerusalém, Israel

Pelas Ruas Beliciosas da Via Dolorosa

Em Jerusalém, enquanto percorrem a Via Dolorosa, os crentes mais sensíveis apercebem-se de como a paz do Senhor é difícil de alcançar nas ruelas mais disputadas à face da Terra.
Silhuetas Islâmicas
Cidades

Istambul, Turquia

Onde o Oriente encontra o Ocidente, a Turquia Procura um Rumo

Metrópole emblemática e grandiosa, Istambul vive numa encruzilhada. Como a Turquia em geral, dividida entre a laicidade e o islamismo, a tradição e a modernidade, continua sem saber que caminho seguir

Comida
Margilan, Usbequistão

Um Ganha Pão do Uzbequistão

Numa de muitas padarias de Margilan, desgastado pelo calor intenso do forno tandyr, o padeiro Maruf'Jon trabalha meio-cozido como os distintos pães tradicionais vendidos por todo o Usbequistão
Camponesa, Majuli, Assam, India
Cultura
Majuli, Índia

Uma Ilha em Contagem Decrescente

Majuli é a maior ilha fluvial da Índia e seria ainda uma das maiores à face da Terra não fosse a erosão do rio Bramaputra que há séculos a faz diminuir. Se, como se teme, ficar submersa dentro de vinte anos, mais que uma ilha, desaparecerá um reduto cultural e paisagístico realmente místico do Subcontinente.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Desporto
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
Eternal Spring Shrine
Em Viagem

Garganta de Taroko, Taiwan

Nas Profundezas de Taiwan

Em 1956, taiwaneses cépticos duvidavam que os 20km iniciais da Central Cross-Island Hwy fossem possíveis. O desfiladeiro de mármore que a desafiou é, hoje, o cenário natural mais notável da Formosa.

vale profundo, socalcos arroz, batad, filipinas
Étnico
Batad, Filipinas

Os Socalcos que Sustentam as Filipinas

Há mais de 2000 anos, inspirado pelo seu deus do arroz, o povo Ifugao esquartejou as encostas de Luzon. O cereal que os indígenas ali cultivam ainda nutre parte significativa do país.
arco-íris no Grand Canyon, um exemplo de luz fotográfica prodigiosa
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
Palácio de Cnossos, Creta, Grécia
História
Iraklio, Grécia

De Minos a Menos

Chegamos a Iraklio e, no que diz respeito a grandes cidades, a Grécia fica-se por ali. Já quanto à história e à mitologia, a capital de Creta ramifica sem fim. Minos, filho de Europa, lá teve tanto o seu palácio como o labirinto em que encerrou o minotauro. Passaram por Iraklio os árabes, os bizantinos, os venezianos e os otomanos. Os gregos que a habitam falham em lhe dar o devido valor.
Vanuatu, Cruzeiro em Wala
Ilhas
Wala, Vanuatu

Cruzeiro à Vista, a Feira Assenta Arraiais

Em grande parte de Vanuatu, os dias de “bons selvagens” da população ficaram para trás. Em tempos incompreendido e negligenciado, o dinheiro ganhou valor. E quando os grandes navios com turistas chegam ao largo de Malekuka, os nativos concentram-se em Wala e em facturar.
Auroras Boreais, Laponia, Rovaniemi, Finlandia, Raposa de Fogo
Inverno Branco
Lapónia, Finlândia

Em Busca da Raposa de Fogo

São exclusivas dos píncaros da Terra as auroras boreais ou austrais, fenómenos de luz gerados por explosões solares. Os nativos Sami da Lapónia acreditavam tratar-se de uma raposa ardente que espalhava brilhos no céu. Sejam o que forem, nem os quase 30º abaixo de zero que se faziam sentir no extremo norte da Finlândia nos demoveram de as admirar.
Recompensa Kukenam
Literatura
Monte Roraima, Venezuela

Viagem No Tempo ao Mundo Perdido do Monte Roraima

Perduram no cimo do Mte. Roraima cenários extraterrestres que resistiram a milhões de anos de erosão. Conan Doyle criou, em "O Mundo Perdido", uma ficção inspirada no lugar mas nunca o chegou a pisar.
Jipe cruza Damaraland, Namíbia
Natureza
Damaraland, Namíbia

Namíbia On the Rocks

Centenas de quilómetros para norte de Swakopmund, muitos mais das dunas emblemáticas de Sossuvlei, Damaraland acolhe desertos entrecortados por colinas de rochas avermelhadas, a maior montanha e a arte rupestre decana da jovem nação. Os colonos sul-africanos baptizaram esta região em função dos Damara, uma das etnias da Namíbia. Só estes e outros habitantes comprovam que fica na Terra.
Sheki, Outono no Cáucaso, Azerbaijão, Lares de Outono
Outono
Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.
Banhista, The Baths, Devil's Bay (The Baths) National Park, Virgin Gorda, Ilhas Virgens Britânicas
Parques Naturais
Virgin Gorda, Ilhas Virgens Britânicas

Os “Caribanhos” Divinais de Virgin Gorda

À descoberta das Ilhas Virgens, desembarcamos numa beira-mar tropical e sedutora salpicada de enormes rochedos graníticos. Os The Baths parecem saídos das Seicheles mas são um dos cenários marinhos mais exuberantes das Caraíbas.
hué, cidade comunista, Vietname Imperial, Comunismo Imperial
Património Mundial UNESCO
Hué, Vietname

A Herança Vermelha do Vietname Imperial

Sofreu as piores agruras da Guerra do Vietname e foi desprezada pelos vietcong devido ao passado feudal. As bandeiras nacional-comunistas esvoaçam sobre as suas muralhas mas Hué recupera o esplendor.
Em quimono de elevador, Osaka, Japão
Personagens
Osaka, Japão

Na Companhia de Mayu

A noite japonesa é um negócio bilionário e multifacetado. Em Osaka, acolhe-nos uma anfitriã de couchsurfing enigmática, algures entre a gueixa e a acompanhante de luxo.
Vista aérea de Moorea
Praias
Moorea, Polinésia Francesa

A Irmã Polinésia que Qualquer Ilha Gostaria de Ter

A meros 17km de Taiti, Moorea não conta com uma única cidade e abriga um décimo dos habitantes. Há muito que os taitianos veem o sol pôr-se e transformar a ilha ao lado numa silhueta enevoada para, horas depois, lhe devolver as cores e formas exuberantes. Para quem visita estas paragens longínquas do Pacífico, conhecer também Moorea é um privilégio a dobrar.
Kremlin de Rostov Veliky, Rússia
Religião
Rostov Veliky, Rússia

Sob as Cúpulas da Alma Russa

É uma das mais antigas e importantes cidades medievais, fundada durante as origens ainda pagãs da nação dos czares. No fim do século XV, incorporada no Grande Ducado de Moscovo, tornou-se um centro imponente da religiosidade ortodoxa. Hoje, só o esplendor do kremlin moscovita suplanta o da cidadela da tranquila e pitoresca Rostov Veliky.
Composição Flam Railway abaixo de uma queda d'água, Noruega
Sobre carris
Nesbyen a Flam, Noruega

Flam Railway: Noruega Sublime da Primeira à Última Estação

Por estrada e a bordo do Flam Railway, num dos itinerários ferroviários mais íngremes do mundo, chegamos a Flam e à entrada do Sognefjord, o maior, mais profundo e reverenciado dos fiordes da Escandinávia. Do ponto de partida à derradeira estação, confirma-se monumental esta Noruega que desvendamos.
San Cristobal de Las Casas, Chiapas, Zapatismo, México, Catedral San Nicolau
Sociedade
San Cristóbal de Las Casas, México

O Lar Doce Lar da Consciência Social Mexicana

Maia, mestiça e hispânica, zapatista e turística, campestre e cosmopolita, San Cristobal não tem mãos a medir. Nela, visitantes mochileiros e activistas políticos mexicanos e expatriados partilham uma mesma demanda ideológica.
Visitantes nas ruínas de Talisay, ilha de Negros, Filipinas
Vida Quotidiana
Talisay City, Filipinas

Monumento a um Amor Luso-Filipino

No final do século XIX, Mariano Lacson, um fazendeiro filipino e Maria Braga, uma portuguesa de Macau, apaixonaram-se e casaram. Durante a gravidez do que seria o seu 11º filho, Maria sucumbiu a uma queda. Destroçado, Mariano ergueu uma mansão em sua honra. Em plena 2ª Guerra Mundial, a mansão foi incendiada mas as ruínas elegantes que resistiram eternizam a sua trágica relação.
Pesca, Caño Negro, Costa Rica
Vida Selvagem
Caño Negro, Costa Rica

Uma Vida à Pesca entre a Vida Selvagem

Uma das zonas húmidas mais importantes da Costa Rica e do Mundo, Caño Negro deslumbra pelo seu ecossistema exuberante. Não só. Remota, isolada por rios, pântanos e estradas sofríveis, os seus habitantes encontraram na pesca um meio embarcado de fortalecerem os laços da sua comunidade.
The Sounds, Fiordland National Park, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Fiordland, Nova Zelândia

Os Fiordes dos Antipodas

Um capricho geológico fez da região de Fiordland a mais crua e imponente da Nova Zelândia. Ano após anos, muitos milhares de visitantes veneram o sub-domínio retalhado entre Te Anau e Milford Sound.