Takayama, Japão

Takayama do Japão Antigo e da Hida Medieval


Nippo-Selfie
Mulher fotografa-se no cenário típico de madeira de Sanmachi-Suji, o centro histórico de Takayama.
Kanamori Nagachika
Estátua de Kanamori Nagachika, um dos mais importantes senhores feudais de Takayama.
Tempo de Outono
Estrutura que aloja um sino, no exterior outonal de um templo budista nos arredores de Takayama.
Acolhimento Ryokan
Empregada dà as boas-vindas a clientes à entrada do restaurante em que trabalha.
Hida-Kokubunji I
A pagoda kokubunji do templo mais antigo de Takayama, com 3 andares.
À Moda Antiga
Condutor de rickshaw japonês puxa duas passageiras ao longo de Takayama.
Guloseimas de Takayama
Empregado de uma banca de bolos tradicionais em forma de peixes, no uniforme da casa.
Refeição à moda nipónica
Comensais almoçam num restaurante típico no centro de Takayama.
Elegância de quimono
Empregadas em quimono à porta do restaurante ryokan (tradicional) em que trabalham.
Takayama em dourado
Rua iluminada da cidade durante um anoitecer chuvoso.
Budas infantis
Budas jizo de pedra com babetes e toucas junto ao templo Kokubunji de Takayama.
Visual Samurai
Letreiro criativo de uma loja da rua Ichi-no-Machi.
Uniformes de Inverno
Alunos de uma escola junto a uma banca de doces.
Hida-Kokubunji II
Tons outonais da vegetação dão mais cor ao pagode lúgubre de Hida-Kokubunji.
Sombras budistas
Amuletos nipónicos balançam junto a uma fachada do complexo de Hida-Kokubunji.
Condutor para todo o serviço
Condutor de um rickshaw japonês fotografa o casal que puxa pelas velhas ruas da cidade.
Tempo de Descanso
Condutor de rickshaw japonês de Takayama repousa entre serviços.
Arquitectura de Hida
Telhados de um santuário budista nos arredores de Takayama.
Sombras budistas II
Amuletos nipónicos balançam junto a uma fachada do complexo de Hida-Kokubunji.
Boa-disposição
Amigas de visita à cidade partilham gelados e divertem-se.
Em três das suas ruas, Takayama retém uma arquitectura tradicional de madeira e concentra velhas lojas e produtoras de saquê. Em redor, aproxima-se dos 100.000 habitantes e rende-se à modernidade.

Conhecemos a gerente do hotel Tanabe no ambiente aconchegante e típico daquele estabelecimento em estilo ryokan.

A anfitriã recorre a um inglês muito ponderado e ainda mais pausado. Os especialistas da linguística negam-no.

Ainda assim, a gerente parece concordar com duas polémicas teorias vocabulares de ligação entre o Japão e Portugal: “Sim, é isso mesmo que eu e muitos outros japoneses pensamos: os mercadores portugueses introduziram o arigato ao repetirem vezes sem conta o seu obrigado.

Tal como fizeram com muitas outras palavras que nós usamos“. Pouco depois, entra em êxtase quando lhe revelamos a semelhança entre o sabon japonês e o sabão nacional para logo nos lavar o cérebro com uma canção infantil nipónica que usa e abusa do termo.

Elegância de quimono, Hida do Japão Antigo e Medieval

Empregadas em quimono à porta do restaurante ryokan (tradicional) em que trabalham.

O Âmago Histórico de Takayama

Findo o breve convívio, deixamos o hotel Tanabe. O centro histórico Sanmachi-suji está apenas a umas centenas de metros. Acabamos por o percorrer, para a frente e para trás, vezes sem conta.

Esta área secular diminuta de Takayama é formada por apenas três ruas repletas de domicílios e armazéns de mercadores do período Edo, lojas antigas, restaurantes típicos, museus e produtoras de saquê identificáveis pelas esferas de franjas de cedro penduradas à porta.

Empregado loja guloseimas, Hida do Japão Antigo e Medieval

Empregado de uma banca de bolos tradicionais em forma de peixes, no uniforme da casa.

Reina, por aqui, uma arquitectura e decoração tradicionais consubstanciadas em fachadas de madeira escura, coloridas por plantas e letreiros que sinalizam os estabelecimentos.

Ou anunciam promoções especiais e com retoques regionais apurados ao longo dos tempos pelas muitas famílias de carpinteiros e marceneiros que, no século VIII, se crê terem participado na construção do templo esplendoroso Hida Kokubun-ji de Takayama e dos seus pagodes.

Hida-Kokubunji, Takayama, Hida do Japão Antigo e Medieval

A pagoda kokubunji do templo mais antigo de Takayama, com 3 andares

Também do palácio imperial de Quioto e de vários outros templos de Quioto e de Nara.

Contemplamos e provamos dezenas de produtos locais, incluindo amostras de reconfortantes caldos miso, ou vemos os visitantes nipónicos investigarem e fotografarem-se junto a tudo o que lhes chama a atenção. Até perdermos a noção do tempo

Selfie, Hida do Japão Antigo e Medieval

Mulher fotografa-se no cenário típico de madeira de Sanmachi-Suji, o centro histórico de Takayama.

Riquexós Pitorescos e os Alertas Anti-Fogo dos Shobodan

De quando em quando, a passagem apressada de riquexós puxados por condutores de trajes típicos, por norma azuis, redobra a dinâmica turística de Sanmachi-Suji.

Estes rebocadores humanos também são guias. Explicam, ainda a arfar do esforço empregue na locomoção, os mais íntimos segredos seculares do bairro.

Os seus veículos pouco evoluíram face aos que terão sido inventados no Japão, por volta do fim do século XIX.

Puxador riquexó, Hida do Japão Antigo e Medieval

Condutor de rickshaw japonês puxa duas passageiras ao longo de Takayama.

E que inspiraram grande parte dos ainda hoje puxados em países asiáticos e de outras partes do mundo. Mesmo assim, garantem-lhes rendimentos sazonais mais que dignos para os padrões nipónicos.

Puxador riquexó e clientes, Hida do Japão Antigo e Medieval

Condutor de um rickshaw japonês fotografa o casal que puxa pelas velhas ruas da cidade.

A tarde chega ao fim. Começa uma vez mais a chuviscar.

O aguaceiro frígido não obsta a que, lá fora, um mensageiro medieval shobodan honre a sua missão cívica e percorra as ruas a bater dois paus um no outro para produzir um som traduzível por “cachium”, familiar entre os moradores.

Takayama em dourado

Rua iluminada da cidade durante um anoitecer chuvoso

Em simultâneo, o ancião apregoa o aviso Hi no yojin! (cuidado com o fogo) e reforça o alerta de que os moradores devem ter cuidado com as chamas nos seus lares.

O coração de Takayama mantém-se fortemente combustível.

Foi erguido, em madeira, no fim do século XVI. Como o foi toda a cidade fortificada que se desenvolveu em redor do castelo do todo-poderoso clã Kanamori.

Kanamori Nagachika, Hida do Japão Antigo e Medieval

Estátua de Kanamori Nagachika, um dos mais importantes senhores feudais de Takayama.

Takayama também perdurou muito tempo como capital da velha província Hida, uma região perdida no interior montanhoso do sobrelotado Japão.

Retiro Nocturno no Templo-Pousada Zenkoji e a Exploração Madrugadora de Takayama

Quando a noite se instala e o frio desce dos Alpes nipónicos, os donos e empregados das lojas apressam-se a fazer contas, a fechar e a recolher ao domicílios. As ruas ficam desertas.

Seguimos o fluxo habitual da cidade. Regressamos ao templo-pousada Zenkoji em que havíamos dado entrada à chegada à povoação.

A porta principal estava aberta, como quase todas as das divisões interiores, fusuma, que é como quem diz, nipónicas e de correr. Lá dentro, o monge Tommy tratava de arrumações na cozinha. Revelou-se muito mais austero do que quando o víramos pela primeira vez.

“Estão de volta?“ Pergunta-nos no inglês americanado que tinha adquirido nos anos em que vivera nos Estados Unidos. Não se esqueçam que não podem fazer barulho a partir das 22h.” relembra-nos sem grande delicadeza para logo voltar aos seus afazeres. Cansados como andávamos, só queríamos dormir.

Levantamo-nos pouco depois da aurorar seguinte, ainda meio atordoados com a fadiga que sobrava e com o frio precoce. Improvisamos um pequeno-almoço rápido.

Sombras budistas, Hida do Japão Antigo e Medieval

Amuletos nipónicos balançam junto a uma fachada do complexo de Hida-Kokubunji

Saímos para a rua determinados a enfrentar um Outono nipónico ansioso e descomplexado.

Takayama acordara havia muito, com o frenesim dos seus dois mercados matinais: o Jinya-mae, organizado junto à casa de governação (Jinya). E o Miya-gawa, disposto ao longo do rio homónimo que atravessava a cidade.

Agrupavam-se, em ambos, agricultores enrijecidos pela idade. De quando em quando, ofereciam aos transeuntes pequenas amostras das suas maças fuji e uvas tão deliciosas quanto dispendiosas.

Controlavam de forma quase mecânica as provas repetidas e abusadoras dos gaijin (estrangeiros). Ao mesmo tempo, esquivavam-se das excursões de miúdos de escola, autênticos bandos de crianças de rapina.

Fruta imaculada, Hida do Japão Antigo e Medieval

Crianças examinam fruta exposta num dos mercados de Takayama.

Teramachi e Shiroyama-koen: os Redutos Xintoístas-Budistas de Takayama

Como é de esperar numa urbe japonesa, Takayama também tem os seus domínios xintoístas-budistas. Chamam-se Teramachi e Shiroyama-Koen. Ocupam as colinas a leste da cidade.

Pouco depois de deixarmos os mercados, apontamos para estas paragens e percorremo-las por um caminho que serpenteia entre ciprestes, templos, santuários e cemitérios vastos, num cenário de atmosfera encharcada que tem tanto de lúgubre como de sedativo.

Arquitectura de Hida, Hida do Japão Antigo e Medieval

Telhados de um santuário budista nos arredores de Takayama.

A caminhada entretêm-nos quase duas horas. Reserva-nos para o fim as passagens mais íngremes e dolorosas: as subidas até ao parque Shiroyama-koen.

Já no seu interior bucólico, às pseudo-ruínas (pouco ou nada lá encontrámos) do Takayama-jo, o velho castelo feudal da era Kanamori.

Casario Takayama, Hida do Japão Antigo e Medieval

Casario no geral moderno de Takayama, em redor das suas três ou quatro ruas medievais.

No regresso ao centro, surpreendemo-nos com uma vista aberta sobre o casario pré-fabricado e anti-sísmico da cidade. Dali, não detectávamos qualquer sinal do núcleo histórico que, mesmo escondido, sabíamos resistir entre os edifícios mais altos.

Retornamos à baixa de Takayama e dedicamos mais um dia à exploração do seu resiliente reduto secular.

Quioto, Japão

O Templo de Quioto que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.
Miyajima, Japão

Xintoísmo e Budismo ao Sabor das Marés

Quem visita o tori de Itsukushima admira um dos três cenários mais reverenciados do Japão. Na ilha de Miyajima, a religiosidade nipónica confunde-se com a Natureza e renova-se com o fluir do Mar interior de Seto.
Nara, Japão

O Berço Colossal do Budismo Nipónico

Nara deixou, há muito, de ser capital e o seu templo Todai-ji foi despromovido. Mas o Grande Salão mantém-se o maior edifício antigo de madeira do Mundo. E alberga o maior buda vairocana de bronze.
Quioto, Japão

Um Japão Milenar Quase Perdido

Quioto esteve na lista de alvos das bombas atómicas dos E.U.A. e foi mais que um capricho do destino que a preservou. Salva por um Secretário de Guerra norte-americano apaixonado pela sua riqueza histórico-cultural e sumptuosidade oriental, a cidade foi substituída à última da hora por Nagasaki no sacrifício atroz do segundo cataclismo nuclear.
Ogimashi, Japão

Uma Aldeia Fiel ao A

Ogimashi revela uma herança fascinante da adaptabilidade nipónica. Situada num dos locais mais nevosos à face da Terra, esta povoação aperfeiçoou casas com verdadeiras estruturas anti-colapso.
Magome-Tsumago, Japão

Magome a Tsumago: o Caminho Sobrelotado Para o Japão Medieval

Em 1603, o xogum Tokugawa ditou a renovação de um sistema de estradas já milenar. Hoje, o trecho mais famoso da via que unia Edo a Quioto é percorrido por uma turba ansiosa por evasão.
Quioto, Japão

Uma Fé Combustível

Durante a celebração xintoísta de Ohitaki são reunidas no templo de Fushimi preces inscritas em tabuínhas pelos fiéis nipónicos. Ali, enquanto é consumida por enormes fogueiras, a sua crença renova-se.
Ogimashi, Japão

Um Japão Histórico-Virtual

Higurashi no Naku Koro ni” foi uma série de animação nipónica e jogo de computador com enorme sucesso. Em Ogimashi, aldeia de Shirakawa-Go, convivemos com um grupo de kigurumis das suas personagens.
Quioto, Japão

Sobrevivência: A Última Arte Gueixa

Já foram quase 100 mil mas os tempos mudaram e as gueixas estão em vias de extinção. Hoje, as poucas que restam vêem-se forçadas a ceder a modernidade menos subtil e elegante do Japão.
Reserva Masai Mara, Viagem Terra Masai, Quénia, Convívio masai
Safari
Masai Mara, Quénia

Reserva Masai Mara: De Viagem pela Terra Masai

A savana de Mara tornou-se famosa pelo confronto entre os milhões de herbívoros e os seus predadores. Mas, numa comunhão temerária com a vida selvagem, são os humanos Masai que ali mais se destacam.
Circuito Annapurna, Manang a Yak-kharka
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna 10º: Manang a Yak Kharka, Nepal

A Caminho das Terras (Mais) Altas dos Annapurnas

Após uma pausa de aclimatização na civilização quase urbana de Manang (3519 m), voltamos a progredir na ascensão para o zénite de Thorong La (5416 m). Nesse dia, atingimos o lugarejo de Yak Kharka, aos 4018 m, um bom ponto de partida para os acampamentos na base do grande desfiladeiro.
Cabana de Bay Watch, Miami beach, praia, Florida, Estados Unidos,
Arquitectura & Design
Miami Beach, E.U.A.

A Praia de Todas as Vaidades

Poucos litorais concentram, ao mesmo tempo, tanto calor e exibições de fama, de riqueza e de glória. Situada no extremo sudeste dos E.U.A., Miami Beach tem acesso por seis pontes que a ligam ao resto da Florida. É manifestamente parco para o número de almas que a desejam.
Alturas Tibetanas, mal de altitude, montanha prevenir tratar, viagem
Aventura

Mal de Altitude: não é mau. É péssimo!

Em viagem, acontece vermo-nos confrontados com a falta de tempo para explorar um lugar tão imperdível como elevado. Ditam a medicina e as experiências prévias com o Mal de Altitude que não devemos arriscar subir à pressa.
Hinduismo Balinês, Lombok, Indonésia, templo Batu Bolong, vulcão Agung em fundo
Cerimónias e Festividades
Lombok, Indonésia

Lombok: Hinduísmo Balinês Numa Ilha do Islão

A fundação da Indonésia assentou na crença num Deus único. Este princípio ambíguo sempre gerou polémica entre nacionalistas e islamistas mas, em Lombok, os balineses levam a liberdade de culto a peito
Presa por vários arames
Cidades
Curitiba, Brasil

A Vida Elevada de Curitiba

Não é só a altitude de quase 1000 metros a que a cidade se situa. Cosmopolita e multicultural, a capital paranaense tem uma qualidade de vida e rating de desenvolvimento humano que a tornam um caso à parte no Brasil.
Moradora obesa de Tupola Tapaau, uma pequena ilha de Samoa Ocidental.
Comida
Tonga, Samoa Ocidental, Polinésia

Pacífico XXL

Durante séculos, os nativos das ilhas polinésias subsistiram da terra e do mar. Até que a intrusão das potências coloniais e a posterior introdução de peças de carne gordas, da fast-food e das bebidas açucaradas geraram uma praga de diabetes e de obesidade. Hoje, enquanto boa parte do PIB nacional de Tonga, de Samoa Ocidental e vizinhas é desperdiçado nesses “venenos ocidentais”, os pescadores mal conseguem vender o seu peixe.
Ilha do Norte, Nova Zelândia, Maori, Tempo de surf
Cultura
Ilha do Norte, Nova Zelândia

Viagem pelo Caminho da Maoridade

A Nova Zelândia é um dos países em que descendentes de colonos e nativos mais se respeitam. Ao explorarmos a sua lha do Norte, inteirámo-nos do amadurecimento interétnico desta nação tão da Commonwealth como maori e polinésia.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Desporto
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
Caminhantes no trilho do Ice Lake, Circuito Annapurna, Nepal
Em Viagem
Circuito Annapurna: 7º - Braga - Ice Lake, Nepal

Circuito Annapurna – A Aclimatização Dolorosa do Ice Lake

Na subida para o povoado de Ghyaru, tivemos uma primeira e inesperada mostra do quão extasiante se pode provar o Circuito Annapurna. Nove quilómetros depois, em Braga, pela necessidade de aclimatizarmos ascendemos dos 3.470m de Braga aos 4.600m do lago de Kicho Tal. Só sentimos algum esperado cansaço e o avolumar do deslumbre pela Cordilheira Annapurna.
Moradora de Dali, Yunnan, China
Étnico
Dali, China

A China Surrealista de Dali

Encaixada num cenário lacustre mágico, a antiga capital do povo Bai manteve-se, até há algum tempo, um refúgio da comunidade mochileira de viajantes. As mudanças sociais e económicas da China fomentaram a invasão de chineses à descoberta do recanto sudoeste da nação.
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Portfólio Got2Globe

A Vida Lá Fora

hué, cidade comunista, Vietname Imperial, Comunismo Imperial
História
Hué, Vietname

A Herança Vermelha do Vietname Imperial

Sofreu as piores agruras da Guerra do Vietname e foi desprezada pelos vietcong devido ao passado feudal. As bandeiras nacional-comunistas esvoaçam sobre as suas muralhas mas Hué recupera o esplendor.
Ruínas, Port Arthur, Tasmania, Australia
Ilhas
À Descoberta de Tassie,  Parte 2 - Hobart a Port Arthur, Austrália

Uma Ilha Condenada ao Crime

O complexo prisional de Port Arthur sempre atemorizou os desterrados britânicos. 90 anos após o seu fecho, um crime hediondo ali cometido forçou a Tasmânia a regressar aos seus tempos mais lúgubres.
Passageiros sobre a superfície gelada do Golfo de Bótnia, na base do quebra-gelo "Sampo", Finlândia
Inverno Branco
Kemi, Finlândia

Não é Nenhum “Barco do Amor”. Quebra Gelo desde 1961

Construído para manter vias navegáveis sob o Inverno árctico mais extremo, o quebra-gelo Sampo” cumpriu a sua missão entre a Finlândia e a Suécia durante 30 anos. Em 1988, reformou-se e dedicou-se a viagens mais curtas que permitem aos passageiros flutuar num canal recém-aberto do Golfo de Bótnia, dentro de fatos que, mais que especiais, parecem espaciais.
Na pista de Crime e Castigo, Sao Petersburgo, Russia, Vladimirskaya
Literatura
São Petersburgo, Rússia

Na Pista de “Crime e Castigo”

Em São Petersburgo, não resistimos a investigar a inspiração para as personagens vis do romance mais famoso de Fiódor Dostoiévski: as suas próprias lástimas e as misérias de certos concidadãos.
Crocodilos, Queensland Tropical Australia Selvagem
Natureza
Cairns a Cape Tribulation, Austrália

Queensland Tropical: uma Austrália Demasiado Selvagem

Os ciclones e as inundações são só a expressão meteorológica da rudeza tropical de Queensland. Quando não é o tempo, é a fauna mortal da região que mantém os seus habitantes sob alerta.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Hell's Bend do Fish River Canyon, Namíbia
Parques Naturais
Fish River Canyon, Namíbia

As Entranhas Namibianas de África

Quando nada o faz prever, uma vasta ravina fluvial esventra o extremo meridional da Namíbia. Com 160km de comprimento, 27km de largura e, a espaços, 550 metros de profundidade, o Fish River Canyon é o Grand Canyon de África. E um dos maiores desfiladeiros à face da Terra.
Casario tradicional, Bergen, Noruega
Património Mundial UNESCO
Bergen, Noruega

O Grande Porto Hanseático da Noruega

Já povoada no início do século XI, Bergen chegou a capital, monopolizou o comércio do norte norueguês e, até 1830, manteve-se uma das maiores cidades da Escandinávia. Hoje, Oslo lidera a nação. Bergen continua a destacar-se pela sua exuberância arquitectónica, urbanística e histórica.
Verificação da correspondência
Personagens
Rovaniemi, Finlândia

Da Lapónia Finlandesa ao Árctico, Visita à Terra do Pai Natal

Fartos de esperar pela descida do velhote de barbas pela chaminé, invertemos a história. Aproveitamos uma viagem à Lapónia Finlandesa e passamos pelo seu furtivo lar.
Fila Vietnamita
Praias

Nha Trang-Doc Let, Vietname

O Sal da Terra Vietnamita

Em busca de litorais atraentes na velha Indochina, desiludimo-nos com a rudeza balnear de Nha Trang. E é no labor feminino e exótico das salinas de Hon Khoi que encontramos um Vietname mais a gosto.

Passagem, Tanna, Vanuatu ao Ocidente, Meet the Natives
Religião
Tanna, Vanuatu

Daqui se Fez Vanuatu ao Ocidente

O programa de TV “Meet the Natives” levou representantes tribais de Tanna a conhecer a Grã-Bretanha e os E.U.A. De visita à sua ilha, percebemos porque nada os entusiasmou mais que o regresso a casa.
Executivos dormem assento metro, sono, dormir, metro, comboio, Toquio, Japao
Sobre Carris
Tóquio, Japão

Os Hipno-Passageiros de Tóquio

O Japão é servido por milhões de executivos massacrados com ritmos de trabalho infernais e escassas férias. Cada minuto de tréguas a caminho do emprego ou de casa lhes serve para o seu inemuri, dormitar em público.
Dia da Austrália, Perth, bandeira australiana
Sociedade
Perth, Austrália

Dia da Austrália: em Honra da Fundação, de Luto Pela Invasão

26/1 é uma data controversa na Austrália. Enquanto os colonos britânicos o celebram com churrascos e muita cerveja, os aborígenes celebram o facto de não terem sido completamente dizimados.
Casario, cidade alta, Fianarantsoa, Madagascar
Vida Quotidiana
Fianarantsoa, Madagáscar

A Cidade Malgaxe da Boa Educação

Fianarantsoa foi fundada em 1831 por Ranavalona Iª, uma rainha da etnia merina então predominante. Ranavalona Iª foi vista pelos contemporâneos europeus como isolacionista, tirana e cruel. Reputação da monarca à parte, quando lá damos entrada, a sua velha capital do sul subsiste como o centro académico, intelectual e religioso de Madagáscar.
Bando de flamingos, Laguna Oviedo, República Dominicana
Vida Selvagem
Laguna de Oviedo, República Dominicana

O Mar (nada) Morto da República Dominicana

A hipersalinidade da Laguna de Oviedo oscila consoante a evaporação e da água abastecida pela chuva e pelos caudais vindos da serra vizinha de Bahoruco. Os nativos da região estimam que, por norma, tem três vezes o nível de sal do mar. Lá desvendamos colónias prolíficas de flamingos e de iguanas entre tantas outras espécies que integram este que é um dos ecossistemas mais exuberantes da ilha de Hispaniola.
Passageiros, voos panorâmico-Alpes do sul, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Aoraki Monte Cook, Nova Zelândia

A Conquista Aeronáutica dos Alpes do Sul

Em 1955, o piloto Harry Wigley criou um sistema de descolagem e aterragem sobre asfalto ou neve. Desde então, a sua empresa revela, a partir do ar, alguns dos cenários mais grandiosos da Oceania.
EN FR PT ES