Victoria, Austrália

No Grande Sul Australiano


Twelve Apostles

O cenário mais famoso de toda a Great Ocean Road, formado por penhascos em sucessão que se projectam do mar.

À beira-mar

Casal descontrai junto à rebentação, ali produzida por um misto de oceano Índico com Antárctico.

The Arch

Outra obra da forte erosão costeira, na proximidade da the London Bridge que caiu há alguns anos.

A caminho da chuva

Estrada secundária atravessa um pântano e dirige-se para uma grande massa de ar húmido.

Sono fácil

Um dos muitos coalas que podem ser avistados em eucaliptais à beira da Great Ocean Road.

Lanche em Campervan

Casal saboreia uma refeição prática numa campervan alugada para explorar o sul da Austrália.

Verde & Amarelo

Lagoa num prado vasto assume o mesmo tom profundo do céu tempestuoso, nas imediações dos Twelve Apostles.

Regresso à base

Bodyboarders voltam às suas carrinhas depois de algum tempo na água gélida do oceano Antárctico.

Passeio de maré-baixa

Visitantes da Great Ocean Road caminham numa beira-mar gerada pelo recuar das águas no sopé dos penhascos.

Sob o Arco

Amigos passam por baixo do The Arch para regressarem ao nível da Great Ocean Road.

Costa Grandiosa

Paisagem do extremo sul do estado de Victoria, próximo dos Twelve Apostles.

Uma das evasões preferidas dos habitantes de Melbourne, a estrada B100 desvenda um litoral sublime que o oceano moldou. E bastam alguns km para perceber porque foi baptizada The Great Ocean Road.

Habituados ao bem-estar mas permanentemente ansiosos pelo contacto com a natureza, os habitantes de Melbourne e do estado de Victoria em geral deixam as suas casas sempre que podem para desbravarem a Austrália selvagem. E, como se não bastasse o facto de Melbourne ser considerada ano após ano, uma das três cidades do Mundo com melhor qualidade de vida, o mais emblemático dos itinerários do sul da grande ilha está a apenas uma hora e meia de carro desta metrópole.

Oficialmente designada por B100, a Great Ocean Road tem início em Torquay. Ao longo de 243km sinuosos, estende-se para oeste e revela a Shipwreck Coast, o Estreito de Bass e o oceano Antárctico.

A obra que lhe deu origem começou em Setembro de 1919 com o objectivo de completar um monumento “útil” que homenageasse os alistados que haviam morrido na 1a Guerra Mundial e, ao mesmo tempo, ligasse diversas povoações isoladas e constituísse uma via importante para a indústria madeireira e para o turismo. Foi assegurada por uma equipa de prospecção de terreno que conquistava o terreno agreste a uma média de 3 km por mês e por 3000 mil homens que iam construindo atrás, à mão e com recurso a explosivos, a pás e picaretas, carrinhos de mão e a maquinaria menor. Para compensar todas as dificuldades e riscos – vários operários morreram durante as secções montanhosas do litoral – as autoridades mantiveram sempre disponíveis um piano, um gramofone, jogos, jornais e revistas. Mas, apesar do luxo, a verdadeira benesse deu à costa em 1924 quando o barco a vapor Casino embateu num recife e ficou encalhado próximo do cabo Patton largando 500 barris de cerveja e 120 caixas de bebidas espirituosas. Tão generosa quanto inesperada, a oferta obrigou a que os homens decretassem uma pausa de duas semanas, o tempo que demoraram a consumir a carga.

Merecida e animadora, a interrupção pouco ou nada atrasou os trabalhos que se arrastavam há cinco anos e viriam a terminar apenas em 1932, quando o troço Lorne-Apollo Bay ficou completo justificando a inauguração solene do maior memorial de guerra jamais construído.

Hoje, o percurso surpreende e encanta curva atrás de curva, principalmente a partir de Anglesea, depois de passado o trajecto mais urbanizado.

A povoação costeira de Aireys Inlet marca o início da cordilheira de Otway e o aparecimento das primeiras praias atractivas. Combinam-se ali a atmosfera sofisticada da vila com os penhascos vulcânicos que escondem lagoas de maré ao longo do litoral rude e com as paisagens de bush australiano da cordilheira de Otway, parte do Parque Estatal Angahook-Lorne. 

Com uns meros 1200 habitantes (mais 200 que Aireys Inlet), Lorne é a paragem que se segue. Moderna e elegante, tornou-se numa das preferidas dos visitantes da Great Ocean Road muito graças às suas vistas de mar mas também devido aos restaurantes, cafés e pubs clássicos acolhedores. De Lorne para diante, a estrada serpenteia entre o oceano Antárctico e as encostas da cordilheira surgem decoradas por eucaliptais densos. Em redor de Kenett River, estes eucaliptais são lares de comunidades letárgicas de coalas com que as famílias de turistas fazem questão de conviver.

Alguns quilómetros depois, surge Apollo Bay, uma vila piscatória e praia de Verão famosa entre a população urbana que se rendeu às suas colinas suaves e aos extensos areais brancos. É também uma base perfeita para explorar o Parque Nacional Otway, a Blanket Bay e o cabo Otway que marca o ponto mais meridional do percurso.

A Shipwreck Coast revela-se aqui mais selvagem e impressionante que nunca e foi inclemente para muitas embarcações, vitimas das correntes poderosas, do nevoeiro e dos recifes afiados. Foi o caso do Loch Ard que, em 1878, se afundou ao largo da ilha Mutton Bird na noite final da sua longa viagem de Inglaterra, provocando a morte de 53 dos seus 55 passageiros. E do Falls of Halladale, uma barca de Glasgow que naufragou no trecho final da sua rota de Nova Iorque para Melbourne. Também do Newfield e do La Bella, entre outros.

Começa nas imediações o domínio do Parque Nacional Port Campbell, o trecho mais admirado do longo percurso da Great Ocean Road. Ali se sucedem penhascos com setenta metros escavados há muitos milénios pela força do oceano Antárctico e curiosas “esculturas” rochosas deixadas para trás pela grande ilha que provocam rebentamentos precoces das ondas e servem de pouso aos leões-marinhos e à restante fauna da região. A mais notória destas formações, a Twelve Apostles, é hoje, objecto de um verdadeiro culto fotográfico internacional e os seus cerca de dois milhões de visitantes anuais levaram as autoridades de Victoria a dotarem as imediações de infra-estruturas e condições especiais como voos panorâmicos e longas passadeiras de madeira que contornam as falésias sugerindo os melhores ângulos de apreciação.

A formação foi curiosamente conhecida por the Saw and the Piglets (a porca e os porquinhos) até 1922, altura em que, com objectivos turísticos, seria rebaptizada como Twelve Apostles, apesar de, nessa altura, serem apenas nove os rochedos que se projectavam do mar.  Como acontecia há milhões de anos, os rochedos continuaram, no entanto, à mercê das ondas e as suas bases a perdiam cerca de 2 cm por ano. Assim, em Julho de 2005, o desabamento de um deles, deixou o total ainda mais longe do novo nome. Nos dias que correm, só seis dos apóstolos podem ser vistos das plataformas. Um dos sobreviventes está fora de alcance a não ser que se aproveite a maré vazia para descer e explorar o areal e as rochas.

Para ocidente de Port Campbell, a próxima escultura do oceano é The Arch, localizada em frente de Point Esse e, na proximidade, fica a London Bridge, uma outra vítima recente da erosão.

A Great Ocean Road termina 12 km para leste de Warrnambool, onde encontra a Princes Highway. Até lá, as falésias diminuem ligeiramente de altura mas o mar mantêm-se gélido e pouco convidativo. Apesar das condições à primeira vista desfavoráveis, a região faz as delícias dos surfistas e dos campistas que ao volante de campervans coloridas se vão aventurando praia atrás de praia movidos e fascinados pelo seu grande sul australiano.

Overseas Highway, E.U.A.

A Alpondra Caribenha dos E.U.A.

Os Estados Unidos continentais parecem encerrar-se, a sul, na sua caprichosa península da Flórida. Não se ficam por aí. Mais de cem ilhas de coral, areia e mangal formam uma excêntrica extensão tropical que há muito seduz os veraneantes norte-americanos.

Península de Banks, Nova Zelândia

Divinal Estilhaço de Terra

Vista do ar, a mais óbvia protuberância da costa leste da Ilha do Sul parece ter implodido vezes sem conta. Vulcânica mas verdejante e bucólica, a Península de Banks confina na sua geomorfologia de quase roda-dentada a essência da sempre invejável vida neozelandesa.

Perth a Albany, Austrália

Pelos Confins do Faroeste Australiano

Poucos povos veneram a evasão como os aussies. Com o Verão meridional em pleno e o fim-de-semana à porta, os habitantes de Perth refugiam-se da rotina urbana no recanto sudoeste da nação. Pela nossa parte, sem compromissos, exploramos a infindável Austrália Ocidental até ao seu limite sul.

Sydney, Austrália

De Desterro de Criminosos a Cidade Exemplar

A primeira das colónias australianas foi erguida por reclusos desterrados. Hoje, os aussies de Sydney gabam-se de antigos condenados da sua árvore genealógica e orgulham-se da prosperidade cosmopolita da megalópole que habitam. 

Estradas Imperdíveis

Grandes Percursos, Grandes Viagens

Com nomes pomposos ou meros códigos rodoviários, certas estradas percorrem cenários realmente sublimes. Da Road 66 à Great Ocean Road, são, todas elas, aventuras imperdíveis ao volante.

Melbourne, Austrália

Austrália "Asienada"

Capital cultural aussie, Melbourne também é frequentemente eleita a cidade com melhor qualidade de vida do Mundo. Quase um milhão de emigrantes orientais aproveitaram este acolhimento imaculado.

Tasmânia, Austrália

À Descoberta de Tassie

Há muito a vítima predilecta das anedotas australianas, a Tasmânia nunca perdeu o orgulho no jeito mais rude que aussie de ser e mantém-se envolta em mistério no seu recanto meridional dos antípodas.

Hobart, Austrália

A Porta dos Fundos da Austrália

Hobart, a capital de estado mais a sul da grande ilha foi colonizada por milhares de degredados de Inglaterra. Sem surpresa, a sua população preserva uma forte admiração pelos modos de vida marginais.

Alice Springs a Darwin, Austrália

A Caminho do Top End

Do Red Centre ao Top End tropical, a Stuart Hwy percorre mais de 1.500km solitários através da Austrália. Nesse trajecto, a grande ilha muda radicalmente de visual mas mantém-se fiel à sua alma rude.

Perth, Austrália

Cowboys da Oceania

O Texas até fica do outro lado do mundo mas não faltam vaqueiros no país dos coalas e dos cangurus. Rodeos do Outback recriam a versão original e 8 segundos não duram menos no Faroeste australiano.

Big Sur, E.U.A.

A Costa de Todos os Refúgios

Ao longo de 150km, o litoral californiano submete-se a uma vastidão de montanha, oceano e nevoeiro. Neste cenário épico, centenas de almas atormentadas seguem os passos de Jack Kerouack e Henri Miller

Arquitectura & Design
Napier, Nova Zelândia

De volta aos Anos 30 – Calhambeque Tour

Numa cidade reerguida em Art Deco e com atmosfera dos "anos loucos" e seguintes, o meio de locomoção adequado são os elegantes automóveis clássicos dessa era. Em Napier, estão por toda a parte.
Lagoas fumarentas
Aventura

Tongariro, Nova Zelândia

Os Vulcões de Todas as Discórdias

No final do século XIX, um chefe indígena cedeu os vulcões de Tongariro à coroa britânica. Hoje, parte significativa do povo maori continua a reclamar aos colonos europeus as suas montanhas de fogo.

Cansaço em tons de verde
Cerimónias e Festividades

Suzdal, Rússia

Em Suzdal, é de Pequenino que se Celebra o Pepino

Com o Verão e o tempo quente, a cidade russa de Suzdal descontrai da sua ortodoxia religiosa milenar. A velha cidade também é famosa por ter os melhores pepinos da nação. Quando Julho chega, faz dos recém-colhidos um verdadeiro festival. 

Repuxo Merlion
Cidades

Singapura

A Ilha do Sucesso e da Monotonia

Habituada a planear e a vencer, Singapura seduz e recruta gente ambiciosa de todo o mundo. Ao mesmo tempo, parece aborrecer de morte alguns dos seus habitantes mais criativos.

Comodidade até na Natureza
Comida

Tóquio, Japão

O Império das Máquinas de Bebidas

São mais de 5 milhões as caixas luminosas ultra-tecnológicas espalhadas pelo país e muitas mais latas e garrafas exuberantes de bebidas apelativas. Há muito que os japoneses deixaram de lhes resistir.

Rosa Puga
Cultura

Campeche, México

Há 200 Anos a Brincar com a Sorte

No fim do século XVIII, os campechanos renderam-se a um jogo introduzido para esfriar a febre das cartas a dinheiro. Hoje, jogada quase só por abuelitas, a loteria local pouco passa de uma diversão.

Bola de volta
Desporto

Melbourne, Austrália

O Futebol em que os Australianos Ditam as Regras

Apesar de praticado desde 1841, o AFL Rules football só conquistou parte da grande ilha. A internacionalização nunca passou do papel, travada pela concorrência do râguebi e do futebol clássico.

A Toy Train story
Em Viagem
Darjeeling Himalayan Railway, Índia

Ainda Circula a Sério o Comboio Himalaia de Brincar

Nem o forte declive de alguns tramos nem a modernidade o detêm. De Siliguri, no sopé tropical da grande cordilheira asiática, a Darjeeling, já com os seus picos cimeiros à vista, o mais famoso dos Toy Trains indianos assegura há 117 anos, dia após dia, um árduo percurso de sonho. De viagem pela zona, subimos a bordo e deixamo-nos encantar.
Telhados cinza
Étnico

Lijiang, China

Uma Cidade Cinzenta mas Pouco

Visto ao longe, o seu casario vasto é lúgubre mas as calçadas e canais seculares de Lijiang revelam-se mais folclóricos que nunca. Em tempos, esta cidade resplandeceu como a capital grandiosa do povo Naxi. Hoje, tomam-na de assalto enchentes de visitantes chineses que disputam o quase parque temático em que se tornou.

Luminosidade caprichosa no Grand Canyon
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
História
Sósias, actores e figurantes

Estrelas do Faz de Conta

Protagonizam eventos ou são empresários de rua. Encarnam personagens incontornáveis, representam classes sociais ou épocas. Mesmo a milhas de Hollywood, sem eles, o Mundo seria mais aborrecido.
Puro Pacífico do Sul
Ilhas

Tongatapu, Tonga

O Último Trono da Polinésia

Da Nova Zelândia à Ilha da Páscoa e ao Havai nenhuma monarquia resistiu à chegada dos descobridores europeus e da modernidade. Para Tonga, durante várias décadas, o desafio foi resistir à monarquia.

Solidariedade equina
Inverno Branco

Husavik a Myvatn, Islândia

Neve sem Fim na Ilha do Fogo

O nome mítico desencoraja a maior parte dos viajantes de explorações invernais. Mas quem chega fora do curto aconchego estival, é recompensado com a visão dos cenários vulcânicos sob um manto branco.

Litoral de Upolu
Literatura

Upolu, Samoa Ocidental

A Ilha do Tesouro de Stevenson

Aos 30 anos, o escritor escocês começou a procurar um lugar que o salvasse do seu corpo amaldiçoado.Em Upolu e nos samoanos, encontrou um refúgio acolhedor a que entregou a sua vida de alma e coração

Alturas Tibetanas
Natureza

Mal de Altitude: não é mau. É péssimo!

Em viagem, acontece vermo-nos confrontados com a falta de tempo para explorar um lugar tão imperdível como elevado. Ditam a medicina e a experiência que não se deve arriscar subir à pressa.
Aposentos dourados
Outono

Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.

Cores Argentinas
Parques Naturais

Perito Moreno, Argentina

O Glaciar Que Não se Rende

O aquecimento é supostamente global mas não chega a todo o lado. Na Patagónia, alguns rios de gelo resistem.De tempos a tempos, o avanço do Perito Moreno provoca derrocadas que fazem parar a Argentina

Glamour vs Fé
Património Mundial Unesco
Goa, Índia

O Último Estertor da Portugalidade Goesa

A proeminente cidade de Goa já justificava o título de “Roma do Oriente” quando, a meio do século XVI, epidemias de malária e de cólera a vetaram ao abandono. A Nova Goa (Pangim) por que foi trocada chegou a sede administrativa da Índia Portuguesa mas viu-se anexada pela União Indiana do pós-independência. Em ambas, o tempo e a negligência são maleitas que agora fazem definhar o legado colonial luso.
Lenha
Personagens

PN Oulanka, Finlândia

Um Lobo Pouco Solitário

Jukka “Era-Susi” Nordman criou uma das maiores matilhas de dog sledding do mundo. Tornou-se numa das personagens mais emblemáticas do país mas continua fiel ao seu cognome: Wilderness Wolf

Caribe profundo
Praia

Islas del Maiz, Nicarágua

Puro Caribe

Cenários tropicais perfeitos e a vida genuína dos habitantes são os únicos luxos disponíveis nas também chamadas Corn Islands, um arquipélago perdido nos confins centro-americanos do Mar das Caraíbas.

Rumo ao vale
Religião
Alaverdi, Arménia

Um Teleférico Chamado Ensejo

O cimo da garganta do rio Debed esconde os mosteiros arménios de Sanahin e Haghpat e blocos de apartamentos soviéticos em socalcos. O seu fundo abriga a mina e fundição de cobre que sustenta a cidade. A ligar estes dois mundos, está uma cabine suspensa providencial em que as gentes de Alaverdi contam viajar na companhia de Deus.
Em manobras
Sobre carris

Fianarantsoa-Manakara, Madagáscar

A Bordo do TGV Malgaxe

Partimos de Fianarantsoa às 7a.m. Só às 3 da madrugada seguinte completámos os 170km para Manakara. Os nativos chamam a este comboio quase secular Train Grandes Vibrations. Durante a longa viagem, sentimos, bem fortes, as do coração de Madagáscar.

Viagem no Tempo
Sociedade

Samoa Ocidental

Em Busca do Tempo Perdido

Durante 121 anos, foi a última nação na Terra a mudar de dia. Mas, Samoa percebeu que as suas finanças ficavam para trás e, no fim de 2012, decidiu voltar para Oeste da Linha Internacional de Data.

Vida Quotidiana
Profissões Árduas

O Pão que o Diabo Amassou

O trabalho é essencial à maior parte das vidas. Mas, certos trabalhos impõem um grau de esforço, monotonia ou perigosidade de que só alguns eleitos estão à altura.
Campo de géiseres
Vida Selvagem

El Tatio, Chile

Uma Ida a Banhos Andina

Envolto de vulcões supremos, o campo geotermal de El Tatio surge como uma miragem dantesca de enxofre e vapor a uns gélidos 4300 m de altitude. Os seus geiseres e fumarolas atraem hordas de viajantes. Ditou o tempo que uma das mais concorridas celebrações dos Andes e do Deserto do Atacama passasse por lá partilharem uma piscina aquecida a 30º pelas profundezas da Terra.

Vale de Kalalau
Voos Panorâmicos

Napali Coast, Havai

As Rugas Deslumbrantes do Havai

Kauai é a ilha mais verde e chuvosa do arquipélago havaiano. Também é a mais antiga. Enquanto a exploramos por terra, mar e ar, espantamo-nos ao vermos como a passagem dos milénios só a favoreceu.