Victoria, Austrália

No Grande Sul Australiano


Twelve Apostles

O cenário mais famoso de toda a Great Ocean Road, formado por penhascos em sucessão que se projectam do mar.

À beira-mar

Casal descontrai junto à rebentação, ali produzida por um misto de oceano Índico com Antárctico.

The Arch

Outra obra da forte erosão costeira, na proximidade da the London Bridge que caiu há alguns anos.

A caminho da chuva

Estrada secundária atravessa um pântano e dirige-se para uma grande massa de ar húmido.

Sono fácil

Um dos muitos coalas que podem ser avistados em eucaliptais à beira da Great Ocean Road.

Lanche em Campervan

Casal saboreia uma refeição prática numa campervan alugada para explorar o sul da Austrália.

Verde & Amarelo

Lagoa num prado vasto assume o mesmo tom profundo do céu tempestuoso, nas imediações dos Twelve Apostles.

Regresso à base

Bodyboarders voltam às suas carrinhas depois de algum tempo na água gélida do oceano Antárctico.

Passeio de maré-baixa

Visitantes da Great Ocean Road caminham numa beira-mar gerada pelo recuar das águas no sopé dos penhascos.

Sob o Arco

Amigos passam por baixo do The Arch para regressarem ao nível da Great Ocean Road.

Costa Grandiosa

Paisagem do extremo sul do estado de Victoria, próximo dos Twelve Apostles.

Uma das evasões preferidas dos habitantes de Melbourne, a estrada B100 desvenda um litoral sublime que o oceano moldou. E bastam alguns km para perceber porque foi baptizada The Great Ocean Road.

Habituados ao bem-estar mas permanentemente ansiosos pelo contacto com a natureza, os habitantes de Melbourne e do estado de Victoria em geral deixam as suas casas sempre que podem para desbravarem a Austrália selvagem. E, como se não bastasse o facto de Melbourne ser considerada ano após ano, uma das três cidades do Mundo com melhor qualidade de vida, o mais emblemático dos itinerários do sul da grande ilha está a apenas uma hora e meia de carro desta metrópole.

Oficialmente designada por B100, a Great Ocean Road tem início em Torquay. Ao longo de 243km sinuosos, estende-se para oeste e revela a Shipwreck Coast, o Estreito de Bass e o oceano Antárctico.

A obra que lhe deu origem começou em Setembro de 1919 com o objectivo de completar um monumento “útil” que homenageasse os alistados que haviam morrido na 1a Guerra Mundial e, ao mesmo tempo, ligasse diversas povoações isoladas e constituísse uma via importante para a indústria madeireira e para o turismo. Foi assegurada por uma equipa de prospecção de terreno que conquistava o terreno agreste a uma média de 3 km por mês e por 3000 mil homens que iam construindo atrás, à mão e com recurso a explosivos, a pás e picaretas, carrinhos de mão e a maquinaria menor. Para compensar todas as dificuldades e riscos – vários operários morreram durante as secções montanhosas do litoral – as autoridades mantiveram sempre disponíveis um piano, um gramofone, jogos, jornais e revistas. Mas, apesar do luxo, a verdadeira benesse deu à costa em 1924 quando o barco a vapor Casino embateu num recife e ficou encalhado próximo do cabo Patton largando 500 barris de cerveja e 120 caixas de bebidas espirituosas. Tão generosa quanto inesperada, a oferta obrigou a que os homens decretassem uma pausa de duas semanas, o tempo que demoraram a consumir a carga.

Merecida e animadora, a interrupção pouco ou nada atrasou os trabalhos que se arrastavam há cinco anos e viriam a terminar apenas em 1932, quando o troço Lorne-Apollo Bay ficou completo justificando a inauguração solene do maior memorial de guerra jamais construído.

Hoje, o percurso surpreende e encanta curva atrás de curva, principalmente a partir de Anglesea, depois de passado o trajecto mais urbanizado.

A povoação costeira de Aireys Inlet marca o início da cordilheira de Otway e o aparecimento das primeiras praias atractivas. Combinam-se ali a atmosfera sofisticada da vila com os penhascos vulcânicos que escondem lagoas de maré ao longo do litoral rude e com as paisagens de bush australiano da cordilheira de Otway, parte do Parque Estatal Angahook-Lorne. 

Com uns meros 1200 habitantes (mais 200 que Aireys Inlet), Lorne é a paragem que se segue. Moderna e elegante, tornou-se numa das preferidas dos visitantes da Great Ocean Road muito graças às suas vistas de mar mas também devido aos restaurantes, cafés e pubs clássicos acolhedores. De Lorne para diante, a estrada serpenteia entre o oceano Antárctico e as encostas da cordilheira surgem decoradas por eucaliptais densos. Em redor de Kenett River, estes eucaliptais são lares de comunidades letárgicas de coalas com que as famílias de turistas fazem questão de conviver.

Alguns quilómetros depois, surge Apollo Bay, uma vila piscatória e praia de Verão famosa entre a população urbana que se rendeu às suas colinas suaves e aos extensos areais brancos. É também uma base perfeita para explorar o Parque Nacional Otway, a Blanket Bay e o cabo Otway que marca o ponto mais meridional do percurso.

A Shipwreck Coast revela-se aqui mais selvagem e impressionante que nunca e foi inclemente para muitas embarcações, vitimas das correntes poderosas, do nevoeiro e dos recifes afiados. Foi o caso do Loch Ard que, em 1878, se afundou ao largo da ilha Mutton Bird na noite final da sua longa viagem de Inglaterra, provocando a morte de 53 dos seus 55 passageiros. E do Falls of Halladale, uma barca de Glasgow que naufragou no trecho final da sua rota de Nova Iorque para Melbourne. Também do Newfield e do La Bella, entre outros.

Começa nas imediações o domínio do Parque Nacional Port Campbell, o trecho mais admirado do longo percurso da Great Ocean Road. Ali se sucedem penhascos com setenta metros escavados há muitos milénios pela força do oceano Antárctico e curiosas “esculturas” rochosas deixadas para trás pela grande ilha que provocam rebentamentos precoces das ondas e servem de pouso aos leões-marinhos e à restante fauna da região. A mais notória destas formações, a Twelve Apostles, é hoje, objecto de um verdadeiro culto fotográfico internacional e os seus cerca de dois milhões de visitantes anuais levaram as autoridades de Victoria a dotarem as imediações de infra-estruturas e condições especiais como voos panorâmicos e longas passadeiras de madeira que contornam as falésias sugerindo os melhores ângulos de apreciação.

A formação foi curiosamente conhecida por the Saw and the Piglets (a porca e os porquinhos) até 1922, altura em que, com objectivos turísticos, seria rebaptizada como Twelve Apostles, apesar de, nessa altura, serem apenas nove os rochedos que se projectavam do mar.  Como acontecia há milhões de anos, os rochedos continuaram, no entanto, à mercê das ondas e as suas bases a perdiam cerca de 2 cm por ano. Assim, em Julho de 2005, o desabamento de um deles, deixou o total ainda mais longe do novo nome. Nos dias que correm, só seis dos apóstolos podem ser vistos das plataformas. Um dos sobreviventes está fora de alcance a não ser que se aproveite a maré vazia para descer e explorar o areal e as rochas.

Para ocidente de Port Campbell, a próxima escultura do oceano é The Arch, localizada em frente de Point Esse e, na proximidade, fica a London Bridge, uma outra vítima recente da erosão.

A Great Ocean Road termina 12 km para leste de Warrnambool, onde encontra a Princes Highway. Até lá, as falésias diminuem ligeiramente de altura mas o mar mantêm-se gélido e pouco convidativo. Apesar das condições à primeira vista desfavoráveis, a região faz as delícias dos surfistas e dos campistas que ao volante de campervans coloridas se vão aventurando praia atrás de praia movidos e fascinados pelo seu grande sul australiano.

Overseas Highway, E.U.A.

A Alpondra Caribenha dos E.U.A.

Os Estados Unidos continentais parecem encerrar-se, a sul, na sua caprichosa península da Flórida. Não se ficam por aí. Mais de cem ilhas de coral, areia e mangal formam uma excêntrica extensão tropical que há muito seduz os veraneantes norte-americanos.

Península de Banks, Nova Zelândia

Divinal Estilhaço de Terra

Vista do ar, a mais óbvia protuberância da costa leste da Ilha do Sul parece ter implodido vezes sem conta. Vulcânica mas verdejante e bucólica, a Península de Banks confina na sua geomorfologia de quase roda-dentada a essência da sempre invejável vida neozelandesa.

Perth a Albany, Austrália

Pelos Confins do Faroeste Australiano

Poucos povos veneram a evasão como os aussies. Com o Verão meridional em pleno e o fim-de-semana à porta, os habitantes de Perth refugiam-se da rotina urbana no recanto sudoeste da nação. Pela nossa parte, sem compromissos, exploramos a infindável Austrália Ocidental até ao seu limite sul.

Sydney, Austrália

De Desterro de Criminosos a Cidade Exemplar

A primeira das colónias australianas foi erguida por reclusos desterrados. Hoje, os aussies de Sydney gabam-se de antigos condenados da sua árvore genealógica e orgulham-se da prosperidade cosmopolita da megalópole que habitam. 

Estradas Imperdíveis

Grandes Percursos, Grandes Viagens

Com nomes pomposos ou meros códigos rodoviários, certas estradas percorrem cenários realmente sublimes. Da Road 66 à Great Ocean Road, são, todas elas, aventuras imperdíveis ao volante.

Melbourne, Austrália

Austrália "Asienada"

Capital cultural aussie, Melbourne também é frequentemente eleita a cidade com melhor qualidade de vida do Mundo. Quase um milhão de emigrantes orientais aproveitaram este acolhimento imaculado.

À Descoberta de Tassie, Parte 1 - Hobart, Austrália

A Porta dos Fundos da Austrália

Hobart, a capital da Tasmânia e a mais meridional da Austrália foi colonizada por milhares de degredados de Inglaterra. Sem surpresa, a sua população preserva uma forte admiração pelos modos de vida marginais.

Alice Springs a Darwin, Austrália

A Caminho do Top End

Do Red Centre ao Top End tropical, a Stuart Hwy percorre mais de 1.500km solitários através da Austrália. Nesse trajecto, a grande ilha muda radicalmente de visual mas mantém-se fiel à sua alma rude.

Perth, Austrália

Cowboys da Oceania

O Texas até fica do outro lado do mundo mas não faltam vaqueiros no país dos coalas e dos cangurus. Rodeos do Outback recriam a versão original e 8 segundos não duram menos no Faroeste australiano.

Big Sur, E.U.A.

A Costa de Todos os Refúgios

Ao longo de 150km, o litoral californiano submete-se a uma vastidão de montanha, oceano e nevoeiro. Neste cenário épico, centenas de almas atormentadas seguem os passos de Jack Kerouack e Henri Miller

Wall like an Egyptian
Arquitectura & Design
Luxor, Egipto

De Luxor a Tebas: viagem ao Antigo-Egipto

Tebas foi erguida como a nova capital suprema do Império Egípcio, o assento de Amon, o Deus dos Deuses. A moderna Luxor herdou a sua sumptuosidade. Entre uma e a outra fluem o Nilo sagrado e milénios de história deslumbrante.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Aventura
Queenstown, Nova Zelândia

Digna de uma Raínha

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
Moa numa praia de Rapa Nui/Ilha da Páscoa
Cerimónias e Festividades
Ilha da Páscoa, Chile

A Descolagem e a Queda do Culto do Homem-Pássaro

Até ao século XVI, os nativos da Ilha da Páscoa esculpiram e idolatraram enormes deuses de pedra. De um momento para o outro, começaram a derrubar os seus moais. Sucedeu-se a veneração de tangatu manu, um líder meio humano meio sagrado, decretado após uma competição dramática pela conquista de um ovo.
Sem corrimão
Cidades

Brasília, Brasil

Da Utopia à Euforia

Desde os tempos do Marquês de Pombal que se falava da transferência da capital para o interior. Hoje, a cidade quimera continua a parecer surreal mas dita as regras do desenvolvimento brasileiro.

Moradora obesa de Tupola Tapaau, uma pequena ilha de Samoa Ocidental.
Comida
Tonga, Samoa Ocidental, Polinésia

Pacífico XXL

Durante séculos, os nativos das ilhas polinésias subsistiram da terra e do mar. Até que a intrusão das potências coloniais e a posterior introdução de peças de carne gordas, da fast-food e das bebidas açucaradas geraram uma praga de diabetes e de obesidade. Hoje, enquanto boa parte do PIB nacional de Tonga, de Samoa Ocidental e vizinhas é desperdiçado nesses “venenos ocidentais”, os pescadores mal conseguem vender o seu peixe.
Sapphire
Cultura

Tóquio, Japão

Fotografia Tipo-Passe à Japonesa

No fim da década de 80, duas multinacionais nipónicas já viam as fotocabines convencionais como peças de museu. Transformaram-nas em máquinas revolucionárias e o Japão rendeu-se ao fenómeno Purikura.

Fogo-de-artifício branco
Desporto

Seward, Alasca

O 4 de Julho Mais Longo

A independência dos E.U.A. é festejada, em Seward, de forma modesta. Para compensar, na cidade que honra o homem que prendou a nação com o seu maior estado, a data e a celebração parecem não ter fim.

voos baratos, comprar voos baratos, bilhetes de avião baratos,
Em Viagem
Viajar Não Custa

Compre Voos Antes de os Preços Descolarem

Conseguir voos baratos tornou-se quase uma ciência. Fique a par dos princípios porque se rege o mercado das tarifas aéreas e evite o desconforto financeiro de comprar em má hora.
Paz de "cenote"
Étnico

Iucatão, México

O Fim do Fim do Mundo

O dia anunciado passou mas o Apocalipse teimou em não chegar. Na Mesoamérica, os maias da actualidade observaram e aturaram, incrédulos, toda a histeria em redor do seu calendário.

arco-íris no Grand Canyon, um exemplo de luz fotográfica prodigiosa
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
A Guardiã do Ditador
História

Uplistsikhe e Gori, Geórgia

Do Berço da Geórgia à Infância de Estaline

À descoberta do Cáucaso, exploramos Uplistsikhe, uma cidade troglodita antecessora da Geórgia. E a apenas 10km, em Gori, damos com o lugar da infância conturbada de Joseb Jughashvili, que se tornaria o mais famoso e tirano dos líderes soviéticos.

Passagem
Ilhas

Tanna, Vanuatu

Daqui se Fez Vanuatu ao Ocidente

O programa de TV “Meet the Natives” levou representantes tribais de Tanna a conhecer a Grã-Bretanha e os E.U.A. De visita à sua ilha, percebemos porque nada os entusiasmou mais que o regresso a casa.

Praia Islandesa
Inverno Branco

Islândia

O Aconchego Geotérmico da Ilha do Gelo

A maior parte dos visitantes valoriza os cenários vulcânicos da Islândia pela sua beleza. Os islandeses também deles retiram calor e energia cruciais para a vida que levam às portas do Árctico.

Trio das alturas
Literatura

PN Manyara, Tanzânia

Na África Favorita de Hemingway

Situado no limiar ocidental do vale do Rift, o parque nacional lago Manyara é um dos mais diminutos mas encantadores e ricos em vida selvagem da Tanzânia. Em 1933, entre caça e discussões literárias, Ernest Hemingway dedicou-lhe um mês da sua vida atribulada. Narrou esses dias aventureiros de safari em “As Verdes Colinas de África”.

Jovens percorrem a rua principal de Chame, Nepal
Natureza
Circuito Annapurna: 1º Pokhara a Chame, Nepal

Por Fim, a Caminho

Depois de vários dias de preparação em Pokhara, partimos em direcção aos Himalaias. O percurso pedestre só o começamos em Chame, a 2670 metros de altitude, com os picos nevados da cordilheira Annapurna já à vista. Até lá, completamos um doloroso mas necessário preâmbulo rodoviário pela sua base subtropical.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Pitões das Júnias, Montalegre, Portugal
Parques Naturais
Montalegre, Portugal

Lá pelo Alto de Trás-os-Montes

Mudamo-nos das Terras de Bouro para as do Barroso. Com base em Montalegre, deambulamos à descoberta das povoações e outros lugares deslumbrantes deste cimo elevado e raiano de Portugal. Se é verdade que o Barroso já teve mais habitantes, visitantes não lhe deviam faltar.
Cortejo garrido
Património Mundial UNESCO

Suzdal, Rússia

1000 Anos de Rússia à Moda Antiga

Foi uma capital pródiga quando Moscovo não passava de um lugarejo rural. Pelo caminho, perdeu relevância política mas acumulou a maior concentração de igrejas, mosteiros e conventos do país dos czares. Hoje, sob as suas incontáveis cúpulas, Suzdal é tão ortodoxa quanto monumental.

Palestra
Personagens

Christchurch, Nova Zelândia

O Feiticeiro Amaldiçoado

Apesar da sua notoriedade nos antípodas, Ian Channell o bruxo da Nova Zelândia não conseguiu prever ou evitar vários sismos que assolaram Christchurch. O último obrigou-o a mudar-se para casa da mãe.

Hotel à moda Tayrona
Praias

Santa Marta e PN Tayrona, Colômbia

O Paraíso de que Partiu Simón Bolívar

Às portas do PN Tayrona, Santa Marta é a cidade hispânica habitada em contínuo mais antiga da Colômbia.  Nela, Simón Bolívar, começou a tornar-se a única figura do continente quase tão reverenciada como Jesus Cristo e a Virgem Maria.  

Solovestsky Outonal
Religião

Ilhas Solovetsky, Rússia

A Ilha-Mãe do Arquipélago Gulag

Acolheu um dos domínios religiosos ortodoxos mais poderosos da Rússia mas Lenine e Estaline transformaram-na num gulag cruel. Com a queda da URSS, Solovestky recupera a paz e a sua espiritualidade.

Sobre carris
Sobre Carris

Sempre Na Linha

Nenhuma forma de viajar é tão repetitiva e enriquecedora como seguir sobre carris. Suba a bordo destas carruagens e composições díspares e aprecie cenários imperdíveis dos quatro cantos do mundo.
No coração amarelo de San Cristóbal
Sociedade

San Cristóbal de Las Casas, México

O Lar Doce Lar da Consciência Social Mexicana

Maia, mestiça e hispânica, zapatista e turística, campestre e cosmopolita, San Cristobal não tem mãos a medir. Nela, visitantes mochileiros e activistas políticos mexicanos e expatriados partilham uma mesma demanda ideológica.

Fim da Viagem
Vida Quotidiana

Talkeetna, Alasca

Vida à Moda do Alasca

Em tempos um mero entreposto mineiro, Talkeetna rejuvenesceu, em 1950, para servir os alpinistas do Monte McKinley. A povoação é, de longe, a mais alternativa e cativante entre Anchorage e Fairbanks.

Cabo da Cruz, colónia focas, cape cross focas, Namíbia
Vida Selvagem
Cape Cross, Namíbia

A Mais Tumultuosa das Colónias Africanas

Diogo Cão desembarcou neste cabo de África em 1486, instalou um padrão e fez meia-volta. O litoral imediato a norte e a sul, foi alemão, sul-africano e, por fim, namibiano. Indiferente às sucessivas transferências de nacionalidade, uma das maiores colónias de focas do mundo manteve ali o seu domínio e anima-o com latidos marinhos ensurdecedores e intermináveis embirrações.
Aterragem sobre o gelo
Voos Panorâmicos

Mount Cook, Nova Zelândia

A Conquista Aeronáutica dos Alpes do Sul

Em 1955, o piloto Harry Wigley criou um sistema de descolagem e aterragem sobre asfalto ou neve. Desde então, a sua empresa revela, a partir do ar, alguns dos cenários mais grandiosos da Oceania.