Perth, Austrália

A Cidade Solitária


Luzes aussies da Ribalta

Anoitecer faz sobressair do horizonte os arranha-céus do Central Business District de Perth.

Recordação semi-marsupial

Visitantes da cidade fotografam-se junto a uma estátua de cangurus na proximidade de dois moradores da cidade.

Templo urbano

A igreja de Trinity Unity, uma de várias igrejas históricas de Perth, revestida de pequenos tijolos.

Diferentes mas iguais

Siahne Rogers e Channelle Rogers, duas irmãs gémeas de Perth vestidas e maquilhadas para uma saída de fim de tarde e noite na sempre animada Perth.

À Moda de Londres

A arcada de London Court foi erguida, em 1937, por Claude de Bernales, um mineiro e financeiro abastado. Tinha funções residenciais e comerciais. Hoje, é um dos principais atractivos de Perth.

Tempo de alongar

Corredores alongam no cimo da Jacob's Ladder com vista para o estuário do rio Swam e para o oceano Índico.

Arquitectura anglicana

Um edifício clássico britânico em frente à biblioteca estadual de Perth, numa praça que aglutina muita da juventude estudante da cidade.

Foto de ocasião

Amigas fotografam-se junto ao tapume ilustrado com imagens históricas australianas.

Vertigem Rotativa

A Ferries Wheel Skyview em plena aceleração, em frente ao CBD (Central Business District) de Perth.

Cena de Rua

Transeuntes encontram-se num cruzamento.

Jacobs Ladder

Joggers sobem e descem uma das escadarias de Perth mais usadas para exercícios físicos de fim de tarde.

Igreja entre empresas

A igreja de Saint Andrew, em pleno centro administrativo de Perth e em pleno contraste com muitos outros edifícios modernos e elevados da cidade.

Convívio iluminado

Clientes de um bar repleto de posters musicais e candeeiros de papel conversam após um dia de estudos e de trabalho.

A mais 2000km de uma congénere digna desse nome, Perth é considerada a urbe mais remota à face da Terra. Apesar de isolados entre o Índico e o vasto Outback, são poucos os habitantes que se queixam.

Encontramos em Perth um ambiente veraneante acolhedor semelhante ao que tanto admiramos em Portugal e acabamos por ali ficar quase um mês, no total de uma longa viagem de um ano pelo mundo. Nesse período, fizemos parte de várias vidas.

Mike Roache tinha-se mudado de

Sydney atrás de um trabalho mais bem remunerado a angariar financiamentos para projectos de ONGs. Acabado de chegar, não conhecia ninguém e precisava de companhia.

Encontrámos no casal Merlin Eden e Ditte Strebel um verdadeiro mistério conjugal da cidade. Os pais de Merlin eram de Denmark e viviam nesta povoação da costa sul da Austrália Ocidental que abrigava sobretudo ex-hippies e outras almas marginais. Sempre nos custou a acreditar na coincidência mas, tal como nos foi contada a história, Merlin viajou numas férias com os pais à Dinamarca e lá conheceu a dinamarquesa Ditte que enfeitiçou com facilidade. Esta, resolveu mudar-se para a Austrália para ali viver com o noivo. Compraram uma pequena casa num dos bairros de sonho de Perth, Mount Lawley, no meio de vivendas com jardins, organizadas entre árvores frondosas. Merlin passava o tempo no escritório entregue aos seus projectos de animação multimédia.  Só, na maior parte do dia, Ditte, procurava ainda emprego à altura das qualificações.

Todas estas personagens tinham acabado de chegar. Todos elas acabaram por ultrapassar as dificuldades iniciais de adaptação e partilhariam, em breve, o famoso acolhimento de Perth com milhões de outros concidadãos recém-migrados.

Mesmo se alguns dos descendentes dos colonos pioneiros continuam a discordar da abertura excessiva da nação aussie, a determinada altura, a localização remota da grande ilha e o vasto domínio desértico do interior foram fortes motivos para que as autoridades tivessem que resolver a óbvia estagnação da população.

Mais de dois séculos após o início da colonização britânica, o sexto maior país do mundo tem, agora, pouco mais dobro dos habitantes de Portugal (23.400.000), o 110º país, em termos de área. Estes números, considerados apenas aceitáveis, só foram possíveis pela admissão intensiva de emigrantes com diferentes origens. Perth, em particular, cedo tomou consciência do seu retiro forçado no Sudoeste australiano.

A capital da Austrália Ocidental dista menos de Timor, de Singapura ou de Jacarta do que de Melbourne ou Sydney. A cidade digna desse nome mais próxima, Adelaide, fica a uns módicos 2104km. Não espanta, portanto, que Perth tivesse que atrair moradores.

Terminada a 2a Guerra Mundial, afluíram vagas oriundas de dezenas de nacionalidade europeias em busca de uma nova vida austral. Recentemente, o espectro alargou-se. Uma nova invasão asiática consolidou-se à medida que se foram instalando imigrantes e estudantes temporários do Médio Oriente e de países como a Coreia do Sul, a China, o Japão, a Índia, o Vietname, as Filipinas, a Tailândia, Malásia, Singapura, a Indonésia, entre outros e até alguns países africanos – com destaque para a África do Sul, a Somália e o Sudão – estão, hoje, condignamente representados entre os 1.6 milhões de pessoas que fazem de Perth a quarta maior cidade da Austrália.

Durante uma viagem de comboio de Mount Lawley em direcção ao centro ou num curto passeio pelas suas ruas, detectamos inúmeros visuais exóticos e díspares e a mesma quantidade de dialectos. Entre os turbantes, saris, olhos rasgados e peles tão ou mais negras que a dos marginalizados aborígenes Noongar – que antes da chegada dos europeus eram senhores da região – ou à mesa dos inúmeros restaurantes étnicos, comprova-se facilmente a complexidade genética deste melting pot mas também as vantagens com que a cidade o prenda.

No Verão meridional, ao bom estilo Mediterrânico, o sol aquece todos os dias o Sudoeste australiano. E, apesar do Freemantle Doctor soprar quase sempre forte, as temperaturas máximas passam, com frequência, os 35º.

Vindos de fora, não tardamos a perceber a importância do calor e do lazer e constatamos que a cidade é uma espécie de milagre da economia de que também Mike e Ditte estavam determinados a fazer parte.

Todos os anos, o seu PIB cresce bastante mais que a média nacional mas Perth dá escassos sinais de empenho. É verdade que os arranha-céus espelhados do CDB (Central Business District) se elevam bem acima da mancha de casario térreo predominante mas, no geral, a população parece mais preocupada em descontrair e divertir-se do que propriamente em produzir e facturar. Como acontece noutras partes da Austrália, as lojas e serviços não abrem antes das nove da manhã. No entanto, por volta das quatro e meia, os empregados já estão concentrados em assegurar um fecho pontual, nem que para isso interrompam as refeições dos clientes, como nos fizeram mais do que uma vez: “Sorry mate, it’s time to go surfin’.

A partir do fim da tarde, as zonas de lojas e serviços ficam desertas, com excepção para uns tantos refúgios lúdicos em que, à laia de festejo pela recente debandada dos empregos, executivos desleixados fazem colidir incontáveis canecas de cerveja. Mantêm-se abertos os bares e os restaurantes do centro e da longa Esplanade, estes, com vista para as águas azuladas do rio Swan e para os iates e lanchas em que os herdeiros, empresários e especuladores mais felizardos exploram a costa australiana do Índico.

Ainda antes do convívio obrigatório, alguns moradores têm por hábito passar uma ou duas horas pelas praias mas próximas ou simplesmente praticar desporto. As margens do Swan tornam-se uma autêntica pista partilhada por ciclistas, joggers e patinadores. Logo ao lado, a Jacob Ladder (escadaria que atalha caminho para as alturas do Kings Park) é o desafio eleito pelos mais radicais, incluindo a sempre em forma Ditte.

Quando a percorremos, em plena hora de ponta de jogging e tal como outros utilizadores convencionais, temos dificuldade em chegar ao topo tal é a quantidade de masoquistas que a sobem e descem até à exaustão. Os relvados e as varandas panorâmicas do Kings Park são, para muitos, a recompensa que substitui o céu bíblico de Jacob.

Com ou sem contributo do desporto, é o bem-estar genérico da população, em simbiose com a saúde financeira da cidade, que faz com que a revista The Economist coloque Perth, ano após o ano, no Top Five mundial da qualidade de vida urbana, algo que também contribui para que volte a seduzir milhares de novos potenciais imigrantes. A Austrália e a remota Perth, têm-se inclusivamente dado ao luxo de os seleccionar com critérios exigentes. 

Valletta, Malta

As Capitais Não se Medem aos Palmos

Por altura da sua fundação, a Ordem dos Cavaleiros Hospitalários apodou-a de "a mais humilde". Com o passar dos séculos, o título deixou de lhe servir. Em 2018, Valletta será a Capital Europeia da Cultura mais exígua de sempre e uma das mais recheadas de história e deslumbrantes de que haverá memória.

Perth a Albany, Austrália

Pelos Confins do Faroeste Australiano

Poucos povos veneram a evasão como os aussies. Com o Verão meridional em pleno e o fim-de-semana à porta, os habitantes de Perth refugiam-se da rotina urbana no recanto sudoeste da nação. Pela nossa parte, sem compromissos, exploramos a infindável Austrália Ocidental até ao seu limite sul.

Sydney, Austrália

De Desterro de Criminosos a Cidade Exemplar

A primeira das colónias australianas foi erguida por reclusos desterrados. Hoje, os aussies de Sydney gabam-se de antigos condenados da sua árvore genealógica e orgulham-se da prosperidade cosmopolita da megalópole que habitam. 

Couchsurfing (Parte 1)

Mi Casa, Su Casa

Em 2003, uma nova comunidade online globalizou um antigo cenário de hospitalidade, convívio e de interesses. Hoje, o Couchsurfing acolhe milhões de viajantes, mas não deve ser praticado de ânimo leve.
Casario

Lares Doces Lares

Poucas espécies são mais sociais e gregárias que a humana. Os habitantes da Terra tendem a emular as moradias de outros e a instalar-se junto a elas. Alguns desses núcleos revelam-se impressionantes.

Melbourne, Austrália

Austrália "Asienada"

Capital cultural aussie, Melbourne também é frequentemente eleita a cidade com melhor qualidade de vida do Mundo. Quase um milhão de emigrantes orientais aproveitaram este acolhimento imaculado.

Hobart, Austrália

A Porta dos Fundos da Austrália

Hobart, a capital de estado mais a sul da grande ilha foi colonizada por milhares de degredados de Inglaterra. Sem surpresa, a sua população preserva uma forte admiração pelos modos de vida marginais.

Brasília, Brasil

Da Utopia à Euforia

Desde os tempos do Marquês de Pombal que se falava da transferência da capital para o interior. Hoje, a cidade quimera continua a parecer surreal mas dita as regras do desenvolvimento brasileiro.

Perth, Austrália

Cowboys da Oceania

O Texas até fica do outro lado do mundo mas não faltam vaqueiros no país dos coalas e dos cangurus. Rodeos do Outback recriam a versão original e 8 segundos não duram menos no Faroeste australiano.

Perth, Austrália

Em Honra da Fundação, de Luto Pela Invasão

26/1 é uma data controversa na Austrália. Enquanto os colonos britânicos o celebram com churrascos e muita cerveja, os aborígenes celebram o facto de não terem sido completamente dizimados.

Oslo, Noruega

Uma Capital Sobrecapitalizada

Um dos problemas da Noruega tem sido decidir como investir os milhares milhões de euros do seu fundo soberano recordista. Mas nem os recursos desmedidos salvam Oslo das suas incoerências sociais.

Melbourne, Austrália

O Futebol em que os Australianos Ditam as Regras

Apesar de praticado desde 1841, o AFL Rules football só conquistou parte da grande ilha. A internacionalização nunca passou do papel, travada pela concorrência do râguebi e do futebol clássico.

Arquitectura & Design
Fortalezas

O Mundo à Defesa

Sob ameaça dos inimigos desde os confins dos tempos, os líderes de povoações e de nações ergueram castelos e fortalezas. Um pouco por todo o lado, monumentos militares como estes continuam a resistir.
Aurora fria II
Aventura
Circuito Anapurna: 3º- Upper Pisang, Nepal

Uma Inesperada Aurora Nevada

Aos primeiros laivos de luz, a visão do manto branco que cobrira a povoação durante a noite deslumbra-nos. Com uma das caminhadas mais duras pela frente, adiamos a partida tanto quanto possível. Contrariados, deixamos Upper Pisang rumo a Ngawal quando a derradeira neve se desvanecia.
Cerimónias e Festividades
Apia, Samoa Ocidental

Fia Fia: Folclore Polinésio de Alta Rotação

Da Nova Zelândia à Ilha da Páscoa e daqui ao Havai, contam-se muitas variações de danças polinésias. As noites samoanas de Fia Fia, em particular, são animadas por um dos estilos mais acelerados.
Cortejo garrido
Cidades

Suzdal, Rússia

1000 Anos de Rússia à Moda Antiga

Foi uma capital pródiga quando Moscovo não passava de um lugarejo rural. Pelo caminho, perdeu relevância política mas acumulou a maior concentração de igrejas, mosteiros e conventos do país dos czares. Hoje, sob as suas incontáveis cúpulas, Suzdal é tão ortodoxa quanto monumental.

Orgulho
Comida

Vale de Fergana, Usbequistão

A Nação a Que Não Falta o Pão

Poucos países empregam os cereais como o Usbequistão. Nesta república da Ásia Central, o pão tem um papel vital e social. Os Usbeques produzem-no e consomem-no com devoção e em abundância.

Tatooine na Terra
Cultura

Sudeste da Tunísia

A Base Terráquea da Guerra das Estrelas

Por razões de segurança, o planeta Tatooine de "O Despertar da Força" foi filmado em Abu Dhabi. Recuamos no calendário cósmico e revisitamos alguns dos lugares tunisinos com mais impacto na saga.

 

Fogo-de-artifício branco
Desporto

Seward, Alasca

O 4 de Julho Mais Longo

A independência dos E.U.A. é festejada, em Seward, de forma modesta. Para compensar, na cidade que honra o homem que prendou a nação com o seu maior estado, a data e a celebração parecem não ter fim.

Deserto (Pouco) Branco
Em Viagem
Deserto Branco, Egipto

O Atalho Egípcio para Marte

Numa altura em que a conquista do vizinho do sistema solar se tornou uma obsessão, uma secção do leste do Deserto do Sahara abriga um vasto cenário afim. Em vez dos 150 a 300 dias que se calculam necessários para atingir Marte, descolamos do Cairo e, em pouco mais de três horas, damos os primeiros passos no Oásis de Bahariya. Em redor, quase tudo nos faz sentir sobre o ansiado Planeta Vermelho.
Totens tribais
Étnico

Malekula, Vanuatu

Canibalismo de Carne e Osso

Até ao início do século XX, os comedores de homens ainda se banqueteavam no arquipélago de Vanuatu. Na aldeia de Botko descobrimos porque os colonizadores europeus tanto receavam a ilha de Malekula

Luminosidade caprichosa no Grand Canyon
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
Doces crocantes
História

São João de Acre, Israel

A Fortaleza que Resistiu a Tudo

Foi alvo frequente das Cruzadas e tomada e retomada vezes sem conta. Hoje, israelita, Acre é partilhada por árabes e judeus. Vive tempos bem mais pacíficos e estáveis que aqueles por que passou.

Todos a bordo
Ilhas

Viti Levu, Fiji

Uma Partilha Improvável

Em pleno Pacífico Sul, uma comunidade numerosa de descendentes de indianos recrutados pelos ex-colonos britânicos e a população indígena melanésia repartem há muito a ilha chefe de Fiji.

Verificação da correspondência
Inverno Branco

Rovaniemi, Finlândia

Árctico Natalício

Fartos de esperar pela descida do velhote de barbas pela chaminé, invertemos a história. Aproveitamos uma viagem à Lapónia Finlandesa e passamos pelo seu furtivo lar. 

Suspeitos
Literatura

São Petersburgo, Rússia

Na Pista de “Crime e Castigo”

Em São Peterburgo, não resistimos a investigar a inspiração para as personagens vis do romance mais famoso de Fiódor Dostoiévski: as suas próprias lástimas e as misérias de certos concidadãos.

Caminhada Solitária
Natureza

Mérida, Venezuela

Nos Confins Andinos da Venezuela

Nos anos 40 e 50, a Venezuela atraiu 400 mil portugueses mas só metade ficou em Caracas. Em Mérida, encontramos lugares mais semelhantes às origens e a geladaria excêntrica dum portista imigrado.

Aposentos dourados
Outono

Sheki, Azerbaijão

Outono no Cáucaso

Perdida entre as montanhas nevadas que separam a Europa da Ásia, Sheki é uma das povoações mais emblemáticas do Azerbaijão. A sua história em grande parte sedosa inclui períodos de grande aspereza. Quando a visitámos, tons pastéis de Outono davam mais cor a uma peculiar vida pós-soviética e muçulmana.

Épico Western
Parques Naturais

Monument Valley, E.U.A.

Índios ou cowboys?

Realizadores de Westerns emblemáticos como John Ford imortalizaram aquele que é o maior território indígena dos E.U.A. Hoje, na Navajo Nation, os navajos também vivem na pele dos velhos inimigos.

Enseada do Éden
Património Mundial Unesco

Praslin, Seichelles

O Éden dos Enigmáticos Cocos-do-Mar

Durante séculos, os marinheiros árabes e europeus acreditaram que a maior semente do mundo, que encontravam nos litorais do Índico com forma de quadris voluptuosos de mulher, provinha de uma árvore mítica no fundo dos oceanos.  A ilha sensual que sempre os gerou deixou-nos extasiados.

Lenha
Personagens

PN Oulanka, Finlândia

Um Lobo Pouco Solitário

Jukka “Era-Susi” Nordman criou uma das maiores matilhas de dog sledding do mundo. Tornou-se numa das personagens mais emblemáticas do país mas continua fiel ao seu cognome: Wilderness Wolf

Perigo de praia
Praia

Santa Lucia, África do Sul

Uma África Tão Selvagem Quanto Zulu

Na eminência do litoral de Moçambique, a província de KwaZulu-Natal abriga uma inesperada África do Sul. Praias desertas repletas de dunas, vastos pântanos estuarinos e colinas cobertas de nevoeiro preenchem esta terra selvagem também banhada pelo oceano Índico. Partilham-na os súbditos da sempre orgulhosa nação zulu e uma das faunas mais prolíficas e diversificadas do continente africano.

Um matrimónio espacial
Religião

Samarcanda, Usbequistão

O Sultão Astrónomo

Neto de um dos grandes conquistadores da Ásia Central, Ulugh Beg preferiu as ciências. Em 1428, construiu um observatório espacial em Samarcanda. Os seus estudos dos astros levaram-lhe o nome a uma cratera da Lua. 

White Pass & Yukon Train
Sobre carris

Skagway, Alasca

Uma Variante da Corrida ao Ouro do Klondike

A última grande febre do ouro norte-americana passou há muito. Hoje em dia, centenas de cruzeiros despejam, todos os Verões, milhares de visitantes endinheirados nas ruas repletas de lojas de Skagway.

Sociedade
Mercados

Uma Economia de Mercado

A lei da oferta e da procura dita a sua proliferação. Genéricos ou específicos, cobertos ou a céu aberto, estes espaços dedicados à compra, à venda e à troca são expressões de vida e saúde financeira.
Um
Vida Quotidiana

Talisay City, Filipinas

Monumento a um Amor Luso-Filipino

No final do século XIX, Mariano Lacson, um fazendeiro filipino e Maria Braga, uma portuguesa de Macau, apaixonaram-se e casaram. Durante a gravidez do que seria o seu 11º filho, Maria sucumbiu a uma queda. Destroçado, Mariano ergueu uma mansão em sua honra. Em plena 2ª Guerra Mundial, a mansão foi incendiada mas as ruínas elegantes que resistiram eternizam a sua trágica relação.

Patrulha réptil
Vida Selvagem
Esteros del Iberá, Argentina

O Pantanal das Pampas

No mapa mundo, para sul do famoso pantanal brasileiro, surge uma região alagada pouco conhecida mas quase tão vasta e rica em biodiversidade. A expressão guarani Y berá define-a como “águas brilhantes”. O adjectivo ajusta-se a mais que à sua forte luminância.
Aterragem sobre o gelo
Voos Panorâmicos

Mount Cook, Nova Zelândia

A Conquista Aeronáutica dos Alpes do Sul

Em 1955, o piloto Harry Wigley criou um sistema de descolagem e aterragem sobre asfalto ou neve. Desde então, a sua empresa revela, a partir do ar, alguns dos cenários mais grandiosos da Oceania.