Aruba

Aruba: a Ilha no Lugar Certo


Ventania
Sinal alerta para o poder dos ventos alísios, em Aruba.
A West Punt
Oceano AtlÂntico agitado no topo norte de Aruba.
Menu do dia
Menu do dia, escrito a cores, sobre ardósia.
Convívio em Palm Beach
Clientes animados num bar à beira-mar de Palm Beach
Jolly Pirates
O veleiro manobrado pelos Jolly Pirates de Palm Beach.
A Capela Alto Vista
Cães dormitam, protegidos da ventania, à entrada da capela de Alto Vista.
Altar Alto Vista
Altar da igreja mais antiga de Aruba.
Cruz da Via Dolorosa Alto Vista
Cruz sinaliza uma das estações da Via Crucis de Alto Vista.
Cacto Frutado
Flores garridas contrastam com o verde espinhoso de um dos incontáveis cactos de Aruba.
Cactos
Núcleo de cactos na costa norte de Aruba.
Tons de Aruba
Roulotte e pick up, mas imediações do Farol Califórnia.
Farol California II
Cactos cercam o Farol de California de Aruba.
O Farol California
Cactos também em redor do farol mais setentrional de Aruba.
As árvores Fofoti
Árvores mais emblemáticas de Aruba, inclinam-se para a água.
Fofoti Falecida
Uma árvore fofoti abatida pelas vagas do Atlântico.
O Caribe de Aruba
Lanchas ao largo da praia repleta de hotéis e resorts de Palm Beach.
Um Melocactus
Uma das minas e armadilhas vegetais mais perigosas de Aruba.
Convívio à Beira-Mar
Clientes de bar e catamarã prestes a partir.
Copas ao Vento
Copas de coqueiros dobradas pelo vento forte e constante.
Praia Caribenha
Os tons atractivos do Mar das Caraíbas no noroeste de Aruba.
Crê-se que os nativos caquetío lhe chamavam oruba, ou “ilha bem situada”. Frustrados pela falta de ouro, os descobridores espanhóis trataram-na por “ilha inútil”. Ao percorrermos o seu cimo caribenho, percebemos o quanto o primeiro baptismo de Aruba sempre fez mais sentido.

Os ventos alísios explicam muita coisa.

São residentes no sul ressequido do Mar das Caraíbas. Sopram com tal vigor que desfazem as poucas nuvens que por ali se aventuram.

É uma das razões porque, sobre Aruba, o céu se mantém limpo e azulão, porque o sol brilha com potência tropical e contribui para fazer de Aruba a “Ilha Feliz”, assim é também conhecida.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, Mar das Caraíbas

Meia-hora depois deixarmos a capital Orangestad, chegamos a Eagle Beach, na iminência do Sanctuário de Aves Bubali.

Flectimos para oeste e para a beira-mar. Jonathan, o guia que nos conduzia, estaciona aquém de um areal irregular.

Das Árvores ZigueZagueantes Fofoti às Dunas de Sasariwichi

Um limiar de rocha calcária separa a areia do mar das Caraíbas.

A protecção que concede da fúria atlântica e o vendaval contra o sentido da rebentação alisam o mar. Transformam-no num lago tom de esmeralda.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, fototi

As expressões dos alísios não se ficam por aí.

Duas árvores quase gémeas destacam-se do areal, com troncos retorcidos de um estranho contorcionismo.

Numa ilha pejada de cactos e arbustos espinhosos, estas que são as fofoti trees (conocarpus erectus) e as suas congéneres do interior divi divi (watapanas), tornaram-se emblemáticas, um símbolo incontornável de Aruba.

Ao longo dos tempos, os nativos habituaram-se ainda a usá-las como bússola. Hoje, continuam a apontar o Sudoeste pelo que tal utilidade permanece intacta.

Nuns minutos, a praia compõe-se. Uns poucos banhistas esparramam-se em cadeiras, abrigados do vento, de costas viradas para o mar e para um raro e encurtado arco-íris.

Da Eagle Beach, contornamos o Santuário Bubali. Progredimos rumo ao domínio setentrional Arasji, com passagem por salinas e outras praias, a Hadicurari, Malmok, a Boca Catalina e a Arashi, esta, já à entrada da vastidão das dunas Sasariwichi que se estende até à ponta noroeste da ilha.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, Farol California

O Monumento Náutico do Farol Califórnia e a Floresta de Cactos que o Cerca

Desviamos para o meio elevado da península.

Daí, desponta um farol com seis pisos coroado por uma campânula reforçada contra o vento que, àquela altura, sopra mais furioso que nunca.

O farol foi inaugurado em 1916. O nome que ostenta tem uma razão náutica e trágica de ser.

Homenageia o vapor “California” que, a 23 de Setembro de 1891, agitado pelas correntes traiçoeiras e pela ondulação ao largo, acabou por naufragar.

A própria navegação de quem visita o farol prova-se complicada. Demasiados turistas-banhistas surgem de chinelos ou calçado frágil afim.

Deparam-se com um solo de pedra coralífera afiada, como se não bastasse, repleto de cactos de distintas espécies.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, cacto

Mantemo-nos de sobreaviso.

Evitamos os opuntia, as figueiras-do-diabo popularizadas pelos guias como cactos Rato Mickey devido às pontas de folhas arredondadas, semelhantes às orelhas da personagem Disney.

Acima destes, insinuam-se sebes dos sempre hirtos cadushi, (cereus repandus), os predominantes em Aruba, como nas vizinhas Curaçao e Bonaire.

Ao nível do solo, autênticas minas vegetais, abundam ainda os mais perigosos, os melocactus, munidos de grandes espinhos aguçados, dispostos em forma de estrela.

Cirandamos em volta do farol, determinados em fotografá-lo envolto de cactos.

O concretizar da missão custa-nos um tempo com que não contávamos a remover picos das solas das sandálias de caminhada, dos pés e das mãos.

Regressamos à L.G.Smith Boulevard, a derradeira via asfaltada a norte do farol.

Dali, deambulamos pela imensidão arenosa e ondulada das dunas Sasariwichi (arashi), atentos à flora que as decora.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, West Punt

Jonathan vê-nos perdidos em fotos. Resgata-nos.

Conduz-nos à Boca Westpunt e ao repuxo gerado pela fúria das vagas que rebentam contra a laje recortada da costa.

Tínhamos atingido o extremo setentrional de Aruba e do arquipélago das ABC.

A norte, apenas uma extensão vazia de Mar das Caraíbas que se estendia às imediações da capital dominicana de Santo Domingo, em que, por mera coincidência, há mais de quatro meses, tínhamos inaugurado o périplo pelas Antilhas.

A Demanda da Capela Secular de Alto Vista

O cimo sem saída de Aruba impõe-nos uma meia-volta. Desta feita, descemos pela costa leste, tão ou mais exposta ao Atlântico que a Westpunt.

Passamos nas imediações de uma tal de Druif Beach, de águas batidas, mas que, sempre que o vento e o mar dão tréguas, se converte numa quase-lagoa turquesa.

Continuamos a descer. Deixamos a Aruba Shack beach e o Ranchero Curason multicolor para trás.

Por fim, voltamos ao meio da ilha, na demanda da zona de Alta Vista e da capela católica que a abençoa.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, Cruz da Via Dolorosa

Se o farol “Califórnia se encontrava envolto de uma fauna sortida de cactos, a floresta cactácea em redor da capela, provava-se ainda mais densa.

Formavam-na, sobretudo cadushis esguios e altos.

Alguns cactos ramificavam em forma de pontas de lança, um evento genético que sucede noutras espécies de cactos (por exemplo nos saguaros do Deserto de Sonora) e que lhes confere um visual extra-surreal.

A ventania tão pouco dava descanso, por estes lados. Fazia os cactos trepidarem. Arrastava arbustos à deriva e levantava uma poeira irritante.

O temporal de faroeste era tal que fazia sofrer, até um bando de cães vadios.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, Capela Alto Vista

A capela de Alto Vista é conhecida como igreja dos peregrinos. Marca o término de uma Via Dolorosa ditada por cruzes na estrada homónima.

Aparecem visitantes. Turistas crentes, não tanto verdadeiros peregrinos. Parte deles, embrenha-se do Labirinto da Paz desenhado no solo, atrás do templo amarelo. Outros, arrepiam caminho entre o inusitado tapete de cães à porta.

Distribuem-se sobre o piso de xadrez e apreciam a estátua da Nª Srª do Rosário com o Cristo criança ao colo, anichada acima do altar.

Outros ainda, sentam-se. Sussurram as suas preces.

Uma das Igrejas Usadas em Contínuo, há Mais Tempo, das Caraíbas

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, altar da capela Alto Vista

Diz-se que a capela de Alto Vista é uma das mais antigas (senão a mais antiga) igreja usada em contínuo das Caraíbas. A versão actual foi erguida em 1952.

Substituiu o edifício original, mandado construir em pedra e colmo, em 1750, por Domingo António Silvestre, um missionário oriundo da cidade venezuelana de Santa Ana de Coro, incumbido de converter os indígenas de Aruba ao Cristianismo.

Domingo Silvestre desembarcou em Aruba quase duzentos e cinquenta anos após a descoberta de Américo Vespucci e Alonso de Ojeda.

A Descoberta Espanhola e a Subsequente Colonização Holandesa

Em 1499, os navegadores reclamaram a ilha para a coroa espanhola. Impressionados pela estatura superlativa dos nativos caquetío, descreveram-na como uma “ilha de gigantes.

Pouco depois, aliciados pelas amostras de algodão e de pau-brasil exibidas pelo duo, os espanhóis inauguraram a colonização de Aruba.

Só que o algodão e o pau-brasil pouco valiam, se comparados com o ouro e a prata entretanto achados na ilha de Hispaniola.

Em 1508, Ojeda foi nomeado governador. Cinco anos volvidos, os espanhóis começaram a escravizaram os caquetíos e a submetê-los a trabalho forçado nas minas de Hispaniola.

Assim mantiveram boa parte dos indígenas até que, em 1636, no contexto da Guerra dos Trinta Anos, os holandeses capturaram as três ilhas ABC.

Nomearam governador o famoso Peter Stuyvesant, mais tarde, governador de Nova Amesterdão.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, praia

E empregaram os nativos caquetío que tinham sobrevivido ao jugo espanhol na criação do gado com que passaram a abastecer outras colónias holandesas.

Por altura da missão de Domingo Silvestre, no entanto, a população de caquetíos tinha diminuído de forma drástica.

Os seus sucessores albergavam e convertiam os indígenas no cimo ventoso de Alto Vista quando, sem que o esperassem, o destino condenou a missão.

Uma praga disseminou-se entre padres e nativos. Provou-se de tal maneira mortífera, que forçou os sobreviventes a desertarem para Noord, onde havia sido erguida a segunda igreja mais antiga de Aruba, a de Santa Ana.

Do ex-Covil dos Piratas das Caraíbas à Doca dos Jolly Pirates

Com Aruba nas mãos dos holandeses – rivais históricos do crescente Império Hispânico – os novos colonos viabilizaram que a ilha fosse usada como base operacional dos piratas e corsários.

Holandeses, ingleses, franceses (mais tarde, até americanos), todos eles perseguidores das embarcações espanholas e suas valiosas cargas.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, Jolly Pirates

Aruba manteve-se um território holandês, hoje, considerada um país constituinte do Reino dos Países Baixos.

É, de longe, a mais americanizada das três ilhas ABC.

Voltamos a constatá-lo quando, já pela tarde, damos entrada no molhe de Palm Beach, uma praia cercada de hotéis das inevitáveis marcas multinacionais, à pinha de gringos em fuga do Inverno do hemisfério norte, ávidos de sol e de diversão.

Nessa mesma praia, sob esquadrões oportunistas de pelicanos, embarcamos no navio de recreio de uns tais de Jolly Pirates. Percorremos a costa de Aruba mais próxima.

Desembarcamos em enseadas recônditas, nadamos entre corais, cardumes garridos de peixes e tartarugas pouco fugidias.

Aruba, Antilhas Holandesas, ABC, tartaruga

Quando desembarcamos, damos com um grupo de jovens americanos a prepararem a sua própria expedição, a carregarem dezenas de caixas de cerveja, sobre um atrelado e aos ombros.

Em Aruba, o sol, o céu azul e o mar esmeralda-turquesa eram, como são sempre, adquiridos.

Empenhavam-se, com aparente exagero, em que não lhes faltasse o carburante refrescante da evasão.

Rincon, Bonaire

O Recanto Pioneiro das Antilhas Holandesas

Pouco depois da chegada de Colombo às Américas, os castelhanos descobriram uma ilha caribenha a que chamaram Brasil. Receosos da ameaça pirata, esconderam a primeira povoação num vale. Decorrido um século, os holandeses apoderaram-se dessa ilha e rebaptizaram-na de Bonaire. Não apagaram o nome despretensioso da colónia precursora: Rincon.
Willemstad, Curaçao

O Coração Multicultural de Curaçao

Uma colónia holandesa das Caraíbas tornou-se um grande polo esclavagista. Acolheu judeus sefarditas que se haviam refugiado da Inquisição em Amesterdão e Recife e assimilou influências das povoações portuguesas e espanholas com que comerciava. No âmago desta fusão cultural secular esteve sempre a sua velha capital: Willemstad.
Santo Domingo, República Dominicana

A Mais Longeva Anciã Colonial das Américas

Santo Domingo é a colónia há mais tempo habitada do Novo Mundo. Fundada, em 1498, por Bartolomeu Colombo, a capital da República Dominicana preserva intacto um verdadeiro tesouro de resiliência histórica.
Soufrière, Saint Lucia

As Grandes Pirâmides das Antilhas

Destacados acima de um litoral exuberante, os picos irmãos Pitons são a imagem de marca de Saint Lucia. Tornaram-se de tal maneira emblemáticos que têm lugar reservado nas notas mais altas de East Caribbean Dollars. Logo ao lado, os moradores da ex-capital Soufrière sabem o quão preciosa é a sua vista.
Lago Enriquillo, República Dominicana

Enriquillo: o Grande Lago das Antilhas

Com entre 300 e 400km2, situado a 44 metros abaixo do nível do mar, o Enriquillo é o lago supremo das Antilhas. Mesmo hipersalino e abafado por temperaturas atrozes, não pára de aumentar. Os cientistas têm dificuldade em explicar porquê.
Laguna Oviedo a Bahia de las Águilas, República Dominicana

Em Busca da Praia Dominicana Imaculada

Contra todas as probabilidades, um dos litorais dominicanos mais intocados também é dos mais remotos. À descoberta da província de Pedernales, deslumbramo-nos com o semi-desértico Parque Nacional Jaragua e com a pureza caribenha da Bahia de las Águilas.
Barahona, República Dominicana

A República Dominicana Balnear de Barahona

Sábado após Sábado, o recanto sudoeste da República Dominicana entra em modo de descompressão. Aos poucos, as suas praias e lagoas sedutoras acolhem uma maré de gente eufórica que se entrega a um peculiar rumbear anfíbio.
Laguna de Oviedo, República Dominicana

O Mar (nada) Morto da República Dominicana

A hipersalinidade da Laguna de Oviedo oscila consoante a evaporação e da água abastecida pela chuva e pelos caudais vindos da serra vizinha de Bahoruco. Os nativos da região estimam que, por norma, tem três vezes o nível de sal do mar. Lá desvendamos colónias prolíficas de flamingos e de iguanas entre tantas outras espécies que integram este que é um dos ecossistemas mais exuberantes da ilha de Hispaniola.
Península de Samaná, PN Los Haitises, República Dominicana

Da Península de Samaná aos Haitises Dominicanos

No recanto nordeste da República Dominicana, onde a natureza caribenha ainda triunfa, enfrentamos um Atlântico bem mais vigoroso que o esperado nestas paragens. Lá cavalgamos em regime comunitário até à famosa cascata Limón, cruzamos a baía de Samaná e nos embrenhamos na “terra das montanhas” remota e exuberante que a encerra.
Puerto Plata, República Dominicana

Prata da Casa Dominicana

Puerto Plata resultou do abandono de La Isabela, a segunda tentativa de colónia hispânica das Américas. Quase meio milénio depois do desembarque de Colombo, inaugurou o fenómeno turístico inexorável da nação. Numa passagem-relâmpago pela província, constatamos como o mar, a montanha, as gentes e o sol do Caribe a mantêm a reluzir.
hipopotamos, parque nacional chobe, botswana
Safari
PN Chobe, Botswana

Chobe: um rio na Fronteira da Vida com a Morte

O Chobe marca a divisão entre o Botswana e três dos países vizinhos, a Zâmbia, o Zimbabwé e a Namíbia. Mas o seu leito caprichoso tem uma função bem mais crucial que esta delimitação política.
Rebanho em Manang, Circuito Annapurna, Nepal
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 8º Manang, Nepal

Manang: a Derradeira Aclimatização em Civilização

Seis dias após a partida de Besisahar chegamos por fim a Manang (3519m). Situada no sopé das montanhas Annapurna III e Gangapurna, Manang é a civilização que mima e prepara os caminhantes para a travessia sempre temida do desfiladeiro de Thorong La (5416 m).
Pela sombra
Arquitectura & Design
Miami, E.U.A.

Uma Obra-Prima da Reabilitação Urbana

Na viragem para o século XXI, o bairro Wynwood mantinha-se repleto de fábricas e armazéns abandonados e grafitados. Tony Goldman, um investidor imobiliário astuto, comprou mais de 25 propriedades e fundou um parque mural. Muito mais que ali homenagear o grafiti, Goldman fundou o grande bastião da criatividade de Miami.
Totems, aldeia de Botko, Malekula,Vanuatu
Aventura
Malekula, Vanuatu

Canibalismo de Carne e Osso

Até ao início do século XX, os comedores de homens ainda se banqueteavam no arquipélago de Vanuatu. Na aldeia de Botko descobrimos porque os colonizadores europeus tanto receavam a ilha de Malekula.
auto flagelacao, paixao de cristo, filipinas
Cerimónias e Festividades
Marinduque, Filipinas

A Paixão Filipina de Cristo

Nenhuma nação em redor é católica mas muitos filipinos não se deixam intimidar. Na Semana Santa, entregam-se à crença herdada dos colonos espanhóis.A auto-flagelação torna-se uma prova sangrenta de fé
Chania Creta Grécia, Porto Veneziano
Cidades
Chania, Creta, Grécia

Chania: pelo Poente da História de Creta

Chania foi minóica, romana, bizantina, árabe, veneziana e otomana. Chegou à actual nação helénica como a cidade mais sedutora de Creta.
Máquinas Bebidas, Japão
Comida
Japão

O Império das Máquinas de Bebidas

São mais de 5 milhões as caixas luminosas ultra-tecnológicas espalhadas pelo país e muitas mais latas e garrafas exuberantes de bebidas apelativas. Há muito que os japoneses deixaram de lhes resistir.
Um contra todos, Mosteiro de Sera, Sagrado debate, Tibete
Cultura
Lhasa, Tibete

Sera, o Mosteiro do Sagrado Debate

Em poucos lugares do mundo se usa um dialecto com tanta veemência como no mosteiro de Sera. Ali, centenas de monges travam, em tibetano, debates intensos e estridentes sobre os ensinamentos de Buda.
arbitro de combate, luta de galos, filipinas
Desporto
Filipinas

Quando só as Lutas de Galos Despertam as Filipinas

Banidas em grande parte do Primeiro Mundo, as lutas de galos prosperam nas Filipinas onde movem milhões de pessoas e de Pesos. Apesar dos seus eternos problemas é o sabong que mais estimula a nação.
Em Viagem
Circuito Annapurna: 5º- Ngawal-BragaNepal

Rumo a Braga. A Nepalesa.

Passamos nova manhã de meteorologia gloriosa à descoberta de Ngawal. Segue-se um curto trajecto na direcção de Manang, a principal povoação no caminho para o zénite do circuito Annapurna. Ficamo-nos por Braga (Braka). A aldeola não tardaria a provar-se uma das suas mais inolvidáveis escalas.
Ooty, Tamil Nadu, cenário de Bollywood, Olhar de galã
Étnico
Ooty, Índia

No Cenário Quase Ideal de Bollywood

O conflito com o Paquistão e a ameaça do terrorismo tornaram as filmagens em Caxemira e Uttar Pradesh um drama. Em Ooty, constatamos como esta antiga estação colonial britânica assumia o protagonismo.
Ocaso, Avenida dos Baobás, Madagascar
Portfólio Fotográfico Got2Globe

Dias Como Tantos Outros

Khiva, Uzbequistão, Fortaleza, Rota da Seda,
História
Khiva, Uzbequistão

A Fortaleza da Rota da Seda que a União Soviética Aveludou

Nos anos 80, dirigentes soviéticos renovaram Khiva numa versão amaciada que, em 1990, a UNESCO declarou património Mundial. A URSS desintegrou-se no ano seguinte. Khiva preservou o seu novo lustro.
Ocaso, Santo Antão, Cabo Verde
Ilhas
Santo Antão, Cabo Verde

Pela Estrada da Corda Toda

Santo Antão é a mais ocidental das ilhas de Cabo Verde. Lá se situa um limiar Atlântico e rugoso de África, um domínio insular majestoso que começamos por desvendar de uma ponta à outra da sua deslumbrante Estrada da Corda.
Cavalos sob nevão, Islândia Neve Sem Fim Ilha Fogo
Inverno Branco
Husavik a Myvatn, Islândia

Neve sem Fim na Ilha do Fogo

Quando, a meio de Maio, a Islândia já conta com o aconchego do sol mas o frio mas o frio e a neve perduram, os habitantes cedem a uma fascinante ansiedade estival.
Almada Negreiros, Roça Saudade, São Tomé
Literatura
Saudade, São Tomé, São Tomé e Príncipe

Almada Negreiros: da Saudade à Eternidade

Almada Negreiros nasceu, em Abril de 1893, numa roça do interior de São Tomé. À descoberta das suas origens, estimamos que a exuberância luxuriante em que começou a crescer lhe tenha oxigenado a profícua criatividade.
Maria Jacarés, Pantanal Brasil
Natureza
Miranda, Brasil

Maria dos Jacarés: o Pantanal abriga criaturas assim

Eurides Fátima de Barros nasceu no interior da região de Miranda. Há 38 anos, instalou-se e a um pequeno negócio à beira da BR262 que atravessa o Pantanal e ganhou afinidade com os jacarés que viviam à sua porta. Desgostosa por, em tempos, as criaturas ali serem abatidas, passou a tomar conta delas. Hoje conhecida por Maria dos Jacarés, deu nome de jogador ou treinador de futebol a cada um dos bichos. Também garante que reconhecem os seus chamamentos.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Mulher atacamenha, Vida nos limites, Deserto Atacama, Chile
Parques Naturais
Deserto de Atacama, Chile

A Vida nos Limites do Deserto de Atacama

Quando menos se espera, o lugar mais seco do mundo revela novos cenários extraterrestres numa fronteira entre o inóspito e o acolhedor, o estéril e o fértil que os nativos se habituaram a atravessar.
Forte Galle, Sri Lanka, Ceilão Lendária Taprobana
Património Mundial UNESCO
Galle, Sri Lanka

Nem Além, Nem Aquém da Lendária Taprobana

Camões eternizou o Ceilão como um marco indelével das Descobertas onde Galle foi das primeiras fortalezas que os portugueses controlaram e cederam. Passaram-se cinco séculos e o Ceilão deu lugar ao Sri Lanka. Galle resiste e continua a seduzir exploradores dos quatro cantos da Terra.
Verificação da correspondência
Personagens
Rovaniemi, Finlândia

Da Lapónia Finlandesa ao Árctico, Visita à Terra do Pai Natal

Fartos de esperar pela descida do velhote de barbas pela chaminé, invertemos a história. Aproveitamos uma viagem à Lapónia Finlandesa e passamos pelo seu furtivo lar.
Fila Vietnamita
Praias

Nha Trang-Doc Let, Vietname

O Sal da Terra Vietnamita

Em busca de litorais atraentes na velha Indochina, desiludimo-nos com a rudeza balnear de Nha Trang. E é no labor feminino e exótico das salinas de Hon Khoi que encontramos um Vietname mais a gosto.

Via Conflituosa
Religião
Jerusalém, Israel

Pelas Ruas Beliciosas da Via Dolorosa

Em Jerusalém, enquanto percorrem a Via Dolorosa, os crentes mais sensíveis apercebem-se de como a paz do Senhor é difícil de alcançar nas ruelas mais disputadas à face da Terra.
Executivos dormem assento metro, sono, dormir, metro, comboio, Toquio, Japao
Sobre Carris
Tóquio, Japão

Os Hipno-Passageiros de Tóquio

O Japão é servido por milhões de executivos massacrados com ritmos de trabalho infernais e escassas férias. Cada minuto de tréguas a caminho do emprego ou de casa lhes serve para o seu inemuri, dormitar em público.
Uma espécie de portal
Sociedade
Little Havana, E.U.A.

A Pequena Havana dos Inconformados

Ao longo das décadas e até aos dias de hoje, milhares de cubanos cruzaram o estreito da Florida em busca da terra da liberdade e da oportunidade. Com os E.U.A. ali a meros 145 km, muitos não foram mais longe. A sua Little Havana de Miami é, hoje, o bairro mais emblemático da diáspora cubana.
Mulheres com cabelos longos de Huang Luo, Guangxi, China
Vida Quotidiana
Longsheng, China

Huang Luo: a Aldeia Chinesa dos Cabelos mais Longos

Numa região multiétnica coberta de arrozais socalcados, as mulheres de Huang Luo renderam-se a uma mesma obsessão capilar. Deixam crescer os cabelos mais longos do mundo, anos a fio, até um comprimento médio de 170 a 200 cm. Por estranho que pareça, para os manterem belos e lustrosos, usam apenas água e arrôz.
Macaco-uivador, PN Tortuguero, Costa Rica
Vida Selvagem
PN Tortuguero, Costa Rica

Tortuguero: da Selva Inundada ao Mar das Caraíbas

Após dois dias de impasse devido a chuva torrencial, saímos à descoberta do Parque Nacional Tortuguero. Canal após canal, deslumbramo-nos com a riqueza natural e exuberância deste ecossistema flúviomarinho da Costa Rica.
Pleno Dog Mushing
Voos Panorâmicos
Seward, Alasca

O Dog Mushing Estival do Alasca

Estão quase 30º e os glaciares degelam. No Alasca, os empresários têm pouco tempo para enriquecer. Até ao fim de Agosto, o dog mushing não pode parar.
PT EN ES FR DE IT