Amesterdão, Holanda

De Canal em Canal, numa Holanda Surreal


Canal Oudezids
Amigos descontraem à beira do canal de Oudezids, em pleno Red Light District de Amesterdão.
Red Light District, Néons Vermelho
As luzes escarlates do Sex Palace um dos estabelecimentos sexuais da Red Light District.
Moto-Banquete
Decoração de um edifício nas imediações do Rijzksmuseum com uma ilustração de "Banquete da Guarda Civil de Amesterdão em Celebração da Paz de Munster" de Bartholo
Reflexo da história
Barco de recreio e tours entra no canal de Oudezids e na zona mais antiga de Amesterdão.
I am
Residente passa junto a uma das famosas assinaturas de design da cidade "
Esquina de Coffee Shop
Transeuntes contornam a Baba coffee shop, uma de muitas em Amesterdão.
Sombras
Transeuntes aglomerados na base da estátua do Memorial Nacional, na praça Dam.
Moradas elegantes
Vista do casario histórico de Amesterdão a partir do cimo da torre da Oudeskerk, a sua igreja e o seu edifício mais antigo.
Numa Ronda Diurna
Visitante de Amesterdão posa junto dos mosqueteiros na base da estátua do pintor Rembrandt van Rijn, da autoria de Louis Royer que se inspirou numa das obras mais famosas do pintor "A Ronda Nocturna".
Inclinação Criativa
Visitantes descem a rampa de um jardim inclinado nas imediações do Museu van Gogh.
Um Logro Mortal
Aviso disperso pela cidade alerta para o perigo da droga falsa e potencialmente mortal vendida por dealers enganados ou sem escrúpulos.
Canal de lazer II
Amigos conversam entre um canal e uma sex shop do Red Light District.
Escalada cultural
Visitantes do Rijksmuseum de Amesterdão trepam as letras de uma das famosas sinaléticas
Amesterdão Peculiar
Linha de fachadas de casas históricas nas imediações da Grand Central Station de Amesterdão.
Vincent
Crianças passam em frente de um painel ilustrado com a face de Vincent van Gogh que delimita obras de melhoramento do museu que foi dedicado à sua vida e obra.
Últimos preparativos
Empregada prepara-se para abrir as portas de um bar na zona mais antiga de Amesterdão.
Liberal no que a drogas e sexo diz respeito, Amesterdão acolhe uma multidão de forasteiros. Entre canais, bicicletas, coffee shops e montras de bordéis, procuramos, em vão, pelo seu lado mais pacato.

Durante um de vários pequenos-almoços à conversa, Michiel van Os, antigo docente universitário conceituado de história responde-nos com comoção contida e algum saudosismo: “eu reformei-me exactamente no famoso 11 de Setembro 2001.

Durante o meu discurso de despedida, as pessoas pareciam algo agitadas mas só me contaram o que se tinha passado no fim do dia”.

René, a esposa, terminou a carreira de juiz um mês depois.

Não que se pudesse comparar ao cataclismo terrorista que arrasou as Torres Gémeas mas, por essa altura, o prédio em que viviam sofria os seus próprios danos estruturais, causados pelo afundamento do solo alagado em que há muito se havia instalado Amesterdão.

Linha de fachadas de casas históricas nas imediações da Grand Central Station de Amesterdão.

Cada vez mais afectados também pela exigência das escadarias que tinham que vencer no dia-a-dia, os van Os encontraram uma alternativa mais que condigna no último andar duplex de um prédio do início do séc. XVII.

Encantou-os a sua arquitectura histórica e a localização junto ao bairro de Jordaan, em frente à Westerkerk e à casa-museu de Anne Frank.

O casal partilhou o privilégio de ali passar a viver, num domicílio elegante com muito de antiquário e de biblioteca, expressões harmoniosas de duas óbvias paixões, a leitura e o antigo.

Decoração de um edifício nas imediações do Rijzksmuseum com uma ilustração de “Banquete da Guarda Civil de Amesterdão em Celebração da Paz de Munster” de Bartholo

Nós, devido a relações quase familiares, vimo-nos prendados com alguns dias de acolhimento bondoso no seu lar secular. Há muito que não intuíamos o passar do tempo como por lá.

De noite, embalam-nos os tique-taques de relógios vetustos, de corda e de cuco. Em simultâneo – ou quase – o tocar dos sinos de diversas igrejas em redor.

O Passado Pungente de Anne Frank e Família

De dia, inspeccionávamos a enorme fila de visitantes da casa de Anne Frank que, como uma espécie de ampulheta humana, víamos fluir do lado de lá do canal de Keisergracht, a partir da janela ampla do piso inferior do domicílio.

Durante a nossa estadia em Amesterdão, notícias frescas relataram que Annelies Marie Frank – o seu nome completo – teria sucumbido dois meses antes da data em que a sua morte ficou para a história, vítima de fome e de tifo, no campo de concentração alemão de Bergen Belsen.

Hoje, num sacrifício paciente e apenas simbólico, centenas de pessoas esperam ao frio e à chuva para espreitarem o esconderijo que a família Frank construiu por detrás de uma estante no edifício em que o pai de Anne trabalhava.

O abrigo serviu os propósitos até que foram atraiçoados, capturados e se juntaram aos milhões de vítimas do Holocausto.

Os bilhetes para visitar aquele esconderijo lúgubre estavam esgotados para vários dias.

A Proliferação das Incontornáveis Coffee Shops

Como tal, passamos pela porta do edifício, prosseguimos para explorar o coração do bairro em tempos operário de Jordaan: o seu casario funcional e, ao longo dos canais, os barcos-casa elegantes em que milhares de amesterdaneses se habituaram a viver.

Canal de Lazer

Amigos descontraem à beira do canal de Oudezids, em pleno Red Light District de Amesterdão.

Caminhamos pelo limiar do anel histórico e turístico da cidade.

Por ali, as coffee shops sucediam-se em bom número. Conferem às ruas e ruelas um aroma excêntrico com que só as frequentes casas de gaufres concorriam.

Muitos moradores queixavam-se de que as primeiras lhes empestavam as casas.

Painéis electrónicos disseminados pela cidade alertavam para o perigo que os dealers de rua representam em Amesterdão: “Heroína Branca Vendida como Cocaína. Novembro passado, morreram três turistas.”

Aviso disperso pela cidade alerta para o perigo da droga falsa e potencialmente mortal vendida por dealers enganados ou sem escrúpulos.

Um Cómico-Drama Protagonizado pela Morte

Acabamos por nos cruzar com a morte, de forma ainda mais imprevista.

Descansávamos na praça Dam, nas imediações de homens-estátua e outros personagens móveis, daqueles que ganham a vida a impingir fotografias com os transeuntes.

Transeuntes aglomerados na base da estátua do Memorial Nacional, na praça Dam.

Entre eles, destacavam-se três ceifadeiras embrulhadas em túnicas negras, com máscaras de caveiras e munidas de gadanhas de plástico. Acredite-se ou não, estas empresárias macabras recrutavam interessados em grande número.

Um deles, de meia idade, aspecto e postura de rufia, fez a sua foto mas recusou-se a pagá-la. Discussão puxa discussão, eram já três as Mortes que, aliadas, se atiçavam ao homem.

Este, mais que em boa saúde, em óptima forma, recuava mas, enquanto respondia verbalmente, também ripostava de punhos erguidos.

A cena durou vários minutos, até que a polícia apareceu e pôs fim àquela que rotulámos como a briga mais mórbida e absurda que alguma vez presenciámos.

O Trânsito Ciclista Frenético de Amesterdão

Vamos para onde formos, o trânsito prova-se tão organizado quanto possível.

Ainda assim, muitas das ruas estreitas que ladeiam os canais são partilhadas por carros, autocarros, eléctricos, motociclos, bicicletas e pedestres, os residentes e milhares de forasteiros que, pela semana da Páscoa, chegaram de todos os lados.

Percorrê-las ou atravessá-las sem incidentes requer uma concentração permanente e uma gestão de movimentos perfeita. Nem assim, a coisa corria sempre bem.

Empregada prepara-se para abrir as portas de um bar na zona mais antiga de Amesterdão.

René, por exemplo, ainda se queixava de dores por um qualquer veículo todo-terreno lhe ter recentemente passado sobre um pé.

Chegamos ao núcleo histórico de Amesterdão com a noite a cair, meio enregelados. A salvo de incidentes.

O Controverso Red Light District de Amesterdão

Como é suposto, espreitamos o seu libidinoso Red Light District.

Imbuída da democracia pura e dura de que a Holanda tanto se orgulha, a cidade discutia, havia já bastante tempo, a permanência das prostitutas nas montras dos bordéis.

Enquanto isso, hordas de turistas, muitos deles só sexuais, avaliavam os seus encantos.

Outros, meros curiosos, tentavam fotografar as mulheres expostas mesmo contra a sua expressa vontade.

Amigos conversam entre um canal e uma sex shop do Red Light District.

Um aviso numa montra quase a paredes meias com a igreja protestante de Oude Kerk – o edifício e a igreja mais antiga de Amesterdão – com 800 anos alertava, em inglês: “As trabalhadoras do sexo não querem ser fotografadas. Não tire fotografias às janelas.”

E o Complexo Direito à Privacidade das Mulheres atrás das Vitrines

O website pic-amsterdam.com (PIC de Prostitute Information Center) que, fundado pela meretriz Mariska Majoor, promovia tours pelo Red Light District, workshops e outros negócios e iniciativas, complementava o alerta: ”o desrespeito pode dar origem a situações problemáticas para si e para a sua câmara.

Lembre-se que muitas trabalhadoras do sexo levam uma vida dupla. As fotografias representam um perigo já que podem ser vistas por conhecidos ou invadirem a sua privacidade de outras formas”.

Red Light District

As luzes escarlates do Sex Palace um dos estabelecimentos sexuais da Red Light District.

Mesmo assim, de quando em quando, em vez dos convencionais piscares de olho e outros esquemas mais arrojados de sedução de clientes, vemos e ouvimos mulheres escarlates ou arroxeadas baterem com as mãos com toda a força nos vidros.

Ou saírem para o exterior e intimidarem os infractores com gritos enfurecidos e uma colecção de impropérios.

Também ouvimos narrativas impressionantes de perseguições protagonizadas tanto por elas como pelos proxenetas.

A Exuberância Civilizacional de Amesterdão e a Contribuição dos Judeus Expulsos da Ibéria

Na tarde seguinte, ascendemos ao cimo torre do campanário da Oude Kerk.

Daquele topo, apreciamos a 360º o casario antigo a perder de vista em grande parte poupado durante a 2ª Guerra Mundial – seria o porto de Roterdão a cidade holandesa mais fustigada.

Vista do casario histórico de Amesterdão a partir do cimo da torre da Oudeskerk, a sua igreja e o seu edifício mais antigo.

Durante a subida da escadaria escura, o guia lembra-nos que a cidade e a Holanda beneficiaram sobremaneira por terem acolhido os judeus expulsos da Ibéria pela Inquisição e que subsistem muitos seus habitantes com apelidos portugueses ou hispânicos.

Ainda nos impinge que Portugal só não é parte da Espanha graças à Holanda. “Como é isso?” perguntamos intrigados a dobrar pela total ausência de contexto histórico da premissa.

“É que se não fosse a luta que nós lhes demos na Guerra dos Oitenta Anos, vocês não se tinham conseguido livrar dos Filipes.”

“Ah, OK! Bem visto, bem visto!” apoiamo-lo sem reservas.

Residente passa junto a uma das famosas assinaturas de design da cidade

Saba, Holanda

A Misteriosa Rainha Holandesa de Saba

Com meros 13km2, Saba passa despercebida até aos mais viajados. Aos poucos, acima e abaixo das suas incontáveis encostas, desvendamos esta Pequena Antilha luxuriante, confim tropical, tecto montanhoso e vulcânico da mais rasa nação europeia.
Valletta, Malta

As Capitais Não se Medem aos Palmos

Por altura da sua fundação, a Ordem dos Cavaleiros Hospitalários apodou-a de "a mais humilde". Com o passar dos séculos, o título deixou de lhe servir. Em 2018, Valletta foi a Capital Europeia da Cultura mais exígua de sempre e uma das mais recheadas de história e deslumbrantes de que há memória.
Helsínquia, Finlândia

O Design que Veio do Frio

Com boa parte do território acima do Círculo Polar Árctico, os finlandeses respondem ao clima com soluções eficientes e uma obsessão pela arte, pela estética e pelo modernismo inspirada na vizinha Escandinávia.
Oslo, Noruega

Uma Capital (sobre) Capitalizada

Um dos problemas da Noruega tem sido decidir como investir os milhares milhões de euros do seu fundo soberano recordista. Mas nem os recursos desmedidos salvam Oslo das suas incoerências sociais.
Juneau, Alasca

A Pequena Capital do Grande Alasca

De Junho a Agosto, Juneau desaparece por detrás dos navios de cruzeiro que atracam na sua doca-marginal. Ainda assim, é nesta pequena capital que se decidem os destinos do 49º estado norte-americano.
São Petersburgo, Rússia

A Rússia Vai Contra a Maré. Siga a Marinha

A Rússia dedica o último Domingo de Julho às suas forças navais. Nesse dia, uma multidão visita grandes embarcações ancoradas no rio Neva enquanto marinheiros afogados em álcool se apoderam da cidade.
Stavanger, Noruega

A Cidade Motora da Noruega

A abundância de petróleo e gás natural ao largo e a sediação das empresas encarregues de os explorarem promoveram Stavanger de capital da conserva a capital energética norueguesa. Nem assim esta cidade se conformou. Com um legado histórico prolífico, às portas de um fiorde majestoso, há muito que a cosmopolita Stavanger impele a Terra do Sol da Meia-Noite.
Bergen, Noruega

O Grande Porto Hanseático da Noruega

Já povoada no início do século XI, Bergen chegou a capital, monopolizou o comércio do norte norueguês e, até 1830, manteve-se uma das maiores cidades da Escandinávia. Hoje, Oslo lidera a nação. Bergen continua a destacar-se pela sua exuberância arquitectónica, urbanística e histórica.
savuti, botswana, leões comedores de elefantes
Safari
Savuti, Botswana

Os Leões Comedores de Elefantes de Savuti

Um retalho do deserto do Kalahari seca ou é irrigado consoante caprichos tectónicos da região. No Savuti, os leões habituaram-se a depender deles próprios e predam os maiores animais da savana.
Yak Kharka a Thorong Phedi, Circuito Annapurna, Nepal, iaques
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna 11º: Yak Karkha a Thorong Phedi, Nepal

A Chegada ao Sopé do Desfiladeiro

Num pouco mais de 6km, subimos dos 4018m aos 4450m, na base do desfiladeiro de Thorong La. Pelo caminho, questionamos se o que sentíamos seriam os primeiros problemas de Mal de Altitude. Nunca passou de falso alarme.
Competição do Alaskan Lumberjack Show, Ketchikan, Alasca, EUA
Arquitectura & Design
Ketchikan, Alasca

Aqui Começa o Alasca

A realidade passa despercebida a boa parte do mundo, mas existem dois Alascas. Em termos urbanos, o estado é inaugurado no sul do seu oculto cabo de frigideira, uma faixa de terra separada dos restantes E.U.A. pelo litoral oeste do Canadá. Ketchikan, é a mais meridional das cidades alasquenses, a sua Capital da Chuva e a Capital Mundial do Salmão.
Pleno Dog Mushing
Aventura
Seward, Alasca

O Dog Mushing Estival do Alasca

Estão quase 30º e os glaciares degelam. No Alasca, os empresários têm pouco tempo para enriquecer. Até ao fim de Agosto, o dog mushing não pode parar.
Cerimónias e Festividades
Pueblos del Sur, Venezuela

Os Pauliteiros de Mérida, Suas Danças e Cia

A partir do início do século XVII, com os colonos hispânicos e, mais recentemente, com os emigrantes portugueses consolidaram-se nos Pueblos del Sur, costumes e tradições bem conhecidas na Península Ibérica e, em particular, no norte de Portugal.
Graffiti deusa creepy, Haight Ashbury, Sao Francisco, EUA, Estados Unidos America
Cidades
The Haight, São Francisco, E.U.A.

Órfãos do Verão do Amor

O inconformismo e a criatividade ainda estão presentes no antigo bairro Flower Power. Mas, quase 50 anos depois, a geração hippie deu lugar a uma juventude sem-abrigo, descontrolada e até agressiva.
mercado peixe Tsukiji, toquio, japao
Comida
Tóquio, Japão

O Mercado de Peixe que Perdeu a Frescura

Num ano, cada japonês come mais que o seu peso em peixe e marisco. Desde 1935, que uma parte considerável era processada e vendida no maior mercado piscícola do mundo. Tsukiji foi encerrado em Outubro de 2018, e substituído pelo de Toyosu.
Moradora obesa de Tupola Tapaau, uma pequena ilha de Samoa Ocidental.
Cultura
Tonga, Samoa Ocidental, Polinésia

Pacífico XXL

Durante séculos, os nativos das ilhas polinésias subsistiram da terra e do mar. Até que a intrusão das potências coloniais e a posterior introdução de peças de carne gordas, da fast-food e das bebidas açucaradas geraram uma praga de diabetes e de obesidade. Hoje, enquanto boa parte do PIB nacional de Tonga, de Samoa Ocidental e vizinhas é desperdiçado nesses “venenos ocidentais”, os pescadores mal conseguem vender o seu peixe.
Natação, Austrália Ocidental, Estilo Aussie, Sol nascente nos olhos
Desporto
Busselton, Austrália

2000 metros em Estilo Aussie

Em 1853, Busselton foi dotada de um dos pontões então mais longos do Mundo. Quando a estrutura decaiu, os moradores decidiram dar a volta ao problema. Desde 1996 que o fazem, todos os anos. A nadar.
Eternal Spring Shrine
Em Viagem

Garganta de Taroko, Taiwan

Nas Profundezas de Taiwan

Em 1956, taiwaneses cépticos duvidavam que os 20km iniciais da Central Cross-Island Hwy fossem possíveis. O desfiladeiro de mármore que a desafiou é, hoje, o cenário natural mais notável da Formosa.

Horseshoe Bend
Étnico
Navajo Nation, E.U.A.

Por Terras da Nação Navajo

De Kayenta a Page, com passagem pelo Marble Canyon, exploramos o sul do Planalto do Colorado. Dramáticos e desérticos, os cenários deste domínio indígena recortado no Arizona revelam-se esplendorosos.
Portfólio, Got2Globe, melhores imagens, fotografia, imagens, Cleopatra, Dioscorides, Delos, Grécia
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Portfólio Got2Globe

O Terreno e o Celestial

Salto Negao, chapada diamantina, bahia gema, brasil
História
Chapada Diamantina, Brasil

Bahia de Gema

Até ao final do séc. XIX, a Chapada Diamantina foi uma terra de prospecção e ambições desmedidas.Agora que os diamantes rareiam os forasteiros anseiam descobrir as suas mesetas e galerias subterrâneas
Playa Nogales, La Palma, Canárias
Ilhas
La Palma, Canárias

A Isla Bonita das Canárias

Em 1986, Madonna Louise Ciccone lançou um êxito que popularizou a atracção exercida por uma isla imaginária. Ambergris Caye, no Belize, colheu proveitos. Do lado de cá do Atlântico, há muito que os palmeros assim veem a sua real e deslumbrante Canária.
Auroras Boreais, Laponia, Rovaniemi, Finlandia, Raposa de Fogo
Inverno Branco
Lapónia, Finlândia

Em Busca da Raposa de Fogo

São exclusivas dos píncaros da Terra as auroras boreais ou austrais, fenómenos de luz gerados por explosões solares. Os nativos Sami da Lapónia acreditavam tratar-se de uma raposa ardente que espalhava brilhos no céu. Sejam o que forem, nem os quase 30º abaixo de zero que se faziam sentir no extremo norte da Finlândia nos demoveram de as admirar.
Sombra vs Luz
Literatura
Quioto, Japão

O Templo de Quioto que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.
Cena de rua, Guadalupe, Caribe, Efeito Borboleta, Antilhas Francesas
Natureza
Guadalupe, Antilhas Francesas

Guadalupe: Um Caribe Delicioso, em Contra-Efeito Borboleta

Guadalupe tem a forma de uma mariposa. Basta uma volta por esta Antilha para perceber porque a população se rege pelo mote Pas Ni Problem e levanta o mínimo de ondas, apesar das muitas contrariedades.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
À boleia do mar
Parques Naturais
Maui, Havai

Divino Havai

Maui é um antigo chefe e herói do imaginário religioso e tradicional havaiano. Na mitologia deste arquipélago, o semi-deus laça o sol, levanta o céu e leva a cabo uma série de outras proezas em favor dos humanos. A ilha sua homónima, que os nativos creem ter criado no Pacífico do Norte, é ela própria prodigiosa.
Soufrière e Pitons, Saint Luci
Património Mundial UNESCO
Soufrière, Saint Lucia

As Grandes Pirâmides das Antilhas

Destacados acima de um litoral exuberante, os picos irmãos Pitons são a imagem de marca de Saint Lucia. Tornaram-se de tal maneira emblemáticos que têm lugar reservado nas notas mais altas de East Caribbean Dollars. Logo ao lado, os moradores da ex-capital Soufrière sabem o quão preciosa é a sua vista.
Personagens
Sósias, actores e figurantes

Estrelas do Faz de Conta

Protagonizam eventos ou são empresários de rua. Encarnam personagens incontornáveis, representam classes sociais ou épocas. Mesmo a milhas de Hollywood, sem eles, o Mundo seria mais aborrecido.
Aula de surf, Waikiki, Oahu, Havai
Praias
Waikiki, OahuHavai

A Invasão Nipónica do Havai

Décadas após o ataque a Pearl Harbor e da capitulação na 2ª Guerra Mundial, os japoneses voltaram ao Havai armados com milhões de dólares. Waikiki, o seu alvo predilecto, faz questão de se render.
Buda Vairocana, templo Todai ji, Nara, Japão
Religião
Nara, Japão

O Berço Colossal do Budismo Nipónico

Nara deixou, há muito, de ser capital e o seu templo Todai-ji foi despromovido. Mas o Grande Salão mantém-se o maior edifício antigo de madeira do Mundo. E alberga o maior buda vairocana de bronze.
Comboio do Fim do Mundo, Terra do Fogo, Argentina
Sobre Carris
Ushuaia, Argentina

Ultima Estação: Fim do Mundo

Até 1947, o Tren del Fin del Mundo fez incontáveis viagens para que os condenados do presídio de Ushuaia cortassem lenha. Hoje, os passageiros são outros mas nenhuma outra composição passa mais a Sul.
Kente Festival Agotime, Gana, ouro
Sociedade
Kumasi a Kpetoe, Gana

Uma Viagem-Celebração da Moda Tradicional Ganesa

Após algum tempo na grande capital ganesa ashanti cruzamos o país até junto à fronteira com o Togo. Os motivos para esta longa travessia foram os do kente, um tecido de tal maneira reverenciado no Gana que diversos chefes tribais lhe dedicam todos os anos um faustoso festival.
Mulheres com cabelos longos de Huang Luo, Guangxi, China
Vida Quotidiana
Longsheng, China

Huang Luo: a Aldeia Chinesa dos Cabelos mais Longos

Numa região multiétnica coberta de arrozais socalcados, as mulheres de Huang Luo renderam-se a uma mesma obsessão capilar. Deixam crescer os cabelos mais longos do mundo, anos a fio, até um comprimento médio de 170 a 200 cm. Por estranho que pareça, para os manterem belos e lustrosos, usam apenas água e arrôz.
PN Tortuguero, Costa Rica, barco público
Vida Selvagem
PN Tortuguero, Costa Rica

A Costa Rica e Alagada de Tortuguero

O Mar das Caraíbas e as bacias de diversos rios banham o nordeste da nação tica, uma das zonas mais chuvosas e rica em fauna e flora da América Central. Assim baptizado por as tartarugas verdes nidificarem nos seus areais negros, Tortuguero estende-se, daí para o interior, por 312 km2 de deslumbrante selva aquática.
Bungee jumping, Queenstown, Nova Zelândia
Voos Panorâmicos
Queenstown, Nova Zelândia

Queenstown, a Rainha dos Desportos Radicais

No séc. XVIII, o governo kiwi proclamou uma vila mineira da ilha do Sul "fit for a Queen". Hoje, os cenários e as actividades radicais reforçam o estatuto majestoso da sempre desafiante Queenstown.
PT EN ES FR DE IT