Hanói, Vietname

Sob a Ordem do Caos


Cidade sem lei
Um cruzamento auto-gerido da capital vietnamita.
Equilíbrio asiático
Vendedora de fruta percorre uma rua da cidade.
Peã dorida
Transeunte é atropelada durante uma travessia de estrada demasiado arriscada.
Barbearia ao Ar Livre
Barbeiro de rua capricha no corte de cabelo de um cliente.
Prioridade à direita e à esquerda
Veículos envelhecidos contornam uma rotunda no centro histórico de Hanoi.
Último Registo
Artesão esculpe uma lápide na sua loja.
De volta à cidade infernal
Moradores atravessam uma ponte do jardim do lago Hoam Kiem.
Repouso patriótico
Empregado de um restaurante observa a cidade apoiado à bandeira vietnamita.
Reflexo emoldurado
A imagem reflectida de uma vendedora de fruta no espelho de uma loja.
Portfólio
Vendedor exibe os seus postais com ilustrações de Hanói.
Lampiões e motociclos
Lampiões coloridos numa rua colorida da cidade.
Inverno em Hanói
Vista da zona central da capital vietnamita em redor do lago Hoam Kiem.
Ainda Ho Chi Minh
Cartaz propagandista de herança comunista louva a figura de Ho Chi-Minh
E mais Ho Chi Minh
O mausoléu que homenageia a personagem "eterna" de Ho chi-Minh, o pai da nação vietnamita.
Hanói ignora há muito os escassos semáforos, outros sinais de trânsito e os sinaleiros decorativos. Vive num ritmo próprio e numa ordem do caos inatingível pelo Ocidente.

O Inverno asiático estendeu-se ao máximo do seu limite geográfico e apesar de estarem quase 40º em Ho Chi-Minh – a 1600 km para sul de Hanói, um pouco menos em Hué –  faz um frio pouco comum na capital vietnamita.

Acabados de chegar, somos apanhados de surpresa e movemo-nos o mais rápido que conseguimos pelas ruas à procura de uma loja que nos venda agasalhos algo mais modernos que o visual pós-comunista ainda na moda por estes lados.

Malgrado o nevoeiro gélido, o dia desenrola-se como é habitual no jardim do lago Hoam Kiem (Lago da Espada Restaurada).

Inverno em Hanói

Vista da zona central da capital vietnamita em redor do lago Hoam Kiem

Grupos de idosos entregam-se a partidas intermináveis de jogos tradicionais asiáticos como o XiangQi e o Mahjong. Ou exercitam o corpo a jogar badminton ou a praticar tai-chi.

Enquanto isso, vendedores correm atrás dos visitantes do templo Ngoc Son e da ponte The Huc que lhe dá acesso. Impingem-lhes postais, guias Lonely Planet fotocopiados e pequenas peças de artesanato, por norma, fabricadas por familiares.

Portfólio, Transito de Hanoi, Sob a Ordem do Caos, Vietname

Vendedor exibe os seus postais com ilustrações de Hanói.

O Primeiro Confronto a Sério com o Caos do Trânsito de Hanói

Atravessar o jardim e o lago não nos apresenta dificuldades maiores. Já não podíamos dizer o mesmo da rua Dinh Tien Hoang, logo ao lado, e dos cruzamentos em que esta desemboca.

Motorizadas sem fim passam a toda a velocidade. Evitam com mestria as que surgem de outras ruas e no sentido oposto. Ciclistas fazem o mesmo, mais devagar.

Como as motas e as scooters, contornam os carros, o camião ocasional e os autocarros velhos que abrem caminho à força e contaminam a atmosfera urbana com descargas imensas de fumo negro.

Transito de Hanoi, Sob a Ordem do Caos, Vietname

Veículos envelhecidos contornam uma rotunda no centro histórico de Hanoi.

À parte destes veículos, as ruas de Hanói guardam ainda lugar para a eventual carroça sobrecarregada e puxada por cavalos ou por búfalos.

E para os pedestres destemidos ou inconscientes que as cruzam sem pararem, confiantes de que todos os restantes os irão evitar.

Equilíbrio asiático, Transito de Hanoi, Sob a Ordem do Caos, Vietname

Vendedora de fruta percorre uma rua da cidade.

Em Roma sê romano. No Vietname, vietnamita.

Cansamo-nos de esperar por uma aberta que teima em não aparecer. Fazemos fé na fé destes transeuntes. atiramo-nos à estrada. Tal qual Moisés mochileiros, separamos o trânsito para chegar ao outro lado.

A coisa corre-nos bem. Mas mal a uma mulher que tentava a sua sorte a apenas alguns metros.

Duas motorizadas e uma bicicleta hesitaram acerca da direcção para que se deviam desviar. No meio da atrapalhação, uma das motas derrubou-a e fê-la bater com a cabeça no chão.

Acidente, Transito de Hanoi, Sob a Ordem do Caos, Vietname

Transeunte atropelada durante uma travessia de estrada demasiado arriscada, em pleno trânsito de Hanoi

Só acidentes como estes obrigam os oficiais de trânsito a abandonar a sua inutilidade. Um deles, identificado pelo uniforme verde escuro antiquado, deixa o seu pequeno púlpito protegido.

Aparece para levantar e recompor a senhora que aparenta estar apenas levemente ferida. Solucionada a ocorrência, o polícia regressa ao seu poiso.

Avenida Hang Dao Abaixo, Por uma Profusão de Funerárias

Conquistamos o desejado acesso à longa avenida Hang Dao. Percorremo-la pressionados pela temperatura desagradável, de olho em todas as lojas e negócios que aparecem.

Em Hanói, como acontece na vizinha China, o comércio surge organizado de uma forma compartimentada. Acertamos em cheio no sector dos enterros e funerais. Passamos primeiro por dezenas de floristas concorrentes com bancas repletas de coroas garridas que os empregados refrescam.

Segue-se uma zona de fabricantes de lápides que nos retém a atenção e o passo.

Dentro de uma destas oficinas, um artesão inscreve mensagens encomendadas na lousa. Vêmo-lo cercado de placas douradas de homenagem a defuntos vietnamitas, eternizados em fotografias a cores e a preto e branco.

Último Registo, Transito de Hanoi, Sob a Ordem do Caos, Vietname

Artesão esculpe uma lápide na sua loja.

Entre outros, encontramos Lê Van Luc que faleceu em 2001 com 72 anos. Nguyen Thi Hat que morreu em 1954.

E, para nossa surpresa, Anna Duong Tu Huong, uma católica com óbito declarado em 12.3.1982, que é abençoada por várias ilustrações sacras da Nossa Senhora mas que, à falta de imagem mais credível, surge com a face temporária de Britney Spears.

Também não é o espanto que nos demove. Alguns quarteirões abaixo, damos por fim com uma área com lojas de roupa desportiva. Compramos Polartecs de qualidade razoável .

De Volta ao Caos do Âmago de Hanói

O conforto recém-adquirido e o mapa da cidade com que andamos munidos inspiram-nos a regressarmos ao centro por um caminho diferente.

Essa alternativa prenda-nos com a visão excêntrica de uma rua ocupada por barbeiros, todos eles instalados contra um muro, sob a protecção de pequenas lonas amovíveis.

Apesar de estarmos na estação mais fria do norte do Vietname, a julgar pela quantidade de cabelo acumulado no solo, o negócio vai de vento em popa. Reclama máxima dedicação de cada artista.

Barbearia, Transito de Hanoi, Sob a Ordem do Caos, Vietname

Barbeiro de rua capricha no corte de cabelo de um cliente de Hanói

De novo nas imediações do lago Hoam Kiem, o ruído do trânsito reforça-se. Um motoqueiro solitário destaca-se do lado oposto do jardim.

Durante a Guerra do Vietname, toda a era Comunista e, até há algum tempo, qualquer motorizada realizava os sonhos mais descabidos dos vietnamitas. Após a fusão do norte com o sul e da abertura do país às virtudes capitalistas – que, em parte, seguiu os moldes chineses – o poder financeiro vietnamita aumentou sobremaneira.

Como aumentaram as ambições dos vietnamitas que se atreveram a querer mais e mais. Sobre um assento largo de couro, apoiado no guiador cromado, elevado e com franjas de pele penduradas, um jovem de Hanói parece ter acabado de realizar um dos seus sonhos.

Exibe uma nova Harley Davidson à cidade, indiferente às motoretas e scooters banais que por ali passam.

O Trânsito Caótico de Hanói, Visto das Alturas

Pensamos em regressar à guest-house que nos hospeda mas, reparamos num bar instalado num terraço ao ar livre no topo de um prédio.

Tínhamos já enfrentado e vencido o caos harmonioso do trânsito de Hanói. Tínhamos também presenciado um dos seus incidentes. Estava na altura de o admirarmos e celebrarmos.

Repouso patriótico

Empregado de um restaurante observa a cidade apoiado à bandeira vietnamita, bem acima do caos de Hanói

Sem pressas, sem frio ou outro tipo de limitações, subimos às alturas comunistas do edifício. Instalamo-nos numa mesa com vista para as avenidas em frente.

Saboreamos a cerveja “Hanói” e ficamos a apreciar as motas, as bicicletas, os carros e os peões a fluirem no famoso caos ordenado da cidade.

Cidade sem lei, Transito de Hanoi, Sob a Ordem do Caos, Vietname

Um cruzamento de caos auto-gerido, de Hanói.

Hué, Vietname

A Herança Vermelha do Vietname Imperial

Sofreu as piores agruras da Guerra do Vietname e foi desprezada pelos vietcong devido ao passado feudal. As bandeiras nacional-comunistas esvoaçam sobre as suas muralhas mas Hué recupera o esplendor.
Hoi An, Vietname

O Porto Vietnamita Que Ficou a Ver Navios

Hoi An foi um dos entrepostos comerciais mais importantes da Ásia. Mudanças políticas e o assoreamento do rio Thu Bon ditaram o seu declínio e preservaram-na como as cidade mais pitoresca do Vietname.

Nha Trang-Doc Let, Vietname

O Sal da Terra Vietnamita

Em busca de litorais atraentes na velha Indochina, desiludimo-nos com a rudeza balnear de Nha Trang. E é no labor feminino e exótico das salinas de Hon Khoi que encontramos um Vietname mais a gosto.

Filipinas

Os Donos da Estrada Filipina

Com o fim da 2ª Guerra Mundial, os filipinos transformaram milhares de jipes norte-americanos abandonados e criaram o sistema de transporte nacional. Hoje, os exuberantes jeepneys estão para as curvas.
Chiang Khong - Luang Prabang, Laos

Barco Lento, Rio Mekong Abaixo

A beleza do Laos e o custo mais baixo são boa razões para navegar entre Chiang Khong e Luang Prabang. Mas esta longa descida do rio Mekong pode ser tão desgastante quanto pitoresca.
Ho Chi-Minh a Angkor, Camboja

O Tortuoso Caminho para Angkor

Do Vietname em diante, as estradas cambojanas desfeitas e os campos de minas remetem-nos para os anos do terror Khmer Vermelho. Sobrevivemos e somos recompensados com a visão do maior templo religioso
Leão, elefantes, PN Hwange, Zimbabwe
Safari
PN Hwange, Zimbabwé

O Legado do Saudoso Leão Cecil

No dia 1 de Julho de 2015, Walter Palmer, um dentista e caçador de trofeus do Minnesota matou Cecil, o leão mais famoso do Zimbabué. O abate gerou uma onda viral de indignação. Como constatamos no PN Hwange, quase dois anos volvidos, os descendentes de Cecil prosperam.
Thorong Pedi a High Camp, circuito Annapurna, Nepal, caminhante solitário
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna 12º: Thorong Phedi a High Camp

O Prelúdio da Travessia Suprema

Este trecho do Circuito Annapurna só dista 1km mas, em menos de duas horas, leva dos 4450m aos 4850m e à entrada do grande desfiladeiro. Dormir no High Camp é uma prova de resistência ao Mal de Montanha que nem todos passam.
Escadaria Palácio Itamaraty, Brasilia, Utopia, Brasil
Arquitectura & Design
Brasília, Brasil

Brasília: da Utopia à Capital e Arena Política do Brasil

Desde os tempos do Marquês de Pombal que se falava da transferência da capital para o interior. Hoje, a cidade quimera continua a parecer surreal mas dita as regras do desenvolvimento brasileiro.
Aventura
Viagens de Barco

Para Quem Só Enjoa de Navegar na Net

Embarque e deixe-se levar em viagens de barco imperdíveis como o arquipélago filipino de Bacuit e o mar gelado do Golfo finlandês de Bótnia.
Salto para a frente, Naghol de Pentecostes, Bungee Jumping, Vanuatu
Cerimónias e Festividades
Pentecostes, Vanuatu

Naghol de Pentecostes: Bungee Jumping para Homens a Sério

Em 1995, o povo de Pentecostes ameaçou processar as empresas de desportos radicais por lhes terem roubado o ritual Naghol. Em termos de audácia, a imitação elástica fica muito aquém do original.
Silhuetas Islâmicas
Cidades

Istambul, Turquia

Onde o Oriente encontra o Ocidente, a Turquia Procura um Rumo

Metrópole emblemática e grandiosa, Istambul vive numa encruzilhada. Como a Turquia em geral, dividida entre a laicidade e o islamismo, a tradição e a modernidade, continua sem saber que caminho seguir

Cacau, Chocolate, Sao Tome Principe, roça Água Izé
Comida
São Tomé e Príncipe

Roças de Cacau, Corallo e a Fábrica de Chocolate

No início do séc. XX, São Tomé e Príncipe geravam mais cacau que qualquer outro território. Graças à dedicação de alguns empreendedores, a produção subsiste e as duas ilhas sabem ao melhor chocolate.
Conversa entre fotocópias, Inari, Parlamento Babel da Nação Sami Lapónia, Finlândia
Cultura
Inari, Finlândia

O Parlamento Babel da Nação Sami

A Nação sami integra quatro países, que ingerem nas vidas dos seus povos. No parlamento de Inari, em vários dialectos, os sami governam-se como podem.
Corrida de Renas , Kings Cup, Inari, Finlândia
Desporto
Inari, Finlândia

A Corrida Mais Louca do Topo do Mundo

Há séculos que os lapões da Finlândia competem a reboque das suas renas. Na final da Kings Cup - Porokuninkuusajot - , confrontam-se a grande velocidade, bem acima do Círculo Polar Ártico e muito abaixo de zero.
Teleférico que liga Puerto Plata ao cimo do PN Isabel de Torres
Em Viagem
Puerto Plata, República Dominicana

Prata da Casa Dominicana

Puerto Plata resultou do abandono de La Isabela, a segunda tentativa de colónia hispânica das Américas. Quase meio milénio depois do desembarque de Colombo, inaugurou o fenómeno turístico inexorável da nação. Numa passagem-relâmpago pela província, constatamos como o mar, a montanha, as gentes e o sol do Caribe a mantêm a reluzir.
Banhistas em pleno Fim do Mundo-Cenote de Cuzamá, Mérida, México
Étnico
Iucatão, México

O Fim do Fim do Mundo

O dia anunciado passou mas o Fim do Mundo teimou em não chegar. Na América Central, os Maias da actualidade observaram e aturaram, incrédulos, toda a histeria em redor do seu calendário.
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Portfólio Got2Globe

A Vida Lá Fora

Mexcaltitán, Nayarit, México, do ar
História
Mexcaltitán, Nayarit, México

Uma Ilha entre o Mito e a Génese Mexicana

Mexcaltitán é uma ilha lacustre, arredondada, repleta de casario e que, durante a época das chuvas, só é transitável de barco. Crê-se ainda que possa ser Aztlán. A povoação que os Aztecas deixaram numa deambulação que terminou com a fundação de Tenochtitlan, a capital do império que os espanhóis viriam a conquistar.
Porto Santo, vista para sul do Pico Branco
Ilhas
Vereda Terra Chã e Pico Branco, Porto Santo

Pico Branco, Terra Chã e Outros Caprichos da Ilha Dourada

No seu recanto nordeste, Porto Santo é outra coisa. De costas voltadas para o sul e para a sua grande praia, desvendamos um litoral montanhoso, escarpado e até arborizado, pejado de ilhéus que salpicam um Atlântico ainda mais azul.
Auroras Boreais, Laponia, Rovaniemi, Finlandia, Raposa de Fogo
Inverno Branco
Lapónia, Finlândia

Em Busca da Raposa de Fogo

São exclusivas dos píncaros da Terra as auroras boreais ou austrais, fenómenos de luz gerados por explosões solares. Os nativos Sami da Lapónia acreditavam tratar-se de uma raposa ardente que espalhava brilhos no céu. Sejam o que forem, nem os quase 30º abaixo de zero que se faziam sentir no extremo norte da Finlândia nos demoveram de as admirar.
Baie d'Oro, Île des Pins, Nova Caledonia
Literatura
Île-des-Pins, Nova Caledónia

A Ilha que se Encostou ao Paraíso

Em 1964, Katsura Morimura deliciou o Japão com um romance-turquesa passado em Ouvéa. Mas a vizinha Île-des-Pins apoderou-se do título "A Ilha mais próxima do Paraíso" e extasia os seus visitantes.
Vulcão Teide, Tenerife, Canárias, Espanha
Natureza
Tenerife, Canárias

O Vulcão que Assombra o Atlântico

Com 3718m, El Teide é o tecto das Canárias e de Espanha. Não só. Se medido a partir do fundo do oceano (7500 m), só duas montanhas são mais pronunciadas. Os nativos guanches consideravam-no a morada de Guayota, o seu diabo. Quem viaja a Tenerife, sabe que o velho Teide está em todo o lado.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Parques Naturais
Glaciares

Planeta Azul-Gelado

Formam-se nas grandes latitudes e/ou altitudes. No Alasca ou na Nova Zelândia, na Argentina ou no Chile, os rios de gelo são sempre visões impressionantes de uma Terra tão frígida quanto inóspita.
República Dominicana, Praia Bahia de Las Águilas, Pedernales. Parque Nacional Jaragua, Praia
Património Mundial UNESCO
Laguna Oviedo a Bahia de las Águilas, República Dominicana

Em Busca da Praia Dominicana Imaculada

Contra todas as probabilidades, um dos litorais dominicanos mais intocados também é dos mais remotos. À descoberta da província de Pedernales, deslumbramo-nos com o semi-desértico Parque Nacional Jaragua e com a pureza caribenha da Bahia de las Águilas.
Personagens
Sósias, actores e figurantes

Estrelas do Faz de Conta

Protagonizam eventos ou são empresários de rua. Encarnam personagens incontornáveis, representam classes sociais ou épocas. Mesmo a milhas de Hollywood, sem eles, o Mundo seria mais aborrecido.
Mini-snorkeling
Praias
Ilhas Phi Phi, Tailândia

De regresso à Praia de Danny Boyle

Passaram 15 anos desde a estreia do clássico mochileiro baseado no romance de Alex Garland. O filme popularizou os lugares em que foi rodado. Pouco depois, alguns desapareceram temporária mas literalmente do mapa mas, hoje, a sua fama controversa permanece intacta.
Djerba Ilha da Tunísia, Amazigh e os seus camelos
Religião
Djerba, Tunísia

A Ilha Tunisina da Convivência

Há muito que a maior ilha do Norte de África acolhe gentes que não lhe resistiram. Ao longo dos tempos, Fenícios, Gregos, Cartagineses, Romanos, Árabes chamaram-lhe casa. Hoje, comunidades muçulmanas, cristãs e judaicas prolongam uma partilha incomum de Djerba com os seus nativos Berberes.
Chepe Express, Ferrovia Chihuahua Al Pacifico
Sobre Carris
Creel a Los Mochis, México

Barrancas de Cobre, Caminho de Ferro

O relevo da Sierra Madre Occidental tornou o sonho um pesadelo de construção que durou seis décadas. Em 1961, por fim, o prodigioso Ferrocarril Chihuahua al Pacifico foi inaugurado. Os seus 643km cruzam alguns dos cenários mais dramáticos do México.
Intervenção policial, judeus utraortodoxos, jaffa, Telavive, Israel
Sociedade
Jaffa, Israel

Protestos Pouco Ortodoxos

Uma construção em Jaffa, Telavive, ameaçava profanar o que os judeus ultra-ortodoxos pensavam ser vestígios dos seus antepassados. E nem a revelação de se tratarem de jazigos pagãos os demoveu da contestação.
Mulheres com cabelos longos de Huang Luo, Guangxi, China
Vida Quotidiana
Longsheng, China

Huang Luo: a Aldeia Chinesa dos Cabelos mais Longos

Numa região multiétnica coberta de arrozais socalcados, as mulheres de Huang Luo renderam-se a uma mesma obsessão capilar. Deixam crescer os cabelos mais longos do mundo, anos a fio, até um comprimento médio de 170 a 200 cm. Por estranho que pareça, para os manterem belos e lustrosos, usam apenas água e arrôz.
tunel de gelo, rota ouro negro, Valdez, Alasca, EUA
Vida Selvagem
Valdez, Alasca

Na Rota do Ouro Negro

Em 1989, o petroleiro Exxon Valdez provocou um enorme desastre ambientai. A embarcação deixou de sulcar os mares mas a cidade vitimada que lhe deu o nome continua no rumo do crude do oceano Árctico.
Napali Coast e Waimea Canyon, Kauai, Rugas do Havai
Voos Panorâmicos
NaPali Coast, Havai

As Rugas Deslumbrantes do Havai

Kauai é a ilha mais verde e chuvosa do arquipélago havaiano. Também é a mais antiga. Enquanto exploramos a sua Napalo Coast por terra, mar e ar, espantamo-nos ao vermos como a passagem dos milénios só a favoreceu.
PT EN ES FR DE IT