Matmata, Tataouine:  Tunísia

A Base Terrestre da Guerra das Estrelas


Tatooine na Terra
Habitantes berberes do ksar Douiret contemplam o cenário extraterrestre do deserto em redor durante uma tempestade de areia.
A Força vs A Classe
Tunisino de smoking cruza o hotel Sidi Driss, desfasado do visual intergaláctico herdado do décor da propriedade da família Lars no planeta Tatooine.
Num fundo troglodita
Empregado do hotel Sidi Driss atravessa um dos vários fossos trogloditas do estabelecimento, terroso como nunca devido a chuvas recentes.
Alturas Fortificadas de Douiret
A colina íngreme em que se instalou o ksar Douiret, um de tantos nos arredores de Tataouine, (a povoação com o nome adaptado por George Lucas).
Descanso solarengo
Mulher berbere repousa à entrada de um dos compartimentos trogloditas do hotel Sidi Driss usado para servir refeições aos hóspedes.
Clones Berberes
Anciãos berberes em jelabas tradicionais alinham-se e confrontam-se durante uma exibição cultural do Festival dos Ksours
A Força (de braços)
Trabalhador carregado com uma grade de bebidas cruza o pátio do fosso troglodita que o hotel Sidi Driss adaptou a restaurante.
Exército Terráqueo
Uma comitiva de anciãos berberes desce uma encosta desértica nos arredores de Tataouine.
Um Cenário Extraterrestre
Paisagem excêntrica de mesetas e do céu tingidos de vermelho pela acção de tempestades de areia no deserto do Saara, a sul de Tataouine.
Por razões de segurança, o planeta Tatooine de "O Despertar da Força" foi filmado em Abu Dhabi. Recuamos no calendário cósmico e revisitamos alguns dos lugares tunisinos com mais impacto na saga.  

Passeamos pelo coração da fazenda produtora de humidade da família Lars.

Não encontramos sinal de Luke Skywalker nem de nenhum outro membro do vasto clã que habitava desde há muito aquelas paragens imaginárias.

São humanos reais – tanto nativos e residentes como vindos de longe – os que vemos em redor e no fundo das muitas cavernas escavadas no solo arenoso a sudeste do oásis de Gabes, não na Grande Planície imaginária de Sal de Chott, nem nas terras desoladas e fictícias de Jundland.

Também foi só no ecrã que esta quinta em que Luke Skywalker cresceu até aos 19 anos, criado por Owen e Beru, foi queimada pelo Império Galáctico quando o seu exército buscava os droids C-3PO e R2-D2.

Estamos em Matmata, uma cidade troglodita real e hoje tunisina e em que, tal como há milhares de anos, mais de 6.000 mil terráqueos empregam estas concavidades como seus lares, silos, armazéns e até negócios.

O Covil Terráqueo e Tunisino de Matmata

Circundamos cinco fossos redondos. Espreitamos para dentro com cuidado redobrado para evitarmos cair para o fundo. Nos dias que correm, o complexo filmado como casa dos Lars é o hotel de Sidi Driss.

Quatro destes fossos abrigam quartos espartanos. O quinto faz de restaurante. Abriga e serve viajantes entusiasmados pela excentricidade do estabelecimento e dos cenários da região, em particular por aqueles seleccionados pela equipa de George Lucas para ilustrar Tatooine, o primeiro planeta do sistema solar binário Tatoo.

Um astro bem mais ressequido e peculiar que a paisagem que o inspirou.

A base deste quarto buraco argiloso está caiada e pintada de anil. Foi dotada de janelos e portas ogivais ou redondas distribuídas pela circunferência. Ouvimos gritos abafados provenientes ora de umas ora de outras.

Nada que se equipare ao som do sabre de laser do protagonista de Guerra das Estrelas ou das armas futuristas com que os seus inimigos e aliados se confrontavam.

A Realidade Agora Apenas Restaurante de Sidi Driss

Em vez, empregados de mesa lutam contra o tempo e os patrões. Atravessam o pátio terroso atrasados e apressados, com tabuleiros cheios de comida e bebidas. Ou, no sentido inverso, das louças que os acomodavam.

A ausência de referências da saga está, todavia, longe se ser total. Um respiradouro branco conserva um disco dourado com design espacial. Várias molduras de portas preservam estranhas ranhuras modulares. Ambos os itens foram herdados das filmagens.

Após o primeiro filme “Uma Nova Esperança”, o décor foi todo removido. Em 2000, a sequela “Ataque dos Clones” obrigou à reconstrução de grande parte.

Hoje, sejam ou não fãs, os hóspedes ou visitantes do hotel almoçam ou jantam com uma sensação nem que seja ligeira de que fazem parte da saga. Como vemos acontecer vezes sem conta, fotografam-se a emular as cenas mais emblemáticas da epopeia sideral.

O Culto Obsessivo dos Fãs da Guerra das Estrelas

Segundo nos conta Raisha, uma guia local, alguns dos seus adictos não se contentam com tão pouco: “Há uns tempos, soubemos por cá que um grupo criou um fundo para recuperar o exterior da fazenda dos Lars! Reuniram quase 15 mil dólares!“ informa-nos ainda, incrédula pelo valor exorbitante que mereceu aquele iglô perdido num nenhures desértico de Chott El Jerid.

O iglô foi destruído após a filmagem da primeira trilogia, reconstruído para o “Ataque dos Clones” e “A Vingança de Sith” e, logo, abandonado à erosão.

“Não só angariaram o dinheiro como vieram cá uns cinco ou seis amigos salvadores em excursão. Só voltaram depois de o reconstruir.

Mais tarde, apresentaram o projecto, todos contentes, na Alemanha, parte de uma efeméride qualquer da “Guerra das Estrelas” e ainda lançaram um livro a descrever tudo.”

De Matmata a Tataouine. E de Tataouine à Tatouine da Guerra das Estrelas

Aproveitamos a relativa proximidade. No dia seguinte, vamos até Tataouine onde já começara um festival étnico e cultural emblemático da Tunisia, o dos Ksour. Quando chegamos, a zona estava sob uma tempestade de areia. Mantinha-se envolta de uma atmosfera algo marciana, ocre, poeirenta, bem mais húmida do que é suposto num deserto.

George Lucas e os seus colaboradores poderão não ter tido a mesma sorte – ou azar, consoante o ponto de vista – fosse como fosse, os cenários extraterrestres de Tataouine inspiraram de tal forma o realizador que este tomou o seu nome de empréstimo para a saga.

O nome e não só.

Numa visita aos arredores da cidade, a visão inesperada dos ksour, celeiros fortificados de areia compacta. Admiramo-los projectados do solo, divididos em diversas ghorfas (células armazenadoras) revelaram-se modelos perfeitos para a ala dos escravos do porto espacial de Mos Espa, lar de Anakin e de Shmi Skywalker, em grande destaque no primeiro episódio, “A Ameaça Fantasma”.

Um marco histórico escrito em rodês (um dos vários dialectos a fingir dos povos em conflito) proclamava à entrada deste lugar modular e obscuro: “Forjámos esta cidade sob o calor de sóis gémeos, em memória dos nossos antepassados, em honra dos nossos clãs vivos e pela esperança das nossas crianças por nascer.”

A Atmosfera Berber e Desértica que Inspirou os Cenários da Guerra das Estrelas

Os berberes de Tataouine são pouco dados a publicitar escritos assim pomposos. Quando entramos no ksar Ouled Soultane decorre a visita de um político de Tunes e os anciãos de diversas tribos participam num convívio banqueteado.

Numa dimensão real, terrestre e fortemente fotogénica, a sua mera presença reveste-se de um simbolismo análogo ao do marco de Mos Espa.

Observamos a beleza secular e exótica das suas jilabas brancas, amareladas pelo tempo. Indagamo-nos se, com certa influência nipónica (dos quimonos) à mistura, não teriam iluminado a criação de várias das vestes sui generis da Guerra das Estrelas.

Nos últimos dias deste périplo, mudamo-nos para a ilha mediterrânica de Djerba, a maior ao largo do norte de África, em que se diz que Ulisses e os seus companheiros da Odisseia desembarcaram. E de que os últimos não queriam mais partir, deliciados com aquela espécie de oásis flutuante e com as suas infindáveis frutas suculentas.

Em Djerba, deixamo-nos perder nas ruelas e no mercado agitado da capital Houmt Souk. Em redor, passamos por povoações campestres embelezadas por inúmeros menzeles, casas tradicionais em parte abobadadas, cercadas de oliveiras e palmeiras, em jeito de monte alentejano berbere.

Ao investigar este outro reduto da Tunísia, George Lucas e a sua equipa repararam – como também nós reparámos – na abundância de burros que os camponeses e pescadores carregavam com de tudo um pouco.

Ora, não terá sido coincidência que o animal de carga de eleição de Tatooine se chamasse jerba. Tão excêntricas quanto úteis, estas criaturas tinham um pelo longo e desgrenhado. Forneciam leite, couro e o seu pelo. Eram criadas pelos bem mais esdrúxulos Pacithhips. E por Swilla Corey, uma humana loura nascida escrava, carteirista em part-time.

Em Djerba, ainda espreitamos o edifício que deu origem à cabana de retiro de Obi-Wan Kenobi e outros usados em cenas passadas em Mos Eisley, um segundo porto espacial que mereceu que Obi-Wan Kenobi alertasse Luke Skywalker de que “nunca encontraria um antro mais desprezível de escumalha e de vilãos”.

A Djerba real deixa-nos nas mentes uma imagem contrária, de honestidade, tranquilidade e de harmonia.

Fãs contidos como sempre fomos, por essa altura, apreciávamos melhor que nunca a riqueza perversa da imaginação de George Lucas.

Tínhamos bem presente que a Terra era uma coisa, Tatooine era outra.

Chefchouen a Merzouga, Marrocos

Marrocos de Cima a Baixo

Das ruelas anis de Chefchaouen às primeiras dunas do Saara revelam-se, em Marrocos, os contrastes bem marcados das primeiras terras africanas, como sempre encarou a Ibéria este vasto reino magrebino.
Tataouine, Tunísia

Festival dos Ksour: Castelos de Areia que Não Desmoronam

Os ksour foram construídos como fortificações pelos berberes do Norte de África. Resistiram às invasões árabes e a séculos de erosão. O Festival dos Ksour presta-lhes, todos os anos, uma devida homenagem.
Djerba, Tunísia

A Ilha Tunisina da Convivência

Há muito que a maior ilha do Norte de África acolhe gentes que não lhe resistiram. Ao longo dos tempos, Fenícios, Gregos, Cartagineses, Romanos, Árabes chamaram-lhe casa. Hoje, comunidades muçulmanas, cristãs e judaicas prolongam uma partilha incomum de Djerba com os seus nativos Berberes.
Erriadh, Djerba, Tunísia

Uma Aldeia Feita Galeria de Arte Fugaz

Em 2014, uma povoação djerbiana milenar acolheu 250 pinturas murais realizadas por 150 artistas de 34 países. As paredes de cal, o sol intenso e os ventos carregados de areia do Saara erodem as obras de arte. A metamorfose de Erriadh em Djerbahood renova-se e continua a deslumbrar.
Chebika, Tamerza, Mides, Tunísia

Onde o Saara Germina da Cordilheira do Atlas

Chegados ao limiar noroeste de Chott el Jérid, o grande lago de sal revela-nos o término nordeste da cordilheira do Atlas. As suas encostas e desfiladeiros ocultam quedas d’água, torrentes sinuosas de palmeiras, aldeias abandonadas e outras inesperadas miragens.
Ras R’mal, Djerba, Tunísia

A Ilha dos Flamingos de que os Piratas se Apoderaram

Até há algum tempo, Ras R’mal era um grande banco de areia, habitat de uma miríade de aves. A popularidade internacional de Djerba transformou-a no covil de uma operação turística inusitada.
Rinoceronte, PN Kaziranga, Assam, Índia
Safari
PN Kaziranga, Índia

O Baluarte dos Monocerontes Indianos

Situado no estado de Assam, a sul do grande rio Bramaputra, o PN Kaziranga ocupa uma vasta área de pântano aluvial. Lá se concentram dois terços dos rhinocerus unicornis do mundo, entre em redor de 100 tigres, 1200 elefantes e muitos outros animais. Pressionado pela proximidade humana e pela inevitável caça furtiva, este parque precioso só não se tem conseguido proteger das cheias hiperbólicas das monções e de algumas polémicas.
Jovens percorrem a rua principal de Chame, Nepal
Annapurna (circuito)
Circuito Annapurna: 1º - Pokhara a ChameNepal

Por Fim, a Caminho

Depois de vários dias de preparação em Pokhara, partimos em direcção aos Himalaias. O percurso pedestre só o começamos em Chame, a 2670 metros de altitude, com os picos nevados da cordilheira Annapurna já à vista. Até lá, completamos um doloroso mas necessário preâmbulo rodoviário pela sua base subtropical.
Luderitz, Namibia
Arquitectura & Design
Lüderitz, Namibia

Wilkommen in Afrika

O chanceler Bismarck sempre desdenhou as possessões ultramarinas. Contra a sua vontade e todas as probabilidades, em plena Corrida a África, o mercador Adolf Lüderitz forçou a Alemanha assumir um recanto inóspito do continente. A cidade homónima prosperou e preserva uma das heranças mais excêntricas do império germânico.
Pleno Dog Mushing
Aventura
Seward, Alasca

O Dog Mushing Estival do Alasca

Estão quase 30º e os glaciares degelam. No Alasca, os empresários têm pouco tempo para enriquecer. Até ao fim de Agosto, o dog mushing não pode parar.
A Crucificação em Helsínquia
Cerimónias e Festividades
Helsínquia, Finlândia

Uma Via Crucis Frígido-Erudita

Chegada a Semana Santa, Helsínquia exibe a sua crença. Apesar do frio de congelar, actores pouco vestidos protagonizam uma re-encenação sofisticada da Via Crucis por ruas repletas de espectadores.
Rua de São Pedro Atacama, Chile
Cidades
San Pedro de Atacama, Chile

São Pedro de Atacama: a Vida em Adobe no Mais Árido dos Desertos

Os conquistadores espanhóis tinham partido e o comboio desviou as caravanas de gado e nitrato. San Pedro recuperava a paz mas uma horda de forasteiros à descoberta da América do Sul invadiu o pueblo.
jovem vendedora, nacao, pao, uzbequistao
Comida
Vale de Fergana, Usbequistão

Uzbequistão, a Nação a Que Não Falta o Pão

Poucos países empregam os cereais como o Usbequistão. Nesta república da Ásia Central, o pão tem um papel vital e social. Os Uzbeques produzem-no e consomem-no com devoção e em abundância.
Celebração Nahuatl
Cultura

Cidade do México, México

Alma Mexicana

Com mais de 20 milhões de habitantes numa vasta área metropolitana, esta megalópole marca, a partir do seu cerne de zócalo, o pulsar espiritual de uma nação desde sempre vulnerável e dramática.

Natação, Austrália Ocidental, Estilo Aussie, Sol nascente nos olhos
Desporto
Busselton, Austrália

2000 metros em Estilo Aussie

Em 1853, Busselton foi dotada de um dos pontões então mais longos do Mundo. Quando a estrutura decaiu, os moradores decidiram dar a volta ao problema. Desde 1996 que o fazem, todos os anos. A nadar.
Vendedores de fruta, Enxame, Moçambique
Em Viagem
Enxame, Moçambique

Área de Serviço à Moda Moçambicana

Repete-se em quase todas as paragens em povoações de Moçambique dignas de aparecer nos mapas. O machimbombo (autocarro) detém-se e é cercado por uma multidão de empresários ansiosos. Os produtos oferecidos podem ser universais como água ou bolachas ou típicos da zona. Nesta região a uns quilómetros de Nampula, as vendas de fruta eram sucediam-se, sempre bastante intensas.
Camponesa, Majuli, Assam, India
Étnico
Majuli, Índia

Uma Ilha em Contagem Decrescente

Majuli é a maior ilha fluvial da Índia e seria ainda uma das maiores à face da Terra não fosse a erosão do rio Bramaputra que há séculos a faz diminuir. Se, como se teme, ficar submersa dentro de vinte anos, mais que uma ilha, desaparecerá um reduto cultural e paisagístico realmente místico do Subcontinente.
luz solar fotografia, sol, luzes
Portfólio Fotográfico Got2Globe
Luz Natural (Parte 2)

Um Sol, tantas Luzes

A maior parte das fotografias em viagem são tiradas com luz solar. A luz solar e a meteorologia formam uma interacção caprichosa. Saiba como a prever, detectar e usar no seu melhor.
Nelson Dockyards, Docas de Antigua,
História
English Harbour, Antigua

Docas de Nelson: a Antiga Base Naval e Morada do Almirante

No século XVII, já os ingleses disputavam o controle das Caraíbas e do comércio do açúcar com os seus rivais coloniais, apoderaram-se da ilha de Antígua. Lá se depararam com uma enseada recortada a que chamaram English Harbour. Tornaram-na um porto estratégico que também abrigou o idolatrado oficial da marinha.
Cena de rua, Guadalupe, Caribe, Efeito Borboleta, Antilhas Francesas
Ilhas
Guadalupe, Antilhas Francesas

Guadalupe: Um Caribe Delicioso, em Contra-Efeito Borboleta

Guadalupe tem a forma de uma mariposa. Basta uma volta por esta Antilha para perceber porque a população se rege pelo mote Pas Ni Problem e levanta o mínimo de ondas, apesar das muitas contrariedades.
Corrida de Renas , Kings Cup, Inari, Finlândia
Inverno Branco
Inari, Finlândia

A Corrida Mais Louca do Topo do Mundo

Há séculos que os lapões da Finlândia competem a reboque das suas renas. Na final da Kings Cup - Porokuninkuusajot - , confrontam-se a grande velocidade, bem acima do Círculo Polar Ártico e muito abaixo de zero.
Baie d'Oro, Île des Pins, Nova Caledonia
Literatura
Île-des-Pins, Nova Caledónia

A Ilha que se Encostou ao Paraíso

Em 1964, Katsura Morimura deliciou o Japão com um romance-turquesa passado em Ouvéa. Mas a vizinha Île-des-Pins apoderou-se do título "A Ilha mais próxima do Paraíso" e extasia os seus visitantes.
Garranos galopam pelo planalto acima de Castro Laboreiro, PN Peneda-Gerês, Portugal
Natureza
Castro Laboreiro, Portugal  

Do Castro de Laboreiro à Raia da Serra Peneda – Gerês

Chegamos à (i) eminência da Galiza, a 1000m de altitude e até mais. Castro Laboreiro e as aldeias em redor impõem-se à monumentalidade granítica das serras e do Planalto da Peneda e de Laboreiro. Como o fazem as suas gentes resilientes que, entregues ora a Brandas ora a Inverneiras, ainda chamam casa a estas paragens deslumbrantes.
Estátua Mãe-Arménia, Erevan, Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Parques Naturais
Circuito Annapurna: 5º - Ngawal a BragaNepal

Rumo a Braga. A Nepalesa.

Passamos nova manhã de meteorologia gloriosa à descoberta de Ngawal. Segue-se um curto trajecto na direcção de Manang, a principal povoação no caminho para o zénite do circuito Annapurna. Ficamo-nos por Braga (Braka). A aldeola não tardaria a provar-se uma das suas mais inolvidáveis escalas.
Nacionalismo Colorido
Património Mundial UNESCO
Cartagena de Índias, Colômbia

A Cidade Apetecida

Muitos tesouros passaram por Cartagena antes da entrega à Coroa espanhola - mais que os piratas que os tentaram saquear. Hoje, as muralhas protegem uma cidade majestosa sempre pronta a "rumbear".
Sósias dos irmãos Earp e amigo Doc Holliday em Tombstone, Estados Unidos da América
Personagens
Tombstone, E.U.A.

Tombstone: a Cidade Demasiado Dura para Morrer

Filões de prata descobertos no fim do século XIX fizeram de Tombstone um centro mineiro próspero e conflituoso na fronteira dos Estados Unidos com o México. Lawrence Kasdan, Kurt Russel, Kevin Costner e outros realizadores e actores hollywoodescos tornaram famosos os irmãos Earp e o duelo sanguinário de “O.K. Corral”. A Tombstone que, ao longo dos tempos tantas vidas reclamou, está para durar.
Fila Vietnamita
Praias

Nha Trang-Doc Let, Vietname

O Sal da Terra Vietnamita

Em busca de litorais atraentes na velha Indochina, desiludimo-nos com a rudeza balnear de Nha Trang. E é no labor feminino e exótico das salinas de Hon Khoi que encontramos um Vietname mais a gosto.

Rocha Dourada de Kyaikhtiyo, Budismo, Myanmar, Birmania
Religião
Monte Kyaiktiyo, Myanmar

A Rocha Dourada e em Equilíbrio de Buda

Andamos à descoberta de Rangum quando nos inteiramos do fenómeno da Rocha Dourada. Deslumbrados pelo seu equilíbrio dourado e sagrado, juntamo-nos à peregrinação já secular dos birmaneses ao Monte Kyaiktyo.
Trem do Serra do Mar, Paraná, vista arejada
Sobre Carris
Curitiba a Morretes, Paraná, Brasil

Paraná Abaixo, a Bordo do Trem Serra do Mar

Durante mais de dois séculos, só uma estrada sinuosa e estreita ligava Curitiba ao litoral. Até que, em 1885, uma empresa francesa inaugurou um caminho-de-ferro com 110 km. Percorremo-lo, até Morretes, a estação, hoje, final para passageiros. A 40km do término original e costeiro de Paranaguá.
Máquinas Bebidas, Japão
Sociedade
Japão

O Império das Máquinas de Bebidas

São mais de 5 milhões as caixas luminosas ultra-tecnológicas espalhadas pelo país e muitas mais latas e garrafas exuberantes de bebidas apelativas. Há muito que os japoneses deixaram de lhes resistir.
manada, febre aftosa, carne fraca, colonia pellegrini, argentina
Vida Quotidiana
Colónia Pellegrini, Argentina

Quando a Carne é Fraca

É conhecido o sabor inconfundível da carne argentina. Mas esta riqueza é mais vulnerável do que se imagina. A ameaça da febre aftosa, em particular, mantém as autoridades e os produtores sobre brasas.
Serengeti, Grande Migração Savana, Tanzania, gnus no rio
Vida Selvagem
PN Serengeti, Tanzânia

A Grande Migração da Savana Sem Fim

Nestas pradarias que o povo Masai diz siringet (correrem para sempre), milhões de gnus e outros herbívoros perseguem as chuvas. Para os predadores, a sua chegada e a da monção são uma mesma salvação.
Napali Coast e Waimea Canyon, Kauai, Rugas do Havai
Voos Panorâmicos
NaPali Coast, Havai

As Rugas Deslumbrantes do Havai

Kauai é a ilha mais verde e chuvosa do arquipélago havaiano. Também é a mais antiga. Enquanto exploramos a sua Napalo Coast por terra, mar e ar, espantamo-nos ao vermos como a passagem dos milénios só a favoreceu.