Colónia Pellegrini, Argentina

Quando a Carne é Fraca


Gado

Vacas aglomeradas num curral da estância Swiss Agro, em Colónia Pellegrini.

Azar automóvel

Carrinha do veterinário fica presa numa ponte a caminho da estância Swiss Agro.

Espanta-Gado

Gauchos incitam vacas para que avancem no corredor do estábulo.

Manada

Gado observa a acção dos gauchos da estância Swiss Agro.

Vacinas

Veterinário inspecciona as vacinas que mantém o mais frescas possível.

Perseguição

Gauchos da estância Swiss Agro perseguem uma vaca tresmalhada.

S.O.S.

Veterinário fala ao telefone para tentar solucionar a sua carrinha presa na ponte.

Gaucho Pablo e Perrito

Gaucho Pablo segura um cachorro.

De passagem

Gauchos atravessam uma das portas do estábulo em que trabalham.

Vacinação

Veterinário injecta mais uma vacina contra a febre aftosa.

Encurraladas

Vacas avançam em direcção a um terminal do curral em que o veterinário ministra as vacinas.

É conhecido o sabor inconfundível da carne argentina. Mas esta riqueza é mais vulnerável do que se imagina. A ameaça da febre aftosa, em particular, mantém as autoridades e os produtores sobre brasas.

Não há viagem pela América do Sul em que o procedimento não se repita e a Argentina, um dos maiores produtores de carne do mundo, tem aversão às excepções. “Buenos dias. Avanzen despacito para acá, por favor”, diz-nos com uma arrogância protocolar o oficial de serviço. Entramos no país das pampas vindos do Brasil, pela Ponte Internacional Tancredo Neves e, na fronteira, as autoridades da SENASA (Secretaria Nacional de Sanidad Agropecuária) obrigam-nos – como a quem quer que entre no país – a passar com os pneus do carro sobre os seus sagrados pedilúvios, grandes esponjas ensopadas de um líquido esterilizador. Em seguida, temos ainda que sair e fazer o mesmo às solas do calçado.

O responsável por estes cuidados redobrados e pelas longas filas de trânsito que se vão formando é um Aphtovirus altamente infeccioso que, apesar de conhecido há mais de 2000 anos, continua a disseminar a temida febre aftosa. Esta doença pode contagiar manadas de vacas inteiras em três tempos e provoca enormes perdas nas economias dos países que não se protegeram o suficiente. Na América do Sul, as epidemias têm sido recorrentes e geram rixas políticas vergonhosas sempre que os países se culpam mutuamente.

A Argentina, em particular, tem provas dadas de conhecimento de causa. Mesmo que o nome não o traduza, foi Scholein Rivenson, um doutor veterinário argentino de Gualeguaychú, província Entre Rios, que desenvolveu a primeira vacina eficaz contra a doença.

Nas semanas que se seguem, descobrimos os cenários remotos do noroeste argentino e, já em Corrientes, a zona alagada dos Esteros del Iberá, uma enorme extensão de lagoas e pauis que concorre em tamanho e riqueza de ecossistema com o pantanal brasileiro. Ali, após a beleza da paisagem e a miríade de espécies selvagens – dos caimões e jacarés às anacondas e capivaras – acaba por nos fascinar a crueza visual e a vida sedada de Colónia Pellegrini, uma aldeia pobre e alienada pelo isolamento a que foi votada nas margens da Lagoa Iberá.

Colónia Pellegrini conta apenas com algumas habitações térreas (algures entre a vivenda e o trailer), e uma ou outra mercearia quase sem provisões. Mas além da lagoa que atrai turistas e biólogos de todo o mundo, está cercada por estancias criadoras de gado que dão emprego a centenas de gaúchos algo deslocados da vastidão pampenha que tem início algumas centenas de quilómetros para sul.

Os quarenta milhões de argentinos compõem uma das populações que mais carne vermelha consome à face da Terra, para o que muito contribuem as famosas parrilladas, realizadas a toda a hora, por todo o país. Mas são também uma das principais nações exportadoras do produto, razões de sobra para – após os controlos fronteiriços iniciais – as manadas de gado de La Quiaca (na fronteira com a Bolívia) a Ushuaia (cidade mais a sul do mundo, capital da Terra do Fogo) serem frequentemente submetidas a medidas de prevenção.  

Ficamos hospedados nas imediações de Colónia Pellegrini. Após repetidas incursões madrugadoras de barco na vastidão inundada, a dona da Pousada de La Laguna suspeita que nos agradaria uma mudança drástica de planos e pergunta-nos se queremos acompanhar uma vacinação de vacas. A experiência não é de todo exótica para quem, como nós, teve o privilégio de viver o interior de Portugal mas a atmosfera selvagem-rural daquela região retirada da Argentina e a possibilidade de convivermos com um grupo genuíno de gaúchos em pleno trabalho de campo provam-se privilégios irrecusáveis. Aceitamos, de imediato, e, na manhã seguinte, entramos na carrinha do capataz da pousada que nos leva em direcção à estancia Swiss Agro, onde é esperado o veterinário. Encontramo-lo mais cedo do que contávamos, a caminho da quinta e em apuros.

El Doctor ainda não encontrou explicação para o fenómeno mas parece ser sempre assim: quanto mais tenta fazer render o tempo, pior lhe correm os dias. Faltavam-lhe quatro visitas até ao pôr-do-sol quando a tábua de uma das várias pequenas pontes que tinha que atravessar pelo caminho cedeu deixando-lhe a pick up presa ao estrado e as vacinas em risco de sobreaquecimento. O acidente faz parar quem passa mas, apesar de sucessivas tentativas solidárias de libertação do veículo, só um tractor ferrugento trazido mais tarde do pueblo resolve a encrenca.

Quando chega ao rancho, atrasado e irritado, o veterinário encontra tudo a postos para dar início à vacinação e o humor dos gaúchos residentes depressa lhe devolve a boa disposição: “Calma doctor!! Asi los animales se ponen nerviosos!”.

Estamos a entrar no pico do Verão do hemisfério sul e fazem mais de quarenta graus. Como se não bastasse, as movimentações do gado levantam nuvens de pó que invadem os olhos e o nariz e se agarram ao suor. O desconforto faz parte do quotidiano destes cowboys da pampa que o tentam aliviar usando chapéus, cintos e chiripás (saiotes) típicos de couro combinados com camisas leves e claras e lenços azuis. As suas vidas são passadas a cavalo e debaixo do sol e da chuva mas, apesar de o procurarem disfarçar, acabam por nos confessar que, entre todas as tarefas, é com as repetitivas vacinações que mais embirram.

A esforço, agrupam e conduzem as vacas dos currais para um corredor que as aperta e imobiliza numa espécie de espartilho de madeira. Ali, a um ritmo maquinal, o veterinário espeta a enorme seringa em dorso atrás de dorso e renova as doses mantendo uma contagem precisa das cabeças de gado imunizadas. São seiscentas e vinte na Swiss Agro, e a tarefa dura duas horas. Segundo a sua estimativa, uma das estancias programadas terá que ficar para a manhã seguinte. Não é nada que não lhe aconteça com frequência mas, desta vez, o atraso impõe-lhe um árduo castigo. Em vez de regressar a Posadas, como planeado, terá que pernoitar na isolada Colónia Pellegrini.

Apesar dos contratempos, a tarefa e o dever estão cumpridos e os gaúchos recuperam da correria enquanto a poeira levantada pelos animais assenta. Um deles, o sempre sorridente Pablo, descontrai a brincar com um cachorro da estancia sob o olhar indiferente dos companheiros.

El Doctor sai de cena com pompa e circunstância, enaltecendo as virtudes do seu trabalho. “Muy bién. Estas ya quedaran protegidas”. No se si saben, pêro solo en el Reino Unido, en 2001, la fiebre aftosa ha matado más de 6.000.000 de animales. Han perdido quasi 18 mil milliones de dólares. Imaginense eso acá en Argentina…”

Esteros del Iberá, Argentina

O Pantanal das Pampas

No mapa mundo, para sul do famoso pantanal brasileiro, surge uma região alagada pouco conhecida mas quase tão vasta e rica em biodiversidade. A expressão guarani Y berá define-a como “águas brilhantes”. O adjectivo ajusta-se a mais que à sua forte luminância.

El Calafate, Argentina

Os Novos Gaúchos da Patagónia

Em redor de El Calafate, em vez dos habituais pastores a cavalo, cruzamo-nos com gaúchos criadores equestres e com outros que exibem para gáudio dos visitantes, a vida tradicional das pampas douradas.

Salta e Jujuy, Argentina

Nas Terras Altas da Argentina Profunda

Um périplo pelas províncias de Salta e Jujuy leva-nos a desvendar um país sem sinal de pampas. Sumidos na vastidão andina, estes confins do Noroeste da Argentina também se perderam no tempo.

Viti Levu, Fiji

Velhos Passatempos de Fiji: Canibalismo e Cabelo

Durante 2500 anos, a antropofagia fez parte do quotidiano de Fiji. Nos séculos mais recentes, a prática foi adornada por um fascinante culto capilar. Por sorte, só subsistem vestígios da última moda.

Ilha do Marajó, Brasil

A Ilha dos Búfalos

Uma embarcação que transportava búfalos da Índia terá naufragado na foz do rio Amazonas. Hoje, a ilha de Marajó que os acolheu tem a maior manada bubalina e o Brasil já não passa sem estes bovídeos.

Misiones, Argentina

Missões Impossíveis

No séc. XVIII, os jesuítas expandiam um domínio religioso no coração da América do Sul em que convertiam os indígenas guarani. Mas as Coroas Ibéricas arruinaram a utopia tropical da Companhia de Jesus

Lenha à Pressa
Arquitectura & Design
Ketchikan, Alasca

Aqui Começa o Alasca

A realidade passa despercebida a boa parte do mundo, mas existem dois Alascas. Em termos urbanos, o estado é inaugurado no sul do seu oculto cabo de frigideira, uma faixa de terra separada dos restantes E.U.A. pelo litoral oeste do Canadá. Ketchikan, é a mais meridional das cidades alasquenses, a sua Capital da Chuva e a Capital Mundial do Salmão.
Totens tribais
Aventura

Malekula, Vanuatu

Canibalismo de Carne e Osso

Até ao início do século XX, os comedores de homens ainda se banqueteavam no arquipélago de Vanuatu. Na aldeia de Botko descobrimos porque os colonizadores europeus tanto receavam a ilha de Malekula

A galope
Cerimónias e Festividades
Jaisalmer, Índia

Há Festa no Deserto do Thar

Mal o curto Inverno parte, Jaisalmer entrega-se a desfiles, a corridas de camelos e a competições de turbantes e de bigodes. As suas muralhas, ruelas e as dunas em redor ganham mais cor que nunca. Durante os três dias do evento, nativos e forasteiros assistem, deslumbrados, a como o vasto e inóspito Thar resplandece afinal de vida.
Para diante
Cidades

Acra, Gana

A Cidade que Nasceu no Berço da Costa do Ouro

Do desembarque dos navegadores portugueses à independência em 1957, sucederam-se as potências que dominaram a região do Golfo da Guiné. Após o século XIX, Acra, a actual capital do Gana, instalou-se em redor de três fortes coloniais erguidos pela Grã-Bretanha, Holanda e Dinamarca. Nesse tempo, cresceu de mero subúrbio até uma das megalópoles mais pujantes de África.

Comodidade até na Natureza
Comida

Tóquio, Japão

O Império das Máquinas de Bebidas

São mais de 5 milhões as caixas luminosas ultra-tecnológicas espalhadas pelo país e muitas mais latas e garrafas exuberantes de bebidas apelativas. Há muito que os japoneses deixaram de lhes resistir.

Cultura
Cemitérios

A Última Morada

Dos sepulcros grandiosos de Novodevichy, em Moscovo, às ossadas maias encaixotadas de Pomuch, na província mexicana de Campeche, cada povo ostenta a sua forma de vida. Até na morte.
Sol nascente nos olhos
Desporto

Busselton, Austrália

2000 metros em Estilo Aussie

Em 1853, Busselton foi dotada de um dos pontões então mais longos do Mundo. Quando a estrutura decaiu, os moradores decidiram dar a volta ao problema. Desde 1996 que o fazem, todos os anos, a nadar.

Las Cuevas
Em Viagem

Mendoza, Argentina

De Um Lado ao Outro dos Andes

Saída da Mendoza cidade, a ruta N7 perde-se em vinhedos, eleva-se ao sopé do Monte Aconcágua e cruza os Andes até ao Chile. Poucos trechos transfronteiriços revelam a imponência desta ascensão forçada

Deserto (Pouco) Branco
Étnico
Deserto Branco, Egipto

O Atalho Egípcio para Marte

Numa altura em que a conquista do vizinho do sistema solar se tornou uma obsessão, uma secção do leste do Deserto do Sahara abriga um vasto cenário afim. Em vez dos 150 a 300 dias que se calculam necessários para atingir Marte, descolamos do Cairo e, em pouco mais de três horas, damos os primeiros passos no Oásis de Bahariya. Em redor, quase tudo nos faz sentir sobre o ansiado Planeta Vermelho.
Luminosidade caprichosa no Grand Canyon
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
Céu Divinal
História

Monte Sinai, Egipto

Força nas Pernas e Fé em Deus

Moisés recebeu os Dez Mandamentos no cume do Monte Sinai e revelou-os ao povo israelita. Hoje, centenas de peregrinos vencem, todas as noites, os 4000 degraus daquela dolorosa mas mística ascensão.

Arranha-céus maltês
Ilhas
Valletta, Malta

As Capitais Não se Medem aos Palmos

Por altura da sua fundação, a Ordem dos Cavaleiros Hospitalários apodou-a de "a mais humilde". Com o passar dos séculos, o título deixou de lhe servir. Em 2018, Valletta foi a Capital Europeia da Cultura mais exígua de sempre e uma das mais recheadas de história e deslumbrantes de que há memória.
Doca gelada
Inverno Branco

Ilha Hailuoto, Finlândia

Um Refúgio no Golfo de Bótnia

Durante o Inverno, Hailuoto está ligada à restante Finlândia pela maior estrada de gelo do país. A maior parte dos seus 986 habitantes estima, acima de tudo, o distanciamento que a ilha lhes concede.

Sombra vs Luz
Literatura

Quioto, Japão

O Templo que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.

Via caribenha
Natureza
Overseas Highway, E.U.A.

A Alpondra Caribenha dos E.U.A.

Os Estados Unidos continentais parecem encerrar-se, a sul, na sua caprichosa península da Flórida. Não se ficam por aí. Mais de cem ilhas de coral, areia e mangal formam uma excêntrica extensão tropical que há muito seduz os veraneantes norte-americanos.
Filhos da Mãe-Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Fila chilena
Parques Naturais

Pucón, Chile

A Brincar com o Fogo

Pucón abusa da confiança da natureza e prospera no sopé da montanha Villarrica.Seguimos este mau exemplo por trilhos gelados e conquistamos a cratera de um dos vulcões mais activos da América do Sul.

Um rasto na madrugada
Património Mundial Unesco
Damaraland, Namíbia

Namíbia On the Rocks

Centenas de quilómetros para norte de Swakopmund, muitos mais das dunas emblemáticas de Sossuvlei, Damaraland acolhe desertos entrecortados por colinas de rochas avermelhadas, a maior montanha e a arte rupestre decana da jovem nação. Os colonos sul-africanos baptizaram esta região em função dos Damara, uma das etnias da Namíbia. Só estes e outros habitantes comprovam que fica na Terra.
Personagens
Sósias, actores e figurantes

Estrelas do Faz de Conta

Protagonizam eventos ou são empresários de rua. Encarnam personagens incontornáveis, representam classes sociais ou épocas. Mesmo a milhas de Hollywood, sem eles, o Mundo seria mais aborrecido.
Pura Vida em risco
Praia

Montezuma, Costa Rica

Um Recanto Abnegado da Costa Rica

A partir dos anos 80, Montezuma acolheu uma comunidade cosmopolita de artistas, ecologistas, pós-hippies, de adeptos da natureza e do famoso deleite costariquenho. Os nativos chamam-lhe Montefuma.

Via Conflituosa
Religião

Jerusalém, Israel

Pelas Ruas Beliciosas da Via Dolorosa

Em Jerusalém, enquanto percorrem o caminho de Cristo para a cruz, os crentes mais sensíveis apercebem-se de como a paz do Senhor é difícil de alcançar nas ruelas mais disputadas à face da Terra.

À pendura
Sobre carris

São Francisco, E.U.A.

Uma Vida aos Altos e Baixos

Um acidente macabro com uma carroça inspirou a saga dos cable cars de São Francisco. Hoje, estas relíquias funcionam como uma operação de charme da cidade do nevoeiro mas também têm os seus riscos.

Viagem no Tempo
Sociedade

Samoa Ocidental

Em Busca do Tempo Perdido

Durante 121 anos, foi a última nação na Terra a mudar de dia. Mas, Samoa percebeu que as suas finanças ficavam para trás e, no fim de 2012, decidiu voltar para Oeste da Linha Internacional de Data.

Vida Quotidiana
Enxame, Moçambique

Área de Serviço à Moda Moçambicana

Repete-se em quase todas as paragens em povoações de Moçambique dignas de aparecer nos mapas. O machimbombo (autocarro) detém-se e é cercado por uma multidão de empresários ansiosos. Os produtos oferecidos podem ser universais como água ou bolachas ou típicos da zona. Nesta região a uns quilómetros de Nampula, as vendas de fruta eram sucediam-se, sempre bastante intensas.
Glaciar Meares
Vida Selvagem

Prince William Sound, Alasca

Alasca Colossal

Encaixado contra as montanhas Chugach, Prince William Sound abriga alguns dos cenários descomunais do 49º estado. Nem sismos poderosos nem uma maré negra devastadora afectaram o seu esplendor natural.

Os sounds
Voos Panorâmicos

The Sounds, Nova Zelândia

Os Fiordes dos Antipodas

Um capricho geológico fez da região de Fiordland a mais crua e imponente da Nova Zelândia. Ano após anos, muitos milhares de visitantes veneram o subdomíno retalhado entre Te Anau e o Mar da Tasmânia.