Apia, Samoa Ocidental

A Anfitriã do Pacífico do Sul


Cabana de Brando

Um sinal distingue a fale em que Marlon Brando se alojou no hotel Aggie Grey.

Sucessão

Marina Grey, nora de Aggie exibe os seus dotes nas danças polinésias durante uma noite de fia fia.

Folclore Polinésio

Noite de festa fia fia no hotel Aggie Grey's de Apia.

Sensualidade Samoana

Jovem dançarina encanta o público da noite fia fia com movimentos rápidos e exuberantes de ancas.

Hotel Aggie Grey

Fachada do hotel fundado por Aggie Grey no litoral de Apia.

Ao largo

Cruzeiro ancorado numa doca em frente do hotel Aggie Grey's.

Dança Acelerada

Dançarinos levam a cabo coreografias samoanas durante uma noite de fia fia do hotel Aggie Grey's.

Memórias

Aggie Grey segura o argumento de "Ao Sul do Pacífico", o musical em que terá inspirado a personagem de Bloody Mary.

Fogo Rápido

Jovem exibe uma outra dança com chamas, à beira da piscina do hotel Aggie Grey's.

Pose polinésia

Rapariga da ilha de Upolu em pose durante uma das danças da noite de fia-fia.

Em sincronia

Grupos de dançarinos actua perante um público formado essencialmente de hóspedes do hotel.

Vendeu burgers aos GI’s na 2ª Guerra Mundial e abriu um hotel que recebeu Marlon Brando e Gary Cooper. Aggie Grey faleceu em 1988 mas o seu legado de acolhimento perdura no Pacífico do Sul.

Quase todos os dias ou várias vezes por dia, Upolu é irrigada por bátegas fulminantes. A tarde tinha entrado perfeita mas, como noutros dias, voltámos a ser apanhados sem refúgio pela dinâmica meteorológica e por uma chuva morna que nos deixou ensopados. Foi, assim, com prazer que regressámos aos aposentos base, para duches prolongados e mudança de roupa.

Nessa noite, estávamos convidados para assistir à fia fia (festa/banquete samoano) do hotel Aggie Grey’s. Talvez devido à sagrada humildade polinésia, os responsáveis pela promoção de Samoa tinham-se esquecido de nos explicar onde nos iam alojar. Aos poucos, muito graças a um livro de capa dura que encontrámos no quarto e à internet que só apanhamos à varanda, lá nos inteiramos da importância histórica daquele lugar e da família que o fundou.

Agnes Genevieve Swann, nasceu, em 1897, em Upolu. Era a segunda filha de William Swann, um marinheiro que se instalou na ilha como  farmacêutico e de Péle, uma donzela cerimonial samoana. Pouco depois, devido a uma guerra entre os chefes do arquipélago, Agnes foi mandada para Fiji. Quando voltou, Samoa havia sido dividida entre a Alemanha e os E.U.A., segundo a Convenção Tripartida de 1899. Upolu foi integrada no Império Germânico. As desgraças não se ficaram por aí.

Em 1903, faleceu-lhe a mãe. Aggie passou a ser educada apenas pelo pai. Ajustou-se com tolerância à sua existência hedonista, aos problemas financeiros e à madrasta samoana. Confirmada uma já anunciada bancarrota, ela e as irmãs ajudaram o progenitor numa pequena loja distante da cidade. Mas à medida que cresciam, o isolamento atormentava-as. Engendraram, assim, o desejado regresso à urbe.

Após alguns meses nas graças de um amigo influente, Aggie tornou-se uma solteira desejada do circuito social “afakasi” (misto samoano e ocidental) e casou com dois neozelandeses promissores. A primeira relação terminou com a morte do primeiro marido. A segunda degradou-se com cinco filhos para criar, nova falência e retiro para longe de Apia. 

À distância, a vida da capital continuou a chamar por Aggie. Mas os únicos negócios lucrativos abertos às mulheres eram, então, ou bordéis ou bares. Os bares e Drinking Clubs de Apia tinham sucumbido à lei seca com que a Nova Zelândia procurou sanar o consumo de álcool excessivo dos samoanos.

Por fim, Aggie Grey teve a ideia que revolucionou de vez a sua vida: recuperou o British Club decadente da capital e começou a servir bebidas legitimadas por “autorizações médicas” que conseguia em números pouco sérios. 

Com o passar dos anos, transformou o novo Cosmopolitan Club no refúgio predilecto de expatriados aborrecidos e solitários, mais tarde, também de centenas de militares de passagem pela cidade. Fez uma pequena fortuna a servir a bebida preferida dos marinheiros americanos, uma tal de Tom Collins.

James Michener foi um deles. Este tenente da marinha desenvolvia, por essa altura, uma carreira profícua de escritor, autor de 40 títulos, em grande parte sagas familiares passadas em localizações sui generis do Mundo. O seu “Contos do Pacífico do Sul” e a adaptação parcial cinematográfica “South Pacific” revelaram aqueles confins ao Ocidente. De forma encoberta, foi a figura de Aggie Grey que serviu de inspiração a Michener para a caricata personagem Bloody Mary.

A aptidão convivial de Aggie e a sua experiência a lidar com homens funcionaram como um chamariz infalível. Amantes desiludidos e esposas furiosas deram ao negócio a publicidade de que já pouco precisava. Revelou-se algo comum a todos os seus empreendimentos, incluindo o hotel Aggie Grey’s que nos tinha acolhido.

A noite fia-fia tem início. Orgulhosa da sua herança, Marina Grey, nora de Aggie, esposa do filho Alan Grey (gerente do hotel), toma o microfone e a palavra: “Gostava de vos apresentar estes belos jovens samoanos todos eles a trabalhar aqui no Aggie’s. Amanhã, um deles será o vosso empregado ao pequeno-almoço, uma delas tratar-vos-á do quarto e outras vão ajudar-vos na recepção ou nas compras que fizerem na loja. Por favor, um aplauso caloroso para eles.”

Sobre um palco com aspecto vegetal – de tantas folhas de palmeira e outras plantas que o enfeitam – músicos da ilha preparam o público para o seu contagiante espírito de diversão e comemoração. Quando o objectivo está assegurado, junta-se-lhes um grupo de dançarinos enérgicos e hiperactivos em trajes típicos do arquipélago. Acompanham as melodias aceleradas que cantam com coreografias mímicas da Polinésia, batendo braço contra braço e com os braços nas pernas de forma quase acrobática e ao ritmo infernal que distingue as danças samoanas das bem mais lentas maori, havaianas ou taitianas.

Várias exibições depois, Marina Grey é chamada de novo ao palco. Apesar da sua figura clássica e algo british, junta-se à última dança de forma elegante e harmoniosa o que surpreende e encanta os hóspedes estreantes. Logo após, inaugura um buffet repleto de pratos tradicionais samoanos a que os espectadores se fazem em filas longas mas fluídas. E, no entanto, foi a servir fast-food americana que a sua sogra Aggie cozinhou o sucesso da família.

Com o advento da 2ª Guerra Mundial, as forças armadas norte-americanas afluíram em força a Upolu, a partir de Pago Pago, a capital da vizinha Samoa Americana. Os Seabees (força de construção da Marinha) não tardaram a falar a Aggie Grey sobre a adoração ianque por hambúrgueres.

“Os americanos tinham todo o dinheiro do mundo, não sabiam o que lhe fazer e estavam em guerra. Eu preocupava-me a sério com aqueles rapazes.” Declarou a senhora, em 1977, a um repórter do Free Lance Star. “Comprei uma vaca, reuni cebolas, sal e pimenta, tal como me disseram para fazer. Na primeira venda, tive que perguntar ao GI como se impedia que se desfizesse tudo. Ele saltou para o outro lado do balcão, alisou as almôndegas e disse: “Vês, é fácil”.  

Aggie estima que serviu hambúrgueres a mais de 12.000 Seabees e GI’s. Com o dinheiro, fez do Cosmopolitan Club um hotel e construiu fales adicionais para hospedagem. Gary Cooper, William Holden, Marlon Brando, todo o elenco de “No Sul do Pacífico” e tantas outras personalidades do showbiz elevaram-no ao estrelato. Aos 80 anos, Aggie ainda encantava os hóspedes e convidados com exibições prodigiosas de hula e as suas tiradas humorísticas e calorosas. Faleceu em 1988, com 91 anos. O Aggie Grey’s foi só parte da sua herança.

Desde o primeiro momento, o quarto que nos calhou pareceu-nos básico, com uma decoração polémica, para não dizer de mau gosto. Mas já tínhamos percebido que o Aggie Grey’s nunca tivera que se preocupar em demasia com os efémeros luxos ocidentais. Era da aura da sua mentora que prosperava.

Até há pouco, milhares de hóspedes escolhiam-no – ao original e à versão SPA entretanto construída – como base para descobrir Upolu, uma das ilhas incontornáveis da Polinésia e ao Pacífico em redor.

Em Dezembro de 2012, o ciclone Evans deixou o hotel original em péssimo estado mas, um semestre depois, reabriu. Para a maior parte dos fãs históricos do Aggie Grey’s o pior estava para vir.

Há alguns meses, Tupaimatuna Lulai Lavea e Lupesina Frederick Grey – representantes do grupo e da holding Aggie Grey’s –  fecharam negócio com a cadeia Starwoods. Algum tempo depois, os Aggie Greys’s passaram a chamar-se Sheraton Samoa Aggie Grey's.  

Tonga, Samoa Ocidental, Polinésia

Pacífico XXL

Durante séculos, os nativos das ilhas polinésias subsistiram da terra e do mar. Até que a intrusão das potências coloniais e a posterior introdução de peças de carne gordas, da fast-food e das bebidas açucaradas geraram uma praga de diabetes e de obesidade. Hoje, enquanto boa parte do PIB nacional de Tonga, de Samoa Ocidental e vizinhas é desperdiçado nesses “venenos ocidentais”, os pescadores mal conseguem vender o seu peixe.
Viajar não custa

Reserve Estadias Confortáveis Também para as Suas Finanças

Tal como acontece com os voos, marcar alojamento tem os seus segredos. Saiba quais as estratégias para garantir estadias acolhedoras e financeiramente recompensadoras.
Apia, Samoa Ocidental

Fia Fia: Folclore Polinésio de Alta Rotação

Da Nova Zelândia à Ilha da Páscoa e daqui ao Havai, contam-se muitas variações de danças polinésias. As noites samoanas de Fia Fia, em particular, são animadas por um dos estilos mais acelerados.
Viajar Não Custa

Na próxima viagem, não deixe o seu dinheiro voar

Nem só a altura do ano e antecedência com que reservamos voos, estadias etc têm influência no custo de uma viagem. A forma como fazemos pagamentos nos destinos pode representar uma grande diferença.
Couchsurfing (Parte 1)

Mi Casa, Su Casa

Em 2003, uma nova comunidade online globalizou um antigo cenário de hospitalidade, convívio e de interesses. Hoje, o Couchsurfing acolhe milhões de viajantes, mas não deve ser praticado de ânimo leve.

Samoa Ocidental

Em Busca do Tempo Perdido

Durante 121 anos, foi a última nação na Terra a mudar de dia. Mas, Samoa percebeu que as suas finanças ficavam para trás e, no fim de 2012, decidiu voltar para Oeste da Linha Internacional de Data.

Tongatapu, Tonga

O Último Trono da Polinésia

Da Nova Zelândia à Ilha da Páscoa e ao Havai nenhuma monarquia resistiu à chegada dos descobridores europeus e da modernidade. Para Tonga, durante várias décadas, o desafio foi resistir à monarquia.

Cocquete
Arquitectura & Design

Napier, Nova Zelândia

De Volta aos Anos 30

Devastada por um sismo, Napier foi reconstruida num Art Deco quase térreo e vive a fazer de conta que parou nos thirties. Os seus visitantes rendem-se à atmosfera Great Gatsby que a cidade encena.

Lenha
Aventura

PN Oulanka, Finlândia

Um Lobo Pouco Solitário

Jukka “Era-Susi” Nordman criou uma das maiores matilhas de dog sledding do mundo. Tornou-se numa das personagens mais emblemáticas do país mas continua fiel ao seu cognome: Wilderness Wolf

Cortejo Ortodoxo
Cerimónias e Festividades
Suzdal, Rússia

Séculos de Devoção a um Monge Devoto

Eutímio foi um asceta russo do século XIV que se entregou a Deus de corpo e alma. A sua fé inspirou a religiosidade de Suzdal. Os crentes da cidade veneram-no como ao santo em que se tornou.
Forte de Saint Louis
Cidades

Fort-de-France, Martinica

Liberdade, Bipolaridade e Tropicalidade

Na capital da Martinica confirma-se uma fascinante extensão caribenha do território francês. Ali, as relações entre os colonos e os nativos descendentes de escravos ainda suscitam pequenas revoluções.
Muito que escolher
Comida

São Tomé e Príncipe

Que Nunca Lhes Falte o Cacau

No início do séc. XX, São Tomé e Príncipe geravam mais cacau que qualquer outro território. Graças à dedicação de alguns empreendedores, a produção subsiste e as duas ilhas sabem ao melhor chocolate.

Santuário sobre a floresta II
Cultura

Quioto, Japão

Um Japão Quase Perdido

Quioto esteve na lista de alvos das bombas atómicas dos E.U.A. e foi mais que um capricho do destino que a preservou. Salva por um Secretário de Guerra norte-americano apaixonado pela sua riqueza histórico-cultural e sumptuosidade oriental, a cidade foi substituída à última da hora por Nagasaki no sacrifício atroz do segundo cataclismo nuclear.

Desporto
Competições

Uma Espécie Sempre à Prova

Está-nos nos genes. Seja pelo prazer de participar, por títulos, honra ou dinheiro, os confrontos dão sentido à vida. Surgem sob a forma de modalidades sem conta, umas mais excêntricas que outras.
Por Chame
Em Viagem
Circuito Anapurna: 1º Pokhara a Chame, Nepal

Por Fim, a Caminho

Depois de vários dias de preparação em Pokhara, partimos em direcção aos Himalaias. O percurso pedestre só o começamos em Chame, a 2670 metros de altitude, com os picos nevados da cordilheira Annapurna já à vista. Até lá, completamos um doloroso mas necessário preâmbulo rodoviário pela sua base subtropical.
Étnico
Cidade Velha, Cabo Verde

Cidade Velha: a anciã das Cidades Tropico-Coloniais

Foi a primeira povoação fundada por europeus abaixo do Trópico de Câncer. Em tempos determinante para expansão portuguesa para África e para a América do Sul e para o tráfico negreiro que a acompanhou, a Cidade Velha tornou-se uma herança pungente mas incontornável da génese cabo-verdiana.

Luminosidade caprichosa no Grand Canyon
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
Nippo-Selfie
História

Takayama, Japão

Entre o Passado Nipónico e a Modernidade Japonesa

Em três das suas ruas, Takayama retém uma arquitectura tradicional de madeira e concentra velhas lojas e produtoras de saquê. Em redor, aproxima-se dos 100.000 habitantes e rende-se à modernidade.

Ruinas Infames
Ilhas

Port Arthur, Austrália

Uma Ilha Condenada ao Crime

O complexo prisional de Port Arthur sempre atemorizou os desterrados britânicos. 90 anos após o seu fecho, um crime hediondo ali cometido forçou a Tasmânia a regressar aos seus tempos mais lúgubres.

Solidariedade equina
Inverno Branco

Husavik a Myvatn, Islândia

Neve sem Fim na Ilha do Fogo

O nome mítico desencoraja a maior parte dos viajantes de explorações invernais. Mas quem chega fora do curto aconchego estival, é recompensado com a visão dos cenários vulcânicos sob um manto branco.

De visita
Literatura

Rússia

O Escritor que Não Resistiu ao Próprio Enredo

Alexander Pushkin é louvado por muitos como o maior poeta russo e o fundador da literatura russa moderna. Mas Pushkin também ditou um epílogo quase tragicómico da sua prolífica vida.

Aurora fria II
Natureza
Circuito Anapurna: 3º- Upper Pisang, Nepal

Uma Inesperada Aurora Nevada

Aos primeiros laivos de luz, a visão do manto branco que cobrira a povoação durante a noite deslumbra-nos. Com uma das caminhadas mais duras do Circuito Annapurna pela frente, adiamos a partida tanto quanto possível. Contrariados, deixamos Upper Pisang rumo a Ngawal quando a derradeira neve se desvanecia.
Filhos da Mãe-Arménia
Outono
Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.
Entusiasmo Vermelho
Parques Naturais

Lijiang e Yangshuo, China

Uma China Impressionante

Um dos mais conceituados realizadores asiáticos, Zhang Yimou dedicou-se às grandes produções ao ar livre e foi o co-autor das cerimónias mediáticas dos J.O. de Pequim. Mas Yimou também é responsável por “Impressions”, uma série de encenações não menos polémicas com palco em lugares emblemáticos. 

Vale de socalcos
Património Mundial Unesco

Batad, Filipinas

Os Socalcos que Sustentam as Filipinas

Há mais de 2000 anos, inspirado pelo seu deus do arroz, o povo Ifugao esquartejou as encostas de Luzon. O cereal que os indígenas ali cultivam ainda nutre parte significativa do país.

Curiosidade ursa
Personagens

Katmai, Alasca

Nos Passos do Grizzly Man

Timothy Treadwell conviveu Verões a fio com os ursos de Katmai. Em viagem pelo Alasca, seguimos alguns dos seus trilhos mas, ao contrário do protector tresloucado da espécie, nunca fomos longe demais.

Pedaço de Maldivas
Praia

Maldivas

De Atol em Atol

Trazido de Fiji para navegar nas Maldivas, o Princess Yasawa adaptou-se bem aos novos mares. Por norma, bastam um ou dois dias de itinerário, para a genuinidade e o deleite da vida a bordo virem à tona.

Resistência
Religião

Jaffa, Israel

Protestos Pouco Ortodoxos

Uma construção em Jaffa, Telavive, ameaçava profanar o que os judeus radicais pensavam ser vestígios dos seus antepassados. E nem a revelação de se tratarem de jazigos pagãos os demoveu da contestação

Em manobras
Sobre carris

Fianarantsoa-Manakara, Madagáscar

A Bordo do TGV Malgaxe

Partimos de Fianarantsoa às 7a.m. Só às 3 da madrugada seguinte completámos os 170km para Manakara. Os nativos chamam a este comboio quase secular Train Grandes Vibrations. Durante a longa viagem, sentimos, bem fortes, as do coração de Madagáscar.

À sombra da árvore
Sociedade

PN Tayrona, Colômbia

Quem Protege os Guardiães do Mundo?

Os indígenas da Serra Nevada de Santa Marta acreditam que têm por missão salvar o Cosmos dos “Irmãos mais Novos”, que somos nós. Mas a verdadeira questão parece ser: "Quem os protege a eles?"

Fim da Viagem
Vida Quotidiana

Talkeetna, Alasca

Vida à Moda do Alasca

Em tempos um mero entreposto mineiro, Talkeetna rejuvenesceu, em 1950, para servir os alpinistas do Monte McKinley. A povoação é, de longe, a mais alternativa e cativante entre Anchorage e Fairbanks.

Cabo da Cruz colónia focas, cabo cross focas
Vida Selvagem
Cape Cross, Namíbia

A Mais Tumultuosa das Colónias Africanas

Diogo Cão desembarcou neste cabo de África em 1486, instalou um padrão e fez meia-volta. O litoral imediato a norte e a sul, foi alemão, sul-africano e, por fim, namibiano. Indiferente às sucessivas transferências de nacionalidade, uma das maiores colónias de focas do mundo manteve ali o seu domínio e anima-o com latidos marinhos ensurdecedores e intermináveis embirrações.
Vale de Kalalau
Voos Panorâmicos

Napali Coast, Havai

As Rugas Deslumbrantes do Havai

Kauai é a ilha mais verde e chuvosa do arquipélago havaiano. Também é a mais antiga. Enquanto a exploramos por terra, mar e ar, espantamo-nos ao vermos como a passagem dos milénios só a favoreceu.