Tailândia


Ilhas Phi Phi, Tailândia

De regresso a “A Praia”

Passaram 15 anos desde a estreia do clássico mochileiro baseado no romance de Alex Garland. O filme popularizou os lugares em que foi rodado. Pouco depois, alguns desapareceram temporária mas literalmente do mapa mas, hoje, a sua fama controversa permanece intacta.

Chiang Mai, Tailândia
300 Wats de Energia Espiritual e Cultural
Os tailandeses chamam a cada templo budista wat e a sua capital do norte tem-nos em óbvia abundância. Entregue a sucessivos eventos realizados entre santuários, Chiang Mai nunca se chega a desligar.
Banguecoque, Tailândia
Mil e Uma Noites Perdidas
Em 1984, Murray Head cantou a magia e bipolaridade nocturna da capital tailandesa em "One Night in Bangkok". Vários anos, golpes de estado, e manifestações depois, Banguecoque continua sem sono.
Mini-snorkeling

Ilhas Phi Phi, Tailândia

De regresso a “A Praia”

Passaram 15 anos desde a estreia do clássico mochileiro baseado no romance de Alex Garland. O filme popularizou os lugares em que foi rodado. Pouco depois, alguns desapareceram temporária mas literalmente do mapa mas, hoje, a sua fama controversa permanece intacta.

Bom conselho Budista
Chiang Mai, Tailândia

300 Wats de Energia Espiritual e Cultural

Os tailandeses chamam a cada templo budista wat e a sua capital do norte tem-nos em óbvia abundância. Entregue a sucessivos eventos realizados entre santuários, Chiang Mai nunca se chega a desligar.
Go Go
Banguecoque, Tailândia

Mil e Uma Noites Perdidas

Em 1984, Murray Head cantou a magia e bipolaridade nocturna da capital tailandesa em "One Night in Bangkok". Vários anos, golpes de estado, e manifestações depois, Banguecoque continua sem sono.

Mapa


Como ir


VISTOS E OUTROS PROCEDIMENTOS

Cidadãos portugueses e brasileiros não necessitam de visto para estadias turísticas na Tailândia de até 30 dias. 

CUIDADOS DE SAÚDE

Existe risco de contração de malária principalmente nas zonas florestadas junto à fronteira da Tailândia com os seus países vizinhos do Sudeste Asiático. Existe risco muito baixo em Bangkok, Chiang Mai, Chiang Rai, Pattay e Phuket, ilhas de Ko Samui e Ko Chang e na área de Kachanamburi. 

Para mais informações sobre saúde em viagem, consulte o Portal da Saúde do Ministério da Saúde e Clínica de Medicina Tropical e do Viajante. Em FitForTravel encontra conselhos de saúde e prevenção de doenças específicas de cada país (em língua inglesa).

VIAGEM PARA A TAILÂNDIA   

Voe de Lisboa para Banguecoque com a Lufthansa, com escala única em Frankfurt por a partir de 500€. 

A não perder


 

  • Bangkok
  • Ayuthaya
  • Chiang Mai
  • ​Triângulo Dourado
  • Pai
  • Parque Histórico Sukhothai
  • ​Parque Histórico Phanon Rung
  • Parque Nacional Khao Sok
  • Reserva Marinha Nacional de Ko Chang
  • Parques Nacionais Surin e Similan
  • Koh Samui
  • Koh Tao
  • Ko Pha-Ngan
  • Koh Phi Phi – Phuket
  • Ko Lanta

Explorar


VOOS INTERNOS

São cada vez mais as rotas que ligam os quatro cantos da Tailândia. A maior parte dos voos tem origem de Banguecoque mas Chiang Mai e Ko Samui são aeroportos de partida cada vez mais utilizados. A companhia aérea nacional é Thai Airways. À data da criação deste texto, as companhias mais activas eram a Nok Air, a Air Asia a Orient Thai, a SGA Airline, Bangkok Airways, a Jet Asia e a Thai Smile. Se não deixar a compra dos bilhetes para a última hora, é possível viajar para quase todos os cantos do país por menos de 45€ por percurso de ida.

COMBOIO

A rede ferroviária nacional Railway of Thailand é normalmente bem gerida pelo estado tailandês e permite-lhe comprar bilhetes online.

Assenta em 4 linhas principais com base na estação Hualamphong de Banguecoque de onde têm origem a maior parte das viagens de longa distância. Apesar dos preços cada vez mais baixos praticados pelas várias companhias aéreas em concorrência, o comboio continua a ser boa solução em especial para viajar a partir de Banguecoque para Chiang Mai (norte), Surat Thani (sul) ambas viagens longas. Também em trechos mais curtos como Kachanamburi, Lopburi e Ayuthaya.

Existem basicamente três classes. 

1ª Classe – funciona num compartimento com dois beliches com ar condicionado, por vezes, regulável individualmente. Os preços andam a par com os dos voos das companhias low-cost.

2ª Classe – é substancialmente mais barata, na ordem dos autocarros de 1ª classe e o mesmo tipo de conforto, em alguns comboios com ar condicionado, noutros sem. A comida é bastante mais básica que a da primeira classe e o mesmo se passa com as casas de banho. 

3ª Classe – Tem pouco que ver tanto com a primeira como com a segunda classe. Quase só os tailandeses mais humildes a usam por terem os preços mais acessíveis. Algumas carruagens têm bancos de madeira outras têm estofos velhos e desgastados quando não rotos.

AUTOCARRO

A companhia estatal de autocarro é a BKS e tem terminais em praticamente todas as províncias do país. De um modo geral, os melhores autocarros BKS são considerados os mais modernos e confortáveis. A empresa têm, no entanto, várias classes distintas: Locais, Expresso, Segunda classe, Primeira Classe (40 lugares), VIP (32 a 34 lugares) e Super VIP (20 a 24 lugares, usados quase sempre em viagens nocturnas) .

Muitas outras companhias promovem as suas próprias viagens e iludem com demasiada frequência os passageiros estrangeiros que compram bilhetes atraídos pelo preço mais baixo e por imagens de autocarros modernos e semi-luxuosos que nada têm a ver com aqueles em que acabam por viajar.

ALUGUER DE VIATURA

Pode ser tratado em quase todos os aeroportos e em muitos balcões das cidade tailandesas, ou no caso das companhias multinacionais, reservados na internet com preços mais baixos, especialmente se o aluguer for tratado com a devida antecedência. As empresas tailandesas oferecem alugueres mais acessíveis mas têm carros mais antigos e com menos manutenção. 

Espere pagar a partir de 25€ por dia de aluguer para os mais pequenos utilitários, 125€ a 140€ por semana. A maior parte das empresas requerem uma Carta de Condução Internacional e um cartão de crédito para concretizar o aluguer. 

BARCO

Ferries modernos, confortáveis e com ar condicionado partem regularmente de Surat Thani para as ilhas mais populares do sul caso de Ko Samui e Ko Pha Ngan. De Krabi, as ilhas Phi-Phi são um dos destinos mais populares entre os estrangeiros. 

Há já algum tempo que é possível viajar por etapas de Phuket até Padang, na Indonésia, praticamente sem ter que parar no continente tailandês. As ilhas que fazem parte deste longo itinerário são Ko Phi Phi, Ko Lanta, Ko Ngai, Ko Mook, Ko Bulon, Ko Lipe-Ko (fronteira entre a Tailândia e a Malásia), Langkawi (Malásia) e Penang (Indonésia).

Para distâncias mais curtas, as lanchas e os long-tail boat (reua hang yao) são os táxis aquáticos por excelência do sul da Tailândia. Atingem velocidades consideráveis e navegam em águas pouco profundas mas são muito barulhentos, poluentes e pouco manobráveis e vulneráveis em águas ligeiramente encrespadas. Evite-os – como a todas as lanchas de fundo raso – se o mar estiver agitado ou for época de monções e se preveja que possa ficar agitado de um momento para o outro. Espere pagar de 5€ a 10€ para um máximo de 4 ou 5 horas de utilização, Em redor de 25€ a 30€ para um dia inteiro.

OUTROS

Songthaews

À parte dos autocarros convencionais, a Tailândia é ainda percorrida por inúmeros songthaews, carrinhas a que é adaptada uma cabine traseira coberta mas aberta dos lados ou com janelas e apenas duas linhas laterais de bancos alinhados frente a frente. São a forma mais económica de percorrer distâncias médias.

Tuk-Tuks

Os rickshaws tailandeses são motociclos com três rodas, alguns ainda com o barulho de motor característico que deu origem ao nome. São incontáveis em Banguecoque mas também surgem em várias outras cidades. Se apanhar um destes tuk-tuks, lembre-se de acordar o preço antecipadamente. Se não o fizer, o mais certo é ter que pagar bastante mais do que contava. É considerado que quando se paga mais de 80 bahts (1,90€) por uma viagem de tuk-tuk, essa viagem poderia ter sido feita num meio de transporte mais confortável, possivelmente de táxi. Tenha em conta que viajar de tuk-tuk é uma das experiências tailandesas a não perder. 

Táxis

São cada vez mais usuais em Banguecoque onde até já surgem em cor-de-rosa. Ultimamente têm sido dotados de taxímetros o que facilita muito a sua utilização. Evite táxis ilegais. Estes não terão provavelmente o selo que autentifica o serviço ou taxímetro.

Quando ir


Visite a Tailândia de preferência entre Fevereiro e Novembro, a época alta e a altura do ano em que chove menos e, em geral, faz menos calor. Salvo, anomalias climáticas, Abril, Junho e Setembro são meses válidos com menos turistas, preços relativamente mais baixos e aguaceiros fortes mas rápidos ao fim da tarde que refrescam a atmosfera. Outubro é, por norma, o mês mais chuvoso.

No caso de estar a planear explorar apenas as províncias montanhosas do norte não existe grande desvantagem se escolher a época mais quente ou até o início da época das chuvas, em Junho e Julho.

A época mais quente coincide com os meses de Março e Maio quando as temperaturas ascendem quase todas os dias aos 40ºC, no centro e no nordeste do país. Esta é uma boa altura para passar tempo nas praias do sul tailandês. 

 

 

 

 

Dinheiro e Custos


A moeda da Tailândia é o Baht (THB). Existem caixas ATM em todas as cidades e até povoações de menor importância. A maior parte destas caixas permite o levantamento com cartões estrangeiros. Também são cada vez mais os estabelecimentos mais sofisticados – incluindo hotéis e restaurantes – preparados para pagamentos com cartões de crédito.

ALOJAMENTO

A Tailândia é uma espécie de território sagrado para os mochileiros ocidentais. Há muito que o país recebe todos os anos muitos milhares e preparou-se de todas as formas e maneiras para lucrar com os seus farangs. De acordo, o número de guest houses é abismal, a começar pela famosa Khao San Road de Banguecoque em que a maior parte dos andares superiores da rua servem de quartos para os visitantes estrangeiros. As estadias em guest houses começam nos 5€ nas cidades, 7€ ou 8€ nas ilhas mais reputadas do país. Por este valores, conte com ventoinha, casa de banho partilhada e quartos espartanos. Para ter casa de banho em estilo ocidental privada, água quente a toda a hora, Wi-fi e eventualmente TV, some 3€ a 4€ aos valores atrás. Devido à abundância de guest houses, os hostels são raros na Tailândia.

Os hotéis intermédios custam entre 5€ a 20€ por noite. Por norma, incluem piscina, – nem todos – ar condicionado, serviço de quarto e TV.

Como um pouco por todo o Mundo, os hotéis boutique floresceram nos últimos anos, também na Tailândia. Têm quase sempre poucos quartos mas oferecem bastante mais elegância, conforto e sofisticação que os hotéis convencionais. Podem facilmente custar o dobro que os hotéis intermédios convencionais. 

No nível seguinte surgem os hotéis business, incomparavelmente mais “industriais” que os boutique mas com todo o tipo de serviços e funcionalidades incluindo provável Wi-fi em todos os quartos. Muitos pertencem a cadeias internacionais e praticamente não se distinguem de qualquer hotel deste tipo noutra parte do Mundo.

Por fim, existem os resorts mais conceituados da Tailândia. Alguns de Banguecoque e das ilhas balneares do sul da Tailândia são muito provavelmente dos melhores hotéis do Mundo e têm preços a condizer, facilmente 200€ a 700€ por noite.

ALIMENTAÇÃO

A Tailândia tem uma gastronomia riquíssima que deixa encantado até o visitante mais exigente. Por si só, a comida tailandesa justifica um viagem dedicada. 

A comida de rua é um modo de vida e é quase sempre de confiança. O prato de rua mais elementar é o pad thai (noodles fritos) que pode custar uns meros 0,60€ numa qualquer banca. A partir daí, dependendo do nível do restaurante e da complexidade e requinte da refeição, o preço pode ascender aos 5€ a 20€ para uma refeição completa num restaurante dedicado a mochileiros da Khao San Road até 300€ ou 400€ nos restaurantes mais sofisticados e famosos de Banguecoque ou dos resorts das ilhas mais desejadas da Tailândia

INTERNET

O Wi-fi é muito comum em hotéis, guest houses, bares e restaurantes nas zonas mais turísticas da Tailândia. Mas, se conta viajar para lugares menos visitados por estrangeiros, apetreche-se de um cartão SIM para uso em smartphones desbloqueados ou tablets ou de uma Pen (USB stick) para uso em portátil. As marcas com maior notoriedade e cobertura no país são a DTAC Happy Internet, a AIS One Two Call e a TrueMove's.

Em alternativa, terá que contar com visitas aos internet cafés que continuam aparecer na Tailândia como cogumelos. Espere pagar de 0,30€ a 1,50€ à hora dependendo da notoriedade turística do lugar em que está.

Entre as ilhas com grande quantidade de internet cafés contam-se Phuket, Ko Phi Phi (Don), Ko Lanta (Yai), Ko Samui, Ko Pha Ngan, Ko Tao, Ko Chang (Trat), Ko Samet (Rayong) e Ko Si Chang (Chonburi).