Upolu, Samoa Ocidental

A Ilha do Tesouro de Stevenson


Litoral de Upolu

Panorâmica de Upolu a partir da elevação em que foi sepultado R. Louis Stevenson.

Vila Vailima

A casa que Robert Louis Stevenson construiu em Vailima com a ajuda de muitos samoanos.

Arte & Posse

Detalhe de uma das divisões da mansão Villa Vailima.

Memórias

Fotografias e recortes numa das salas de Villa Vailima.

Jogging

Samoano recupera da subida ao Mount Vaea, onde foi sepultado Robert Louis Stevenson.

Under the Wide..

Texto na sepultura de Robert Louis Stevenson.

Em comunhão

Família de Robert Louis Stevenson em convívio com samoanos, alguns que trabalhavam em Villa Vailima.

Próxima Paragem: Vailima

Autocarro chega a aldeia de Vailima.

Regresso a Vailima

Corredor desce do topo do Monte Vaea, em direcção a Vailima.

Lareira nos Trópicos

Sala da mansão de Robert Louis Stevenson, em Vailima.

Costa luxuriante de Upolu

Vista sobre o litoral florestado de Upolu, a partir do cimo do Monte Vaea.

Aposentos Azulis

Quarto da mansão de Robert Louis Stevenson, em tons do mar menos profundo do oceano Pacífico.

Lição de História

Ilustração mostra Robert Louis Stevenson a ensinar história ao filho Austin Strong.

Aos 30 anos, o escritor escocês começou a procurar um lugar que o salvasse do seu corpo amaldiçoado.Em Upolu e nos samoanos, encontrou um refúgio acolhedor a que entregou a sua vida de alma e coração

As eleições gerais de Samoa tinham terminado havia quatro dias, mas o processo estava longe de ser encerrado. Ao passarmos pela longa Mulinu’u Road que percorre o istmo da cidade até à ponta homónima, deparamo-nos com um comité de delegados trajados ao rigor da nação que fazem a recontagem dos votos e preenchem meticulosamente os resultados em grandes quadros de ardósia. Apuraram-se 45 lugares para o 15º termo do Fono, a Assembleia Legislativa e o Human Rights Protection Party conquistou 36, numa vitória inequívoca que, como é frequente por aqueles lados, logo se envolveu em controvérsia.

Os anos passaram desde a chegada dos primeiros descobridores europeus, Samoa Ocidental tornou-se no primeiro território do Pacífico a conquistar a sua independência e, desde 1962, que vai resolvendo problemas que são só seus.

Mas mais de um séculos antes, por volta de 1890, os nativos contaram com o apoio tão inesperado como entusiástico de Robert Louis Stevenson, um escritor recém-chegado de uma viagem fascinante pelo Pacífico: Havai, Taiti e Arquipélago da Sociedade, Ilhas Gilbert, Nova Zelândia e Samoa.

Encantados com a sua generosidade mas também com o carisma do escocês, chamaram-lhe Tusitala ou contador de estórias, no dialecto polinésio samoano. “A Ilha do Tesouro” e “O Médico e o Monstro” (“Doctor Jekyll and Mister Hyde”) foram algumas das que criou e contou ao mundo e que lhe granjearam fama mundial.

A influência que exerceu sobre a política e os destinos da ilha depressa se tornou desafiadora e provocou sucessivas ondas de choque: durante a sua estada, Stevenson constatou que os oficiais europeus apontados para governar os samoanos eram incompetentes. Depois de várias tentativas infrutíferas de resolver os problemas, publicou “A Footnote to History” um manifesto que resultou na desmobilização de dois oficiais das potências coloniais e que o autor receou vir a provocar a sua extradição.

Esses temores não se comprovaram. Stevenson tornou-se inclusivamente amigo de políticos poderosos e das suas famílias, com destaque para a do comissário americano Henry Clay Ide. Ao mesmo tempo, aprofundou as suas raízes na ilha.

Villa Vailima, a mansão de madeira que construiu na propriedade que adquiriu e acolheu a maior parte do seu retiro, resistiu incólume à reacção da administração de então. E, para alivio dos samoanos, também ao grande sismo que abalou o arquipélago em 2009, com uma intensidade de 8.1 da escala de Richter. Hoje, Villa Vailima é um dos lugares mais respeitados e apreciados de Upolu, um símbolo do seu multiculturalismo exuberante que fazemos questão de visitar.  

À chegada, o guia Anthony apresenta-nos a anfitriã do museu, de  nome Margaret Silva. A cor da sua pele, o perfil do rosto e o apelido deixam-nos intrigados mas uma vez que nem Anthony, nem Margaret nos dão alguma pista, vemo-nos obrigados a indagar sobre as origens da senhora. “Silva? O seu apelido deve ser português ou espanhol, não? E, não leve a mal, mas não parece 100% samoana.”

Anthony apercebe-se do que se está a passar e valida a suspeita. “Ah, claro. Vocês são portugueses! Margaret? Tu também és meio portuguesa, certo? Margaret confirma e acrescenta alguma informação histórica deslumbrante. “Sim, sou meio portuguesa. Já não falo quase nada da língua mas a minha avó aprendeu com o meu avô e ainda fala um pouco. O que aconteceu, de uma forma resumida, foi que ele trabalhava num cruzeiro neozelandês que parava regularmente em Apia. Num período de folga, conheceu a minha avó na cidade e já não quis voltar ao navio.“ 

Assim teve início a saga dos Silvas em Samoa, uma família que Anthony nos assegura ser das mais abastadas e influentes da nação, proprietária de vários negócios entre os quais uma construtora, mercearias e gasolineiras. Mas o guia nativo explica-nos mais. A presença do agora enorme clã Silva é para ele e para os samoanos completamente normal, ao ponto de poucos se lembrarem da sua origem e diferença genética. E, lembrando-se do apelido do autor deste texto, acrescenta ainda, para risada geral: “Não são só os Silvas. Agora que penso nisso, também temos uma grande família Pereira. Devem ser quase tantos como os Silvas. Duas das suas filhas que moram junto à aldeia dos meus pais são lindas. Agradam-me mesmo muito.”

Entretanto, Margaret recorda-nos que o museu fecha dentro em pouco e sugere que comecemos a volta pela mansão. Enquanto o fazemos, descreve os aspectos mais importantes ou simplesmente curiosos da vida de Robert Louis Stevenson em Upolu.

Durante a sua estada, Stevenson escreveu de uma forma prolífica também sob a vida em Samoa e outras ilhas do Pacífico.  Em 1894, passou por tempos de depressão e inactividade a que respondeu com “Weir of Hermiston” com que se voltou a entusiasmar ao ponto de se convencer que era o melhor  romance que já tinha produzido. Mas, na noite de 3 de Dezembro desse ano, depois de ter trabalhado arduamente no romance, abria uma garrafa de vinho quando caiu junto à esposa. Foi declarado morto ao fim de algumas horas, alegadamente devido a uma hemorragia cerebral. Tinha 44 anos.

Os samoanos honraram os desejos fúnebres do respeitado Tusitala. Transportaram-no em ombros até ao cume do vizinho monte Vaea, onde o sepultaram com vista para o mar.

O seu sepulcro é hoje o destino de uma peregrinação desportiva pela saúde que Stevenson nunca teve. À medida que subimos a encosta, passam por nós dezenas de samoanos de Apia, e até de expatriados em Upolu, entregues a um jogging extenuante e repetitivo com início nas imediações da Villa Vailima e término no topo da elevação.

Enquanto recuperamos do cansaço a observar o túmulo e a ler o Requiem conformado mas elegante do escritor, também ali deixamos o nosso suor, gerado pelo calor e pela humidade que revigoram a paisagem luxuriante em redor. E sumido na ilha que Robert Louis Stevenson tanto amou.

Tonga, Samoa Ocidental, Polinésia

Pacífico XXL

Durante séculos, os nativos das ilhas polinésias subsistiram da terra e do mar. Até que a intrusão das potências coloniais e a posterior introdução de peças de carne gordas, da fast-food e das bebidas açucaradas geraram uma praga de diabetes e de obesidade. Hoje, enquanto boa parte do PIB nacional de Tonga, de Samoa Ocidental e vizinhas é desperdiçado nesses “venenos ocidentais”, os pescadores mal conseguem vender o seu peixe.

Rússia

O Escritor que Não Resistiu ao Próprio Enredo

Alexander Pushkin é louvado por muitos como o maior poeta russo e o fundador da literatura russa moderna. Mas Pushkin também ditou um epílogo quase tragicómico da sua prolífica vida.

Cemitérios

A Última Morada

Dos sepulcros grandiosos de Novodevichy, em Moscovo, às ossadas maias encaixotadas de Pomuch, na província mexicana de Campeche, cada povo ostenta a sua forma de vida. Até na morte.

Samoa Ocidental

Em Busca do Tempo Perdido

Durante 121 anos, foi a última nação na Terra a mudar de dia. Mas, Samoa percebeu que as suas finanças ficavam para trás e, no fim de 2012, decidiu voltar para Oeste da Linha Internacional de Data.

Ilha Robinson Crusoe, Chile

Na Pele do Verdadeiro Robinson Crusoe

A principal ilha do arquipélago Juan Fernández foi abrigo de piratas e tesouros. A sua história fez-se de aventuras como a de Alexander Selkirk, o marinheiro abandonado que inspirou o romance de Dafoe

Tongatapu, Tonga

O Último Trono da Polinésia

Da Nova Zelândia à Ilha da Páscoa e ao Havai nenhuma monarquia resistiu à chegada dos descobridores europeus e da modernidade. Para Tonga, durante várias décadas, o desafio foi resistir à monarquia.

Goiás Velho, Brasil

Uma Escritora à Margem do Mundo

Nascida em Goiás, Ana Lins Bretas passou a maior parte da vida longe da família castradora e da cidade. Regressada às origens, continuou a retratar a mentalidade preconceituosa do interior brasileiro

A pequena-grande Senglea
Arquitectura & Design

Senglea, Malta

A Cidade com Mais Malta

No virar do século XX, Senglea acolhia 8.000 habitantes em 0.2 km2, um recorde europeu, hoje, tem “apenas” 3.000 cristãos bairristas. É a mais diminuta, sobrelotada e genuína das urbes maltesas.

Lagoas fumarentas
Aventura

Tongariro, Nova Zelândia

Os Vulcões de Todas as Discórdias

No final do século XIX, um chefe indígena cedeu os vulcões de Tongariro à coroa britânica. Hoje, parte significativa do povo maori continua a reclamar aos colonos europeus as suas montanhas de fogo.

Via Conflituosa
Cerimónias e Festividades

Jerusalém, Israel

Pelas Ruas Beliciosas da Via Dolorosa

Em Jerusalém, enquanto percorrem o caminho de Cristo para a cruz, os crentes mais sensíveis apercebem-se de como a paz do Senhor é difícil de alcançar nas ruelas mais disputadas à face da Terra.

Acolhedora Vegas
Cidades

Las Vegas, E.U.A.

Capital Mundial dos Casamentos vs Cidade do Pecado

A ganância do jogo, a luxúria da prostituição e a ostentação generalizada fazem parte de Las Vegas. Como as capelas que não têm olhos nem ouvidos e promovem matrimónios excêntricos, rápidos e baratos.

Comida
Comida do Mundo

Gastronomia Sem Fronteiras nem Preconceitos

Cada povo, suas receitas e iguarias. Em certos casos, as mesmas que deliciam nações inteiras repugnam muitas outras. Para quem viaja pelo mundo, o ingrediente mais importante é uma mente bem aberta.
Mini-snorkeling
Cultura

Ilhas Phi Phi, Tailândia

De regresso a “A Praia”

Passaram 15 anos desde a estreia do clássico mochileiro baseado no romance de Alex Garland. O filme popularizou os lugares em que foi rodado. Pouco depois, alguns desapareceram temporária mas literalmente do mapa mas, hoje, a sua fama controversa permanece intacta.

Fogo-de-artifício branco
Desporto

Seward, Alasca

O 4 de Julho Mais Longo

A independência dos E.U.A. é festejada, em Seward, de forma modesta. Para compensar, na cidade que honra o homem que prendou a nação com o seu maior estado, a data e a celebração parecem não ter fim.

Em Viagem
Circuito Annapurna: 5º- Ngawal-Braga, Nepal

Rumo a Braga. A Nepalesa.

Passamos nova manhã de meteorologia gloriosa à descoberta de Ngawal. Segue-se um curto trajecto na direcção de Manang, a principal povoação no caminho para o zénite do circuito Annapurna. Ficamo-nos por Braga (Braka). A aldeola não tardaria a provar-se uma das suas mais inolvidáveis escalas.
Fila Vietnamita
Étnico

Nha Trang-Doc Let, Vietname

O Sal da Terra Vietnamita

Em busca de litorais atraentes na velha Indochina, desiludimo-nos com a rudeza balnear de Nha Trang. E é no labor feminino e exótico das salinas de Hon Khoi que encontramos um Vietname mais a gosto.

Luminosidade caprichosa no Grand Canyon
Fotografia
Luz Natural (Parte 1)

E Fez-se Luz na Terra. Saiba usá-la.

O tema da luz na fotografia é inesgotável. Neste artigo, transmitimos-lhe algumas noções basilares sobre o seu comportamento, para começar, apenas e só face à geolocalização, a altura do dia e do ano.
Santuário sobre a floresta II
História

Quioto, Japão

Um Japão Quase Perdido

Quioto esteve na lista de alvos das bombas atómicas dos E.U.A. e foi mais que um capricho do destino que a preservou. Salva por um Secretário de Guerra norte-americano apaixonado pela sua riqueza histórico-cultural e sumptuosidade oriental, a cidade foi substituída à última da hora por Nagasaki no sacrifício atroz do segundo cataclismo nuclear.

Realidade e fantasia
Ilhas

Guadalupe

Um Delicioso Contra-Efeito Borboleta

Guadalupe tem a forma de uma mariposa. Basta uma volta por esta Antilha para perceber porque a população se rege pelo mote Pas Ni Problem e levanta o mínimo de ondas, apesar das muitas contrariedades.

Doca gelada
Inverno Branco

Ilha Hailuoto, Finlândia

Um Refúgio no Golfo de Bótnia

Durante o Inverno, Hailuoto está ligada à restante Finlândia pela maior estrada de gelo do país. A maior parte dos seus 986 habitantes estima, acima de tudo, o distanciamento que a ilha lhes concede.

Baie d'Oro
Literatura

Île-des-Pins, Nova Caledónia

A Ilha que se Encostou ao Paraíso

Em 1964, Katsura Morimura deliciou o Japão com um romance-turquesa passado em Ouvéa. Mas a vizinha Île-des-Pins apoderou-se do título "A Ilha mais próxima do Paraíso" e extasia os seus visitantes.

Desembarque Tardio
Natureza

Arquipélago Bacuit, Filipinas

A Última Fronteira Filipina

Um dos cenários marítimos mais fascinantes do Mundo, a vastidão de ilhéus escarpados de Bacuit esconde recifes de coral garridos, pequenas praias e lagoas idílicas. Para a descobrir, basta uma bangka.

Filhos da Mãe-Arménia
Outono

Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.

O grande Salto Angel
Parques Naturais

PN Canaima, Venezuela

O Rio Que Cai do Céu

Em 1937, Jimmy Angel aterrou uma avioneta sobre uma meseta perdida na selva venezuelana. O aventureiro americano não encontrou ouro mas conquistou o baptismo da queda d'água mais longa à face da Terra

Património Mundial Unesco
Vulcões

Montanhas de Fogo

Rupturas mais ou menos proeminentes da crosta terrestre, os vulcões podem revelar-se tão exuberantes quanto caprichosos. Algumas das suas erupções são gentis, outras provam-se aniquiladoras.
Curiosidade ursa
Personagens

Katmai, Alasca

Nos Passos do Grizzly Man

Timothy Treadwell conviveu Verões a fio com os ursos de Katmai. Em viagem pelo Alasca, seguimos alguns dos seus trilhos mas, ao contrário do protector tresloucado da espécie, nunca fomos longe demais.

Cap 110
Praia

Martinica, Antilhas Francesas

Caraíbas de Baguete debaixo do Braço

Circulamos pela Martinica tão livremente como o Euro e as bandeiras tricolores esvoaçam supremas. Mas este pedaço de França é vulcânico e luxuriante. Surge no coração insular das Américas e tem um delicioso sabor a África.

Amarelo a dobrar
Religião

Bingling Si, China

O Desfiladeiro dos Mil Budas

Durante mais de um milénio e, pelo menos sete dinastias, devotos chineses exaltaram a sua crença religiosa com o legado de esculturas num estreito remoto do rio Amarelo. Quem lá desembarca, pode não achar todas as esculturas mas encontra um santuário budista deslumbrante. Durante mais de um milénio e, pelo menos sete dinastias, devotos chineses exaltaram a sua crença religiosa com o legado de esculturas num estreito remoto do rio Amarelo. Quem lá desembarca, pode não achar todas as esculturas mas encontra um santuário budista deslumbrante. 

A todo o vapor
Sobre carris

Ushuaia, Argentina

O Derradeiro Comboio Austral

Até 1947, o Tren del Fin del Mundo fez incontáveis viagens para que os condenados do presídio de Ushuaia cortassem lenha. Hoje, os passageiros são outros mas nenhuma outra composição passa mais a Sul

Travessia ao ocaso
Sociedade

Lago Taungthaman, Myanmar

O Crepúsculo da Ponte da Vida

Com 1.2 km, a ponte de madeira mais antiga e mais longa do mundo permite aos birmaneses de Amarapura viver o lago Taungthaman. Mas 160 anos após a sua construção, U Bein carece de cuidados especiais.

O projeccionista
Vida Quotidiana

Sainte-Luce, Martinica

Um Projeccionista Saudoso

De 1954 a 1983, Gérard Pierre projectou muitos dos filmes famosos que chegavam à Martinica. 30 anos após o fecho da sala em que trabalhava, ainda custava a este nativo nostálgico mudar de bobine.

Vai-e-vem fluvial
Vida Selvagem

Iriomote, Japão

Uma Pequena Amazónia Japonesa

Florestas tropicais e manguezais impenetráveis preenchem Iriomote sob um clima de panela de pressão. Aqui, os visitantes estrangeiros são tão raros como o yamaneko, um lince endémico esquivo.

Aterragem sobre o gelo
Voos Panorâmicos

Mount Cook, Nova Zelândia

A Conquista Aeronáutica dos Alpes do Sul

Em 1955, o piloto Harry Wigley criou um sistema de descolagem e aterragem sobre asfalto ou neve. Desde então, a sua empresa revela, a partir do ar, alguns dos cenários mais grandiosos da Oceania.