Apia, Samoa Ocidental

A Anfitriã do Pacífico do Sul


Cabana de Brando

Um sinal distingue a fale em que Marlon Brando se alojou no hotel Aggie Grey.

Sucessão

Marina Grey, nora de Aggie exibe os seus dotes nas danças polinésias durante uma noite de fia fia.

Folclore Polinésio

Noite de festa fia fia no hotel Aggie Grey's de Apia.

Sensualidade Samoana

Jovem dançarina encanta o público da noite fia fia com movimentos rápidos e exuberantes de ancas.

Hotel Aggie Grey

Fachada do hotel fundado por Aggie Grey no litoral de Apia.

Ao largo

Cruzeiro ancorado numa doca em frente do hotel Aggie Grey's.

Dança Acelerada

Dançarinos levam a cabo coreografias samoanas durante uma noite de fia fia do hotel Aggie Grey's.

Memórias

Aggie Grey segura o argumento de "Ao Sul do Pacífico", o musical em que terá inspirado a personagem de Bloody Mary.

Fogo Rápido

Jovem exibe uma outra dança com chamas, à beira da piscina do hotel Aggie Grey's.

Pose polinésia

Rapariga da ilha de Upolu em pose durante uma das danças da noite de fia-fia.

Em sincronia

Grupos de dançarinos actua perante um público formado essencialmente de hóspedes do hotel.

Intermissão

Dançarina recupera o fôlego após uma dança samoana intensa no palco do hotel Aggie Grey's

Padrões Samoanos

Montra de vestidos em estilo samoano, na área exterior do hotel.

Rotunda colorida

Autocarro típico de Samoa contorna a torre do relógio de Apia.

Marginal de Apia

Vista de uma das varandas do hotel Aggie Grey's e um cruzeiro ancorado ao longe.

Vendeu burgers aos GI’s na 2ª Guerra Mundial e abriu um hotel que recebeu Marlon Brando e Gary Cooper. Aggie Grey faleceu em 1988 mas o seu legado de acolhimento perdura no Pacífico do Sul.

Quase todos os dias ou várias vezes por dia, Upolu é irrigada por bátegas fulminantes. A tarde tinha entrado perfeita mas, como noutros dias, voltámos a ser apanhados sem refúgio pela dinâmica meteorológica e por uma chuva morna que nos deixou ensopados. Foi, assim, com prazer que regressámos aos aposentos base, para duches prolongados e mudança de roupa.

Nessa noite, estávamos convidados para assistir à fia fia (festa/banquete samoano) do hotel Aggie Grey’s. Talvez devido à sagrada humildade polinésia, os responsáveis pela promoção de Samoa tinham-se esquecido de nos explicar onde nos iam alojar. Aos poucos, muito graças a um livro de capa dura que encontrámos no quarto e à internet que só apanhamos à varanda, lá nos inteiramos da importância histórica daquele lugar e da família que o fundou.

Agnes Genevieve Swann, nasceu, em 1897, em Upolu. Era a segunda filha de William Swann, um marinheiro que se instalou na ilha como  farmacêutico e de Péle, uma donzela cerimonial samoana. Pouco depois, devido a uma guerra entre os chefes do arquipélago, Agnes foi mandada para Fiji. Quando voltou, Samoa havia sido dividida entre a Alemanha e os E.U.A., segundo a Convenção Tripartida de 1899. Upolu foi integrada no Império Germânico. As desgraças não se ficaram por aí.

Em 1903, faleceu-lhe a mãe. Aggie passou a ser educada apenas pelo pai. Ajustou-se com tolerância à sua existência hedonista, aos problemas financeiros e à madrasta samoana. Confirmada uma já anunciada bancarrota, ela e as irmãs ajudaram o progenitor numa pequena loja distante da cidade. Mas à medida que cresciam, o isolamento atormentava-as. Engendraram, assim, o desejado regresso à urbe.

Após alguns meses nas graças de um amigo influente, Aggie tornou-se uma solteira desejada do circuito social “afakasi” (misto samoano e ocidental) e casou com dois neozelandeses promissores. A primeira relação terminou com a morte do primeiro marido. A segunda degradou-se com cinco filhos para criar, nova falência e retiro para longe de Apia. 

À distância, a vida da capital continuou a chamar por Aggie. Mas os únicos negócios lucrativos abertos às mulheres eram, então, ou bordéis ou bares. Os bares e Drinking Clubs de Apia tinham sucumbido à lei seca com que a Nova Zelândia procurou sanar o consumo de álcool excessivo dos samoanos.

Por fim, Aggie Grey teve a ideia que revolucionou de vez a sua vida: recuperou o British Club decadente da capital e começou a servir bebidas legitimadas por “autorizações médicas” que conseguia em números pouco sérios. 

Com o passar dos anos, transformou o novo Cosmopolitan Club no refúgio predilecto de expatriados aborrecidos e solitários, mais tarde, também de centenas de militares de passagem pela cidade. Fez uma pequena fortuna a servir a bebida preferida dos marinheiros americanos, uma tal de Tom Collins.

James Michener foi um deles. Este tenente da marinha desenvolvia, por essa altura, uma carreira profícua de escritor, autor de 40 títulos, em grande parte sagas familiares passadas em localizações sui generis do Mundo. O seu “Contos do Pacífico do Sul” e a adaptação parcial cinematográfica “South Pacific” revelaram aqueles confins ao Ocidente. De forma encoberta, foi a figura de Aggie Grey que serviu de inspiração a Michener para a caricata personagem Bloody Mary.

A aptidão convivial de Aggie e a sua experiência a lidar com homens funcionaram como um chamariz infalível. Amantes desiludidos e esposas furiosas deram ao negócio a publicidade de que já pouco precisava. Revelou-se algo comum a todos os seus empreendimentos, incluindo o hotel Aggie Grey’s que nos tinha acolhido.

A noite fia-fia tem início. Orgulhosa da sua herança, Marina Grey, nora de Aggie, esposa do filho Alan Grey (gerente do hotel), toma o microfone e a palavra: “Gostava de vos apresentar estes belos jovens samoanos todos eles a trabalhar aqui no Aggie’s. Amanhã, um deles será o vosso empregado ao pequeno-almoço, uma delas tratar-vos-á do quarto e outras vão ajudar-vos na recepção ou nas compras que fizerem na loja. Por favor, um aplauso caloroso para eles.”

Sobre um palco com aspecto vegetal – de tantas folhas de palmeira e outras plantas que o enfeitam – músicos da ilha preparam o público para o seu contagiante espírito de diversão e comemoração. Quando o objectivo está assegurado, junta-se-lhes um grupo de dançarinos enérgicos e hiperactivos em trajes típicos do arquipélago. Acompanham as melodias aceleradas que cantam com coreografias mímicas da Polinésia, batendo braço contra braço e com os braços nas pernas de forma quase acrobática e ao ritmo infernal que distingue as danças samoanas das bem mais lentas maori, havaianas ou taitianas.

Várias exibições depois, Marina Grey é chamada de novo ao palco. Apesar da sua figura clássica e algo british, junta-se à última dança de forma elegante e harmoniosa o que surpreende e encanta os hóspedes estreantes. Logo após, inaugura um buffet repleto de pratos tradicionais samoanos a que os espectadores se fazem em filas longas mas fluídas. E, no entanto, foi a servir fast-food americana que a sua sogra Aggie cozinhou o sucesso da família.

Com o advento da 2ª Guerra Mundial, as forças armadas norte-americanas afluíram em força a Upolu, a partir de Pago Pago, a capital da vizinha Samoa Americana. Os Seabees (força de construção da Marinha) não tardaram a falar a Aggie Grey sobre a adoração ianque por hambúrgueres.

“Os americanos tinham todo o dinheiro do mundo, não sabiam o que lhe fazer e estavam em guerra. Eu preocupava-me a sério com aqueles rapazes.” Declarou a senhora, em 1977, a um repórter do Free Lance Star. “Comprei uma vaca, reuni cebolas, sal e pimenta, tal como me disseram para fazer. Na primeira venda, tive que perguntar ao GI como se impedia que se desfizesse tudo. Ele saltou para o outro lado do balcão, alisou as almôndegas e disse: “Vês, é fácil”.  

Aggie estima que serviu hambúrgueres a mais de 12.000 Seabees e GI’s. Com o dinheiro, fez do Cosmopolitan Club um hotel e construiu fales adicionais para hospedagem. Gary Cooper, William Holden, Marlon Brando, todo o elenco de “No Sul do Pacífico” e tantas outras personalidades do showbiz elevaram-no ao estrelato. Aos 80 anos, Aggie ainda encantava os hóspedes e convidados com exibições prodigiosas de hula e as suas tiradas humorísticas e calorosas. Faleceu em 1988, com 91 anos. O Aggie Grey’s foi só parte da sua herança.

Desde o primeiro momento, o quarto que nos calhou pareceu-nos básico, com uma decoração polémica, para não dizer de mau gosto. Mas já tínhamos percebido que o Aggie Grey’s nunca tivera que se preocupar em demasia com os efémeros luxos ocidentais. Era da aura da sua mentora que prosperava.

Até há pouco, milhares de hóspedes escolhiam-no – ao original e à versão SPA entretanto construída – como base para descobrir Upolu, uma das ilhas incontornáveis da Polinésia e ao Pacífico em redor.

Em Dezembro de 2012, o ciclone Evans deixou o hotel original em péssimo estado mas, um semestre depois, reabriu. Para a maior parte dos fãs históricos do Aggie Grey’s o pior estava para vir.

Há alguns meses, Tupaimatuna Lulai Lavea e Lupesina Frederick Grey – representantes do grupo e da holding Aggie Grey’s –  fecharam negócio com a cadeia Starwoods. Algum tempo depois, os Aggie Greys’s passaram a chamar-se Sheraton Samoa Aggie Grey's.  

Tonga, Samoa Ocidental, Polinésia

Pacífico XXL

Durante séculos, os nativos das ilhas polinésias subsistiram da terra e do mar. Até que a intrusão das potências coloniais e a posterior introdução de peças de carne gordas, da fast-food e das bebidas açucaradas geraram uma praga de diabetes e de obesidade. Hoje, enquanto boa parte do PIB nacional de Tonga, de Samoa Ocidental e vizinhas é desperdiçado nesses “venenos ocidentais”, os pescadores mal conseguem vender o seu peixe.

Viajar não custa

Reserve Estadias Confortáveis Também para as Suas Finanças

Tal como acontece com os voos, marcar alojamento tem os seus segredos. Saiba quais as estratégias para garantir estadias acolhedoras e financeiramente recompensadoras.
Apia, Samoa Ocidental

Fia Fia: Folclore Polinésio de Alta Rotação

Da Nova Zelândia à Ilha da Páscoa e daqui ao Havai, contam-se muitas variações de danças polinésias. As noites samoanas de Fia Fia, em particular, são animadas por um dos estilos mais acelerados.
Viajar Não Custa

Na próxima viagem, não deixe o seu dinheiro voar

Nem só a altura do ano e antecedência com que reservamos voos, estadias etc têm influência no custo de uma viagem. A forma como fazemos pagamentos nos destinos pode representar uma grande diferença.
Couchsurfing (Parte 1)

Mi Casa, Su Casa

Em 2003, uma nova comunidade online globalizou um antigo cenário de hospitalidade, convívio e de interesses. Hoje, o Couchsurfing acolhe milhões de viajantes, mas não deve ser praticado de ânimo leve.

Samoa Ocidental

Em Busca do Tempo Perdido

Durante 121 anos, foi a última nação na Terra a mudar de dia. Mas, Samoa percebeu que as suas finanças ficavam para trás e, no fim de 2012, decidiu voltar para Oeste da Linha Internacional de Data.

Tongatapu, Tonga

O Último Trono da Polinésia

Da Nova Zelândia à Ilha da Páscoa e ao Havai nenhuma monarquia resistiu à chegada dos descobridores europeus e da modernidade. Para Tonga, durante várias décadas, o desafio foi resistir à monarquia.

Pela sombra
Arquitectura & Design

Miami, E.U.A.

Uma Obra-Prima da Reabilitação Urbana

Na viragem para o século XXI, o bairro de Wynwood mantinha-se repleto de fábricas e armazéns abandonados e grafitados. Tony Goldman, um investidor imobiliário astuto, comprou mais de 25 propriedades e fundou um parque mural. Muito mais que ali homenagear o grafiti, Goldman fundou o grande bastião da criatividade de Miami.

Aventura
Circuito Annapurna: 5º- Ngawal-Braga, Nepal

Rumo a Braga. A Nepalesa.

Passamos nova manhã de meteorologia gloriosa à descoberta de Ngawal. Segue-se um curto trajecto na direcção de Manang, a principal povoação no caminho para o zénite do circuito Annapurna. Ficamo-nos por Braga (Braka). A aldeola não tardaria a provar-se uma das suas mais inolvidáveis escalas.
Bom conselho Budista
Cerimónias e Festividades

Chiang Mai, Tailândia

300 Wats de Energia Espiritual e Cultural

Os tailandeses chamam a cada templo budista wat e a sua capital do norte tem-nos em óbvia abundância. Entregue a sucessivos eventos realizados entre santuários, Chiang Mai nunca se chega a desligar.

Assento do sono
Cidades

Tóquio, Japão

Os Hipno-Passageiros de Tóquio

O Japão é servido por milhões de executivos massacrados com ritmos de trabalho infernais e escassas férias. Cada minuto de tréguas a caminho do emprego ou de casa lhes serve para passarem pelas brasas

Vendedores de Tsukiji
Comida

Tóquio, Japão

No Reino do Sashimi

Num ano apenas, cada japonês come mais que o seu peso em peixe e marisco. Uma parte considerável é processada e vendida por 65 mil habitantes de Tóquio no maior mercado piscícola do mundo.

Tatooine na Terra
Cultura

Sudeste da Tunísia

A Base Terráquea da Guerra das Estrelas

Por razões de segurança, o planeta Tatooine de "O Despertar da Força" foi filmado em Abu Dhabi. Recuamos no calendário cósmico e revisitamos alguns dos lugares tunisinos com mais impacto na saga.

 

Desporto
Competições

Uma Espécie Sempre à Prova

Está-nos nos genes. Seja pelo prazer de participar, por títulos, honra ou dinheiro, os confrontos dão sentido à vida. Surgem sob a forma de modalidades sem conta, umas mais excêntricas que outras.
Twelve Apostles
Em Viagem

Victoria, Austrália

No Grande Sul Australiano

Uma das evasões preferidas dos habitantes de Melbourne, a estrada B100 desvenda um litoral sublime que o oceano moldou. E bastam alguns km para perceber porque foi baptizada The Great Ocean Road.

Pesca no Paraíso
Étnico

Ouvéa, Nova Caledónia

Entre a Lealdade e a Liberdade

A Nova Caledónia sempre questionou a integração na longínqua França. Em Ouvéa, encontramos uma história de resistência mas também nativos que preferem a cidadania e os privilégios francófonos.

Crepúsculo exuberante
Fotografia
Luz Natural (Parte 2)

Um Sol, tantas Luzes

A maior parte das fotografias em viagem são tiradas com luz solar. A luz solar e a meteorologia formam uma interacção caprichosa. Saiba como a prever, detectar e usar no seu melhor.
Enseada escondida
História

Busuanga, Filipinas

Uma Armada Pouco Secreta

Na 2a Guerra Mundial, uma frota nipónica falhou em ocultar-se ao largo de Busuanga e foi afundada pelos aviões norte-americanos. Hoje, os seus destroços subaquáticos atraem milhares de mergulhadores.

Ilhas
São Nicolau, Cabo Verde

Sodade, Sodade

A voz de Cesária Verde cristalizou o sentimento dos caboverdeanos que se viram forçados a deixar a sua ilha. Quem visita São Nicolau percebe porque lhe chamam, para sempre e com orgulho, "nha terra".
Aurora fria II
Inverno Branco
Circuito Anapurna: 3º- Upper Pisang, Nepal

Uma Inesperada Aurora Nevada

Aos primeiros laivos de luz, a visão do manto branco que cobrira a povoação durante a noite deslumbra-nos. Com uma das caminhadas mais duras pela frente, adiamos a partida tanto quanto possível. Contrariados, deixamos Upper Pisang rumo a Ngawal quando a derradeira neve se desvanecia.
De visita
Literatura

Rússia

O Escritor que Não Resistiu ao Próprio Enredo

Alexander Pushkin é louvado por muitos como o maior poeta russo e o fundador da literatura russa moderna. Mas Pushkin também ditou um epílogo quase tragicómico da sua prolífica vida.

Capacete capilar
Natureza

Viti Levu, Fiji

Velhos Passatempos de Fiji: Canibalismo e Cabelo

Durante 2500 anos, a antropofagia fez parte do quotidiano de Fiji. Nos séculos mais recentes, a prática foi adornada por um fascinante culto capilar. Por sorte, só subsistem vestígios da última moda.

Filhos da Mãe-Arménia
Outono

Erevan, Arménia

Uma Capital entre o Leste e o Ocidente

Herdeira da civilização soviética, alinhada com a grande Rússia, a Arménia deixa-se seduzir pelos modos mais democráticos e sofisticados da Europa Ocidental. Nos últimos tempos, os dois mundos têm colidido nas ruas da sua capital. Da disputa popular e política, Erevan ditará o novo rumo da nação.

Torres del Paine I
Parques Naturais

PN Torres del Paine, Chile

A Mais Dramática das Patagónias

Em nenhuma outra parte os confins austrais da América do Sul se revelam tão arrebatadores como na cordilheira de Paine. Ali, um castro natural de colossos de granito envolto de lagos e glaciares projecta-se da pampa e submete-se aos caprichos da meteorologia e da luz. 

Maias de agora
Património Mundial Unesco

Cobá, México

Das Ruínas aos Lares Maias

Na Península de Iucatão, a história do segundo maior povo indígena mexicano confunde-se com o seu dia-a-dia e funde-se com a modernidade. Em Cobá, passámos do cimo de uma das suas pirâmides milenares para o coração de uma povoação dos nossos tempos.

Lenha
Personagens

PN Oulanka, Finlândia

Um Lobo Pouco Solitário

Jukka “Era-Susi” Nordman criou uma das maiores matilhas de dog sledding do mundo. Tornou-se numa das personagens mais emblemáticas do país mas continua fiel ao seu cognome: Wilderness Wolf

Leme Manual
Praia

Ilhabela, Brasil

A Caminho de Bonete

Uma comunidade de caiçaras descendentes de piratas fundou uma povoação num recanto da Ilhabela. Apesar do acesso difícil, Bonete foi descoberta e considerada uma das 10 melhores praias do Brasil.

Sombra vs Luz
Religião

Quioto, Japão

O Templo que Renasceu das Cinzas

O Pavilhão Dourado foi várias vezes poupado à destruição ao longo da história, incluindo a das bombas largadas pelos EUA mas não resistiu à perturbação mental de Hayashi Yoken. Quando o admirámos, luzia como nunca.

Em manobras
Sobre carris

Fianarantsoa-Manakara, Madagáscar

A Bordo do TGV Malgaxe

Partimos de Fianarantsoa às 7a.m. Só às 3 da madrugada seguinte completámos os 170km para Manakara. Os nativos chamam a este comboio quase secular Train Grandes Vibrations. Durante a longa viagem, sentimos, bem fortes, as do coração de Madagáscar.

Coreografia pré-matrimonial
Sociedade

Old Jaffa, Israel

Onde Assenta a Cidade que Nunca Pára

Telavive é famosa pela noite mais intensa do Médio Oriente. Mas, se os seus jovens se divertem até à exaustão nas discotecas à beira Mediterrâneo, é cada vez mais na vizinha Old Jaffa que dão o nó.

Vida Quotidiana
Enxame, Moçambique

Área de Serviço à Moda Moçambicana

Repete-se em quase todas as paragens em povoações dignas de aparecer nos mapas. O machimbombo (autocarro) detém-se e é cercado por uma multidão de empresários ansiosos. Os produtos oferecidos podem ser universais como água ou bolachas ou típicos da zona. Nesta região a uns quilômetros de Nampula, fruta tropical é coisa que não falta.
Perigo de praia
Vida Selvagem

Santa Lucia, África do Sul

Uma África Tão Selvagem Quanto Zulu

Na eminência do litoral de Moçambique, a província de KwaZulu-Natal abriga uma inesperada África do Sul. Praias desertas repletas de dunas, vastos pântanos estuarinos e colinas cobertas de nevoeiro preenchem esta terra selvagem também banhada pelo oceano Índico. Partilham-na os súbditos da sempre orgulhosa nação zulu e uma das faunas mais prolíficas e diversificadas do continente africano.

Os sounds
Voos Panorâmicos

The Sounds, Nova Zelândia

Os Fiordes dos Antipodas

Um capricho geológico fez da região de Fiordland a mais crua e imponente da Nova Zelândia. Ano após anos, muitos milhares de visitantes veneram o subdomíno retalhado entre Te Anau e o Mar da Tasmânia.