Laos


Chiang Kong - Luang Prabang, Laos

Por Esse Mekong Abaixo

Os custos mais baixos e a beleza dos cenários são as principais razões para fazer esta viagem. Seja como for, a descida pelo rio "mãe de todas as águas" pode ser tão pitoresca como incómoda.

Num equilíbrio fluvial

Chiang Kong - Luang Prabang, Laos

Por Esse Mekong Abaixo

Os custos mais baixos e a beleza dos cenários são as principais razões para fazer esta viagem. Seja como for, a descida pelo rio "mãe de todas as águas" pode ser tão pitoresca como incómoda.

Mapa


Como ir


VISTOS E OUTROS PROCEDIMENTOS

É necessário passaporte com seis meses de validade e um visto prévio, apenas se planear entrar no país num dos postos fronteiriços em que não é possível obter visto à chegada. Mais informações em Turismo Laos.

CUIDADOS DE SAÚDE E DE SEGURANÇA

As autoridades do Laos exigem certificado da vacina da febre amarela aos visitantes que provenham de um destino com risco de transmissão. Existe risco de contração de malária em todo o país excepto a capital Vientiane. Evite também picadas de mosquito para diminuir o risco de contração de febre de Dengue. 

Para mais informações sobre saúde em viagem, consulte o Portal da Saúde do Ministério da Saúde e Clínica de Medicina Tropical e do Viajante. Em FitForTravel encontra conselhos de saúde e prevenção de doenças específicas de cada país (em língua inglesa).

VIAGEM PARA O LAOS

Voe para Madrid. A partir de Madrid, a Thai Airways voa directamente para Vientiane, a capital do Laos com uma única escala em Banguecoque. No total, a viagem deverá demorar cerca de 20 horas e ter um preço mínimo de 1.000€. 

A não perder


  • Viagem de barco Mekong abaixo de Huay Xay a Luang Prabang
  • Vang Vieng
  • Phonsavan
  • Luang Nam Tha
  • Vieng Xai
  • Khammuan
  • Planalto Bolaven
  • Templo Wat Phu Champasak 
  • Si Pha Don
  • AttaPeu

Explorar


VOOS INTERNOS

A única companhia aérea do Laos é a Lao Airlines e opera todos os voos domésticos e internacionais do país com base na capital Vientiane. Os preços da Lao Airlines são estabelecidos em dólares dos Estados Unidos. Com excepção para transações nos escritórios da companhia aérea de Vientiane e de Luang Prabang, os bilhetes têm que ser pagos em USD . Têm preços muito em conta. Como exemplo, a rota mais popular entre Vientiane e Luang Prabang tem um custo aproximado de 150€ (só ida) com a vantagem de assegurar em apenas 40 minutos uma viagem que, de autocarro, demora 12 horas ou mais. À data de criação deste texto, voos para destinos mais remotos como Phongsali, Sam Neua e Sainyabuli eram assegurados por Cessnas com 14 lugares e aterravam em pistas muito básicas pelo que os voos só são garantidos em situações meteorológicas ideais. Pelo menos, nos últimos anos, a companhia tem operado com segurança.

AUTOCARRO

As estradas do Laos tiveram melhorias substanciais mas, mesmo assim, mais de 80% permanece de terra batida. Não é o caso das principais, entre Vientiane e Vang Vieng, Luang Prabang e Savannakhet.

Algumas empresas privadas investiram em percursos regulares nos itinerários principais do país e compraram autocarros mais modernos e mais confortáveis que agora catalogam como VIP. O custo das viagens nestes autocarros é sensivelmente de 1,50€ por cada 100km. Não espere um verdadeiro luxo. Não é de contar com passageiros de pé mas vá preparado para ar condicionado eventualmente regulado como clima árctico, para música ou vídeos a passar a volumes demasiado elevados.

Uma outra empresa privada de nome Stray Travel assegura um percurso com várias escalas que podem ser retomadas em dias sucessivos. 

ALUGUER DE VIATURA

A maior parte dos visitantes do país optam por alugar viaturas com motoristas/guias por 30€ a 80€ dependendo da distância e da dureza do itinerário a ser percorrido. Uma empresa sediada em Vientiane, com larga experiência neste tipo de alugueres mas também de veículos sem motorista é a Asia Vehicle Rental.

Caso faça questão de conduzir por sua conta, espere encontrar pequenos utilitários em rent-a-cars multinacionais do aeroporto de Vientiane por a partir de 35€ por dia. Esses pequenos utilitários são demasiado vulneráveis às piores estradas do país, principalmente durante a época das chuvas ou pouco depois do seu término.

 

 

BARCO

O Mekong é o principal eixo fluvial explorado durante a maior parte do ano (excepto pico da época seca a montante de Luang Prabang) por inúmeras embarcações. Uma das viagens clássicas do Laos é precisamente a descida de dois dias Mekong abaixo desde Huay Xai até Luang Prabang, com uma noite passada em Pakbeng. Esta viagem é feita em barcos de madeira e possivelmente ainda em assentos duros de madeira que a maior parte dos passageiros tenta suavizar. Num dia normal, os passageiros a bordo são uma mescla de mochileiros e camponeses lao com as suas cargas e até animais, a caminho de povoações mais abaixo no rio ou de Luang Prabang. 

Alguns lao e até viajantes estrangeiros optam por diminuir os dois dias de viagem destes barcos e fazem a mesma viagem em lanchas rápidas (héua wái) que completam o mesmo percurso Huay Xai – Luang Prabang em apenas 6 horas, por cerca 15€ por hora de viagem que podem ser divididos com 8 outros passageiros. Estas lanchas infernais por norma Made in Thailand são propulsionadas por motores ensurdecedores e obrigam os passageiros de maior dimensão a permanecer apertados horas a fio. Já aconteceram diversos acidentes provocados por troncos no leito, ondulação de outros barcos etc. etc. O governo lao já ameaçou proibi-las, alegadamente por razões ambientais. Se alguma vez teve lugar, essa proibição não parece ter resistido muito tempo.

Para viagens mais curtas, os equivalentes lao aos longtailboat tailandeses (héua hang nyáo, em lao) são as embarcações mais fáceis de fretar por cerca de 3,50€ por hora de navegação com capacidade para um máximo de 10 pessoas. 

OUTROS

Outros veículos comuns no Laos são os sǎwngthǎew, carrinhas pick-up com cabines cobertas adaptadas e dotadas de bancos laterais que transportam passageiros frente a frente mas, muitas vezes, não só. 

Existem ainda os tuk-tuks e os jumbos ambos motorizadas com uma cabine exuberante aberta atrás. Existe uma organização na capital Vientiane que coordena os preços cobrados por estes veículos. Tente pagar fora da capital comparativamente menos que aquilo que indica a tabela desta organização: Preços tuk-tuks, ou seja cerca de 0,25€ por cada km percorrido que é suposto poderem ser divididos por até 3 passageiros, no pior dos casos, pague 1,50€ por viagens de até 5km.

Quando ir


Visite o Laos de preferência entre Fevereiro e Novembro, a altura do ano em que, salvo anomalias climáticas, chove menos e, em geral, faz menos calor. Dezembro a Fevereiro, mas também Agosto, são época alta.

A época mais quente coincide com os meses de Março e Maio quando as temperaturas ascendem quase todas os dias aos 40ºC, principalmente no sul do país. 

Tenha em conta que, durante a época seca, a atmosfera sobre o Laos permanece enevoada por poeiras mas, acima de tudo, por fumo produzido pelas muitas queimadas geradas por camponeses. No caso de planear explorar apenas zonas montanhosas e mais frescas do norte será esta névoa a grande desvantagem.  

A época das chuvas traz aguaceiros fortes e fulminantes quase diários que limpam a atmosfera e são muito provavelmente seguidos de períodos de sol. Pelo lado das desvantagens, muitas das estradas de terra batida ficam enlameadas e até intransitáveis em províncias mais remotas como Salavan, Phongsali e Sainyabuli.

 

 

 

Dinheiro e Custos


A moeda nacional do Laos é o Kip (LAK). O baht tailandês e o dólar dos Estados Unidos circulam em grande escala no país e são aceites nas cidades para pagamentos que envolvem montantes mais elevados. À data de criação deste texto, existiam caixas ATM apenas em Vientiane. As que existiam, permitem levantamentos de apenas 700.000 kips (aproximadamente 6,50€). Além disso, o banco lao BCEL (Banque pour le Commerce Extérieur Lao) cobrava uma taxa de cerca de 2$USD que, somados aos prováveis 7$ a 10$USD de taxas das entidades bancárias não lao envolvidas na transação electrónica tornava esta solução pouco aconselhável.

Muitos viajantes continuam a transportar consigo dólares ou recorrem ao BCEL para obter cash advances – possíveis apenas em kips – com uma taxa de 3%. Após deixar o Laos, os kips não têm qualquer valor no estrangeiro.

ALOJAMENTO

As cidades e povoações na rota turística do Laos são as únicas com guest houses adaptadas para receber estrangeiros. Vai encontrá-las em Vientiane (ainda pouco abundantes), Luang Prabang (muito abundantes), Vang vieng, Champasak e noutros lugares. Aquelas com proprietários mais esforçados oferecem conforto e até alguma elegância a preços irrisórios, na ordem dos 3€ a 7€ por noite por quarto duplo com ventoinha e casa de banho partilhada provavelmente água fria, 5€ a 10€ por quartos duplos com ar condicionado, casa de banho privativa, possivelmente TV e água quente que, de qualquer maneira, só será indispensável nas regiões montanhosas onde, por azar, é mais improvável. Em época quente, nas zonas baixas do Laos, vai agradecer se tiver água fria no duche. 

Estão a aparecer outros tipos de hotéis de cariz mais comercial mas nem por isso que se possam dizer sofisticados. São mais abundantes na capital Vientiane, em Luang Prabang e Savannakhet. Têm preços possivelmente ainda mais em conta que os das guest houses. 

No topo da escala, existem os hotéis de maior dimensão, a maior parte geridos pelo estado e que têm o seu cliente-alvo em comitivas de negócios asiáticas e, cada vez mais, grupos turísticos estrangeiros de visita ao Laos. Estes hotéis praticam diárias muito mais elevadas, na ordem dos 30€ a 60€ por quarto duplo com ar condicionado, água quente, TV e serviço de quarto. 

ALIMENTAÇÃO

A gastronomia do Laos assemelha-se à da região fronteiriça do nordeste da Tailândia. Tem a sua base nas ervas e vegetais crus, arroz (quase sempre adocicado e glutinoso) e em peixe ou carne de aves, porco ou búfalo – também alguns animais selvagens e até em perigo de extinção – cozinhados com sabores finais agridoces e bastante picantes. O prato nacional é o laap uma espécie de salada com carne desfiada, com ervas, especiarias, sumo de lima e muitas malaguetas. 

À imagem do alojamento, as refeições têm preços bastante suaves, ligeiramente inflacionados no centro das povoações visitadas por hordas de estrangeiros que os pequenos empresários depressa perceberam ter um poder de compra muito superior ao dos cidadãos lao. A cidade com gastronomia e preços mais adaptados aos forasteiros é Luang Prabang. Ali, nas ruas e ruelas com arquitectura colonial francófona, os pequenos bares servem crepes e panquecas, saladas de frutas com iogurte e muesli, omeletes, baguetes e tudo aquilo que perceberam que os mochileiros apreciam. Como é de esperar, cobram substancialmente mais que os lugares lao habituados a servir apenas clientes lao. Dependendo do lugar em que se sentar espere pagar entre 2€ e 6€ por um pequeno-almoço; 3€ e 8€ por um almoço ou jantar. 

INTERNET

O wi-fi está a popularizar-se a olhos vistos. É cada vez mais oferecida por guest houses, hotéis, bares e restaurantes. Mesmo assim, os internet cafés são abundantes e dos mais baratos de toda a Ásia com preços da ordem dos 0,40€ à hora. 

No caso de estadias mais longas, pode compensar obter um cartão SIM de uma das operadoras que disputam as comunicações do país: Lao Telecom, Beeline, ETL Mobile e Unitel.