Martinica


Martinica, Antilhas Francesas

Caraíbas de Baguete debaixo do Braço

Circulamos pela Martinica tão livremente como o Euro e as bandeiras tricolores esvoaçam supremas. Mas este pedaço de França é vulcânico e luxuriante. Surge no coração insular das Américas e tem um delicioso sabor a África.

Sainte-Luce, Martinica

Um Projeccionista Saudoso

De 1954 a 1983, Gérard Pierre projectou muitos dos filmes famosos que chegavam à Martinica. 30 anos após o fecho da sala em que trabalhava, ainda custava a este nativo nostálgico mudar de bobine.

Saint-Pierre, Martinica
A Cidade que Renasceu das Cinzas
Em 1900, a capital económica das Antilhas era invejada pela sua sofisticação parisiense, até que o vulcão Pelée a carbonizou e soterrou. Passado mais de um século, Saint-Pierre ainda se regenera.

Fort-de-France, Martinica

Liberdade, Bipolaridade e Tropicalidade
Na capital da Martinica confirma-se uma fascinante extensão caribenha do território francês. Ali, as relações entre os colonos e os nativos descendentes de escravos ainda suscitam pequenas revoluções.
Cap 110

Martinica, Antilhas Francesas

Caraíbas de Baguete debaixo do Braço

Circulamos pela Martinica tão livremente como o Euro e as bandeiras tricolores esvoaçam supremas. Mas este pedaço de França é vulcânico e luxuriante. Surge no coração insular das Américas e tem um delicioso sabor a África.

O projeccionista

Sainte-Luce, Martinica

Um Projeccionista Saudoso

De 1954 a 1983, Gérard Pierre projectou muitos dos filmes famosos que chegavam à Martinica. 30 anos após o fecho da sala em que trabalhava, ainda custava a este nativo nostálgico mudar de bobine.

Saint-Pierre
Saint-Pierre, Martinica

A Cidade que Renasceu das Cinzas

Em 1900, a capital económica das Antilhas era invejada pela sua sofisticação parisiense, até que o vulcão Pelée a carbonizou e soterrou. Passado mais de um século, Saint-Pierre ainda se regenera.
Forte de Saint Louis

Fort-de-France, Martinica

Liberdade, Bipolaridade e Tropicalidade

Na capital da Martinica confirma-se uma fascinante extensão caribenha do território francês. Ali, as relações entre os colonos e os nativos descendentes de escravos ainda suscitam pequenas revoluções.

Mapa


Como ir


VISTOS E PROCEDIMENTOS

Se tem cidadania portuguesa só necessita de Cartão de Cidadão válido para entrar em Martinica. Cidadãos brasileiros e da restante CPLP precisam de requerer visto. Os vistos Schengen não são válidos, os detentores devem requerer um visto específico. Mais informações em Martinique Visa

CUIDADOS DE SAÚDE

As autoridades francesas não requerem qualquer vacina em particular para permitir aos visitantes entrada em Martinica. Não existe risco de malária na ilha, nem outros riscos para a saúde dignos de registo. Mais informações em FitForTravel 

VIAGEM PARA MARTINICA

À data de criação deste texto, a Air France tel.: 707202800, voa de Lisboa para Fort-de-France nove vezes por semana via Paris, nuns dias com escala no aeroporto de Orly, noutros no de Charles de Gaulle. O voo custa cerca de 1100€, em económica, cerca de 1800€ em classe Premium.

Explorar


ALUGUER DE CARRO

O ideal é alugar um veículo, 4WD se desejar explorar os trechos mais alternativos da Martinica. A rede de estradas asfaltadas da ilha é boa e muito abrangente. Os preços dos veículos alugados começam em volta dos 30€ por dia para alugueres de alguma duração, por exemplo uma semana. 

AUTOCARROS

Apesar de existirem autocarros públicos de maiores dimensões, a grande parte dos transportes com que se irá cruzar são os taxis collectivs que, além de identificados com TC, têm mencionados os destinos sobre o para-brisas. Detêm-se em paragens assinaladas. Os taxis collectifs cobram bastante menos, menos de 4€ por uma viagem de 45 minutos. 

TAXIS

Recorra aos taxis apenas se estiver preparado para preços francófonos (leia-se elevados), pagos em euros.

 

Quando ir


Esta ilha das Antilhas tem um clima tropical durante todo o ano. A altura mais agradável para visitar (mas também a mais turística) é a época seca, de Dezembro a Maio, quando chove menos e as temperaturas máximas médias rondam os 26º. A época das chuvas começa em Junho e estende-se até ao fim de Novembro com aguaceiros forte praticamente diários e um ar bastante mais húmido. Agosto e Setembro são os meses mais húmidos e chuvosos e também propícios à visita de ciclones. 

Dinheiro e Custos


A moeda usada nas Antilhas Francesas (Martinica e Guadalupe) é o Euro. A maior parte dos estabelecimentos, até mesmo muitos dos menos sofisticados permitem pagamentos com cartões de crédito e débito. As caixas ATM são abundantes nas principais povoações. À imagem da maior parte dos territórios ultramarinos franceses, a Martinica depressa se revela um destino dispendioso.

ALOJAMENTO 

As diárias começam em redor dos 85€ por quarto duplo nos hotéis mais humildes. Vai ter dificuldade em encontrar algo mais barato que isto.

ALIMENTAÇÃO 

É a população da Martinica a primeira a queixar-se dos preços demasiado elevados da alimentação na sua ilha, mesmo se as compras forem feitas nos supermercados. Se se pensar que os restaurantes acrescentam valor inflacionado ao que ali compram servem, ficam justificados os pratos entre os 13 e os 15€ e o custo das refeições em restaurantes normais, entre os 30 e os 50€, para começar.

INTERNET 

Vai-se encontrando com maior frequência, oferecida por hotéis, bares e restaurantes. De outra forma, custa em redor de 5€ à hora em internet cafés.