Botswana


Savuti, Botswana

O Domínio dos Leões Comedores de Elefantes

Um retalho do deserto do Kalahari seca ou é irrigado consoante caprichos tectónicos da região. No Savuti, os leões habituaram-se a depender deles próprios e predam os maiores animais da savana.

Delta do Okavango, Botswana

Nem Todos os Rios Chegam ao Mar

Terceiro rio mais longo do sul de África, o Okavango nasce no planalto angolano do Bié e percorre 1600km para sudeste. Perde-se no deserto do Kalahari onde irriga um pantanal deslumbrante repleto de vida selvagem.

PN Chobe, Botswana

Um Rio na Fronteira da Vida com a Morte

O Chobe marca a divisão entre o Botswana e três dos países vizinhos, a Zâmbia, o Zimbabwé e a Namíbia. Mas o seu leito caprichoso tem uma função bem mais crucial que esta delimitação política.

Caminhada Suprema

Savuti, Botswana

O Domínio dos Leões Comedores de Elefantes

Um retalho do deserto do Kalahari seca ou é irrigado consoante caprichos tectónicos da região. No Savuti, os leões habituaram-se a depender deles próprios e predam os maiores animais da savana.

Mokoros

Delta do Okavango, Botswana

Nem Todos os Rios Chegam ao Mar

Terceiro rio mais longo do sul de África, o Okavango nasce no planalto angolano do Bié e percorre 1600km para sudeste. Perde-se no deserto do Kalahari onde irriga um pantanal deslumbrante repleto de vida selvagem.

Hipo-comunidade

PN Chobe, Botswana

Um Rio na Fronteira da Vida com a Morte

O Chobe marca a divisão entre o Botswana e três dos países vizinhos, a Zâmbia, o Zimbabwé e a Namíbia. Mas o seu leito caprichoso tem uma função bem mais crucial que esta delimitação política.

Mapa


Como ir


VISTOS E OUTROS PROCEDIMENTOS

Só é requerido passaporte válido para seis meses. Cidadãos portugueses não necessitam de visto e obtêm autorização de estadia de 30 dias. Consulte a página Botswana Embassy para mais informações.

CUIDADOS DE SAÚDE

É necessária vacina da febre amarela para passageiros oriundos de países com risco de contágio ou que tenham passado por esses países ou seus aeroporto durante mais de 12 horas.

Também se aconselha a prevenção da malária.  Recomenda-se ainda a vacina do Tifo e Hepatite B. Antes de partir, deve contactar a Clínica de Medicina Tropical e do Viajante, Av. da Liberdade, 129, 7.º dto, tel. 21 322 5622.

Para mais informações sobre saúde em viagem, consulte o Portal da Saúde do Ministério da Saúde e Clínica de Medicina Tropical e do Viajante. Conselhos de saúde e prevenção de doenças específicas para o Botswana também em FitForTravel.

VIAGEM PARA O BOTSWANA

Pela distância e localização, o Botswana é um destino que o obrigará sempre a voar com duas ou até mais escalas (por exemplo: Frankfurt + Joanesburgo) e a pagar um preço avultado pelo voo de ida-e-volta, por norma, um mínimo de 900€.

A não perder


  • Delta do Okavango
  • ​Parque Nacional Makgadikgadi Pans & Nxai
  • Parque Nacional Chobe
  • Savuti
  • Tsodilo Hills
  • Reserva Animal do Kalahari Central
  • Reserva Animal Moremi
  • Faixa de Caprivi

Explorar


O Botswana não é o tipo de destino que os viajantes costumem descobrir por sua conta. O país tem um turismo dispendioso de baixo volume de visitantes.

O alojamento e condições de exploração das zonas realmente imperdíveis do país como o PN Chobe, Savuti, o Delta do Okavango e o Kalahari está praticamente por conta de lodges mais ou menos sofisticados, em grande parte detidos por proprietários ou co-proprietários sul-africanos.

A maioria dos visitantes sai dos seus países já com programas “tudo incluído” que agrupam voos, transferes, estadias e safaris nestes lodges. 

Dito isto, o Botswana até tem das melhores condições de África para viajar de forma independente. É estável em termos sociais e bastante seguro. Mesmo tendo uma das economias mais consolidadas do continente, os preços, fora dos lodges luxuosos, são bastante comportáveis.

VOOS INTERNOS

A companhia nacional Air Botswana opera um número de voos limitados entre as principais povoações do país: Gaborone, Francistown, Maun e Kasane. 

Em época alta, estas mesmas rotas e outras são percorridas por voos charter como parte de pacotes já com estadias e safaris incluídos. Por vezes, é esta a única forma de chegar a povoações e lodges isolados.

ALUGUER DE VIATURA

Se preferir uma alternativa mais aventureira, alugue um carro – de preferência 4WD ou até um jipe, especialmente durante a época das chuvas –  e parta à descoberta. Lembre-se, no entanto, que terá sempre que encontrar forma de fazer os safaris em segurança nas zonas de vida selvagem como o PN Chobe, o Savuti, Kalahari ou o sempre alagado e remoto Delta do Okavango. O ideal, neste caso é reservar tours operados por empresas sediadas em Maun, Kasane e outros polos turísticos.

Um carro alugado pode custar a partir de 140€ por semana para um veículo económico para 5 pessoas. Acrescente mais uns euros para seguro que, apesar de não ser obrigatório, é altamente recomendável. Os rent-a-car do Botswana costumam cobrar 20€ a 30€ pela limpeza do carro, caso o devolva realmente sujo.

OUTROS

Viagens de autocarro, combis outras formas de transporte local são possíveis em eixos e cidades principais mas as ligações e soluções complementares irão consumir-lhe grande parte do tempo e dinheiro disponíveis para descobrir o país. Autocarros percorrem as principais estradas do país e cobram cerca de 1,50€ por cada hora de percurso. Lembre-se que não deve conseguir chegar a povoações afastadas das vias principais nestes autocarros.

Quando ir


Época alta

Abril até fim de Agosto são as melhores alturas para visitar o Botswana. Os dias mantêm-se menos quentes mas solarengos e agradáveis e os animais mantêm-se junto à água.

Época intermédia

Setembro, Outubro e Novembro também são meses válidos.

Época baixa

Mesmo tendo em conta a recente instabilidade climática, as monções costumam instalar-se de Dezembro a Março. Nestes meses, a chuva é mais frequente e pode durar vários dias.

Dinheiro e Custos


A moeda nacional é o Pula (BWP). É aconselhado levar cartão de crédito Visa, Mastercard ou American Express que poderá usar nos lodges bem como Euros e/ou Dólares americanos que poderá, ocasionalmente trocar por Pulas para compras nos mercados das povoações.

ALOJAMENTO

Programas completos para o Botswana com estadia em lodges custam a partir de 3.000€ para 8 dias de circuito.

ALIMENTAÇÃO

O normal é as refeições estarem incluídas nos circuitos/programas vendidos pelas agências e operadores de viagem. Refeições à parte destes pacotes, nos lodges, têm custos significativos num mínimo de 25€ por pessoa para um almoço ou jantar. Restaurantes das principais cidades e povoações servem refeições provavelmente não tão cuidadas mas por preços bem mais em conta, a partir de 3€.

INTERNET

Fora das principais povoações, terá acesso – por wifi ou cabo, mas sempre lento – apenas em alguns dos lodges mais sofisticados do país. Em contrapartida, os lodges, hotéis e vários outros estabelecimentos – incluindo Internet cafés – de Gaborone, Maun, Francistown, Kasane e Ghanzi garantem acesso a Internet rápida, gratuita ou relativamente barata.